VOLTEI PRA VOCÊ

O pum desovou mais uma “chiquitita” da esposa na praça…

RENAN CALHEIROS POLITIZOU O STF

Se o afastamento de Renan Calheiros da presidência do Senado foi um ato de “judicialização da política”, como definem no Congresso as sentenças envolvendo parlamentares, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de desautorizar um dos seus ministros, desrespeitado e até insultado na véspera pelo próprio senador, indica a “politização do Judiciário”. Um “acordão” manteve Renan na presidência do Senado.

RENAN, O CÍNICO

Renan Calheiros declarou nesta quinta (8) que decisão judicial não se discute, cumpre-se!

Aeroporto de Curitiba, padrão “internacional”

Do Paçoca

20161208_125045Administrado ainda pela Infraero (reformado pela construtora SIAL), hoje as 13 hs, estava com o finger 12 obstruído por duas lixeiras que aparavam a cachoeira que caia do ar condicionado.

Os usuários da Azul tinham que se apertar na lateral para não se molhar, mas pisavam nas poças d’água.

Padrão internacional para um aeroporto classificado como o ‘melhor’ do Brasil.

Possível municipalização do Estádio Pedro Basso é tema de requerimento

 

Vereadores também solicitam à Prefeita informações sobre projetos para que a população utilize o espaço
Os Vereadores discutiram na sessão desta quinta-feira, 8 de dezembro, o requerimento nº 369/2016, de autoria da Vereadora Anice (PTN) que solicita à Prefeita Municipal informações sobre os motivos que ensejaram a municipalização do Estádio Pedro Basso, bem como os projetos para utilização do espaço pela população.
“O que me traz a essa tribuna hoje um requerimento que estamos solicitando informações sobre a possível municipalização do estádio Pedro Basso. Para municipalizar teria que ter vindo algo oficial para essa casa. Eles precisam justificar o motivo pelo qual foi usado o recurso público. Temos de saber se foi municipalizado de fato. E, se foi, foi de que forma? Eu quero investigar, compete a nós buscar essas informações”, enfatizou a Vereadora Anice (PTN). “Os campos do ABC e do Flamengo são particulares. Agora imaginar o executivo faz um convênio que municipaliza já é demais. Perda de tempo pedir informação de uma coisa assim”, questionou Vereador Dilto Vitorassi (PV).
A justificativa do requerimento defende a importância que o município disponibilize equipamentos públicos aptos a satisfazer as necessidades dos moradores. “(…) Desse modo é importante esclarecer e divulgar o processo de municipalização do Estádio Pedro Basso, bem como a eventual existência de Projetos para utilização do Espaço pela população de Foz do Iguaçu(…)” (SIC Requerimento 369/2016).
O requerimento recebeu voto favorável de 11 parlamentares e 3 votos contrários: Edílio Dall´Agnol (PSC), Dilto Vitorassi (PV) e Marino Garcia (PEN). A proposição foi encaminhada ao Executivo, do qual fica aguardando posicionamento.

Legislativo marca para o próximo dia 13, sessão extraordinária para votar o Orçamento de 2017

Legislativo marca para o próximo dia 13, sessão extraordinária para votar o Orçamento de 2017

O prazo para a votação do PL 63/2016 termina na próxima quinta-feira, 15 de dezembro.

O Legislativo iguaçuense começa a se reunir em sessão extraordinária, na próxima terça-feira, 13, para dar início a análise e votação do orçamento geral do Município para o ano de 2017. Os Vereadores têm até o dia 15 dezembro para votar o Projeto de Lei 63/2016.

O rito de votação seguirá duas fases importantes: a primeira será a análise e a aprovação das Emendas parlamentares que provocam remanejamento de recursos dentro do Orçamento Geral. Cada vereador apresentou a sua proposta, levando em consideração o anseio da sociedade, das Associações de Moradores e das Entidades Assistenciais da cidade. Da mesma forma, a Comissão Mista também irá apresentar emendas ao PL.

O segundo momento, envolve a nova redação do Projeto de Lei, que, após a aprovação das emendas receberá as alterações que deverá seguir ao plenário para a votação final. Os parlamentares entendem que, até o dia 15 todos o Orçamento já esteja aprovado e encaminhado ao Executivo para a sanção da Prefeita Interina, Ivone Barofaldi.
Segundo a justificativa do projeto, “para a fixação do valor de cada despesa, foram consideradas as prioridades estabelecidas na Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO, a receita prevista para o exercício de 2017, que é de R$ 735.178.936,00, a evolução dos itens globais de custeio, as alterações na estrutura administrativa, a criação, expansão e aperfeiçoamento da ação governamental e a amortização e encargos da dívida fundada”.
Além da Câmara Municipal, que anunciou a mesma previsão orçamentária do ano de 2016 para 2017, algo em torno de R$ 24.720.000,00, secretarias como a de Educação e de Saúde voltam a consumir metade do orçamento geral do município. A Secretaria de Educação apresentou previsão orçamentária de R$ 183.074.777,75 e a da Saúde R$ 205.561.598,25.
.: REMANEJAMENTO :.
A Assessoria Legislativa da Câmara Municipal está recolhendo as assinaturas dos parlamentares as emendas impositivas feitas ao Orçamento Geral do Município. Nesta sexta-feira deverá ser apresentado à Comissão Mista a totalidade de emendas, bem como a nova configuração do Orçamento para o ano de 2017. Da mesma forma, saberemos quais as secretarias que ganharam mais aporte financeiro para a realização de ações, obras ou melhorias na cidade e ao mesmo tempo, quais as secretarias que tiveram o orçamento reduzido por conta das emendas parlamentares.
Os Vereadores poderão remanejar 3% do orçamento fiscal para 2017. Cada parlamentar poderá remanejar cerca de R$ 1,4 milhões, perfazendo uma totalidade de R$ 21 milhões.
Esta autonomia é garantida por lei para que os parlamentares possam contribuir, de forma espontânea, com o melhoramento do Município em setores que acharem importantes e necessários como: a revitalização de praças e parques, o asfaltamento de ruas, a construção de unidades de saúde, ou até mesmo o fortalecimento de ações sociais destinando verbas do orçamento para entidades cadastradas pelo Governo Municipal.
Vale ressaltar que estas emendas realizadas pelos parlamentares passam a ser impositivas, em virtude da aprovação de uma emenda à Lei Orgânica do Município nº 44/2016, de autoria do Presidente do Legislativo, Fernando Duso (PT).
.: DÍVIDA :.
O próximo gestor municipal poderá ter que arcar uma dívida que ultrapassa a cada dos R$ 60 milhões. Os números também foram aprontados na justificativa do Projeto de Lei 63/2016 e são destacados no demonstrativo da dívida líquida, com base em 31 de agosto de 2016. Este valor praticamente dobrou em relação ao ano de 2015, quando a proposta de Lei Orçamentária apontava uma dívida flutuante municipal que somava pouco mais de R$ 32 milhões

Semiótica política

download-1

O deputado Alfredo Kaefer (PSL-PR) saiu de uma reunião com Temer e Jorge Rachid, da Receita Federal, convencido de que vem mais um Refis por aí. Relator de um projeto que propõe a mesma coisa, Kaefer justifica assim sua certeza:

“O presidente não confirmou e o Rachid disse que vai estudar, mas, nas entrelinhas, dá para ler que vai sair.”

As informações são do Valor.

“Entendi que você é um juiz de merda”

O Antagonista

É uma história conhecida sobre Celso de Mello, mas vale a pena relembrar. Está relatada no livro “Código da Vida”, de Saulo Ramos.

Quando José Sarney decidiu candidatar-se a senador pelo Amapá, o caso foi parar no STF, porque os adversários resolveram impugnar a candidatura. Celso de Mello votou pela impugnação, mas depois telefonou ao seu padrinho, Saulo Ramos, para explicar-se.

Eis o o trecho do livro:

— Doutor Saulo, o senhor deve ter estranhado o meu voto no caso do presidente.

— Claro! O que deu em você?

— É que a Folha de S.Paulo, na véspera da votação, noticiou a afirmação de que o presidente Sarney tinha os votos certos dos ministros que enumerou e citou meu nome como um deles. Quando chegou minha vez de votar, o presidente já estava vitorioso pelo número de votos a seu favor. Não precisava mais do meu. Votei contra para desmentir a Folha de S.Paulo. Mas fique tranquilo. Se meu voto fosse decisivo, eu teria votado a favor do presidente.

— Espere um pouco. Deixe-me ver se compreendi bem. Você votou contra o Sarney porque a Folha de S.Paulo noticiou que você votaria a favor?

— Sim.

— E se o Sarney já não houvesse ganhado, quando chegou sua vez de votar, você, nesse caso, votaria a favor dele?

— Exatamente. O senhor entendeu?

— Entendi. Entendi que você é um juiz de merda.

O STF não se limitou a manter Renan Calheiros no comando do Senado.

Os ministros manobram para que ele seja poupado também de uma denúncia por ter desacatado a ordem judicial.

Diz o Estadão:

“O próximo round no STF envolvendo Renan Calheiros será a decisão se ele deve ser punido por ter ignorado a ordem da Corte de se afastar da presidência do Senado.

Parte dos ministros avalia que, como foi derrubada, a liminar perdeu seu efeito”.

No próximo round, vem o nocaute.

Doping tira medalhas de dois competidores da Rio-2016

Halterofilista romeno e boxeador russo serão penalizados por consumirem substâncias vetadas

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) anunciou, nesta quinta-feira (8), que vai retirar medalhas de dois atletas que participaram dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

O halterofilista romeno Gabriel Sincraian e o boxeador russo Misha Aloyain tiveram susbtâncias proibidas Agência Mundial Antidoping (Wada) encontradas em seus exames de sangue.

De acordo com a revista Veja, Sincraian testou positivo para testosterona exógena logo após o encerramento dos Jogos. Bronze da categoria até 85kg, ele perderá a medalha para Denis Ulanov, do Casaquistão.

Já Aloyan (foto), que ganhou prata na categoria até 52kg, foi flagrado pelo uso de um estimulante proibido, em teste feito após a final contra o campeão Shakhobidin Zoirov, do Uzbequistão.

 

G.D.E cumpre mandado de prisão

p1020302

Na manhã desta quinta-feira (08), investigadores do Grupo de Diligências Especiais realizaram o cumprimento do mandado de prisão expedido pela Vara de Execuções Penais em desfavor de Dejaniro Borges dos Santos, 31 anos de idade, no bairro Morumbi.

A equipe que transitava pelo referido bairro realizou a abordagem de rotina de um veículo, sendo que ao checar a qualificação do motorista do veículo bem como dos ocupantes constatou que o passageiro Dejaniro Borges possuía mandado de prisão em aberto pela prática do crime de roubo, furto qualificado, furto simples e posse irregular de arma de fogo.

Diante dos fatos, a equipe conduziu o foragido até a Delegacia da Polícia Civil onde foi dado fiel cumprimento ao mandado de prisão, posteriormente este foi encaminhado a Cadeia Pública Laudemir Neves.

G.D.E prende foragido com 24 anos de condenação

p1020297

No final da tarde desta quarta-feira (07), investigadores do Grupo de Diligências Especiais realizaram a prisão em flagrante pela prática de uso de documento falso e deram cumprimento ao mandado de prisão expedido pela Vara de Execuções Penais em desfavor de Altair Gonçalves Suhett, 39 anos de idade, no bairro Jardim São Paulo.

A equipe que realiza diligências referentes a um roubo ocorrido há poucos dias no qual os autores teria se identificado como policiais receberam informações que estes teriam sido vistos no referido bairro. De pronto a equipe passou a monitorar a região, quando na tarde de ontem localizou a pessoa de Altair em uma residência, no momento da abordagem este apresentou uma cédula de identidade no nome de terceiro, sendo com ele localizada uma mochila a qual continha uma capa de colete na cor preta, duas gondolas do exército brasileiro e uma camiseta da polícia do exército.

Diante dos fatos, os policiais realizaram buscas no Sistema Policial Intranet, vindo a verificar o uso de documento falso por este, ainda foi possível localizar um mandado de prisão, com condenação de 24 anos pela prática do crime de roubo seguido de morte. Foi dada voz de prisão a Altair e encaminhado a Delegacia da Polícia Civil onde foram realizados os tramites cabíveis onde este permanece à disposição da justiça na carceragem provisória da 6ª SDP.

CUMPRIMENTO DE MANDADO DE PRISÃO

A equipe efetuava patrulhamento pela rua Cáceres no Parque Imperatriz, por volta de 08:30h, quando efetuou abordagem a um homem, o qual estava em atitude suspeita pela via, sendo que ao fazer a revista nada de ilícito foi encontrado, porem ao consultar seu nome junto ao sistema, foi constatado um mandado de prisão em seu desfavor. Diante dos fatos foi dado voz de prisão ao mesmo o qual foi encaminhado até a 6ª SDP para procedimentos cabíveis.

VEÍCULO RECUPERADO

A equipe policial, efetuava patrulhamento próximo ao Hospital costa Cavalcante, por volta de 14:30h, quando notou um veículo Ford/Escort estacionado em atitude suspeita. Aos consultar a placa, constatou-se que havia queixa de furto. Diante dos fatos foi encaminhado até a 6ªSDP para procedimentos cabíveis.

VEÍCULO RECUPERADO

A equipe policial, estava em patrulhamento pelo bairro Morumbi, por volta de 18:00h, quando a equipe se deparou com um veículo Fiesta de cor prata, consultado via central a placa, constou queixa de roubo do dia 05/12/2016. Diante dos fatos o veículo foi encaminhado a 6ª SDP para proceder a entrega do veículo.

CUMPRIMENTO DE MANDADO DE PRISÃO

Durante patrulhamento pelo Parque Imperatriz, por volta de 22:15h, pela equipe CHOQUE, foi realizada abordagem ao veículo Ecosport, de cor vermelha, o qual encontrava-se estacionado em frente a uma residência com um indivíduo no interior. O mesmo foi revistado, não sendo localizado nada de ilícito junto com ele. Ao ser consultado o nome do abordado, junto ao sistema informatizado da polícia militar foram constatados em desfavor do mesmo dois mandados de prisão. Diante do fato foi dado fiel cumprimento aos mandados de prisão sendo, sendo o rapaz apresentado a autoridade de polícia de plantão.

VOLTEI PRA VOCÊ

O pum desovou mais uma “chiquitita” da esposa na praça…

RENAN CALHEIROS POLITIZOU O STF

Se o afastamento de Renan Calheiros da presidência do Senado foi um ato de “judicialização da política”, como definem no Congresso as sentenças envolvendo parlamentares, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de desautorizar um dos seus ministros, desrespeitado e até insultado na véspera pelo próprio senador, indica a “politização do Judiciário”. Um “acordão” manteve Renan na presidência do Senado.

RENAN, O CÍNICO

Renan Calheiros declarou nesta quinta (8) que decisão judicial não se discute, cumpre-se!

 

 

Data vênia, o STF miou

Cartão vermelho justiça (Foto: Arte: Antônio Lucena)

Ricardo Noblat

Por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), doravante fica combinado assim: réu por crime de peculato, como é o caso de Renan Calheiros, ou por qualquer outro tipo de crime, pode, sim, presidir o Senado, mas não pode suceder o presidente da República.

Não se descarta que no futuro, tão logo acabe o mandato de Renan como presidente do Senado, possam os ministros da mais alta corte de Justiça do país adotar outro tipo de entendimento. Afinal, três deles haviam votado de um jeito em novembro último e, ontem, mudaram seus votos.

Quanto a presidente da República, continuará em vigor o que manda a Constituição: aquele que por acaso vire réu será obrigado a se afastar do cargo de imediato. E a ele só poderá retornar depois de julgado e considerado inocente.

Também fica combinado assim: no caso de certas pessoas como Renan, elas podem ignorar decisões judiciais sem correr o risco de serem punidas. Basta que se recusem a ser notificadas por oficial de justiça, aleguem não estar em casa mesmo quando estiverem, e recorram em seguida da decisão que seriam obrigadas a cumprir.

Há que se levar em conta que certas pessoas não merecem o mesmo tratamento conferido às pessoas ditas comuns. Justamente porque não são comuns. São especiais. Poderosas, influentes, capazes de causar danos aos superiores interesses da Nação, elas pertencem à categoria das pessoas incomuns. Assim como Sarney, por exemplo.

Foi Lula, quando presidia o país, que identificou Sarney como “um homem incomum”. Estava certo, como ficou demonstrado pelo STF ao preferir ignorar o descumprimento de ordem judicial por parte de outro “homem incomum” – no caso, Renan, justamente mantido no cargo de presidente do Senado para não ser contrariado.

Por último, fica combinado assim: o Senado foi punido com a perda a prerrogativa de ficar na linha direta da sucessão do presidente da República enquanto for comandado por um réu. Mas a prerrogativa lhe será devolvida. Baste que ele passe ao comando de um não réu.

Revoguem-se as disposições em contrário até a eclosão de uma nova crise.

Dê-se por irrelevante, porque irrelevante é, que o STF miou como um gatinho quando se esperava que rugisse como um leão pondo ordem na selva. Culpem-se os tempos difíceis que vivemos. E a falta de estatura dos que nos representam, governam e interpretam as leis. Nada que não possamos reparar.

Ânimo! Ação! Só depende de nós!