Fat Family é morto em operação policial no Rio de Janeiro

Traficante de 28 anos virou um dos principais alvos do poder público em junho, quando escapou de um hospital na capital

A incansável busca por Fat Family chegou ao fim na manhã desta segunda-feira (26). O traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, de 28 anos, foi morto durante uma operação da Polícia Civil em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

De acordo com o Extra, Fat Family não conseguiu escapar dos agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), que invadiram a comunidade de Itaóca, no Complexo do Salgueiro. O traficante perdeu a vida durante o intenso tiroteio que se instaurou no local. Além dele, outros dois homens morreram.

O bandido virou um dos principais alvos da polícia em junho, quando ele foi resgatado por uma quadrilha de 20 criminosos que invadiu o Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro da capital fluminense. Um inocente foi morto e outros dois ficaram feridos no resgate ao marginal. Fat Family era chefe de bocas de fumo na Zona Sul do Rio.

 

Broncas de Polícia

VEÍCULO RECUPERADO

Foi repassado via copom, por volta de 09:00h, que na rua Ágata no parque Ouro Verde, alguns vizinhos teriam visto uma motocicleta Honda Biz de cor preta, entrando na residência. Consultado a placa da moto, foi verificado que a mesma teria queixa de roubo. No local foi localizado a referida moto, um homem se identificou como proprietário da motocicleta e passou a relatar a equipe que teria adquirido a mesma do suposto marido da proprietária o qual a moto está registrado. O homem e a moto foram levados para a 6ª SDP para esclarecimentos.

VEÍCULO RECUPERADO

Conforme denúncia anônima, por volta de 14:00h, dando conta de que aos fundos da residencial na rua dos Bandeirantes no centro em Santa Teresinha de Itaipu, havia um veículo caminhonete de cor escura escondida. De imediato foi deslocado ao local mencionado, onde não havia ninguém na casa e ao observar através do murro pode-se constatar que estava escondida ao fundo do lote uma caminhonete de cor cinza a qual estava placas que identificava outro veículo, sendo um ônibus. Ao verificar o número do chassi, constou queixa de roubo da cidade de Curitiba. Veículo este que inicialmente encontrava-se trancado, porém após várias buscas pelo terreno, foi possível localizar dentro de um saco de ração canina, um simulacro de pistola, na cor preta, juntamente com a chave da camionete. Ainda no terreno, foi localizado os bancos do veículo que haviam previamente retirados e também foi localizado no compartimento de carga, um motor de motocicleta de marca Honda, com a numeração suprimida, raspada e ainda um chassi de motocicleta de procedência paraguaia. Após todo o levantamento, foi encaminhado o veículo e os demais objetos localizados, a delegacia de policial civil para providencias cabíveis.

VEÍCULO RECUPERADO

Equipe policial, foi acionada, por volta de 15:00h, para verificar na rua Indianapolis no bairro Carimã, uma situação de veículo abandonado. No local, constatou-se que o veículo gol de cor prata, possuía alerta de furto/roubo. Foi encontrando abandonado sem chaves, sem a bateria e aberto, com avarias no interior e lataria.

VEÍCULO RECUPERADO

Em patrulhamento pela rua Marechal Deodoro no centro, por volta de 05:00h, foi abordado um veículo Fiat Uno, o em consulta junto a central, foi constatado que o mesmo era produto de roubo na cidade de Curitiba. Diante do fato, foi dado voz de apreensão ao menor, e encaminhado a DEA para providencias cabíveis.

VEÍCULO RECUPERADO

Em patrulhamento na região leste, por volta de 06:40h, a equipe policial, avistou uma motocicleta suspeita em situação de abandono. Logo, foi checado a placa da mesma via copom, e constava alerta de furto/roubo. Ainda, a motocicleta sido roubada em data anterior. Na sequência, foi prestado apoio do guincho para a condução e entrega da moto na 6ª SDP para os procedimentos cabíveis.

POSSE/PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO

Em patrulhamento pela região do Porto Meira, por volta de 04:30h, a equipe policial avistou na avenida Golfinho, uma motocicleta em atitude suspeita que fez a conversão e entrou na rua das Orquídeas. A equipe deslocou até o encontro da moto, e na altura da rua das orquídeas, em frente a uma casa abandonada, um indivíduo, desceu da moto e ao receber a voz de abordagem foi entrando na casa abandonada, sendo que a equipe foi atrás e avistou o momento em que o mesmo, estava portando uma pistola, pistola essa identificada posteriormente sendo uma Taurus 99, cal. 9 mm. Foi dada voz de prisão ao indivíduo e após busca pessoal, foi encontrado com o mesmo mais uma grama de substancia análoga a maconha em seu bolso da calça, um celular e 300 reais. Tanto o indivíduo quanto os demais objetos apreendidos, foram encaminhados para a delegacia para que fossem tomadas as providencias cabíveis.

VEÍCULO RECUPERADO

Em patrulhamento de transito, por volta de 21:20h, na Vila Borges, foi avistado um indivíduo em uma rua com baixa luminosidade empurrando uma motocicleta de cor escura, despertando assim suspeição diante desta atitude. Destarte, realizamos abordagem policial e o indivíduo disse não portar os documentos da motocicleta e tão pouco de identificação pessoal. Com uma averiguação minuciosa na motocicleta, foi contatado pelo número do chassi, se tratar de uma motocicleta furtada. Diante dos fatos, o indivíduo foi encaminhado para delegacia da polícia civil para que fossem lavrados os documentos necessários.

POSSE/PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO

Em atendimento a uma situação de roubo a uma mercearia na rua Ernesto Gayer em Três Lagoas, por volta de 19:30h, a equipe se deparou com dois indivíduos em atitudes suspeitas com uma motocicleta de cor preta, nas proximidades, e no ato da abordagem, o piloto da moto não obedeceu a ordem de parada e acelerou a motocicleta, evadindo-se em alta velocidade e realizando manobras perigosas pelas ruas, iniciando-se dessa forma um acompanhamento tático, o condutor da moto perdeu o controle e os dois indivíduos caíram em um gramado, nas margens da avenida. No ato da busca pessoal, foi localizado na cintura do piloto da moto, um revolver calibre .38 municiado com seis munições intactas.  O mesmo informou a equipe, que acabou de sair da unidade prisional e foi constatado que o mesmo usava uma tornozeleira. Diante do fato, o abordado, a arma de fogo, a motocicleta e o passageiro foram encaminhados até a 6ª SDP para providencias.

ROUBO AGRAVADO

Policiais militares foram solicitados, por volta de 01:10h, para atender uma situação, na avenida Tancredo Neves, onde uma pessoa estaria caída em via pública, após tentar efetuar um roubo a um ônibus do transporte coletivo. No local, estavam presentes o motorista e o cobrador do coletivo, os quais relataram que o indivíduo que estava caído, teria embarcado em um ponto alguns metros atrás e ao adentrar o coletivo, anunciou o roubo sendo que o cobrador indagou ao mesmo se era verdade, no que foi interpelado pelo homem perguntando se ele queria levar um tiro e que entregasse o dinheiro do caixa, no que este entregou-lhe algumas moedas do caixa, o mesmo foi se afastando em direção a porta de saída exigindo que o motorista abrisse a porta, como o coletivo não abre as portas em movimento, o rapaz começou a desferir chutes contra o vidro da mesma, quebrando-a e em seguida pulou com o veículo em movimento, de acordo com o condutor ele estava a uma velocidade de aproximadamente 40 km/h. foi acionado o siate que esteve no local e conduziu o rapaz em estado grave ao hospital municipal.

RECEPTAÇÃO

A equipe policial, recebeu informações via central, por volta de 14:00h, que um indivíduo estaria em um Fox preto, na avenida JK no centro, que segundo o solicitante, este que estaria no veículo, seria o possível autor do roubo ocorrido em data anterior, o qual foi vítima do assalto em São Miguel do Iguaçu.  Realizada a abordagem ao Fox preto, com indivíduo nada de ilícito foi encontrado, feita a consulta pelo número do motor, foi constatado a queixa de furto em Belo Horizonte/ MG. Diante disto foi dada voz de prisão ao indivíduo, e encaminhado para a 6ª SDP para os procedimentos cabíveis.

CUMPRIMENTO DE MANDADO DE PRISÃO

Em abordagem a alguns elementos, por volta de 22:35h, na rua Recife na vila C, ao consultar junto ao copom o nome de um deles, constatou que havia em seu desfavor, um mandado de prisão em aberto. Diante dos fatos, foi dado voz de prisão ao mesmo e encaminhado até a 6ª SDP para procedimentos cabíveis.

CUMPRIMENTO DE MANDADO DE APREENSÃO

A equipe policial, realizava patrulhamento por volta de 12:45h, na rua Silvio Romero no jardim Jupira, quando transitava em via pública um adolescente, feita a abordagem, e através de sua identificação, foi verificado pela central de operações, que havia um mandado de apreensão ao adolescente. Sendo assim, o referido menor foi encaminhado à DEA para providencias.

Foz perdeu em Ponta Grossa

Operário e Andraus fazem a final da Taça FPF Sub-23

Neste domingo, 25, a bola rolou para os jogos de volta da fase semifinal da Taça FPF Sub-23. Operário e Andraus venceram os seus jogos e conquistaram a classificação para a decisão da competição.

No confronto entre Andraus Brasil e Apucarana Sports, uma vitória para cada lado e a decisão ficou para o saldo de gols. Com isso, o Andraus chegou à final. No primeiro jogo, o Apucarana venceu por 2 a 1, já neste domingo, o Andraus bateu o time por 2 a 0 e, assim, passou à próxima fase.

Já Foz do Iguaçu e Operário ficaram no empate sem gols no jogo de ida, em Foz do Iguaçu e, neste domingo, o time de Ponta Grossa venceu por 2 a 0 em casa e também se garantiu na próxima fase.

Assim, Andraus e Operário disputam o primeiro jogo na casa do Andraus e a decisão do título acontece em Ponta Grossa. O Departamento de Competições da FPF deve confirmar as datas nos próximos dias.

Campanhas

Até o momento, o Andraus disputou dez partidas, conquistando 6 vitórias, empatando duas vezes e sendo derrotado em dois jogos. A equipe balançou as redes 20 vezes e sofreu 6 gols, ficando com um saldo positivo de 14 gols e um aproveitamento de 66%.

O Operário disputou dois jogos a menos. Foram oito partidas, conquistando seis vitórias e dois empates. A equipe segue invicta na competição. O Fantasma marcou 24 gols e sofreu 4, ficando com um saldo positivo de 20 gols e um aproveitamento de 83% na Taça.

Troféu Edgard Felipe

O campeão de 2016 receberá o Troféu Edgard Felipe, em homenagem ao narrador oficial da primeira edição da competição e que faleceu no início deste ano.

Nascido no interior de São Paulo, Edgard iniciou a carreira no rádio com apenas 14 anos, trabalhando como operador de áudio. Nos anos 80, mudou-se para Curitiba, onde já fazia narrações de jogos e ficou conhecido pelo bordão “passou, passou, passou na rede é gol”.

Na capital paranaense, trabalhou nas rádios Clube, Banda B, Globo e CBN. No ano passado, firmou uma parceria com a Federação Paranaense de Futebol, acreditando na nova competição lançada pela entidade, a Taça FPF para a categoria Sub-23. Neste período, narrou praticamente todos os jogos televisionados da competição, que foram transmitidos pela É-Paraná e Catve.

Greca prefere se manter como suspeito

Do Celso Nascimento para a Gazeta do Povo

download-1

O bom direito consagra o princípio de que ao acusador cabe o ônus da prova. Dele tem se servido o ex-prefeito Rafael Greca, suspeito de manter em sua chácara objetos que teriam sido surrupiados da Fundação Cultural de Curitiba (FCC) na época em que ele governava a cidade, nos anos 90.

Um laudo apresentado à imprensa pela FCC na sexta-feira (23), assinado pela perita Tatiana Zanelatto Domingues, faz comparações entre peças desaparecidas com fotos de objetos que adornam a casa de campo de Greca e por ele publicadas em sua página no Facebook. As semelhanças são tantas, em detalhes mínimos, que a especialista é levada a concluir que se tratam exatamente das mesmas peças.

O laudo técnico, no entanto, tem pouca valia do ponto de vista de prova de que houve furto. A comprovação só seria possível mediante exame direto, “ao vivo”, dos próprios objetos – dois lavatórios e uma cristaleira.

Mas como produzir prova irrefutável – ou descartar a hipótese – se Rafael Greca se nega a abrir os portões de sua chácara aos peritos? Só mesmo uma ordem judicial poderia romper a estranha relutância do candidato.

Greca assegura enfaticamente que os objetos não são os mesmos tidos como roubados da Casa Klemtz. São herança de família e, se são tão parecidos isto se deve à repetição de estilos, entalhes e adereços produzidos por artesãos do século XIX ou pela fabricação em série, pela antiga Fundição Mueller, do lavatório de ferro – detalhe também contestado pela perita.

Se diz a verdade, se nada lhe pesa na consciência, esta é uma razão a mais para permitir acesso e registros fotográficos do patrimônio. De outro modo, impossível entender por que prefere se manter sob suspeita de ser o autor, cúmplice ou receptador de bens supostamente públicos de inestimável valor histórico e artístico. Por que não desmoralizar de vez os maledicentes que põem em xeque sua honestidade?

Como é mesmo aquela história sobre a “mulher de Cesar”? Não lhe bastaria ser honesta; era indispensável parecer honesta. Rafael está juridicamente certo: não é obrigado a se submeter à inversão do ônus da prova, assim como pode se negar a produzir prova contra si mesmo. Mas precisa parecer honesto.

A lei é igual para todos. Portanto, como cidadão, Greca age amparado por ela. Entretanto, no caso concreto, neste momento Greca é candidato a prefeito – isto é, pretende um mandato em que a prova de honestidade é requisito mínimo. Não lhe bastam a experiência anterior como prefeito nem todas as demais qualidades que diz possuir se sobre ele permanecer a suspeita de ter infringido os artigos 155 e 157 do Código Penal que definem os crimes de furto e roubo. Ou o 7.º dos Dez Mandamentos: não roubar.

Seria, pois, de bom alvitre, que por conta própria Rafael Greca invertesse o ônus da prova – para provar que, ao contrário do que dizem as más línguas, não guarda nada do que seja do alheio público.

Caras

Pelo menos desde 1998 havia indícios da probabilidade de os objetos desaparecidos da Casa Klemtz estarem sob a “guarda” de Rafael Greca, então prefeito de Curitiba. Naquele ano, a edição nº 261 da revista Caras publicou foto de capa do casal-proprietário da Chácara São Rafael na qual, ao fundo, aparecia lavatório idêntico ao que sumira. Nas páginas internas, mais fotos mostravam outros móveis que decoravam a residência, também muito semelhantes aos desaparecidos. Em 1998, o casal Greca abriu a casa para a Caras – em 2016 se recusa a fazê-lo para peritos e para outros veículos da imprensa. Medo?

Cinco prefeitos sucederam Greca até chegar a Gustavo Fruet – que também deixou o caso dormindo durante quase quatro anos para só nas vésperas da eleição – com Greca talvez próximo de derrotá-lo nas urnas – ressuscitar o episódio. Oportunismo?

Candidato Tulio Bandeira retomou a campanha em Foz do Iguaçu

tulio-bandeira

Candidato Tulio Bandeira (Pros)  retornou à fronteira no sábado depois de concluir um “curso de leãozinho” de 10 dias no Mato Grosso. Junto trouxe uma “carta de alforria” fornecida por um magistrado daquele Estado, a qual me permito publicar, mesmo por que o lema deste espaço é preservar o Direito ao Contraditório.

Abaixo o release enviado pela assessoria de imprensa do Tulio Bandeira, bem como a declaração do capa-preta mato-grossense, que, frise-se, não é o juiz do caso que decretou a prisão temporária do Tulio.

Declaração pública de Juiz do Mato Grosso reforça suspeita de arbitrariedade contra o candidato

A declaração reforçou a suspeita de que a atuação do delegado de Brasnorte (MT), foi por busca de promoção pessoal.

O juiz de direito, Mirko Vincenzo Giannotte, do Estado de Mato Grosso, se solidarizou com o candidato a prefeito e advogado Tulio Bandeira, após arbitrariedade cometida por delegado da Polícia Civil, no último dia 14. Em declaração expressa, o magistrado abonou a conduta do advogado e amigo desde a época de faculdade, quando foram colegas de sala.

Tulio Bandeira foi conduzido para a região centro-oeste do País, por motivos aparentemente midiáticos, onde permaneceu por quase dez dias. A alegação era o cumprimento de um procedimento cautelar investigatório. Em declaração pública, o juiz Mirko Giannotte afirma que conhece Tulio Bandeira desde 1991 e que o advogado atua em causas de alta complexidade e grande envergadura. Fato que o tornou conhecido e respeitado tanto no Paraná, quanto no Mato Grosso.

A notoriedade e conduta pacificadora do candidato, também foi salientada pelo juiz que afirma, reiteradamente, que o mesmo goza de prestigio e respeito entre os operadores de direito. Ele lembrou que na faculdade, Tulio Bandeira militava na política estudantil e que mesmo adversários, a amizade entre os dois nunca foi abalada ou sofreu interferência partidária.

A declaração que foi emitida no dia 23, data em que o candidato a prefeito retornou a Foz do Iguaçu, reforçou a suspeita de que a atuação do delegado de Brasnorte, foi por busca de promoção pessoal. O advogado percorreu quase dois mil quilômetros. Um desgaste humano desnecessário e despesa para o erário, que poderia ser evitada. Foram três dias de viagem.

A demora para chegar ao destino (onde seria ouvido) impediu a liberação de Tulio Bandeira no tempo presumido, prejudicando a sua campanha eleitoral e causando danos irreversíveis para o processo democrático. A maneira como o caso foi conduzido está sendo apurada. A conduta irreverente de Tulio Bandeira é a principal causa apontada para o episódio que movimentou os bastidores políticos e jurídicos de todo o País”

declaracao

PITACO: AMÉM!

 

 

 

 

RESUMO DA ÓPERA DOS CANDIDATOS A PREFEITO POR FOZ DO IGUAÇU

Dos cinco candidatos a prefeito por Foz do Iguaçu três estão com parte dos bens patrimoniais bloqueados pela Justiça.
Um quarto, não reúne a menor condição para disputar o cargo por profundo despreparo (que foi demonstrado no debate na Tarobá).
E o quinto candidato é oriundo de uma seita “exótica” que se ramificou no município com princípios no mínimo questionáveis, como por exemplo, evitar a maternidade, permitir que o espírito saia do corpo (e depois volte!) e vai por aí afora… POBRE FOZ DO IGUAÇU!

CACOFONIA…

As redes sociais transformaram-se em ambientes onde a cacofonia dá as cartas… Relembremos a frase lapidar do finado escritor Humberto Ecco: ” O facebook deu voz a uma legião de imbecis…”

MANINHO CONTINUA EM CAMPANHA

Maninho, candidato a vereador pelo PSB, conseguiu reverter no TRE a impugnação de sua candidatura em primeira instancia decretada pelo doutor juiz da 46ª zona eleitoral Marcos Frason.  Atuou como seu advogado o doutor Marcos Affornalli profundo conhecedor da legislação eleitoral.

GALHARDO E SEU PARTNER

Sábado o candidato a vereador Galhardo fez corpo-a-corpo na Avenida Brasil à cata de votos, tendo ao seu lado o apresentador do policialesco Cidade Alerta  da RIC TV Robson Silva (que já tentou eleger-se deputado mas não deu liga pro boca de caçapa).

TODAS ÀS ATENÇÕES VOLTADOS PARA O JULGAMENTO DO RECURSO DO PAULO NO TSE

Não se sabe ao certo quando acontecerá o julgamento do Paulo no TSE. Pode sair em uma semana, pode demorar meses, afinal, o Brasil tem mais de 5 mil municípios onde haverá eleições, com candidatos em situações parecidas que dependem de julgamentos naquela corte para habilitarem-se aos cargos, se eleitos.  Uma coisa, porém, é irrefutável. Paulo conta com dois fatores contra: Seu julgamento no TRE foi por unanimidade. E a maior deles: Uma onda de moralização varre o país de ponta a ponta, tendo como principal responsável a Lava Jato. Aguardemos para saber se o Paulo irá ao pijama (oxalá não seja o listrado…) ou irá governar Foz do Iguaçu novamente.
Um detalhe: Se o TSE não prover o recurso do Paulo a sua chapa estará fora do pleito. Substituição só em caso de morte, e, pelo que se sabe, Paulo esbanja saúde aos 68 anos, até virou avó de uma lindíssima pimpolha.

LUIZINHO DO PTN TOMOU UM CHÁ DE SUMIÇO

O Luizinho, dono do PTN na fronteira, assíduo nos grupos fechados de whassap, tomou Doril, e sumiu! Onde andará o dublê de dirigente partidário e servidor da Receita Federal?

E NECAS DE ACHAR O OLIVEIRINHA

Nada pra ninguém de achar o Oliveirinha para intimá-lo de mais um BO. Bom dia Teles!

OUTRA GRANDE EXPECTATIVA NA FRONTEIRA

Será o julgamento do recurso do MPF no TRF 4 para saber se o Reni continuará em prisão domiciliar ao vai ao regime fechado. Haja lexotan!

CURIOSIDADES DESTE PLEITO

Os 11 partidos políticos que compõem a chapa do Chico Brasileiro contam com cerca de 100 candidatos a vereador. Convenhamos, uma senhora força política.

ANTONIO PALOCCI É PRESO NA 35ª EDIÇÃO DA LAVA JATO.
DEMORÔ!

PARA REFLETIR

No Brasil 50% dos alunos que adentram ao ensino médio, saem antes do final. Alguma coisa está errada. É preciso achar onde e consertar. O Brasil está atrás de países como Chade, Suazilândia e Azerbaijão..Felizmente a União acordou e anuncia reformas no sistema de ensino do país para corrigir esse aleijão nacional. Antes tarde do que nunca. Demorô!

 

 

 

 

 

 

Erros em série

* Mary Zaidan

Erros (Foto: Arquivo Google)

Depois de seu governo colecionar mais trapalhadas, desta vez nas idas e vindas sobre a necessária reforma no ensino médio, o presidente Michel Temer terminou a semana amargando o indigesto sabor da suspeição. E como na política o aliado de ontem esconde o algoz de amanhã, ele pode ter de responder por suposto pedido de propina para Gabriel Chalita, candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo em 2012, hoje vice na chapa do petista Fernando Haddad, um dos animadores do “Fora Temer”.

Mesmo que não dê em nada, o ministro Teori Zavascki empanou a comemoração dos 76 anos do presidente e encheu de delícias o prato dos opositores a uma semana das eleições municipais.

Na sexta-feira, pouco depois da notícia na internet, redes sociais destacavam a “abertura de processo” contra Temer, com uma saraivada de xingamentos e mentiras, bem ao estilo da turma alimentada pelo PT.

Zavascki determinou a abertura de petição no âmbito do Supremo, uma espécie de investigação preliminar, sobre os trechos do depoimento em que o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, cita Temer. E encaminhou o caso para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que deverá decidir se abre ou não inquérito.

Machado diz que Temer pediu e conseguiu obter R$ 1,5 milhão para financiar a campanha de Chalita. E que a propina teria vindo da Queiroz Galvão, uma das empreiteiras investigadas pela Lava-Jato.

A delação também envolve o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), os ex-presidentes José Sarney (PMDB) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB), os senadores Romero Jucá (PMDB) e Aécio Neves (PSDB), a ex-ministra Ideli Salvatti (PT) e outros tantos. Diante de lista tão extensa, Zavascki decidiu fatiá-la em petições distintas.

Ainda que tudo esteja na fase inicial, o sinal verde para investigar Temer é mais um revés para um governo que necessita de vitórias e não tem conseguido produzi-las. Ao contrário. Executa o malabarismo de transformar até o que poderia ser uma boa nova em má notícia.

Ministros que falam demais, que têm encantamento absoluto com o próprio umbigo, que preferem uma manchete de jornal à solução dos problemas para os quais o país os remuneram. Projetos lançados sem negociação prévia, algo que trai a experiência congressual de Temer. Um conjunto de equívocos perdoáveis na interinidade, seriíssimos na condição de titular.

Como de praxe, debitam-se os erros à comunicação. Um diagnóstico apressado, fácil, com o qual os governos tentam esconder suas fragilidades. É sempre assim: se o governante acerta e sua popularidade cresce, o mérito é exclusivamente dele; se tropeça, a culpa é da comunicação ineficiente.

No caso de Temer, que assumiu o país em frangalhos, os problemas econômicos e sociais, políticos e morais foram herdados. Portanto, criar novos é absolutamente dispensável.

Isso vale para o vai-não-vai sobre as reformas da Previdência e trabalhista. E também para a Medida Provisória que muda o ensino médio, que, em vez de ser objeto de indecisão e recuo, poderia ser lançada como uma provocação ao debate. E alterada no Congresso até mesmo por sugestão da base governista.

Governo algum se faz em semanas ou poucos meses. Mas, ao contrário daqueles recém-eleitos que têm pelo menos cem dias de trégua, Temer carrega o passivo incômodo de ser taxado de “golpista”, de não ser popular.

Para sobreviver, terá que frear os erros. E acertar em dobro.

Mary Zaidan

Mary Zaidan é jornalista

 

‘Esta semana vai ter mais’, diz ministro da Justiça sobre a Lava Jato

Estadão

 | Roberto Castro/ME

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, sinalizou neste domingo, 25, em Ribeirão Preto (SP), que uma nova etapa da Operação Lava Jato vai ser deflagrada nesta semana. Em uma conversa com representantes do Movimento Brasil Limpo, acompanhada pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, sobre o futuro da investigação e da ação conjuntas entre Ministério Público Federal e Polícia Federal (PF), Moraes disse que a Lava Jato prosseguiria e emendou: “Teve a semana passada e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim”, disse o ministro em um evento de campanha do deputado federal Duarte Nogueira (PSDB), candidato a prefeito no município paulista.

Ao Broadcast, o ministro afirmou que a Lava Jato é uma “belíssima operação” e o prosseguimento das investigações, com “o apoio total à Polícia Federal”, é um compromisso feito desde que assumiu o cargo. Moraes rebateu acusações de que tenha havido exagero na prisão, depois revogada, do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, na última quinta-feira, 22, quando ele acompanhava uma cirurgia da esposa. Para o ministro, a PF só cumpriu um mandado judicial e atuou de forma “absolutamente discreta” para deter Mantega no hospital. “A prisão só foi revogada por um fato superveniente (posterior), desconhecido da polícia, Ministério Público e Judiciário, um fato humanitário, o que não leva a nenhum descrédito toda a operação e aquele momento da prisão”.

Moraes comentou também a tentativa da Câmara de aprovar um projeto para anistiar a criminalização do caixa 2 em campanhas eleitorais passadas e punir apenas as possíveis ações futuras. Segundo ele, o governo defende uma maior criminalização e uma pena maior da prática e “obviamente jamais uma extinção de punibilidade, uma abolição”, disse. “O que nós defendemos é punir mais forte o caixa 2. Temos de tirar essa prática nociva da política nacional porque, com isso, vamos tirar também os políticos que usam essa pratica para se reeleger”, emendou o ministro.

Repatriação

Sobre a tentativa de deputados federais de mudar a lei de repatriação, que descriminaliza a reentrada no País de recursos não declarados no exterior, e ainda as ações como a feita pelo Solidariedade ao Supremo Tribunal Federal (STF) para permitir que políticos e ocupantes de cargos públicos também possam se beneficiar da prática, o ministro comentou que a Câmara discute uma “modulação” da legislação. Para ele, se a medida for aprovada, é passível, como qualquer outra, de uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) no STF, uma decisão que seria política do Congresso. “Obviamente, se houver algum tipo de exagero que acabe atuando para descriminalizar outras condutas que não seja somente a evasão de dinheiro, por vício de iniciativa o Supremo pode se manifestar”, disse.

Moraes acrescentou que o governo não tem qualquer problema ou temor em relação às possíveis revelações que o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) possa fazer em um livro prometido para antes do Natal sobre os bastidores do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), que levou Michel Temer (PMDB) a assumir o cargo. “Governo não tem nenhum problema em relação a isso, é absolutamente tranquilo sobre a decisão tomada soberanamente da Câmara dos Deputados, um poder independente, e, assim como os demais brasileiros, todos vamos aguardar o livro”, concluiu.

Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann: sr. Propina e sra. Caixa Dois

unnamed

Da Veja da semana

Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann são casados há duas décadas. Ela, senadora da República, foi ­ministra-chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff. Ele foi ministro do Planejamento no governo Lula e ministro das Comunicações no governo Dilma. Ambos são petistas. Ambos integram a seleta lista de companheiros da estrita confiança do ex e da ex-presidente. Ambos são investigados pela Operação Lava-Jato. Paulo Bernardo chegou a ser preso pela Polícia Federal há três meses. Gleisi é alvo de inquéritos em curso no Supremo Tribunal Federal que a colocam como beneficiária de dinheiro do petrolão. Embora os dois sejam investigados em frentes diferentes, as suspeitas que recaem sobre eles se entrelaçam. E, nestes tempos em que os políticos se esforçam para tentar restringir os flagrantes de roubalheira a inocentes deslizes destinados a financiar campanhas eleitorais, o casal petista é a mais perfeita prova de que caixa dois e corrupção são, quase sempre, inseparáveis — um casamento, digamos assim, sólido.

Leia Mais »