Preso na Carne Fraca diz que peemedebista recebeu ‘muito dinheiro’ de fiscal

Sérgio Souza (PMDB-PR) é citado durante conversa sobre dinheiro

Diário do Poder

Grampo da Operação flagrou ex-superintendente regional do Paraná Gil Bueno de Magalhães relatando que atual presidente da Comissão de Agricultura na Câmara, Sérgio Souza (PMDB-PR), teria recebido recursos de Daniel Gonçalves Filho, apontado como líder do esquema de corrupção no Ministério da Agricultura

O nome de Souza surgiu em um diálogo de 11 de abril de 2016 entre o ex-superintendente regional do Paraná e que estava lotado no Serviço de Vigilância Agropecuária no Porto de Paranaguá (PR) até a deflagração da operaçãGranp compromete deputadoo, Gil Bueno de Magalhães, e um interlocutor identificado como Francisco e que representa a Cooperativa Agroindustrial Castrolanda, em Castro (PR).

Em um determinado momento da conversa, Francisco pergunta a Gil sobre o deputado:

“Francisco: Gil, aquele, aquele Sérgio Souza, pelo que me falaram, ele tá, ele tá a favor do PT nessa história do impeachment, impeachment?

Gil: Hã han. Tá ele recebe, ele recebeu muito dinheiro do suspenso aí (em referência ao fiscal Daniel Filho, que na época havia sido suspenso devido a um processo administrativo no Ministério da Agricultura)

Francisco: Ah…ah, ele tá com o rabo preso

Gil: É (ininteligível) com ele é, entende?

Francisco: Humm

Gil: Então eu não sei o que ele vai

Francisco: Tá louco, quem escapa hoje em dia não?

Gil: É, é complicado, tá?

Francisco: É”

O diálogo ocorreu na véspera da votação na Câmara sobre a continuidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Na ocasião, o governo tentava conseguir os votos do PMDB, que foi eleito na chapa de Dilma e seu vice Michel Temer (PMDB) em 2014, mas acabou abandonando o governo na reta final do processo de afastamento da petista. No dia 17 de abril daquele ano, a Câmara aprovou, por unanimidade, a continuidade do processo de impeachment, que seguiu para o Senado.

Apesar das menções aos parlamentares, a PF não identificou suspeitas de crimes envolvendo os políticos com foro privilegiado. Desde novembro, a Procuradoria da República no Paraná compartilhou com o procurador-geral da República Rodrigo Janot os resultados dos grampos.

Não é a primeira vez que o nome do deputado, que agora vai presidir a comissão responsável por discutir a política agrícola do País, é citado como relacionado ao fiscal preso na Operação Carne Fraca. Na terça-feira, 21, a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) afirmou da tribuna do Senado que foi pressionada no ano passado por Sérgio Souza e Serraglio para manter Daniel Gonçalves no cargo. Até o impeachment, a senadora era ministra da Agricultura no governo Dilma.

A versão vai de encontro aos diálogos interceptados pela PF na Carne Fraca. Em um deles, por exemplo, a chefe do Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal, Maria do Rocio afirma ao funcionário da Seara Flávio Cassou que Souza havia prometido “segurar, segurar, segurar”, Daniel no cargo.

O diálogo ocorreu em 12 de abril de 2016, quando Flávio informou Maria sobre o afastamento de Daniel na época devido a um processo administrativo no Ministério.

“Flavio: Isso, é que agora ontem suspenderam e hoje exoneraram

Maria: Tá brincando

Flávio: Foi ele, foi Tocantins, foi São Paulo. PMDB FOI TUDO. Dai eu queria saber com o deputado pra ver se precisa dar um toque, dar uma mexida, mexer na empresa, mas ele não me atende o desgraçado

Maria: Tá brincando”.

Deflagrada na sexta-feira, 17, a Carne Fraca levou ao afastamento de 33 servidores da Agricultura após identificar que haveria um esquema de corrupção nas regionais do Ministério da Agricultura nos Estados do Paraná, Minas Gerais e Goiás.

Na lista de irregularidades identificadas pela PF estão o pagamento de propinas a fiscais federais agropecuários e agentes de inspeção para comercialização de certificados sanitários e aproveitamento de carne estragada para produção de gêneros alimentícios. Os pagamentos indevidos teriam o objetivo de atender aos interesses de empresas fiscalizadas para evitar a efetiva e adequada fiscalização das atividades, segundo a investigação.

Ronaldo Troncha, que trabalhou com o peemedebista entre abril de 2015 e outubro de 2016, também aparece na investigação da Carne Fraca e teria proximidade com Daniel Gonçalves Filho. Ronaldo teria recebido duas transferências de R$ 10 mil entre 2009 e 2011. O fiscal agropecuário nega que tenha cometido qualquer irregularidade.

Atualmente, Daniel Filho, Maria do Rócio e Gil, que aparecem nos grampos, estão presos. A reportagem entrou em contato e mostrou os grampos para assessoria de Souza ontem, mas o parlamentar ainda não se posicionou oficialmente sobre o caso. A reportagem também procurou a Castrolanda desde ontem, mas ninguém atendeu no telefone registrado no site e a assessoria de imprensa não retornou ao e-mail da reportagem.

Mais de 80 fiscais assinaram moção de apoio a líder da “carne podre”

O Antagonista

Mais de 80 fiscais e funcionários da Superintendência Federal de Agricultura no Paraná encaminharam ao Ministério da Agricultura, em 2012, uma moção de apoio à manutenção no cargo de Daniel Gonçalves Filho, líder da quadrilha desbaratada pela Operação Carne Fraca.

O Antagonista obteve a relação completa de quem manifestou apoio a Daniel. Todos os fiscais presos pela Polícia Federal, na sexta-feira passada, inclusive Gil Bueno, nomeado por Blairo Maggi, estão lá.

NOVE MINISTROS NA LISTA DE JANOT

No total, nove ministros de Michel Temer aparecem na lista Janot.

Seis deles foram divulgados na semana passada: Eliseu Padilha, Moreira Franco, Bruno Araújo, Gilberto Kassab, Marcos Pereira e Aloysio Nunes Ferreira.

O sétimo é Blairo Maggi.

Os nomes dos outros dois, segundo o Valor, não foram revelados, mas o Palácio do Planalto já sabe quem eles são.

LULA PELA BOLA SETE 

Lula sabe que, nos próximos dias, os depoimentos de Marcelo Odebrecht, Alexandrino Alencar e Pedro Novis serão divulgados, escancarando seus crimes.

Por isso, ele prepara – juntamente com seus advogados – a mais espetaculosa campanha contra a Lava Jato.

Diz a Folha de S. Paulo:

“Lula avisou que quer todos os deputados e senadores do PT no evento que o partido realizará nesta sexta-feira, em São Paulo, para discutir a Lava Jato.”

O MARIDÃO GULOSO DE GLEISI

PAULO BERNARDO PEDIU R$ 64 MILHÕES

Ao ser questionado sobre contrapartidas pagas pela Odebrecht a pedido do governo do PT, Marcelo Odebrecht revela mais um pedido, além do feito por Guido Mantega no Refis…

ver mais

Prefeita Inês da saúde perde o primeiro rond na Justiça contra o Provopar

download (1)
Prefeita Inês da Saúde terá que reatar relações com o Provopar

Juiz Wendel Bruniere,  titular da Segunda Vara Fazendária, concedeu liminar em Mandado de Segurança requerido pelo Provopar contra ato da prefeita Inês da Saúde que entendeu de romper, intempestivamente, o convênio que a prefeitura de Foz mantinha com o órgão.  Juiz deu 10 dias para que as relações voltem a sua normalidade, até que o mérito seja julgado, sob pena de a prefeitura ter que pagar multa diária de mil reais.
Veja a decisão no link abaixo:

decisao MS

 

 

Candidato do PT a prefeitura de Foz processou este editor e deu com os burros n’água.

download
Ex-bagual, Marcelino Vieira de Freitas, deu novamente com os burros n’água.

Marcelino me processou na Justiça Eleitoral porque chamei-o de “ex-bagual” e emendei dizendo que ele só ganha eleição para síndico de prédio. E olhe lá! Pediu liminar em Mandado de Segurança para censurar o brinquedinho eletrônico do Língua. Perdeu! No julgamento do mérito a juíza eleitoral me absolveu.
O ex-bagual perdeu até o rumo de casa, descabriado nem recorreu ao TRE.  Uauuu!
Veja a sentença abaixo:

HLUCAS – sentença EXBAGUA

PITACO: Tadinho do ex-bagual, não ganha uma do Língua… Desse jeito não vai se eleger prefeito de Foz, viu?

Plano de Resíduos Sólidos deve ser retomado pela prefeitura

reuniao meio ambiente

A prefeitura de Foz do Iguaçu quer rever o Plano de Resíduos Sólidos, firmado em 2012 no município, e que deve ser atualizado anualmente. A última atualização deveria ter ocorrido em 2016, mas não foi realizada pela gestão anterior. O assunto foi discutido no gabinete da prefeita Inês Weizemann, juntamente com a secretária de Meio Ambiente, Ana Biesek, e a assessoria do vereador João Miranda, presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal.

Algumas questões pertinentes firmadas em contrato entre a prefeitura e a empresa de coleta de resíduos em Foz não estavam sendo executadas.  “O próprio contrato do município com a empresa de coleta de resíduos em Foz, versa dois tipos de coleta, a domiciliar e a de reciclados”, explicou a secretária.

Segundo Ana Biesek, uma lei municipal chegou a ser criada em 2012 para regulamentar o plano de resíduos sólidos naquele ano. “Mas essa lei também carece de um decreto municipal para que ela possa ser implementada da melhor forma possível”, disse.

Outro ponto discutido durante a reunião foi o avanço na consolidação da Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN). A Secretaria Municipal de Meio Ambiente iniciou o trabalho adequando a área do Bosque Guarani.

O próximo passo é entregar a documentação ao IAP (Instituto Ambiental do Paraná) para a avaliação do processo de transformação em RPPN. O objetivo é catalogar todas as áreas de reserva, estejam elas no perímetro urbano ou rural.

“Existe dentro do município várias reservas tanto na área rural quanto na área urbana,  e que precisam ser catalogadas junto ao IAP. Se forem transformadas em um mandado de conservação, como uma RPPN (Reserva Particular de Patrimônio Natural) essa área passa a gerar recursos do Estado para a aplicação na área ambiental do município”, observou Ana Biesek.

Com assessoria da Prefeitura de Foz do Iguaçu

Polícia Federal Troca Tiros com Contrabandistas Apreende Vinte Mil Dólares e Grande Quantidade de Cigarros.

dinheiro nas meiasIMG_6661

Por volta das 00:30 hs de hoje a Polícia Federal no âmbito das Operações Fronteira Integrada e Ágata (apoio da Marinha do Brasil) apreendeu uma embarcação transportando mercadorias oriundas do Paraguai. Mais tarde, às 03:00hs, outra equipe atuando na região da Vila Bananal, deteve um caminhão contendo grande volume de cigarros. Já pela manhã às 10:30 hrs, uma equipe de federais lotados no Aeroporto Internacional de Foz, abordou um cidadão transportando U$ 20.000 escondidos entre as meias.

As ações começaram no início da madrugada, na região da favela do queijo, próxima ao Rio Paraná. Policiais do NEPOM* e BPFron* procediam diligências nas margens do Rio quando depararam com uma embarcação descarregando alguns volumes oriundos do Paraguai. Na abordagem, após os policiais se identificarem, os meliantes atiraram na direção da equipe, provocando o confronto.  Um dos meliantes foi ferido e os outros dois foram presos. O SIATE foi acionado e prestou socorro.  Duas armas, um revólver e uma pistola, foram encontradas com os contrabandistas, além de quatro volumes de mercadoria diversas e uma embarcação de madeira. Os presos, juntamente com as apreensões, foram conduzidos a PF em Foz.

Mais tarde, por volta das 03:00, outra equipe do NEPOM em conjunto com o TIGRE* atuava na região da Vila Bananal, quando encontraram um caminhão carregado de caixas de cigarros. A apreensão foi encaminhada à Receita Federal em Foz. Não houve prisões.

Hoje pela manhã, no Aeroporto Internacional em Foz, equipe de policiais federais lotados no NUMIG detiveram um passageiro que embarcava com U$ 20.000 escondidos entre as meias. O passageiro foi ouvido e o dinheiro entregue à Receita Federal para os procedimentos pertinentes.

A Operação Fronteira Integrada está inserida no âmbito do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras – PPIF (Decreto 8.903/2016) e conta com a participação, além da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, Policia Civil, Policia Militar, Agência Brasileira de Inteligência, Departamento de Inteligência do Estado do Paraná, Forças Armadas, Receita Federal e Guarda Municipal de Foz do Iguaçu.

*NEPOM = Núcleo Especial Polícia Marítima

*BPFron= Batalhão de Polícia de Fronteira

*TIGRE = Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial

APREENSÃO DE ENTORPECENTE 

Às 10h45 do dia 22, policiais militares da RPA avistaram um automóvel Hyundai i30 de cor prata com placas de Medianeira que estava estacionado. Conforme uma denúncia anônima, uma mulher que conduzia o automóvel estaria distribuindo drogas por vários lugares da cidade.

A equipe aguardou cerca de 10 minutos nas proximidades e quando a mulher entrou no carro, foi realizada a abordagem. Os policiais encontraram 2 tabletes de maconha no estepe do carro. Foram apreendidos 1,625Kg da droga e R$ 1.012,00.

CUMPRIMENTO DE MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO.

Às 15h do dia 22, um adolescente foi abordado no Jardim Jupira. Contra ele havia um mandado de busca e apreensão.

LESÃO CORPORAL

Na noite do dia 22, uma pessoa do sexo masculino foi alvejada por vários disparos de arma de fogo na rua Gávea no Parque Morumbi II. O Siate esteve no local e conduziu a vítima.

Tribunal de Contas do Paraná desaprova contas do então prefeito Paulo McD e seu vice Chico Brasileiro de 2009/2010

download (3)
TCE-PR desaprovou as contas do Paulo McD e de seu vice Chico Brasileiro (FOTO) no período de 2009/2010. Veja abaixo o despacho clicando no link:

Acórdão de Parecer Prévio 17/2017 do Tribunal Pleno

  • Parecer Prévio do Tribunal Pleno proferida em 09/02/2017 publicada no DETC nº 1540, em 21/02/2017, sobre o processo 1017589/14, de RECURSO DE REVISTA do MUNICÍPIO DE FOZ DO IGUAÇU tendo como interessados FRANCISCO LACERDA BRASILEIRO, MUNICÍPIO DE FOZ DO IGUAÇU e PAULO MAC DONALD GHISI tendo como relator o Conselheiro Vice-Presidente NESTOR BAPTISTA.

    Inteiro Teor