COLUNAS ANTERIORES

08/01/2013

05/01/2013

07/01/2013

 


ENQUETE

Com Reni Pereira prefeito Foz do Iguaçu melhora ou piora?

Melhora
Piora

Votar
resultado parcial...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Quarta-Feira 9 de Janeiro de 2013

 

 

DENUNCIE HOMICÍDIOS
0800-643-2977

 

       

"Ao escolher FHC como guru eleitoral, o que Aécio fará se Dilma evitar o racionamento de energia elétrica? Oposição no escuro?" Deputado Federal Vicente Cândido (PT-SP), sobre o tucano ter optado pelo ex-presidente como precursor de sua candidatura ao Planalto em 2014.

ELIAS HERCULANO E O PRESIDENTE DO SISMUFI

 
Dirigentes do Sismufi em reunião com o prefeito eleito (Titio Kossar, o primeiro da esquerda tá em todas).

A atual diretoria do Sismufi (o poderoso sindicato dos funcionários públicos da prefeitura de Foz) esteve reunida com o prefeito Reni Pereira para deglutirem a rebordosa do atraso no pagamento dos salários.  Casca de banana que o Paulo deixou no caminho do Reni.
O Presidente do Sindicato, Valter André Ferreira; o Diretor Jurídico Dr. Marcos Poncio e a Advogada do Sismufi Dra. Kelyn Trento, estivem presentes.

De repente pinta uma saia justa. O jornalista Elias Herculano (da cota do Kossar) aparece  de máquina fotográfica em mão e desanda a tirar fotos da reunião. Tudo dentro da normalidade se não fosse o fato de que, o Valter, presidente do Sismufi, saltou nas tamancas quando viu o Herculano, todo espaçoso, na comunicação social da prefeitura.
Motivo? Ja'foi falado neste espaço.
Elias Herculano, junto com o Oliveirinha, publicaram que o Valter  teria tentado matar o Herculano. É mole? Resultado: Valter representou criminalmente contra a dupla dinâmica. Tá tudo na 2ª vara criminal onde o promotor Renan Gabardo Fava ofereceu a denúncia. Ai, ai, ai...

E o Ronildo ‘passado’ Pimentel que esteve na azedinha nesta segunda-feira, continua na terrinha. Quer ser o jornalista da prefeitura. É ruim, hein?

Pitaco: Foz do Iguaçu tá cheio de excelentes jornalistas, por que trazer de fora? Que tal o doutor Valmir Leal Griten, prefeito? É preparado e bem articulado (desde que se afaste do gordoidão).

MAIS UM NA FILA DO DESEMPREGO

ATO Nº 1260/2012
A COMISSÃO EXECUTIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBA, CAPITAL DO ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais,
R E S O L V E
EXONERAR, a partir de 31 de dezembro de 2012, o servidor SALMIR ZAIDAN LOBATO MACHADO, matrícula nº 8035, do cargo de provimento em comissão de Assessor Parlamentar, Símbolo CC-5.
PALÁCIO RIO BRANCO, 28 de dezembro de 2012.
Joao Luiz Cordeiro: Presidente
Celso Torquato: 1º Secretário
Carlos Henrique Sá de Ferrante: 2º Secretário


CIUMEIRAS

Kossar está com de ciúmes da turma de Curitiba. Ocorre, que o Kossar também é de fora, ora bolas. Ou não é?

PAPAGAIO DO PAULO

Dívida da prefeitura de Foz do Iguaçu em janeiro será de R$ 73,8 milhões

Estudo da equipe técnica do prefeito Reni Pereira levantou dados de despesas (dezembro e janeiro) contra receita do período

A dívida da prefeitura, ao final de janeiro, será de R$ 73,8 milhões. O montante é resultado da somatória das principais dívidas herdadas e a vencer neste mês, que são folha de pagamento de dezembro e encargos (R$ 24,6 milhões); folha de pagamento de janeiro (R$ 18,7 milhões); saúde até dezembro de 2012 (R$ 10,3 milhões); saúde janeiro de 2013 (R$ 6,3 milhões).
Também estão contabilizados débitos com os principais fornecedores em janeiro de 2013 (R$ 5,8 milhões); principais fornecedores até dezembro de 2012 (R$ 3,2 milhões); dívida flutuante – Dívidas anteriores a 2013 com vencimento em janeiro (R$ 1,97 milhões) e repasse à Câmara de Vereadores em janeiro de 2013 (R$ 1,6 milhões).
Outras dívidas levantadas, tais como: precatórios – janeiro de 2013; Pasep – janeiro de 2013; Fundação Cultural – janeiro de 2013; vale transporte – janeiro de 2013 e Centro de Convenções – janeiro de 2013 totalizavam até o dia 3 de janeiro o montante de R$ 1,15 milhões.
Os números acima refletem a situação dos valores apurados até o final da tarde do dia 3 de janeiro (quinta-feira). “A equipe continua com o levantamento das dívidas que poderá alterar o resultado final”, completou o secretário da Fazenda, Ademar da Silva.
Do montante levantado está excluído o déficit atuarial da Fozprev (dívida de curto, médio e longo prazo), reconhecido pelo ex-prefeito em lei, um dia após as eleições, no valor aproximado de R$ 800 milhões. Da Agência Municipal de Notícias

ESPAÇO DO LEITOR

Contribuinte reclama dos serviços prestados na rodoviária de Foz

Bom Dia Língua,

Quero fazer uma sugestão às empresas que operam seus guichês na Rodoviária de Foz, pois na sexta-feira da semana passada estive lá por volta das 5:45 hs da manhã para levar uma amiga para viajar, e um parente para comprar passagem, mas apenas três empresas atendiam
(Princesa dos Campos, Unesul e outra que não me recordo), as demais só começaram a atender por volta das 06:20 hs da Manhã.
Como estava aguardando um parente para comprar passagem esperei até este horário (06h20mi). Considero um descaso, pois desde a hora que cheguei o fluxo era enorme de passageiros.
Sendo assim espero que possam analisar esta sugestão.

MENTIRA TEM PERNA CURTA

“E não é que a “Gazetinha da Tarde” saiu mesmo? E saiu bem, apesar da chuvarada que despencou bem na hora do jornal circular. Na primeira edição emplacamos 20 mil exemplares, assim o povo fica conhecendo o novo implemento de vez” Do Bonato em sua coluna desta terça-feira.

Como veem acima Bonato escreveu que a “gazetinha da tarde” teve tiragem inicial de 20 mil exemplares. Ocorre que no expediente do pasquim informa-se que são 10 mil exemplares diários. Já funcionários do jornaleco dizem que não passou de dois mil exemplares. Portanto, escolha o número que achar melhor.  Tem para todos os gostos.

Pitaco: mitomania não tem cura.
 
REMANEJAMENTO NO JUDICIÁRIO

A doutora juíza Sueli Fernandes da Silva Mohr, que respondeu pela 204ª Zona Eleitoral no último pleito, e também pela 4ª vara criminal da comarca, foi remanejada para Paranaguá.
Ficou em seu lugar no  cartório eleitoral o doutor juiz Marcos Lima que continua a responder, também, pelo 1º Juizado Especial Criminal.
À titularidade da 4ª vara criminal foi para o doutor juiz Ariel Nicolai Cesar Dias.

CANTOR FICOU DE FORA


O carismático Cantor, o homem encarregado de alinhavar as conversas com os vereadores eleitos, ficou a ver navios no governo do Reni Pereira.  Desafinou a cantoria (quem mandou grudar no cazuza?).
Como consolo ganhará o direito de constituir uma empresa para terceirizar mão de obra para a prefa.  Se souber fazer fica rico.

Pitaco: O Luizinho do nanico PTN vai ganhar concorrente. Não era sem tempo...
 
EMPREGO À VISTA

Hospital Municipal contrata Auxiliar de Farmácia para PCD

O Hospital Municipal Padre Germano Lauck, está contratando Auxiliar de Farmácia, exclusivamente para PCD- Pessoas com Deficiência, com carga horária de 180 horas mensais.
Os interessados devem enviar o currículo, anexo ao laudo médico com o número do CID (Código Internacional de Doenças) para o email gestaodepessoas.hmfi@prosaude.org.br
Informações: Setor Gestão de Pessoas
Contato: (45) 3521-1840

 

 

OPINIÃO


* Carlos Eduardo de Santi

Posse irresponsável

 



O primeiro dia útil de 2013 trouxe-me uma mostra da irresponsabilidade que, infelizmente, permeia grande parte da população brasileira. Ao chegar ao Centro de Controle de Zoonoses, um dos setores em que exerço atividades na Prefeitura de Foz do Iguaçu, e realizar a ronda rotineira no canil, notei um gemido insistente de filhotes caninos. Para minha surpresa, havia cinco cãezinhos em uma caixa de papelão dentro de uma das baias, sem a presença materna. A ninhada, abandonada no portão de entrada do CCZ, foi encontrada por um funcionário ao chegar ao trabalho – havia um sexto animal, já em óbito. Não fosse o bastante, todos os animais apresentavam miíase – a popular “bicheira” – no globo ocular, em ambos os olhos. O ato criminoso de abandonar os animais recém-nascidos veio acompanhado da crueldade de permitir o seu sofrimento agudo e profundo.
Mas naquela amanhã, testemunhei ainda duas situações que reforçam cada vez mais a minha convicção de que a posse – ou guarda, como costumamos dizer no meio técnico – de animais de estimação deve ser tutelada pelo Estado.
Naquela manhã, um cidadão procurou o CCZ queixando-se de que o cão de sua propriedade não estava bem, informou-me os sintomas, disse-me que havia comprado um medicamento em uma casa agropecuária cujo vendedor afirmara servir “para quase todas as doenças”, mas não obteve sucesso. Por fim, afirmou que havia gastado muito dinheiro no final do ano e que não dispunha de recursos para um eventual tratamento do animal em uma clínica particular, e assim... Tencionava que o Centro de Controle de Zoonoses desse um destino final ao animal, ou seja, que realizássemos a sua eutanásia (o medicamento “milagroso” recomendado pelo vendedor é um antiparasitário indicado para o tratamento da babesiose, uma doença transmitida pelo carrapato, e o cão sequer estava infestado por carrapatos!).
Pouco depois, circulando pela cidade, fui abordado por outro cidadão que apresentou as mesmas lamúrias do primeiro: possuía um animal que apresentava sintomas genéricos de enfermidade, que havia comprado medicamento em uma casa agropecuária e não obtivera êxito no tratamento (e, claro, alegava não dispor de recursos financeiros para levá-lo a uma clínica veterinária particular). Com o veículo do CCZ parado no semáforo, veio-lhe a luz: que sabe o CCZ não o recolhe e realiza sua eutanásia?!
Esse tipo de atitude, egoísta e irresponsável, de tratar os animais como objetos descartáveis, infelizmente não é exceção em nossa cultura. Por isso vemos tantos cães errantes pela cidade, animais cujos donos não os mantêm presos, e em consequência disso a população corre sérios riscos de sofrer agressões e até mesmo de ver voltar a raiva canina, sob controle em nosso município desde 2003.
O Centro de Controle de Zoonoses, como seu próprio nome indica, tem como objetivo precípuo o controle das zoonoses, ou seja, das doenças transmitidas pelos animais ao homem. Não é competência do Poder Público oferecer tratamento a animais acometidos por patologias clínicas que não ofereçam risco à população e muito menos atuar como agente exterminador de pets por mera conveniência de seus proprietários.
É mister lembrar que o respeito aos animais e a responsabilidade profissional pauta todo e qualquer ato praticado pelos funcionários do órgão, particularmente o dos médicos veterinários, responsáveis pelas decisões e ações a serem tomadas nesses casos, cabendo ressaltar que a eutanásia animal é um procedimento extremo cujo emprego, via de regra, só se justifica quando o bem-estar do animal está comprometido de forma irreversível, sendo um meio de eliminar a dor ou o sofrimento, ou quando o animal constitui ameaça à saúde pública.
Os episódios acima são pertinentes, pois no ano passado a Câmara Municipal aprovou a chamada Lei da Guarda Responsável, que prevê o registro e a microchipagem de toda a população canina e felina de Foz do Iguaçu, prevendo ainda um amplo programa de castração dos pets e a responsabilização civil e criminal dos proprietários em caso de abandono ou negligência com seus animais. Espero que os novos gestores públicos tenham o devido entendimento da importância dessa norma e determinação para torná-la factível ao longo do governo que se inicia.
Por fim, gostaria de lembrar ao cidadão que abandonar ou maltratar animais é crime previsto na Lei de Crimes Ambientais, com pena que varia de três meses a um ano de detenção e multa.


* Carlos Eduardo de Santi é médico veterinário, graduado em Tecnologia da Gestão Pública e pós-graduado em Vigilância Sanitária.