“Eu fui candidato cinco vezes, vocês nunca me viram na TV ser agressivo com alguém. Porque eu acho que se um homem fosse chamar o outro de mentiroso na cara, era pra sair logo ‘no pau’.”- Lula, que chamou Sarney de ladrão e Itamar Franco de filho da puta.

24out

!cid_2BDDA0F7-3604-4CEB-897C-5EFA09936453

A “passeata” que o Paulo McD e o Jorge Samek programaram na avenida Brasil, para a Dilma Rousseff, nesta tarde de sexta-feira, foi um dos maiores fiascos do gênero das últimas décadas na fronteira. Não tinha 30 pessoas…Uauuu!

Imaginem a cena: o milionário Paulo McD (o segundo prefeito mais rico do país), grudado no Jorge Samek com aquele salário de dar água na boca  (12 anos presidindo Itaipu, façam as contas…) desfilando ao lado de gente humilde que, a rigor, nem sabiam o que estavam fazendo ali. Todos fregueses da esmola chamada bolsa família. Vergonhoso!

Pitaco: O advogado Osli Machado, professor na Unifoz, foi intimado para comparecer. Tadinho do Osli estava lá com cara de guri cagado…

 

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

imagesTJLM5QGR
Eis o “Elefantão Branco” da fronteira…

O facão afiado do prefeito Reni Pereira decepou mais três cabeças. Dessa vez sobrou para os diretores do Centro Internacional de Convenção.
“Grillo” da cota do vereador Edílio Dallgnol (SD),  Plínio Scappini (PSL) e Sidnei Prestes Júnior (PRB) foram exonerados. Só ficou o presidente Djalma Pastorelo (PSDB) porque é da cota da vice-prefeita boneco, ops! Ivone Barofaldi.

PITACO: Tem mais um monte de cabeça pra rolar… As batatas estão assando… Ai, ai, ai…

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

2410.eduardogai

O ex-assessor da Casa Civil do governo Dilma Rousseff (PT) e ex-prefeito de Realeza, no Sudoeste do Paraná, Eduardo Gaievski, condenado por estupro de menores, teve o pedido de habeas corpus negado, por unanimidade, pela sexta turma do Superior Tribunal de Justiça nesta quinta-feira (23). Gaievski, levado a Casa Civil pela senadora Gleisi Hoffmann (PT) em 2013, está preso em Francisco Beltrão desde o dia 31 de agosto do ano passado, acusado de favorecimento de prostituição e de cometer vários estupros, inclusive de adolescentes menores de 15 anos, entre 2005 e 2012. As informações são da Gazeta do Povo.

Os 17 processos contra ele correm em segredo de Justiça, por envolver menores de idade. A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público (MP) em 2010, com base em escutas telefônicas. A intenção da defesa de Gaievski é de que ele pudesse responder aos processos em liberdade. Depois da decisão desta quinta, segundo o advogado Samir Mattar Assad, que integra a defensa do político, Gaievski ainda pode responder aos processos em liberdade, mas não em um futuro próximo. “O pedido se baseou em dois fatos principais: o Eduardo é réu primário, e uma outra ré do processo, que é funcionária do motel que ele denunciou, pode responder em liberdade”, explica Assad. “Por uma questão de isonomia, o pedido de habeas corpus deveria ter sido concedido”, afirma.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

Chico, Confesso que fiquei chocado ao vê-lo desfilar na passarela da Dilma, cantarolando como se estivesse a defender uma causa justa, honesta e patriótica.

Logo você, Chico, que ganhou tanto dinheiro encantando a juventude da década de 1970 com parolas em prosa e verso sobre liberdade e moralidade!

Percebo que aquilo que você chamava de ditadura foi, na verdade, o grande negócio da sua vida. Afinal, você estava à toa na vida.

Você deveria agradecer aos militares por tudo o que te fizeram, porque poucos, muito poucos, ganharam tanto dinheiro vendendo ilusões em forma de música e poesia como você.

Estou agora fazendo essa regressão, após vê-lo claudicante como A Mulher de Aníbal no palanque do Lula e da Dilma. Claro que deu para perceber o seu constrangimento, a sua voz trêmula e pusilânime, certamente sendo acusado pela sua consciência de que estava naquele momento avalizando, endossando todas as condutas deste governo trêfego e corrupto.

Nunca, jamais imaginei, Chico, que você pudesse se prestar a isso algum dia.  Mas é possível antever que apesar de todos vocês, amanhã há de ser outro dia.

Quando chegar o momento, esse nosso sofrimento, vamos cobrar com juros. Juro! Você, como avalista, vai acabar tendo que pagar dobrado cada lágrima rolada.

Você vai se amargar, Chico, e esse dia há de vir antes do que você pensa. Não sei como você vai se explicar vendo o céu clarear, de repente, impunemente.

Não sei como você vai abafar o nosso coro a cantar, na sua frente. Apesar de vocês, Chico, amanhã há de ser outro dia.

Estamos sofrendo por ter que beber essa bebida amarga, dura de tragar. Temos pedido ao Pai que afaste de nós esse cálice, mas quando vemos você, logo você, brindando e festejando com todos eles, só nos resta ficar cantando coisas de amor e olhando essa banda passar.  E pedir que passe logo, porque apesar de vocês amanhã há de ser outro dia.

Estamos todos cada qual no seu canto, e em cada canto há uma dor, por conta daquela cachaça de graça que a gente tem que engolir (lembra?), ou a fumaça e a desgraça que a gente tem que tossir.

Só espero, Chico, que as músicas que você venha a compor em parceria com os seus amigos prosélitos de palanque não falem mais de amor, liberdade, moralidade e ética – essas coisas que você embutia disfarçadamente nas suas letras agora mortas de tristeza e dor. Não fale mais disso – não ficará bem no seu figurino agora desnudo.

Componha, iluda, dance e se alegre com todos eles, ganhe lá o seu dinheiro, entre na roda e coloque tudo na sua cueca – ou onde preferir – mas não iluda mais os nossos jovens com suas músicas, simbolizadas hoje apenas na sua gloriosa A Volta do Malandro.

(Assinado)

Seu vizinho do lado.

 

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

oculto 

O doleiro narrou a um interlocutor que seu esquema criminoso por pouco não atuou na campanha presidencial deste ano. Nos primeiros dias de março, Youssef recebeu a ligação de um homem, identificado por ele apenas como “Felipe”, integrante da cúpula de campanha do PT. Ele queria os serviços de Youssef para repatriar 20 milhões de reais que seriam usados no caixa eleitoral. Youssef disse que chegou a marcar uma segunda conversa para tratar da operação, mas o negócio não foi adiante porque ele foi preso dias depois. Esse trecho ainda não foi formalizado às autoridades.

Trecho da matéria “Eles sabiam de tudo” da revista Veja deste final de semana.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

2410.aeciopesquisaistoe

Pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada a partir da terça-feira 21 reafirma a liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff nos últimos dias da disputa pela sucessão presidencial. Segundo o levantamento que entrevistou 2 mil eleitores de 24 Estados, o tucano soma 54,6% dos votos válidos, contra 45,4% obtidos pela presidenta Dilma Rousseff. Uma diferença de 9,2 pontos percentuais, o que equivale a aproximadamente 12,8 milhões de votos. A pesquisa também constatou que a dois dias das eleições 11,9% do eleitorado ainda não decidiu em quem votar. “Como no primeiro turno, deverá haver uma grande movimentação do eleitor no próprio dia da votação”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Se for considerado o número total de votos, a pesquisa indica que Aécio conta com o apoio de 48,1% do eleitorado e a candidata do PT 40%.

De acordo com Guedes, a pesquisa realizada em cinco regiões do País e em 136 municípios  revela que o índice de rejeição à candidatura de Dilma Rousseff se mantém bastante elevado para quem disputa. 44,2% dos eleitores afirmaram que não votariam na presidenta de forma alguma. A rejeição contra o tucano Aécio Neves é de 33,7%. Segundo o diretor do Sensus, a taxa de rejeição pode indicar a capacidade de crescimento de cada um dos candidatos. Quanto maior a rejeição, menor a possibilidade de crescimento. Outro indicador apurado pela pesquisa Istoé/Sensus diz respeito á votação espontânea, quando nenhum nome é apresentado para o entrevistado. Nessa situação, Aécio também está à frente de Dilma, embora a petista esteja ocupando a Presidência da República desde janeiro de 2011. O tucano é citado espontaneamente por 47,8% dos eleitores e a petista por 39,4%. 0,2% citaram outros nomes e 12,8% disseram estar indecisos ou dispostos a votar em branco.

Para conquistar os indecisos as duas campanhas apostam as últimas fichas nos principais colégios eleitorais do País: São Paulo, Minas e Rio de Janeiro. O objetivo do PSDB e ampliar a vantagem obtida em São Paulo no primeiro turno e procurar virar o jogo em Minas e no Rio. Em São Paulo, Aécio intensificou a campanha de rua, com a participação constante do governador reeleito, Geraldo Alckmin, e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. De acordo com as pesquisas realizadas pelo comando da campanha de Aécio, em Minas o tucano já estaria na frente de Dilma e a vantagem veio aumentando dia a dia na última semana. Processo semelhante ocorreu em Pernambuco, depois de Aécio receber o apoio explícito da família de Eduardo Campos e do governador eleito, Paulo Câmara. Os mesmos levantamentos indicam que no Rio de Janeiro a candidatura do senador mineiro vem crescendo, mas ainda não ultrapassou a presidenta. Para reverter esse quadro, Aécio aposta no apoio de lideranças locais, basicamente de Romário, senador eleito pelo PSB, que deverá acompanhá-lo nos últimos atos de campanha. Para consolidar a liderança, Aécio tem usado os últimos programas no horário eleitoral gratuito para apresentar-se ao eleitor como o candidato da mudança contra o PT. Isso porque, as pesquisas internas mostram a maior parte do eleitor brasileiro se manifesta com o desejo de tirar o partido do governo.

No comando petista, embora não haja um consenso sobre qual a melhor opção a ser colocada em prática nos dois últimos dias de campanha, a ordem inicial é a de continuar a apostar na estratégia de desconstrução do adversário. Nas duas últimas semanas, o que se constatou é que, ao invés de usar parlamentares eleitos para esse tipo de ação – como costumava fazer o partido em eleições passadas — os petistas escalaram suas principais lideranças para a missão, inclusive o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a própria candidata. Os petistas apostam no problema da falta d’água para tirar votos de Aécio em São Paulo e numa maior presença de Dilma em Minas para procurar se manter á frente do tucano no Estado.

PESQUISA ISTOÉ/Sensus

Realização – Sensus
Registro na Justiça Eleitoral – BR-01166/2014
Entrevistas – 2.000, em cinco regiões, 24 estados e 136 municípios do País
Metodologia – Cotas para sexo, idade, escolaridade, renda e urbano e rural
Campo – De 21 a 24 de outubro
Margem de erro – +/- 2,2%
Confiança – 95%

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

veja5
Desde que Duda Mendonça, o marqueteiro da campanha de Lula em 2002, admitiu na CPI dos Correios ter recebido pagamentos de campanha no exterior (10 milhões de dólares), pairam sobre o partido suspeitas concretas da existência de dinheiro escondido em paraísos fiscais. Para os interrogadores de Alberto Youssef, no entanto, essas dúvidas estão começando a se transformar em certeza. O doleiro não apenas confirmou a existência das contas do PT no exterior como se diz capaz de ajudar a identificá-las, fornecendo detalhes de operações realizadas, o número e a localização de algumas delas.

Trecho da matéria “Eles sabiam de tudo” da revista Veja desta final de semana

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

2310 dilma lula capa veja
 

O ministro do TSE Admar Gonzaga negou nesta sexta-feira (24) um pedido apresentado por Dilma Rousseff (PT) para que fossem retirados do Facebook links e menções à reportagem da revista “Veja” desta semana. Em sua publicação, a revista diz que o doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, num de seus depoimentos de delação premiada, alegou que Dilma e o ex-presidente Lula tinham conhecimento do esquema de corrupção na Petrobras.

Para o ministro, o pedido da coligação de Dilma não é cabível, uma vez que se baseou num dispositivo legal que só valerá para as eleições do ano que vem. Na peça, os advogados do PT dizem que “Veja” antecipou sua edição com o objetivo de “agredir” a imagem de Dilma e “afetar a lisura do processo eleitoral”.

Devido a isso, se valem de um dispositivo da minirreforma eleitoral, que permite a retirada de conteúdo de sites da internet e de redes sociais material ofensivo a candidatos. Em seu voto, Gonzaga destaca que a minirreforma, aprovada a menos de um ano das eleições, só valerá para o próximo pleito, por isso, não atendeu o pedido do PT e sequer analisou se o conteúdo era ou não ofensivo a Dilma.

A presidente Dilma Rousseff aproveitou o horário eleitoral gratuito desta sexta para responder aos ataques da revista. Em longo discurso, a candidata petista classificou de “terrorismo” o que a publicação faz.

“Não posso me calar frente a esse ato de terrorismo eleitoral articulado pela revista ‘Veja’ e seus parceiros ocultos. Uma atitude que envergonha a imprensa e agride a nossa tradição democrática. Sem apresentar nenhuma prova concreta e mais uma vez baseando-se em supostas declarações de pessoas do submundo do crime a

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out


amurilo
 

Felipe Patury, Época

O diretor do instituto Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, acredita que a chave para se saber quem vencerá o segundo turno da eleição presidencial está no estado de São Paulo. O que definirá o jogo é se o presidenciável tucano Aécio Neves obterá vantagem sobre a presidente Dilma Rousseff nesse estado e de que tamanho será sua dianteira. Se Dilma conseguir reduzir a folga que Aécio conquistou no primeiro turno a menos de 5 milhões de votos, ela ganhará a eleição. Se Aécio tiver 5 milhões de votos a mais que Dilma em São Paulo, o vencedor será ele, presume Hidalgo. O número de pessoas que, em pesquisas estimuladas, diz ainda não ter escolhido seu candidato a presidente é pequeno. Um levantamento não registrado do Paraná Pesquisas calcula que apenas 5% do contingente de eleitores ainda não decidiu votar em Dilma ou Aécio.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

2410.bolsavalores
O jornal britânico Financial Times publica reportagem na edição impressa desta sexta-feira em que destaca o temor de muitos eleitores brasileiros ligados ao mercado financeiro e ao setor empresarial de declarar o voto. Apesar de o grupo apoiar majoritariamente o candidato Aécio Neves (PSDB), poucos anunciam a opção publicamente por temer reações do governo Dilma Rousseff (PT) e das empresas estatais.

“Ainda que muitos, de investidores a altos executivos, apoiem o candidato da oposição pró-mercado, poucos se atrevem a tornar pública a sua posição por temer perturbar o Partido dos Trabalhadores e ferir seu próprio negócio”, diz a reportagem.

Um dos entrevistados explica que a opção pelo discurso mais discreto acontece porque “o governo tem tentáculos por toda a economia”. Esse entrevistado que é executivo de um banco internacional em São Paulo diz que eleitores evitam declarar o voto para não “tornar a vida muito difícil”.

Entre os investidores e empresários, as reclamações vão da estagnação do crescimento ao intervencionismo passando pela gestão da maior empresa brasileira, a Petrobras, e a alta da inflação.

O FT nota, porém, que as demandas da população, em especial da nova classe média, são um pouco distintas. “Estão procurando um líder para retomar o crescimento e também para lidar com eficiência com transporte público, saúde e educação”.

Diante da disputa bastante acirrada nos últimos dias, o FT cita que a campanha eleitoral deixou de tratar de propostas e passou à esfera dos ataques. “A campanha se degenerou em ataques pessoais com ambos os lados acusando o outro de ofensas que vão do alcoolismo ao nazismo”, diz o texto.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

0408-ze-dirceu-e-zeca-dirceu

Painel, Folha de S. Paulo

O retorno – José Dirceu, condenado e preso no mensalão, pediu ajuda à cúpula do PT após o primeiro turno. O ex-ministro quer dinheiro para saldar dívidas de campanha do filho, o deputado reeleito Zeca Dirceu (PT-PR).

Ajuda de cima – Até agosto, o parlamentar declarou ter recebido R$ 617 mil da direção nacional do PT, mais de 60% do total de suas receitas. Mas ainda faltava muito para cobrir o teto de gastos, estimado em R$ 4 milhões.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

Se debe extirpar de la política a los narcotraficantes…

 

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

O último reajuste na tarifa do transporte coletivo em Foz do Iguaçu foi realizado em novembro de 2012. Os usuários do transporte coletivo em Foz tiveram que desembolsar R$ 2,90 para os pagamentos em dinheiro e R$ 2,60 para pagamentos com o cartão único.

Em julho de 2013 com o repasse integral da isenção do ICMS no óleo diesel, houve uma redução nos valores das tarifas. O valor foi rebaixado de R$ 2,90 para R$ 2,85 para pagamento das tarifas em dinheiro e de R$ 2,60 para R$ 2,55 no pagamento das tarifas com cartão eletrônico.

Em setembro de 2013 por força contratual, o Prefeito Reni Pereira deveria ter realizado uma adequação das tarifas para cumprir o equilíbrio econômico financeiro do contrato. Em função do momento, o Prefeito conseguiu segurar o aumento.

Sendo assim em julho de 2014 o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) determinou o reajuste da tarifa do transporte coletivo de Foz do Iguaçu, onde as empresas do consócio alegaram ao TJ-PR que o último reajuste efetivo ocorreu em novembro de 2012.

Em 2013 o município reduziu a tarifa por causa da isenção, que foi concedida pelo governo estadual, baseando-se no pagamento do ICMS sobre o óleo diesel utilizado na prestação de serviço público de transporte de passageiros.

Na ocasião a administração municipal teria 30 dias para fazer o reajuste anual da tarifa, previsto em contrato de concessão, conforme a sentença foi dada pelo desembargador Abraham Lincoln Calixto. A Administração recorreu e solicitou algumas melhorias.

Hoje, sexta-feira(24) cumprindo determinação Judicial o Governo Municipal está concedendo a adequação, que entra em vigor a partir do próximo dia 26, domingo. A tarifa terá um reajuste de 5 centavos passando a custar o passe integral R$2,90 e o passe estudante R$1,45.

“Seguramos essa adequação em quanto pudemos, e chegou o momento que não tivemos mais como segurar, como as empresas entraram e ganharam na justiça tivemos que respeitar a decisão e conceder a adequação”, salientou Reni.
Em contrapartida o Prefeito Reni Pereira determinou que entrasse em vigor também no domingo dia 26 a tarifa especial domingueira. Onde quem usar o transporte coletivo aos domingos da 0 às 24h pagará somente R$ 1,50. As empresas também estão sendo notificadas para que todo e qualquer novo ônibus a ser implantado no sistema deverá ter ar condicionado como melhoria na qualidade dos serviços.

A iniciativa é uma forma de garantir meios de transporte a baixo custo aos usuários que utilizam o transporte coletivo nos finais de semana para momentos de lazer.

Att Assessoria de Imprensa PMFI

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

Doutor em Ciência Política e professor da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) em Foz do Iguaçu, Bruno Bolognesi foi o convidado da manhã desta sexta-feira (24) no quadro Café com a CBN
241014_CAFE_4
Na entrevista a Guilherme Wojciechowski e ao comentarista político Helio Eduardo Lucas, Bolognesi analisou o panorama eleitoral no Brasil e falou, entre outros temas, sobre a influência das pesquisas junto ao eleitor brasileiro.

O cientista político avaliou, também, que um dos principais desafios do próximo mandatário, independente de quem vença o pleito, será alcançar a governabilidade no Congresso Nacional.
Ouça a entrevista AQUI
FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

24out

noshopping

Alberto Youssef confirmou aos investigadores o que disse o ex-diretor de Abastecimento daPetrobras Paulo Roberto Costa sobre o dinheiro desviado da estatal para a campanha da ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT-PR) ao Senado, em 2010. Segundo ele, o repasse dos recursos para a senadora petista, no valor de 1 milhão de reais, foi executado em quatro parcelas. As entregas de dinheiro foram feitas em um shopping center no centro de Curitiba. Intermediários enviados por ambos entregaram e receberam os pacotes. Em nota, a senadora disse que não recebeu nenhuma doação de campanha nem conhece Paulo Roberto Costa ou Alberto Youssef.

Trecho da reportagem “Eles sabiam de tudo” da revista Veja deste final de semana.
FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail
Página12... 76»