“O sucesso da Dilma é o meu sucesso. O fracasso da Dilma é o meu fracasso”- Lula

01abr

mosaico3

 

 

 

Desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo, um ex-procurador-geral de Justiça do Rio e uma ex-defensora pública-geral de Pernambuco estão relacionados a contas da agência do HSBC em Genebra, na Suíça.

Também aparecem no acervo de dados vazado do banco sócios e ex-sócios de alguns dos maiores escritórios de advocacia do país: Machado, Meyer, Sendacz e Opice; Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga; Levy e Salomão; e Trench, Rossi e Watanabe.

Leia mais 

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

01abr

imagem_dia_1

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

01abr

aa

Youssef no momento em que entregava o PT de bandeja ao juiz Sergio Fernando Moro

Eu cheguei a usar uma das empresas do seu Waldomiro (laranja de Youssef) para fazer uma operação para (a empresa) Toshiba onde eu pude, então, não só pagar o Partido Progressista (PP) e o Paulo Roberto Costa (ex-diretor de Abastecimento da Petrobras), mas também pagar o Partido dos Trabalhadores (PT). Foram dois valores de R$ 400 e poucos mil que foram entregues, a mando de Toshiba ao tesoureiro João Vaccari (Neto).CURITIBA – O doleiro Alberto Youssef afirmou, em depoimento na Justiça Federal nesta terça-feira, que as empresas Odebrecht e Braskem depositavam as propinas relativas ao esquema de corrupção da Petrobras no exterior. Os recursos teriam sido usados para alimentar as contas do PP e do PT. O doleiro também afirmou ter entregado, a pedido de fornecedoras da estatal, propina em dinheiro no seu escritório, na Zona Sul de São Paulo, e na porta do prédio do Diretório Nacional do PT, também em São Paulo.

De acordo com o doleiro, a primeira parcela da propina foi retirada pela cunhada do tesoureiro do PT, Marice Correa de Lima, em seu escritório. O segundo valor foi entregue na porta do prédio do Diretório Nacional do PT, em São Paulo, pelo funcionário do doleiro, Rafael Ângulo, a um representante da Toshiba, que teria repassado o dinheiro a Vaccari. (O Globo)

Leia Mais

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

Quem recebeu o IPVA com o aumento golias patrocinado pelo governo Richa e ficou feliz levanta a mão.

Ops, ninguém?

Ops 2, tou vendo alguém lá no fundo? E é do PT?

O prefeito de Apucarana, o petista Beto Preto confidenciou a uns amigos que já pagou o IPVA dos dois veículos da família. Nem brigou. É que boa parte do IPVA retorna para o cofre da prefeitura. Como Apucarana não está exatamente nadando em dinheiro, o aumento brutal do IPVA, se esfola o proprietário do veículo, alivia o cofre das prefeituras. Do Claudio Osti

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

Fabiano Eloir de FrançaMarcelo Leandro de SouzaJair Pereira da Costa

Nesta terça-feira (31), policiais civis do Grupo de Diligencias Especiais da 6ª S.D.P de Foz do Iguaçu cumpriram três (03) mandados de prisão expedidos pela Justiça.

Marcelo Leandro de Souza é procurado pela Vara Criminal da cidade de Guaíra-PR pelo acusação de crime de homicídio. Marcelo foi preso por volta das 09h30min, na rua Macaé, no Jardim Petrópolis.

Fabiano Eloir de França é condenado pelo crime de receptação e teve cautelarmente suspenso o regime que estava cumprindo na execução da pena, tendo que voltar para a cadeia. Fabiano foi preso por volta das 09h45min, na rua Pintassilgo, no bairro Portal da Foz.

Jair Pereira da Costa é condenado pelo crime de tráfico de drogas e foi preso por volta das 15h00min em um bar localizado na Av. Airton Sena, no bairro Morumbi.

Todos os presos foram encaminhados a delegacia central para fiel cumprimento dos mandados e na sequência encaminhados a Cadeia Pública onde ficam a disposição da Justiça.

Do Robinho assessor de imprensa da polícia civil na fronteira.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

O evento, será nesta quarta-feira, às 19h, no plenário da Câmara de Vereadores 

A Câmara de Vereadores realiza nesta quarta-feira, 1° de abril, uma audiência pública para discutir o aumento do valor do Imposto Predial Territorial Urbano – IPTU. O debate foi proposto pela Vereadora Anice (PT), por meio da um requerimento (85/2015), aprovado em plenário pelos parlamentares.

Segundo a proponente, Vereadora Anice (PT), haverá uma explanação da Secretaria da Fazenda, apresentando os critérios técnicos à população. “Ainda existem muitas pessoas procurando o atendimento na Fundação Cultural para esclarecer dúvidas sobre o IPTU. A proposta da audiência é abrir o espaço para os técnicos falarem sobre o assunto e ouvirmos as reivindicações da sociedade”.

Foram convidados para o evento: Sindicatos dos Comerciários, Sindhotéis, Sindilojas, Associações de Moradores, Conselho de Desenvolvimento de Foz do Iguaçu – Codefoz, Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – ABIH, Secretaria Municipal de Gestão Estratégica e Projetos, Assessoria Especial de Governos, Vereadores e demais órgãos de classe e representantes da sociedade civil organizada.

Quem desejar fazer uso da tribuna popular, pode se inscrever durante a audiência ou anteriormente pelo link: http://goo.gl/gNCyAn . A audiência tem início às 19h, no plenário do Legislativo é aberta a toda comunidade.

 

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

WA0011 - 1

Na tarde desta segunda-feira (30), servidores da Receita Federal apreenderam um veículo carregado com produtos eletrônicos estrangeiros sem comprovação de regular importação. A ação integra a Operação Fronteira Blindada.

A apreensão ocorreu por volta das 15h, em uma estrada secundária na região de Foz do Iguaçu/PR. Os servidores da Receita Federal observaram a atitude suspeita e então realizaram a abordagem do veículo VW/Saveiro com placas de Araras/SP que estava carregado com produtos eletrônicos, centrais multimídia e rádios amadores no valor total de R$ 108 mil.

Além disso, o veículo possuía rádio comunicador escondido em um fundo falso na lataria. Em vista disso, o motorista foi preso em flagrante delito e encaminhado para a Delegacia da Polícia Federal em Foz do Iguaçu.

O veículo e as mercadorias foram encaminhados para a sede da Receita Federal para contagem, valoração e lavratura dos autos de infração para aplicação da pena de perdimento.

 

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

destaque_8a007ea04d803abe1b4b46b8090c6ab7

Em encontro com o ministro da Defesa, Jaques Wagner, nesta terça-feira (31), em Brasília, o governador Beto Richa pediu que a segunda fase do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras comece pelo Paraná, na região de fronteira com o Paraguai e Argentina. Desenvolvido pelo Exército, o programa usa radares, sistemas de comunicação e veículos aéreos não tripulados para o monitoramento da fronteira.

Richa destacou a localização estratégica do Paraná e disse que o programa irá fortalecer as ações de combate ao tráfico de drogas e de armas na fronteira, que é a principal entrada de drogas, armas e contrabando no Brasil. “Por sua posição estratégica, entendemos que o Paraná tem que receber esse projeto, que será fundamental para o combate da criminalidade no Brasil”, defendeu o governador.

O ministro Jaques Wagner reconheceu a necessidade de reforçar a segurança na fronteira paranaense e disse que dará encaminhamento técnico para avaliar que a segunda etapa do programa comece pelo Estado.

Richa afirmou que o governo estadual dá todo o apoio para a viabilização do projeto. Para isso, a bancada paranaense na Câmara incluiu emendas no orçamento da União de 2015, no valor de R$ 97 milhões, destinando esses recursos para a implantação do Sisfron no Estado. “O Estado dará todo apoio para viabilizar esse importante projeto. O Paraná precisa de um sistema de monitoramento avançado como esse”, disse Richa.

ECONOMIA - Na semana passada, em Curitiba, o governador conversou sobre o projeto com o comandante da 5ª Divisão do Exército, general Luiz Carbonell. Além de fortalecer a segurança da fronteira, Beto Richa afirmou que a implantação do programa também beneficiará a economia paranaense. De acordo com o Exército, 70% dos equipamentos do Sisfron precisam ser de conteúdo nacional.

“O Paraná tem indústrias em Curitiba, Maringá e Pato Branco capacitadas para fornecer o material que será utilizado no sistema. Isso é muito importante para o fomento da economia local”, disse Richa. A Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) criou um comitê de indústria da defesa e da segurança que reúne empresas interessadas em fornecer equipamentos para o Sisfron.

MONITORAMENTO - A primeira fase do programa foi implantada em 2013 no Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, na fronteira terrestre com Paraguai e Bolívia. O sistema é baseado em uma rede de sensores colocados sobre a linha de fronteira, interligada a sistemas de comando e controle, que, por sua vez, estão interligados às unidades operacionais com capacidade de dar resposta, em tempo real, aos problemas detectados.

O programa, que terá investimento de R$ 11,9 bilhões em dez anos, irá fortalecer a atuação do Exército garantindo mais infraestrutura no controle e combate ao crime organizado e ao tráfico de drogas e armas na faixa de fronteira do Brasil.

Estão previstos R$ 5,9 bilhões em infraestrutura tecnológica, R$ 3 bilhões em infraestrutura de obras civis e R$ 3 bilhões para infraestrutura de apoio à atuação operacional em toda a fronteira terrestre nas regiões Norte, Centro Oeste e Sul.

BATALHÃO DE FRONTEIRA – O governador disse ao ministro Jaques Wagner que a implantação do sistema no Paraná será fundamental para complementar os investimentos em segurança realizados pelo governo estadual na fronteira. Além da contratação de 10 mil policiais e compra de 1500 viaturas, o Estado instalou o primeiro Batalhão de Fronteira da Polícia Militar, sediado em Marechal Cândido Rondon.

O Paraná tem 19 municípios que fazem fronteira direta com o Paraguai e a Argentina, numa extensão territorial de 1,4 mil quilômetros, e outros 120 municípios na área de influência da fronteira.

FONTE

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

Segundo o levantamento, fragilidades da política econômica brasileiras só não são piores que as da Ucrânia e da Argentina. O Brasil aparece no topo de novos rankings criados pelo Instituto Internacional de Finanças (IIF, na sigla em inglês), formado pelos maiores bancos do mundo, para identificar os países mais vulneráveis entre os emergentes. No levantamento entre os mercados com a política econômica mais vulnerável, o País está em terceiro lugar, atrás apenas da Ucrânia e Argentina, de acordo com o levantamento da instituição.

O IIF desenvolveu um mapa para medir a vulnerabilidade dos emergentes, formado por três índices – vulnerabilidade externa, doméstica (setor real e financeiro) e de política econômica (credibilidade e estabilidade política). Além de estar em terceiro no ranking de vulnerabilidade de política econômica, o Brasil está em segundo lugar, atrás da Turquia, no levantamento de vulnerabilidade doméstica, por causa do risco trazido pelo crescimento do endividamento em moeda estrangeira de empresas e nos passivos dos bancos. No ranking de vulnerabilidade externa, liderado por Turquia e Ucrânia, o Brasil está em melhor posição, por ter volume alto de reservas internacionais, e figura como um dos menos vulneráveis, junto com Chile, México e Tailândia.  (Estadão, 31).

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

Parente do governador foi nomeado para gabinete de Richa quando o tucano já não era deputado. Assembleia diz que houve “erro formal”

 camara

Plenário da Assembleia Legislativa: ação na Justiça questiona a nomeação de Abi feita em 2001 para gabinete inexistente de Beto Richa.

Uma ação na Justiça discute a nomeação de Luiz Abi Antoun para um cargo em comissão na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) em 2001.
Durante seis anos, Abi recebeu como comissionado no Legislativo depois de uma nomeação polêmica para um gabinete que na época não existia mais. De acordo com o Diário Oficial da época, Abi foi nomeado “para o gabinete do deputado estadual Beto Richa”.
Naquele ano, porém, Richa já tinha renunciado ao mandato na Assembleia para assumir o posto de vice-prefeito de Curitiba na gestão de Cassio Taniguchi.

Leia mais 

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

150331 - sanepar - agua subterranea 21 por centoEmpresa opera mais de mil poços em 297 municípios; moradores de Cascavel e de Londrina são os maiores beneficiados por estes mananciais

Moradores de 297 municípios do Paraná são abastecidos com água subterrânea, extraída pela Sanepar dos aquíferos Caiuá, Cristalino, Guarani, Karst, Paleozóico e Serra Geral. Do volume de água tratada produzido pela empresa em 2014, num total de 591 milhões de m³, 21% é de manancial subterrâneo. Para atender a demanda das 580 localidades, estão em operação 1.014 poços com profundidade que pode chegar a mil metros.

“As águas subterrâneas são importante manancial para abastecimento público. Apesar da estiagem nos estados vizinhos, nossos aquíferos continuam garantindo a água que necessitamos extrair para atender os paranaenses”, destaca o gerente de Hidrogeologia da Sanepar, João Horácio Pereira. A área é responsável por fazer os levantamentos geológicos, definir o espaço de locação, perfurar os poços e monitorar a exploração das unidades, que são utilizados pela área operacional da empresa.

O aquífero que oferece maior contribuição é o Serra Geral, que responde por 55% dos 153 milhões de m³ extraídos no ano passado, seguido do Caiuá (15%), Karst (13%), Guarani (7%), Paleozóico (7%) e Cristalino (3%). “Os cinco aquíferos contribuem, isoladamente ou complementando os mananciais superficais, para o abastecimento com água de qualidade para cerca de 2 milhões e 145 mil pessoas,” informa o diretor de Operações da Sanepar, Paulo Alberto Dedavid.

Londrina é o município que conta com o maior número de poços em operação. São 26 unidades, instaladas em 16 localidades, que extraem água dos aquíferos Guarani e Serra Geral. Já o município de Cascavel (19 poços em 4 localidades) é o segundo em total de poços, mas lidera em volume. No ano passado, foram retirados 7,5 milhões de m³, do Serra Geral para abastecer os cascavelenses. Em Guairá, estão em operação 16 poços; em Toledo, 15. Já os municípios de Maringá e Paranavaí, contam com 13 poços cada um.

SUSTENTABILIDADE - Mensalmente os técnicos da Sanepar visitam todos os 1.014 poços em operação para garantir a exploração sustentável dos mananciais. Em cada um dos poços são coletados os dados sobre vazão e nível dinâmico. Estas informações subsidiam a elaboração do Boletim de Avaliação de Condições de Exploração (Bace). O Bace, que pode ser consultado por todos os empregados da Sanepar, é importante ferramenta para as unidades operacionais para a gestão dos recursos hídricos e para a produção de água tratada.

“O monitoramento constante dos poços é uma significativa contribuição ao meio ambiente, pois nos permite cuidar dos mananciais, em consonância com as outorgas emitidas pelo Instituto das Águas do Paraná”, enfatiza Dedavid.

Além dos poços, para garantir o abastecimento público para 10,8 milhões de habitantes de 345 municípios do Paraná e de Porto União (SC), a Sanepar conta com a infraestrutura formada por 168 estações de tratamento de água (ETAs) onde, na grande maioria, é necessário que os empregados trabalhem 24 horas, para não faltar água nas torneiras dos paranaenses.

Legenda Figura 1 – O mapa mostra o total de poços e o volume extraído por aquífero.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

imagesWS05F2HK

O Governo do Paraná, a Prefeitura de Foz do Iguaçu e a Itaipu Binacional vão trabalhar em conjunto para captar um voo internacional, sem escalas, ligando Foz do Iguaçu à Itália. As negociações foram iniciadas há duas semanas pela vice-governadora Cida Borghetti em reunião com o executivo-chefe (CEO) da Alitalia, Cilvano Cassano.

Nesta segunda-feira (30), a vice-governadora recebeu no Palácio Iguaçu o prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira; o superintendente de Comunicação da Itaipu Binacional, Gilmar Piolla, e os secretários Eduardo Sciarra (Casa Civil), Silvio Barros (Planejamento e Coordenação Geral), José Richa Filho (Infraestrutura e Logística) e Douglas Fabrício (Esporte e Turismo). No encontro ficou definida uma agenda de ações para as próximas semanas.

“Hoje foi a primeira reunião desse grupo de trabalho integrado e articulado. Faremos um esforço concentrado para reunir as informações e os dados requisitados pela diretoria da Alitalia. Vamos apresentar um relatório completo com a proposta do Estado do Paraná”, afirma Cida Borghetti.

BRASÍLIA – Também foi definida a articulação de uma série de agendas em Brasília para a segunda quinzena de abril. Estão previstas audiências na Embratur, Ministério do Turismo, Embaixada da Itália e uma reunião com a bancada federal. As obras de ampliação e melhoria do aeroporto de Foz do Iguaçu também serão discutidas em Brasília.

“É um voo com potencial não só para atrair turismo de lazer. Queremos também mostrar as potencialidades do Paraná, as oportunidades de negócio e de investimentos. Temos uma localização estratégica, com o Estado próximo de grandes mercados consumidores do Brasil e do Mercosul”, reforça a vice-governadora.

O prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira, explica que as condições para atração do voo são bastante favoráveis. A cidade é o segundo destino de lazer do País, conta com uma grande rede hoteleira e está próxima de outros destinos do Mercosul. “É uma boa oportunidade para a economia da cidade e acredito que a confirmação desse voo acabará atraindo outras rotas aéreas para Foz”.

Gilmar Piolla, da Itaipu, acrescentou que “o voo direto entre a Itália e Foz do Iguaçu deve consolidar a cidade como porta de entrada do Brasil na Costa Oeste, transformando o aeroporto de Foz em um hub, distribuindo voos para o Brasil e para o Mercosul”.

ALITALIA – As negociações com a companhia aérea foram iniciadas há duas semanas pela vice-governadora Cida Borghetti em encontro com a diretoria da empresa, em São Paulo.

A Alitalia está fazendo as análises técnicas e financeiras da rota com opções de voos saindo de Roma ou Milão e ainda combinando turismo e carga. “Uma das possibilidades, para assegurar a viabilidade econômica do trecho, é a rota fazer Itália, Foz do Iguaçu e alguma capital do Mercosul”, reforça Cida.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

IMG-20150318-WA0029

Esforços realizados pela Deputada Estadual Claudia Pereira, pelo Prefeito Reni Pereira, o Secretário municipal da Saúde e o diretor da 9ª Regional de Saúde, Ademir Ferreira, fortaleceram o anúncio feito pelo Secretário de Estado da Saúde Michele Caputo

Por Amn

O Governo do Município de Foz do Iguaçu, através da Secretaria Municipal da Saúde, esteve atuando fortemente nos últimos meses junto ao Governo do Estado do Paraná, buscando formas de intermediar ações que resultassem na liberação de recursos ao Hospital Municipal Padre Germano Lauck. No início desta semana, o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto, anunciou a destinação de R$ 6 milhões de reais em favor da unidade hospitalar.

Os esforços realizados pelo prefeito Reni Pereira, o secretário municipal da Saúde, Charlles Bortolo, o Diretor da 9ª Regional da Saúde, Ademir Ferreira e os Deputados estaduais por Foz do Iguaçu, dentre eles a Deputada Claudia Pereira (PSC), que contou com o apoio da bancada do partido na Assembleia, surtiram efeitos nas negociações que estão sendo realizadas pela Secretaria da Saúde na contratação de médicos intensivistas na área de Pediatria que irão atender a UTI Pediátrica.

O anúncio de Caputo Neto, sobre a liberação de verbas para o Hospital Municipal, foi feito, primeiramente ao prefeito Reni Pereira na manhã da última segunda-feira, dia 30, após uma conversa com o Diretor o Hospital Municipal, Geraldo Biasek e a Deputada Estadual Claudia Pereira.

Segundo Caputo, assim que o orçamento do Estado for aberto, o valor será destinado aos cofres do Município de Foz do Iguaçu para ser empregado em ações de manutenção e pagamentos de médicos que irão atuar na UTI Pediátrica.

“Já estamos em conversação com médicos intensivistas e acreditamos que este recurso irá fortalecer as nossas ações, uma vez que, atendemos oito municípios da região com a UTI Pediátrica. O nosso custo estimado/mês é de R$ 500 mil para pagar a equipe médica e todo o procedimento que envolve um atendimento desta importância”, disse Charlles Bortolo.

Ao ser informado sobre a liberação dos recursos, o prefeito Reni Pereira (PSB), ressaltou o trabalho de atuação dos técnicos da Saúde que souberam respaldar a solicitação ao Estado e por consequência chegar ao resultado final de captação de recursos. “Além da atuação política feita pela Assembleia Legislativa, temos que destacar o empenho feito pelos profissionais da saúde, em especial o Ademir da 9ª Regional de Saúde e o secretário Charlles que, preocupados com a situação delicada que estávamos passando, agiram de forma técnica e responsável na intermediação das ações entre o os governos municipal e estadual”, destacou Reni Pereira.

Ao tomar conhecimento do anuncio feito pelo Secretário de Estado da Saúde, a Deputada Estadual Claudia Pereira (PSC), classificou a ação do Governo do Estado como uma resposta positiva as críticas da falta de investimentos na área da Saúde em Foz do Iguaçu. “Estamos empenhados em fortalecermos as ações de desenvolvimento da Saúde em Foz. Esse olhar diferenciado do Governo para com a cidade vem a demonstrar que estamos no caminho certo, valorizando o investimento em Saúde e, ao mesmo tempo, respondendo com trabalho, como foi o caso da redução da mortalidade infantil”, destacou Claudia Pereira ao mencionar os trabalhos de orientação pós-parto e de acompanhamento do pré-natal realizado pela Secretaria Municipal da Saúde.

No início do mês de Março, a Secretaria Estadual da Saúde, através da 9ª Regional da Saúde, divulgou dados que refletiram na redução do índice de mortalidade infantil em Foz do Iguaçu. Segundo dados repassados pela 9ª Regional da Saúde, em agosto de 2014, a projeção do índice para Foz do Iguaçu era de atingir 17 óbitos por cada mil nascimentos para aquele ano.

Essa perspectiva ruim levou a uma reunião de emergência envolvendo os gestores Municipal e Estadual e o Hospital Ministro Costa Cavalcanti, onde foram avaliados os índices e criado um plano de ações buscando uma solução para o problema. A principal causa presumida foi à atenção básica pouco resolutiva dada às gestantes. Um novo olhar nesse nível de atenção comprovou o acerto das análises, resultando a projeção de um índice de 13,8 óbitos para o ano de 2014.

Esse número ainda está acima da média estadual, mas já confirma o acerto em priorizar o atendimento preventivo nas unidades básicas de atenção à saúde, realizada hoje na cidade de Foz do Iguaçu.

“É importante ressaltarmos que a queda no índice de mortalidade infantil se deve a fatores de ações conjuntas. Uma boa orientação de ponta, feita por profissionais comprometidos com o sistema de saúde e um acompanhamento de ações desenvolvidas pela Secretaria Municipal da Saúde, só vem a respaldar esse resultado”, disse Ademir Ferreira, diretor da 9ª Regional.

O Prefeito Reni Pereira ressaltou que, “dados como a redução da mortalidade infantil, a criação de câmaras técnicas e o fortalecimento do comitê de combate à mortalidade infantil, foram essenciais para que o Governo do Estado, através da Secretaria Estadual da Saúde, se mobilizasse em prol do Município, quando a ação é salvar vidas”, finalizou o prefeito.

Att Assessoria

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

DSC09949

DSC09954

 A Delegacia da Receita Federal do Brasil em Foz do Iguaçu/PR informa que realizará leilão eletrônico de veículos apreendidos, conforme cronograma constante do quadro abaixo:

Fase Data Hora*
Início da recepção das propostas 23/03/2015 08h
Fim da recepção das propostas 06/04/2015 18h
Abertura da Sessão Pública para lances (que poderão ser ofertados pelo detentor da maior oferta na fase anterior e pelos detentores das ofertas que alcançarem pelo menos 90% desse valor) 07/04/2015 10h

 

* horário de Brasília/DF

As propostas deverão ser transmitidas de forma eletrônica pelos interessados, via internet, com a adoção do Sistema de Leilão Eletrônico (SLE). Na fase inicial, as propostas poderão ser ofertadas no período compreendido entre 08h do dia 23/03/2015 e 18h do dia 06/04/2015. A maior proposta e as propostas que alcançarem pelo menos 90% desse valor, apresentadas no mencionado período, disputam o lote em novos lances virtuais no dia 07/04/2015. Não havendo lances que alcancem pelo menos 90% do maior valor, este será declarado vencedor.

Serão leiloados 124 lotes, de diversas marcas e modelos, incluindo motocicletas, veículos leves, utilitários, camionetas, ônibus e veículos pesados, que serão oferecidos nas condições em que se encontram.

As motocicletas, os veículos leves, os utilitários e as camionetas poderão ser examinados nos dias 23 de março a 02 de abril de 2015, em dias de expediente normal, no horário das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h30, na Rua Paulo Pontes, 700, Vila Pérola, Foz do Iguaçu/PR (rua do condomínio Maria Tereza, atrás da concessionária Citröen).

Os ônibus e veículos pesados poderão ser examinados nos dias nos dias 23 de março a 02 de abril de 2015, em dias de expediente normal, no horário das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h30, na Av. José Maria de Brito, 2985, Jardim Itamarati, Foz do Iguaçu/PR (atrás da Polícia Federal, próximo ao Terminal Rodoviário).

Este será o primeiro leilão eletrônico executado pela Receita Federal em Foz do Iguaçu no ano de 2015. O certame será na modalidade mista, que admite a participação simultânea de pessoas jurídicas e pessoas físicas.

Os valores iniciais dos lotes variam de R$ 1,5 mil a R$ 91 mil.Somente poderão apresentar ofertas pessoas jurídicas regularmente constituídas, inscritas no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas – CNPJ, e pessoas físicas, maiores de 18 anos ou emancipadas, inscritas no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF.

Não poderão participar do leilão pessoas físicas ou pessoas jurídicas que estejam cumprindo suspensão temporária de participação em licitação, impedidas de contratar com a Administração Pública ou que tenham sido declaradas inidôneas; que não observem a legislação que restringe o trabalho de menores; e pessoas físicas que exerçam cargo, função, emprego público ou qualquer outra atividade vinculada à Receita Federal. Para fazer jus à arrematação do bem, o vencedor também deve comprovar a sua regularidade fiscal.

Cabe destacar que, para participar do leilão eletrônico, é imprescindível que as pessoas físicas e os representantes das pessoas jurídicas interessadas possuam certificado digital, que pode ser adquirido junto às empresas certificadoras (a relação dessas empresas pode ser obtida na página da Receita Federal na internet).

Alternativamente, a participação no certame também pode dar-se por meio de procurador, que deve possuir certificado digital (o outorgante não necessita ter certificado digital). As instruções para constituir o procurador constam no e-CAC (ambiente de atendimento virtual disponível no sítio da Receita Federal).

Os veículos arrematados por pessoas físicas somente poderão ser destinados a uso ou consumo, vedada sua destinação para fins de comércio. Já os veículos arrematados por pessoas jurídicas poderão ser destinados a uso ou consumo e também finalidades comerciais ou industriais. A pessoa física poderá apresentar propostas para no máximo cinco lotes.

O valor do lance vencedor deverá ser pago integralmente até o primeiro dia útil subseqüente à data de arrematação.

Serão de responsabilidade do arrematante todas as providências, solicitações de serviços e encargos visando o cadastramento/regularização dos veículos junto aos órgãos de trânsito, tais como emplacamento, transferência, emissão de certificado, modificação ou remarcação de chassi, obtenção de código específico de marca/modelo/versão, vistorias, dentre outros procedimentos necessários para fins de adequação do veículo.

O teor completo do edital, inclusive a identificação de cada lote e respectivas fotos, bem como o preço de arrematação inicial, poderão ser obtidos no sítio da Receita Federal na internet, no endereço, www.receita.fazenda.gov.br, na opção Leilão existente na página inicial (uma das opções disponíveis em Acesso Rápido).

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31mar

Desde que el Tribunal de Cuentas de la Unión del Brasil (TCU) anunció la fiscalización de las cuentas de la Itaipú Binacional, la mira está puesta sobre la participación del Consejo de Administración de la entidad, puesto que van a investigar el flujo de información entre los miembros del Consejo de la binacional y Eletrobrás, teniendo en cuenta que el tesorero nacional del Partido de los Trabajadores (PT), João Vaccari Neto, que se encuentra procesado por la fiscalía de su país, fue por casi 11 años consejero de la binacional.

FONTE 

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail
Página12... 175»