Ex-diretor de pavimentação de Foz confirma que prefeito sabia de fraudes

Do G1 Paraná

Declaração foi feita durante CPI da Operação Pecúlio nesta segunda (27).

images (1)

Aires Silva (FOTO) é acusado de participar de esquema de corrupção na prefeitura

O ex-diretor de pavimentação da Secretaria de Obras de Foz do Iguaçu Aires Silva confirmou nesta segunda-feira (27) aos membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Operação Pecúlio o que declarou ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal em acordo de colaboração. Entre as declarações, o ex-secretário reafirmou que o prefeito Reni Pereira (PSB) sabia do esquema de corrupção envolvendo contratos da prefeitura com empresas da região. Para as demais perguntas feitas pelos vereadores, ele preferiu ficar calado.

Aires é acusado de fazer parte do grupo de agentes políticos, servidores e empresas que desviavam recursos públicos liberados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Sistema Único de Saúde (SUS) para obras e serviços de saúde na cidade. Para o MPF e a PF, o esquema era chefiado pelo prefeito Reni Pereira (PSB).

Leia mais 

Broncas de polícia

Não faz muito tempo, tentaram matar o servidor concursado da Prefeitura de Foz, Rui Novick Júnior. Foi baleado no interior de seu veículo quando chegava a sua residência, mas sobreviveu. Agora chegou a vez da esposa dele. A mesma tática: levou 4 tiros no interior do veículo e sobreviveu. O fato ocorreu há duas semanas atrás. Não vi nenhum comunicado da polícia sobre as duas ocorrências.

VEÍCULO RECUPERADO

Às 3h do dia 26, uma pessoa viu o condutor de um Fiat/Strada de cor branca, em atitude suspeita em um posto de combustíveis na cidade de Medianeira e ligou para a Polícia Militar que constatou que o automóvel tinha sido furtado na cidade de Céu Azul. Os policiais realizaram o acompanhamento tático, sendo que o condutor fugiu até a cidade de Matelândia onde colidiu no muro de uma residência e evadiu-se do local.

 PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO

Às 5h do dia 26, um policial que estava de folga prendeu uma rapaz que fez disparos de arma de fogo em um posto de combustíveis na avenida Brasília na cidade de Medianeira. O policial chegou na loja de conveniências do posto e presenciou vias de fatos entre duas pessoas. O rapaz estava portando um revólver calibre 38 com quatro estojos deflagrados e uma munição intacta.

CONDUZIR VEÍCULO COM A CAPACIDADE PSICOMOTORA ALTERADA

Às 3h do dia 26, uma equipe avistou um veículo Hyundai/Veloster, trafegando pela via, com faróis apagados, em sentido oposto ao da equipe. Os policiais abordaram o condutor na rua Airton Senna. Foi realizado o teste do etilômetro, sendo aferido o valor de 1,16 mg/l. Após ser preso ele desacatou os policiais.

Às 6h do do dia 26, o condutor de um automóvel Clio de cor preta realizou uma manobra perigosa “cavalo de pau” em frente ao 14º Batalhão da Polícia Militar, passando por cima dos cones de sinalização. Uma equipe policial realizou o acompanhamento do indivíduo que fugiu por diversas ruas da área sul da cidade. Ele não parou em cruzamentos, oferecendo risco a terceiros. Os policiais conseguiram abordá-lo na rua Jasmin. Após o teste do etilômetro foi constatado a quantia de 0,71mg/l.

POSSE ILEGAL DE ARMA DE FOGO E TRÁFICO

Por volta das 00h05 do dia 27, uma pessoa ligou para a polícia relatando que havia vias de fato na avenida Pôr do Sol, e que durante a briga um indivíduo realizou um disparo de arma de fogo. Os policiais abordaram o adolescente suspeito e foram até a casa dele. Com a autorização do pai do menor, foi realizado buscas no interior da residência, sendo encontrado no guarda roupas um revólver calibre 38 com 6 cartuchos, 9 munições do mesmo calibre e uma mochila com 3,725kg de maconha.

VEÍCULO RECUPERADO

Às 00h10, algumas pessoas viram três indivíduos em um Chevette prata saindo em alta velocidade. Foi deslocado até a perimetral leste no bairro Morumbi. No local havia um veículo Gol prata, aberto e sem chaves. O automóvel tinha acabado de ser furtado e foi abandonado por causa do corta-corrente.

DISPARO DE ARMA DE FOGO E PORTE ILEGAL

Às 23h do dia 26, duas motocicletas com dois indivíduos cada uma, passaram em alta velocidade efetuando disparos. Um policial de folga presenciou a situação e realizou o acompanhamento. Na avenida Silvio Américo Sasdelli, o condutor de uma das motocicletas caiu e o policial fez a abordagem a um adolescente de 15 anos que estava com uma pistola calibre 22 com 10 cartuchos. A moto Honda CG Titan e o adolescente foram conduzidos até a Delegacia.

MATERIAL QUE SERIA ARREMESSADO NA CADEIA É APREENDIDO

Por volta das 4h, uma equipe estava em patrulhamento na área prisional quando avistou nas proximidades da cadeia pública Laudemir Neves uma motocicleta estacionada. A equipe de policiais que trabalham na cadeia visualizaram um indivíduo de calças vermelha com uma mochila nas costas, correndo para o milharal.  Os policiais realizaram a abordagem ao indivíduo e dentro da mochila havia 4 celulares, 2 chips, 1 carregador de celular, 1 fone de ouvido, 1 borracha para estilingue utilizada para arremessos, linha de pesca e aproximadamente 650 gramas de maconha distribuída em 4 tabletes.

 

 

Advogado de Gleisi se entrega a PF em SP

download (1)

O advogado paranaense Guilherme Gonçalves, último procurado da Operação Custo Brasil, se entregou ontem à Polícia Federal em São Paulo. Apontado pelas investigações como repassador de propinas do esquema envolvendo a empresa de informática Consist ao ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, Gonçalves chegou ontem de Lisboa no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos.  A pedido da PF, o advogado estava sob monitoramento da polícia portuguesa desde quinta-feira, dia da operação. As informações são da Agência Estado.

Gonçalves foi submetido a exames no Instituto Médico-Legal e, depois, levado à custódia da Superintendência Regional da PF, na zona oeste, onde estão outros alvos da Custo Brasil, entre eles Paulo Bernardo, preso na quinta-feira.

O advogado disse que estava na Europa “a passeio”. Ele teve a prisão decretada pelo juiz Paulo Bueno de Azevedo, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo. Ao saber, em Lisboa, que era alvo da operação, Gonçalves anunciou, por meio de sua defesa, que se apresentaria.

Em agosto de 2015, o advogado, com escritório em Curitiba, foi alvo de buscas durante etapa da Lava Jato. PF e Procuradoria da República suspeitam que o escritório era usado para repasse de propina a Bernardo e custeava despesas eleitorais da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), mulher do ex-ministro.

Os recursos teriam saído do “esquema Consist”, empresa que fechou acordo em 2010 com entidades contratadas pelo Ministério do Planejamento, na gestão Paulo Bernardo, para gerenciar empréstimos consignados. A investigação aponta desvio de R$ 100 milhões.

Gonçalves já negou ter ligação com a fraude dos consignados. Ele deve ser ouvido amanhã em audiência na Justiça Federal em São Paulo.

FONTE

 

 

Cota de isenção de US$ 300 para compras na fronteira será prorrogada

Informação foi dada pela Receita Federal ao deputado Fernando Giacobo. Receita Federal em Foz só aguarda portaria
 

A cota de compras isenta de impostos de importação nas regiões de fronteira terrestre do Brasil, que a partir de 1º de julho seria reduzida para US$ 150, permanecerá em US$ 300 por mais um ano. A informação foi dada nesta segunda-feira (27) pelo secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, e o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, ao deputado federal Fernando Giacobo (PR-PR). “A cota de compras de 300 dólares será prorrogada por mais um ano. Nesse tempo, faremos estudos para ver se aumentamos um pouco, para 450, 500 dólares”, afirmou o deputado.

O delegado da Receita Federal em Foz do Iguaçu, Rafael Dolzan, confirmou que esta informação já circula no órgão há alguns dias, mas lembrou que, para a prorrogação entrar em vigor, é preciso que a Receita Federal publique uma portaria até quinta-feira (29). “Será uma grande surpresa, internamente, se esta portaria não for publicada”, adiantou.

Dolzan disse que a redução da cota ocorreria no caso de serem implantadas lojas francas no lado brasileiro da fronteira, o que não aconteceu em Foz do Iguaçu. Por isso, a própria Receita em Foz também já havia se manifestado favoravelmente à manutenção da cota em US$ 300, até que esta questão dos free shops seja resolvida.

Free shops

A ideia de implantar free shops nos municípios brasileiros de fronteira virou lei em 2012, mas houve muita demora para a regulamentação por parte das prefeituras. A proposta era que o brasileiro poderia adquirir US$ 150 nos municípios fronteiriços ao país e o equivalente a outros US$ 150 em free shops no lado brasileiro.

Mas, na maioria dos 29 municípios que seriam autorizados a manter free shops, praticamente não houve interesse dos empresários de aproveitar essa oportunidade. Por isso, já em 2015 houve prorrogação da cota de isenção por um ano, o que também deve acontecer agora. A cota de isenção de US$ 300 vale para todos os países de fronteira terrestre com o Brasil.

Eis que surge Requião na Custo Brasil

requiaocusto

O Antagonista

Na semana passada, o senador Roberto Requião saiu em defesa do casal Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann. Ele disse que a prisão de PB era uma tentativa de “desmoralizar o Senado”.

Dá para entender a indignação de Requião.

Numa troca de emails, obtida com exclusividade por O Antagonista, um executivo da Consist comenta com um dos sócios da empresa sobre conversas com o advogado Guilherme Gonçalves, preso na Operação Custo Brasil – acusado de receber propina para PB.

Gonçalves é identificado pela turma da Consist como “advogado-lobista” e estaria disposto a ajudar “em algumas negociações” com as estatais paranaenses Celepar, Copel e Sanepar, na gestão Requião.

Leia Mais »

Attuch, o porta-voz da quadrilha

download (2)

A Polícia Federal está no encalço de outro notório personagem do submundo petista. O blogueiro Leonardo Attuch firmou milionárias parcerias comerciais com os governos de Lula e Dilma. Movido a verbas públicas, mas não só, ele usa um blog chamado Brasil 247 para difamar adversários do PT e publicar textos patrocinados pelos contratantes, alguns deles presos e condenados.

No ano passado, os investigadores descobriram que Attuch tinha outra fonte de renda. Recebia dinheiro de personagens ligados ao petrolão, abastecendo-se do propinoduto da estatal. Os procuradores chegaram a pedir a prisão do blogueiro depois que um dos envolvidos no escândalo confessou ter repassado a ele 120.000 reais. Na época, Attuch explicou que o pagamento era por um serviço de “produção de conteúdo jornalístico”.

Antes de deferir a prisão do “suposto jornalista”, como classificou Attuch no despacho, o juiz Sergio Moro achou prudente aprofundar as investigações. Na semana passada, Attuch foi conduzido à PF para se explicar. A polícia descobriu que o tal pagamento foi feito por determinação do tesoureiro João Vaccari, com o dinheiro roubado de servidores e aposentados endividados.

blogs

Leandro Loyola, Época

A delação da Odebrecht também tem itens de menor potência. Entre os cerca de 90 temas que os advogados negociam com os procuradores, consta um capítulo sobre pagamentos aos blogs que faziam a defesa dos governos Lula e Dilma Rousseff e do PT. Além de verbas públicas, a turma também recebia das empresas envolvidas na Operação Lava Jato.

‘Valeu a pena votar no Fruet’, diz Paulo Bernardo

O apoio do PT ao prefeito Gustavo Fruet (PDT) tem lhe causado muito incômodo depois de envolvimento de várias lideranças do petismo em escândalos de corrupção e da forte suspeita que parte de sua campanha foi bancada com dinheiro de propinas. Agora, seu adversários resgataram um vídeo do ex-ministro Paulo Bernardo, preso na Operação Lava Jato, em que comemorava e muito a vitória Fruet nas eleições de 2012.

 

 

 

 

PV deve abandonar Fruet e apoiar Requião em Curitiba

 

Neste domingo, 26, o lançamento da pré-candidatura da enfermeira Rosane Ferreira (PV) a prefeita de Araucária reuniu o PT, PR, PP e o PMDB. Em Curitiba, o PV deve abandonar o atual prefeito Gustavo Fruet (PDT) e apoiar a pré-candidatura do deputado Requião Filho a prefeito. Rosane, ex-deputada e candidata a vice-governadora na chapa do PMDB, é uma das lideranças do PV no Paraná. O empresário Marcelo Almeida migrou do PMDB para o PV e pode ser vice de Requião Filho. Almeida é amigo e já foi assessor do senador Roberto Requião, que marcou presença no lançamento da candidatura verde.

Família quer delação de Vaccari

Painel, Folha de S. Paulo

Já pra casa – A mulher e a filha de João Vaccari Neto, preso desde 2015, são as que mais pressionam para que o ex-tesoureiro petista faça um acordo de delação premiada.

O crime de cima para baixo

* Jorge Pontes

A Operação Risco Brasil, deflagrada pela Polícia Federal em 23 de junho, nos confirmou o que já estávamos prestes a concluir: foram de fato os governos do PT que promoveram o flagelo da institucionalização do crime no Brasil.

Trata-se, evidentemente, de um erro histórico crasso afirmar que o PT inventou a corrupção no Brasil, contudo, consubstancia-se igualmente em redonda inverdade atribuir o grau de institucionalização da corrupção petista aos governos anteriores ao PT.

“Nunca antes na história desse país” montou-se um esquema tão estrategicamente organizado, tão arribado em estruturas governamentais, tão amplo e diversificado, como o que a sociedade brasileira, boquiaberta, agora assiste a Polícia Federal descortinar em dezenas de fases originadas a partir da Operação Lava Jato.

É o crime sendo cometido dentro do estamento público – planejada e coordenadamente – de cima para baixo.

Se já existia em nosso país a corrupção endêmica e generalizada, o PT a institucionalizou, abençoando-a a partir da plataforma organizacional da Casa Civil da Presidência da República.

No crime institucionalizado o governo sabe, abençoa, coordena, aperfeiçoa e se locupleta dos esquemas fraudulentos.

E o que se observa com o esquema que levou à prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, titular da pasta do Planejamento do Governo Lula da Silva e das Comunicações do Governo Dilma Rousseff (totalizando 10 anos à frente de ministérios petistas) foi a realocação da administração dos empréstimos em consignação para o Ministério do Planejamento, com a única e específica finalidade de desviar taxas pagas por servidores, em empréstimos consignados. Essa fraude teria irrigado por cinco anos o Partido dos Trabalhadores e alguns de seus políticos, totalizando um montante de 100 milhões de Reais. Tudo isso em prejuízo de milhares de servidores públicos em dificuldades financeiras.

Aquele policial federal que batizou a ação do DPF de “Custo Brasil” não poderia ter encontrado nome mais desgraçadamente representativo.

O ‘Custo Brasil’ é uma das consequências práticas mais deletérias do crime institucionalizado, pois certamente arcamos com dois ou três “brasis” para sustentar um Brasil superfaturado pelos gestores do crime institucionalizado.

Entretanto, ainda mais desoladora é a possibilidade da existência de centenas de projetos e iniciativas sendo aprovados com o único objetivo de desviar criminosamente recursos públicos, como parece ter sido a contratação em 2009, por parte do Ministério do Planejamento, da empresa CONSIST, para abiscoitar o dinheiro suado de trabalhadores que pediam empréstimos consignados.

Essas fraudes nos fazem questionar tudo que foi projetado nos últimos 13 anos, inclusive as candidaturas para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos do Rio 2016.

Não seria mais o caso de uma refinaria necessária e superfaturada, mas sim de uma refinaria que nem deveria ter sido construída, pois o que se consumiu com sua construção não será nunca recuperado com o seu funcionamento por duas décadas, como é o caso de Abreu e Lima, acorde as próprias palavras do Juiz Sérgio Moro, devidamente louvado nos laudos periciais da Polícia Federal.

O crime institucionalizado impõe então, além do “Custo Brasil”, uma afronta ao próprio projeto nacional, pois nos empurra goela abaixo projetos anacrônicos que encerram uma corrupção de raiz, totalmente viciada.

Esta situação tem como ser solucionada. O remédio passa necessariamente pela total e completa blindagem política de todos os órgãos que compõem a persecução criminal, principalmente da Polícia Federal, a mais vulnerável em razão de sua submissão hierárquica ao Ministério da Justiça.

Impende seja lembrado que aquele que detém o comando da prancheta do crime institucionalizado, e escolhe o ministro que vai fraudar milhões no Ministério do Planejamento, é o mesmo que escolhe o Ministro da Justiça, que vai comandar a Polícia Federal. Todos saem da mesma prancheta, tendo envolvimento e dever de lealdade com o mesmo projeto criminoso de poder.

Por derradeiro, para combatermos com sucesso o anacronismo, a violência e o desmesurado poder do ‘crime de cima para baixo’ é imperiosa a concessão, à Policia Federal, de uma armadura chamada autonomia administrativa e orçamentária, que será exercida sempre em favor da sociedade brasileira.

* Jorge Pontes é Delegado de Polícia Federal e foi Diretor da Interpol no Brasil

 

 

 

 

open?msgid=pUXoRvSKIN_ypmPKX7HvZQ2

 

 

 

 

open?msgid=_ZKBwhZ8BFYGWANLv_9UAQ2

 

 

Moro é ovacionado em show em Curitiba

Blog do Josias de Souza – Política

Sérgio Moro foi ovacionado por mais de um minuto durante show de rock na capital paranaense, Curitiba. Deu-se na noite passada. No palco, a banda Capital Inicial, cujo berço é Brasília. Antes da execução de um clássico —‘Que País Esse’— o vocalista Dinho Ouro Preto disse que não dedicaria a música a um corrupto, como costuma fazer. “Não faltam candidatos…”, disse ele. “Mas vou dedicar ao Sérgio Moro, que está presente aqui.” Seguiu-se a ovação do público. O juiz da Lava Jato, que assistia ao show num dos camarotes, levantou-se e agradeceu.

Urtigão e Narizinho

Lauro Jardim, O Globo

A propósito da volta de Paulo Bernardo ao noticiário, velhos companheiros de Banco do Brasil lembraram-se ontem do apelido do ex-ministro naqueles tempos — apelido que ele odiava: Urtigão, o personagem caipira dos quadrinhos da Disney. A propósito de apelidos, neste caso, Urtigão mudou das páginas da Disney e foi parar nas de Monteiro Lobato: acabou se casando com Narizinho.

 

 

 

open?msgid=bkZtDFBp04JvSVjKJHQeuw2l

Prefeito Reni Pereira anuncia nova secretária da Saúde em Foz

download (3)

Nesta segunda-feira (2) prefeito Reni Pereira anunciou o nome da nova secretária de Saúde do município. Trata-se da farmacêutica Alice Maria Macedo Silva.

PITACO: Esta é a quinta tentativa do Reni de acertar o passo na saúde pública de Foz. Dizem que tem um cabeça de burro enterrada no gabinete dos secretários desta pasta. Amém!

OPERAÇÃO PECÚLIO

A Operação Pecúlio pode ser a Lava Jato da Fronteira. Pelo andar da carruagem não vai ficar pedra sobre pedra. Demorô!

PITACO: Nunca se tomou tanto lexotam para dormir como agora. Os estoques nas farmácias zeraram… kkkkk