“Candidato que dá piti ao ser questionado em entrevista: Imagina governando…”- A pergunta, feita pelo facebook, é de Bernardo Pilotto, candidato a governador pelo PSOL.

01ago

IMG-20140731-WA0062

Aproximadamente às 22 horas de ontem(31/07), a equipe da PRF fez uma abordagem a um veículo VW/Gol Power, em frente ao posto policial de Céu Azul, BR 277, Km 642.  Ao abordarem o veículo e em fiscalização de rotina, Os PRFs encontraram uma mochila onde havia 02 (duas) pistolas marca GLOCK, calibre 9mm; 01 (uma) pistola marca GLOCK, calibre .40; uma luneta para pistola; 04 (quatro) carregadores de pistola 9mm, com capacidade para 17 (dezessete) munições; 03 (três) carregadores de pistola .40, com capacidade para 15 (quinze) munições; 03 (três) carregadores  de pistola 9mm, com capacidade para 31(trintas e uma)  munições; 02 (dois) bloqueadores de rastreadore;  101 (cento e uma) munições .40; 150 (cento e cinquenta) munições 9mm. Sendo assim, os agentes deram voz de prisão ao condutor JOSÉ L. S. , 20 ANOS  e encaminharam-no, junto às arma e munições, para a Polícia judiciária estadual em Céu Azul.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

DOMINGO

E agora vem o melhor – domingo às 15:30 hs – vamos enfrentar o Cascavel, no campo do ABC, para saber quem vai continuar liderando a divisão de Acesso do Paranaense. Vamos lá! AQUI

E A CBF?

Que mancada internacional - AQUI

FRASE LAPIDAR

“Botin, é o seguinte, querido. Eu tenho consciência de que não foi você que falou, mas essa moça tua que falou não entende porra nenhuma de Brasil e não entende nada de governo Dilma. Manter uma mulher dessa em um cargo de chefia? Pode mandar embora.”  
Ex-presidente Lula, ao reclamar do boletim enviado pelo Banco Santander aos seus clientes de alta renda sobre a relação das pesquisas eleitorais com a aprovação do governo Dilma.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

2907-dolar-requiao

Liberados pelo TRE, os dissidentes do PMDB anunciaram para amanhã (quinta-feira, 31) um “mutirão Vovó Dallas” com a distribuição de um milhão de panfletos – nota de US$ 1,00 com a montagem da foto de Eduardo Requião – e do fac-símile da matéria da Gazeta do Povo em que liga o irmão do senador Roberto Requião (PMDB) com esquema de fraudes e desvio de dinheiro do Porto de Paranaguá. Segundo Doático Santos, secretário-geral do PMDB de Curitiba, os panfletos serão distribuídos em 20 pontos da capital, além das cidades da região metropolitana e do litoral. O “Vóvo Dallas” é um anagrama com referência ao apelido de Eduardo Requião – “Vovó Naná” – e à operação da PF que o investigou.

Ontem, o  juiz Guido José Dobeli liberou os panfletos da apreensão pretendida por Requião.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

do Celso Nascimento, Gazeta do Povo

Fúria 1

O senador Roberto Requião, candidato do PMDB ao governo do estado, deixou claro ontem – pela enésima vez – o desrespeito que devota à imprensa e aos seus profissionais e, por consequência, à própria opinião pública. Numa entrevista ao vivo no estúdio de uma emissora de rádio de Cascavel, desequilibrou-se emocionalmente diante de uma pergunta que julgou impertinente. Alterou a voz, ofendeu o jornalista, deu a entrevista por encerrada e abandonou o estúdio.

. Fúria 2

Acessos de fúria como o que protagonizou em Cascavel não são novidade no relacionamento de Requião com a imprensa. Quando governador, quase fraturou o polegar de um repórter de televisão porque também não gostou da pergunta. Depois, já nos primeiros dias de seu mandato de senador, em 2013, virou notícia nacional ao confiscar o gravador de um radialista de Brasília. Devolveu o aparelho, com a gravação apagada.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

3107 aecio ministerios

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, disse hoje (30), em entrevista coletiva, que, se for eleito, reduzirá pela metade o número de ministérios em seu governo e extinguirá pelo menos um terço dos cargos comissionados existentes hoje. Segundo ele, isso não significa que todas as áreas atendidas pelos 39 ministérios atuais não sejam importantes, mas sim que precisam ser “desburocratizadas”.

“Existe um grupo trabalhando no redesenho do Estado brasileiro, comandado por aquele que eu considero o mais eficiente gestor público, o ex-governador de Minas Gerais Antonio Anastasia. Estamos conversando para redesenhar o Estado brasileiro”, disse o candidato, sem antecipar quais ministérios serão cortados.

Segundo Aécio, pelo menos um terço dos ministérios pode ser extinto “imediatamente”, de modo a reduzir “o gigantismo do Estado” e melhorar a gestão pública. Além disso, ele disse que, nas áreas em que for possível, vai estabelecer regime de metas aos funcionários públicos para estimular a melhor prestação de serviços públicos. “O meu governo será o da meritocracia e da eficiência.”

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

3107-agide-meneguetti

O governo federal acumula pendência de R$ 300 milhões que trava o programa nacional de subvenção ao seguro rural, apontou ontem a Faep. Segundo a Faep, o orçamento não foi liberado e o programa parou de funcionar justamente na abertura da safra 2014/15. Ainda nesta semana, o governo federal deve receber nota da entidade e terá de se apressar para que os recursos, que fazem parte do Plano Agrícola e Pecuário cheguem na hora certa à agricultura. Os produtores estão contratando financiamento para custeio da safra de verão de 2014/15, que começa a ser plantada neste mês, e não há mais verbas disponíveis para assegurar esses contratos. As informações são da Gazeta do Povo.

Ofício encaminhado à presidente Dilma Rousseff pelo presidente da Faep, Ágide Meneguette, pede a liberação de R$ 300 milhões por decreto. A Casa Civil, os ministros da Agricultura, Planejamento e Fazenda e deputados federais do Paraná e Frente Parlamentar da Agricultura também receberam o documento.

O risco de falta de recursos na hora do financiamento da safra de verão foi aventado em junho. Agora, produtores estão recorrendo à Faep. O governo federal vinha garantindo que não deixaria financiamentos descobertos. A expectativa era de que fossem liberados R$ 700 milhões em 2014. Segundo a Faep, houve liberação de R$ 260 milhões para culturas de inverno e os R$ 140 milhões para cultura de verão já se esgotaram. Meneguette observa que a presidente “prometeu R$ 700 milhões no lançamento do Plano Agrícola, embora R$ 400 milhões estivessem previstos na Lei Orçamentária Anual”. O risco é de as safras de soja, milho e frutas ficarem sem seguro.

O governo federal alega que a área assegurada vem aumentando graças ao programa que paga parte do prêmio (custo) do seguro. Em média, essa subvenção é de 50%. Porém, a estruturação do sistema foi deixada de lado. Dos R$ 557,8 milhões endereçados às subvenções durante 2013, 42,5% (ou R$ 237 milhões) ainda não teriam sido repassados às seguradoras.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

3107-dilma-e-lula

Editorial, Gazeta do Povo

Classificar o informe do Santander de “interferência eleitoral” é completamente descabido

Quando um cliente confia seu dinheiro a um banco, o mínimo que espera da instituição e de seus funcionários é um aconselhamento sincero sobre as perspectivas da economia e as melhores formas de fazer render os recursos depositados. Aos analistas do banco cabe interpretar os sinais vindos de diversas fontes e traçar cenários com base em possibilidades futuras. Foi o que o banco Santander fez na semana passada, quando enviou a clientes do segmento Select (com renda mensal acima de R$ 10 mil) um informe no qual dizia que “se a presidente [Dilma Rousseff] se estabilizar ou voltar a subir nas pesquisas [de intenção de voto para a Presidência], um cenário de reversão pode surgir. O câmbio voltaria a se desvalorizar, juros longos retomariam alta e o índice da Bovespa cairia, revertendo parte das altas recentes”. A reação a essa análise mostrou o quanto o país – ou pelo menos algumas de suas lideranças – ainda pode estar longe de um genuíno apreço pela liberdade de expressão. Mais 

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

1707 ogier buchi prp gleisi pt

Os advogados de defesa da senadora Gleisi Hoffmann (PT) farão hoje no TRE a sustentação oral na defesa contra o pedido de impugnação da candidatura petista ao governo do Paraná. O pedido de impugnação, que será julgado hoje pelo tribunal, foi feito pelo candidato Ogier Buchi (PRP) e é baseado na escolha do candidato à vice da chapa petista, Haroldo Ferreira. O PDT indicou o vice na chapa depois do prazo para realização das convenções partidárias. A defesa de Gleisi alega que as convenções tinha prazo de realização até o dia 30 de junho, mas o registro dos candidatos poderia ser feito até cinco dias depois.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

3107-dissidentes (1)

Os  dissidentes do PMDB afirmam que não há qualquer liminar contra eles e que vão continuar apoiando a reeleição de Beto Richa (PSDB). “Alguns órgãos da imprensa têm divulgado notícia equivocada de que o juiz Austregésilo Trevisan, da 17ª Vara Cível de Curitiba, teria concedido medida liminar proibindo os dissidentes peemedebistas de fazer campanha
para qualquer outro candidato. Isso poderia ser considerado infidelidade partidária com risco de cassação de mandato ou de candidatura. Não há determinação judicial nenhuma. Não há qualquer proibição”, diz um peemedebista, advogado e jurista.

“O candidato a governador, Roberto Requião, espertamente, ajuizou um protesto judicial, porque em protesto não cabe defesa. Ou seja, o magistrado só manda avisar o cidadão, sem qualquer ordem ou determinação, porque ele não julga nada”, completou.

Segundo os dissidentes, o Requião não entra com ação em que cabe contestação, porque sabe que o diretório nacional não pode tomar qualquer medida restritiva. “Afinal, existem diretórios estaduais inteiros do PMDB, como o da Bahia, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Espírito Santo que não trabalham para a presidente Dilma e Temer, que foram aprovados em convenção nacional do PMDB. Eles têm outro candidato a presidente. Como então punir o Paraná, onde alguns deputados não apoiam o candidato a governador? O próprio Michel Temer reconheceu que em muitos estados o PMDB não estaria com ele, mas disse que, mesmo assim, se for convidado, subirá no palanque do PMDB para ajudar os companheiros”, completou o jurista.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

3107 gleisi 1985 2003 2014 

Aí já é demais. Os adversários da Gleisi Hoffmann (PT) trolaram duas fotos da petista – uma de 1985 e outra atual – com a matéria em que, pela primeira vez, o Brasil superou os EUA e se tornou líder mundial na realização de cirurgia plástica. O assunto incomoda a petista, mas de acordo com a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, o Brasil foi responsável por 1,49 milhão de cirurgias no ano passado, 12,9% do total mundial, que foi de 11,5 milhões. O país ficou na primeira posição na realização de lipoaspiração (227.896), que retira gordura de regiões específicas do corpo, aumento das mamas (226.090) – técnica mais procurada no Brasil – e a correção de seios caídos (139.835).

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

3107-hospital3107-haroldo_gleisi

O sumiço do vice de Gleisi Hoffmann (PT) – o médico Haroldo Ferreira (PDT) – da campanha petista pode ter ligação com a manchete da Tribuna do Paraná desta quinta-feira (31). O jornal relata que o Hospital Municipal de Araucária está quebrado: salários atrasados, falta de medicamentos e de refeições para os pacientes. A administração do hospital estava terceirizada a Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, contratada em 2008 pela prefeitura de Araucária. E sabem quem era o secretário de Saúde da cidade até 2013? Bingo! Acertou quem disse o médico Haroldo Ferreira, responsável pelo pagamento de R$ 2,8 milhões mensais a Pró-Saúde entre 2009 e 2012.

O médico pedetista pode repetir outro candidato à vice famoso, também do PDT, Derli Donin, que denunciado comprometeu a candidatura de Osmar Dias (PDT) em 2006. Ainda não se sabe se Ferreira foi conivente, ‘não sabia’ das improbidades da Pró-Saúde ou ainda prevaricou (soube e não denunciou). Ferreira é apresentado por Gleisi como coordenador do Programa Mais Médicos e responsável pelo programa de governo da petista na área de saúde,

Já a Pró-Saúde, ligada ao petismo, é investigada em seis estados por irregularidades na administração de hospitais públicos no Paraná, São Paulo, Tocantins, Pará, Goiás e Espírito Santo. As investigações são conduzidas pelo Ministério Público nos âmbitos federal, estadual e do Trabalho. Entre as acusações estão má gestão, falta de prestação de contas, sumiço de medicamentos, superfaturamento de serviços e descumprir contratos de gestão firmados com governos estaduais e municipais. Depois da crise no hospital municipal, a prefeitura de Araucária rompeu o contrato com a Pró-Saúde e divulgou uma relação de denúncias contra a empresa.

Por meio de nota, a prefeitura de Araucária afirmou a Tribuna do Paraná que sempre realizou os pagamentos rigorosamente em dia e que mensalmente, conforme previa o contrato, pagava R$ 2,8 milhões para que a Pró-Saúde administrasse o hospital, conforme os comprovantes de pagamento disponibilizados pela Secretaria Municipal de Saúde.

De acordo com a prefeitura, desde 24 de julho a gestão do hospital é de responsabilidade do Instituto Bio Saúde, que juntamente com uma comissão de intervenção da Secretaria de Saúde e a direção da Pró-Saúde, está realizando a transição da administração do local. A prefeitura também afirma que os 430 funcionários e 123 médicos contratados pela Pró-Saúde devem ser devidamente indenizados, assim como o pagamento de fornecedores.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

3107 samek gleisi dilma energia

O professor Cláudio Fajardo, um dos ícones da esquerda militante do Paraná, usou seu perfil no Facebook para fazer uma revelação bombástica, sobre a origem do modelo energético brasileiro,que castiga a Copel. “Estava eu no aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, próximo a Curitiba, quando encontrei Jorge Samek”, relembra.

Segundo Fajardo, o encontro ocorreu no início do governo Lula e o atual diretor da Itaipu, Jorge Samek, levou o projeto entregue para a então ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff. “Foi com esse projeto que se instituiu o atual modelo em que a Copel fornece a energia por um preço, e compra por outro bem mais caro, para um ente nacional que também compra de outros fornecedores do Brasil”, continua.

“O Samek é um dos principais apoiadores da Gleisi. Já imaginaram a Gleisi governadora com o aconselhamento de Samek e Paulo Bernardo?”, encerra o post.

Leia a seguir a íntegra do desabafo de Cláudio Fajardo:

“Estava eu no aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, próximo a Curitiba, quando encontrei Jorge Samek. Início do governo Lula, eufórico me cumprimentou e me confessou: aqui está o novo projeto de energia para o Brasil, disse apontando para uma pasta preta de couro. Ele estava levando o projeto para a então ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff. Mal sabia eu que se tratava de um projeto lesivo ao Paraná. Foi com esse projeto que se instituiu o atual modelo em que a Copel fornece a energia por um preço, e compra por outro bem mais caro, para um ente nacional que também compra de outros fornecedores do Brasil. Como a Copel produz energia a um custo menor do que os outros ela vende por um preço menor. Depois é obrigada a comprar por um preço maior. O Paraná, que investiu em produção de energia durante anos a fio, vai pagar o mesmo preço que outros estados que não investiram ou que produzem a energia por um custo maior. Legal, não é.
O Samek é um dos principais apoiadores da Gleisi. Já imaginaram a Gleisi governadora com o aconselhamento de Samek e Paulo Bernardo?”

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

3107gracafoster
O apelido da doutora Graça: “Caveirão”. Belezura!

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) José Jorge, relator do processo que investiga a compra da refinaria de Pasadena, pela Petrobras, disse ontem que será corrigido o erro do tribunal no acórdão da Corte sobre o negócio. No entanto, ele não explicou quando, como e nem mesmo se a correção implicará na inclusão da presidente da estatal, Graça Foster, no rol dos que tiveram os bens bloqueados. “É um erro que vamos estar corrigindo. Como nós estamos avaliando”, disse o ministro, sem dar mais detalhes. As informações são da Gazeta do Povo.

O órgão de controle responsabilizou em lugar de Graça um ex-diretor que já tinha deixado a companhia quando foi tomada uma das decisões sobre Pasadena consideradas irregulares. A troca poupou a presidente da Petrobras de ter os bens declarados indisponíveis por um ano, medida adotada em relação aos outros responsáveis.

O líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy, afirmou ontem que Graça Foster não tem mais condições de continuar à frente da empresa. “Na prática, a atual presidente da Petrobras deveria estar com seus bens indisponíveis, tal qual ocorreu com os demais responsáveis. O que, por si só, já é um escândalo e inviabiliza sua permanência no comando da empresa”, afirmou Imbassahy em nota.

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail

31jul

* Carlos Eduardo de Santi

Dormindo com o inimigo

inimigo

A revista Época desta semana trouxe (mais) uma reportagem bombástica sobre esquema de corrupção versando em nosso país. O acusado da vez foi o deputado federal Rodrigo Bethlem (PMDB-RJ). Em princípio, o que me chamou a atenção foi o sobrenome do parlamentar – o mesmo da atriz global e produtora Maria Zilda (que anos atrás incorporou o “Bethlem” ao nome artístico). Pesquisando, descobri que Rodrigo é filho da artista com o diretor Roberto Talma, também da Globo. Porém, o foco da reportagem do semanário não foram as relações familiares do trio.

Rodrigo, de 43 anos, começou cedo na política. Aos 22 anos, foi nomeado subprefeito na gestão do ex-prefeito César Maia, posteriormente elegendo-se vereador na Cidade Maravilhosa. Sob as asas do atual prefeito Eduardo Paes, foi nomeado em 2009 secretário de Ordem Pública, cuja missão era aplicar um “choque de ordem” na cidade. Ganhou visibilidade (inclusive internacional) ao imprimir rigorosa fiscalização nas praias cariocas, então tomadas por ambulantes. Esse poder de ação lhe rendeu o simbólico apelido de “Xerife do Rio”.

Rodrigo foi casado durante 20 anos com a empresária Vanessa Felippe, filha do atual presidente da Câmara Municipal do Rio, Jorge Felippe. Eleita deputada federal mais jovem do Brasil, em 1994, atualmente trava disputa judicial com o ex-marido pela partilha dos bens. A empresária afirma tê-lo ajudado a conquistar o sucesso como “xerife” e por isso reivindica metade de tudo o que Rodrigo ganhava. O termo “ganhava”, neste caso, inclui os rendimentos não contabilizados do parlamentar durante a vida conjugal e dos quais ela tinha plena cumplicidade.

O restante da história apresenta características novelescas (desculpe o trocadilho familiar).
A revista revelou conversas (ou melhor, discussões) da empresária com o parlamentar em 2011, ocasião em que estavam se divorciando, cujo foco era o pagamento da pensão. Em uma delas, Rodrigo contou que embolsava aproximadamente R$ 85 mil por mês, além do seu salário como secretário de Assistência Social, à época. Esse valor, segundo deu a entender, provinha de contratos da Secretaria, envolvendo o cadastro de beneficiários do Programa Bolsa Família. Também afirmou ter conta bancária na Suíça (para movimentar as cifras sem chamar a atenção) e praticamente admitiu utilizar caixa dois em suas campanhas eleitorais.

O modus operandi do deputado fluminense, apesar de nos causar repúdio, não é nenhuma novidade no cenário político brasileiro. Os principais veículos de comunicação sérios – jornais de grande circulação, revistas e telejornais com abordagem investigativa – repetem diuturnamente casos de corrupção envolvendo a classe política, de norte a sul do Brasil. A rotina é tão intensa que a sociedade já não tem mais paciência, tempo e disposição para ler ou assistir aos detalhes dessas práticas perversas, incorporadas à vida pública de nossos representantes sem nenhum pudor.

Já os desdobramentos do seu relacionamento conjugal, no que tange ao interesse público, embora de forma menos corriqueira, também encontram paralelos na história do país.

Diz o dito popular que “por trás de todo grande homem, existe uma grande mulher”. Se isso é verdade nas mais variadas atividades do ser humano, mais ainda o é no campo da política, onde muitas vezes elas são o braço direito ou o porto seguro de seus companheiros. Mas o mar de rosas de uma longa (ou nem tanto) vida de união pode terminar em escândalos político – como provavelmente será o caso do casal Bethlem.

Por motivações diversas, Mônica Veloso, Maria Christina Mendes Caldeira e Nicéa Pitta foram pedras nos sapatos de seus maridos. A jornalista Mônica Veloso foi pivô do chamado “Renangate”, em 2007, após vir à tona o caso extraconjugal que mantinha com o senador Renan Calheiros e a revelação de que as despesas com a pensão do filho do casal eram pagas por um lobista amigo do parlamentar. A socialite Maria Christina Mendes Caldeira, por sua vez, confirmou em 2005 a participação do marido, o ex-deputado Valdemar Costa Neto, no esquema do Mensalão. Já Nicéa Pitta, motivada por ciúmes e disputas por dinheiro, foi um dos principais estopins para a crise de corrupção que culminou com a prisão do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta (morto em 2009, deixando 21 processos em andamento na Justiça, da ordem de R$ 4 bilhões).

Outra “mulher-bomba” na política nacional foi Rosane Collor, que doze anos após o impeachment de Fernando Collor de Mello revelou à revista Veja que o ex-marido e presidente realizava rituais de magia negra na Casa da Dinda, residência oficial da Presidência.

A cada dia me convenço de que realmente não dá para confiar em ninguém. Nem nos políticos, nem nos seus cônjuges… (se bem que neste caso a infidelidade serve aos interesses do país).

428200_331165390272838_712507739_n

* Carlos Eduardo de Santi é médico veterinário, professor universitário, graduado em Tecnologia da Gestão Pública e pós-graduado em Vigilância Sanitária. 

FacebookGoogle+LinkedInTwitterPinterestEmail
Página12... 137»