Categorias
outros

Requião Filho alerta para aumentos nas contas de água e luz

Gostaria de saber do Governador Ratinho Jr. o motivo de não barrarmos o aumento das tarifas de água e luz no Paraná? Quem deve pagar essa conta?

Assista

O Estado ainda é acionista majoritário da empresa, tem 60% das ações da Sanepar e poderia muito bem barrar esse absurdo. Qual o motivo de não intervir?

A questão aqui é muito clara: ou o Governador tira mais dinheiro da população para dar aos acionistas, deixando o lucro e as ações da Sanepar mais atraentes pro mercado; ou garante que a população, que já está sofrendo com a pandemia, consiga ao menos pagar as contas de casa.

Não é hora de agradar os amigos, é hora de pensar em quem precisa desses 20, 30, 50 reais para comprar comida.

Imagine você, pequeno empresário, quanto gastaria a mais de água ou luz, não sabendo se amanhã ele estará aberto pela falta de critério do governo do Estado na pandemia.

A política adotada na Sanepar nos últimos anos é de pouco investimento na estrutura e muito lucro para acionistas. Vai ver, o plano é vender a empresa pública, assim como fizeram com a internet da Copel.

Falando em Copel, qual o motivo de aumentar também a conta de luz? Não bastou o balcão de negócios? Não estão satisfeitos em fatiar a empresa para levantar capital? Falta investimento, não aumento, quem aqui não sofreu com a queda de luz cada vez que chove mais forte? A população quer a tranquilidade que chegará o fim do mês e poderá ter luz e água em casa, quer um mínimo de dignidade que você não tem garantido a ela, Governador.

Não me surpreenderia se logo chegasse aqui nesta casa um projeto, com verniz de “modernidade e eficiência”, vendendo uma fatia maior da nossa Sanepar, só para poder ter desculpa que nada pode fazer quanto aos aumentos desarrazoados da tarifa.

Governador, eu quero que você responda, pare de se esconder atrás dos seus secretários, pare de defender os acionistas em detrimento da população do Paraná.

Que tal assim, você esquece seu amor pelos acionistas e eu, em contrapartida, nem questiono um evento anunciando o congelamento da tarifa. Pelo menos assim você dá as caras e não prejudica o povo paranaense.

Não da mais para só aparecer pra receber palmas e na hora do papo de adulto se esconder na salinha.

Por: Requião Filho

PITACO: Governador Ratinho JR é muito fraquinho. Vai ser dificil cumprir a missão do Gilberto Kassab de postular a disputa com o Bolsonato.

Categorias
outros

Prefeitura decreta intervenção no transporte coletivo de Foz do Iguaçu

Em meio à pandemia, passageiros enfrentam lotação de ônibus em Foz do Iguaçu — Foto: RPC/Reprodução

A Prefeitura de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, determinou a intervenção do transporte coletivo. O decreto foi publicado na tarde desta quarta-feira (2) e é válido por até seis meses.

Com a intervenção, o município assume a administração do transporte público municipal.

De acordo com o novo decreto, a intervenção foi necessária porque o Consórcio Sorriso descumpriu as obrigações tributárias, previdenciárias, trabalhistas e estava prestando serviço de má qualidade à população.

O consórcio tinha até esta quarta-feira para ampliar a frota com 30 ônibus após registros de aglomerações no transporte em meio à pandemia. Mas a medida não foi cumprida e a intervenção foi publicada após reunião com as empresas que compõem o consórcio.

O município também nomeou, nesta quarta, o interventor que será responsável pela gestão do serviço.

De acordo com a prefeitura, com a mudança, a prefeitura assume o controle do pessoal, frota, pátio, oficina e garagem utilizados pelas empresas que compõem o consórcio.

O Consórcio Sorriso preferiu não se manifestar.

Intervenção foi decretada nesta quarta-feira (2), em Foz do Iguaçu — Foto: RPC Foz do Iguaçu/Reprodução

Intervenção foi decretada nesta quarta-feira (2), em Foz do Iguaçu — Foto: RPC Foz do Iguaçu/Reprodução

A medida poderá ser revogada antes do prazo apresentado, desde que os problemas com a concessionária sejam resolvidos.

As empresas do consórcio pediam subsídios para não ter prejuízos diante da pandemia do novo coronavírus. Elas alegaram que abririam mão do lucro, mas não queriam mais assumir os prejuízos mensais de cerca de R$ 500 mil, que ocorrem desde o início da pandemia.

Antes da pandemia, 135 ônibus circulavam na cidade para atender cerca de 60 mil passageiros. Até terça-feira (1º), segundo a prefeitura, o consórcio oferecia 73 ônibus para cerca de 27 mil passageiros.

Termina hoje prazo para colocar mais ônibus circulando em Foz
Termina hoje prazo para colocar mais ônibus circulando em Foz

Com G 1 PR

Categorias
outros

Ruína amazônica

Área de desmate, maior em 12 anos, atesta desastre de Bolsonaro, Salles e Mourão

Queimada em área desmatada no município de Humaitá, no sul do Amazonas – Lalo de Almeida – 20.ago.20

Em lugar de Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente responsável por políticas de preservação (em realidade, seu desmonte), a encenação no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) foi comandada por Hamilton Mourão, vice-presidente da República à frente do Conselho da Amazônia.

Se Salles não pode aparecer, o mais correto seria o presidente Jair Bolsonaro demiti-lo.

Mourão disse não haver o que comemorar nos 11.088 km² de devastação. De fato, o dado representa quase o triplo da meta no Plano Nacional de Mudança Climática (3.925 km²) e, na prática, inviabiliza compromisso que o país assumiu no Acordo de Paris.

Trata-se da maior cifra desde 2008, a segunda com cinco dígitos sob Bolsonaro e a primeira inteiramente em sua alçada, já que abarca o período de agosto de 2019 a julho de 2020. Não há como isentar-se de responsabilidade.

Muito menos se sustenta a narrativa delirante que nega haver destruição, atribuindo a reação doméstica e internacional a uma conspiração contra o Brasil. Enquanto o general faz mesuras, Salles avança com a missão de manietar Ibama e ICMBio, que teriam meios, experiência e atribuição legal para proteger a floresta.

Assim como no fracasso do combate à pandemia com um general no Ministério da Saúde, Bolsonaro põe as Forças Armadas na linha de tiro transferindo-lhes a contenção da crise amazônica.

Mourão sustenta que a situação melhora, agarrando-se à desaceleração do incremento no desmate (em 2019 a taxa havia sido de 34%), mas não existe cortina de fumaça retórica capaz de camuflar um polígono de 110 km por 100 km.

Com esses 11.088 km² de floresta derrubada, cruza-se o limite inferior da margem projetada por cientistas (20% a 25%) para que o bioma entre em colapso, com a interrupção da turbina de umidade que o sustenta e garante chuvas para a maior parte do setor agrícola.

No ritmo atual, tal desastre pode tornar-se a grande e nefasta obra de Bolsonaro na Amazônia.

Categorias
outros

INTELIGÊNCIA INAPTA

A segurança pública do país mostra, a cada dia, que seu setor de “inteligência” é pouco ou nada efetivo. Ações coordenadas do crime, esse sim organizado, desnudam a incompetência do Estado em proteger os cidadãos e o patrimônio, seja público ou privado. As recentes cenas hollywoodianas das ações em Santa Catarina, no Paraná e no Pará, em menos de 72 horas, comprovam o sucateamento e a falta de mão de obra capacitada do setor responsável por se antecipar às grandes ações da bandidagem. Pego sempre com as calças arriadas, as forças policiais demoram para dar resposta firme, contundente, daquela que tenha a capacidade de desmotivar os criminosos. Ao contrário, a lerdeza e a incompetência incentivam os bandoleiros à prática de novas ações por parte do que já é chamado de “cangaço moderno”. O que se vê são os bandidos fortemente armados, a população desarmada e o Estado desestruturado, sem competência para frear a onda de ataques às agências bancárias. De organizado neste país só mesmo o crime, dentro e fora dos palácios.

 

Categorias
outros

FARRA COM DINHEIRO PÚBLICO

O Ministério Público do Estado do Mato Grosso vai gastar a bagatela de R$ 2.200.000,00 para comprar 280 aparelhos telefônicos das marcas iPhone (modelo 11 Pro Max) e Samsung (Galaxy Note 20 Ultra 5G e Galaxy S10). O processo licitatório foi concluído no último dia 19 de novembro. Desta notícia, que circulou em todos os veículos da imprensa tupiniquim, surgem várias perguntas: porque raios o Ministério Público tem que comprar iPhones para seus membros, os quais são regiamente e muito bem pagos? Porque a Conselho Seccional do Mato Grosso da Ordem dos Advogados do Brasil não ingressou com uma ação judicial para questionar essa licitação tão esdrúxula? Algum cidadão mato-grossense já buscou o judiciário, por meio de uma Ação Popular (Lei nº 4.717, de 29 de junho de 1965), para questionar a validade deste ato lesivo ao patrimônio público e à moralidade administrativa? O brasileiro precisa sair do discurso fácil das redes sociais e partir para o questionamento no judiciário, e a ação popular é um santo remédio para essas e outras situações semelhantes que dilapidam os cofres públicos.

 

Categorias
outros

Sistema de saúde de Foz está muito próximo do colapso, alerta diretor do Samu

“Sistema já transbordou, e agora já está gota a gota, pronto para derramar” alerta o Dr. Moisés Carvalho dos Santos.

O sistema de saúde de Foz do Iguaçu está próximo ao colapso. A informação foi confirmada à Rádio Cultura pelo diretor do Samu, o médico Dr. Moisés Carvalho dos Santos. “Dois, três, pacientes a mais o sistema pode entrar em colapso total” alertou.

Segundo Santos, o Samu já está com a capacidade máxima de atendimento. “No momento, (por volta das 11h20) só tem uma viatura na base, todas as outras estão na rua” salientou. “Já passamos do limite de atendimento, as equipes já estão trabalhando bastante desgastadas devido ao número de atendimento, estressadas” ponderou.

De acordo com o médico, o foco do atendimento tem sido apenas pacientes de Covid-19. “O foco do nosso atendimento são os pacientes de Covid, com Covid, com sequelas de Covid, suspeito de Covid” disse. Além disso, ele destaca que os pacientes com outras comorbidades estão chegando em estado mais grave porque estão demorando mais para buscar atendimento.

“Eles refutam em procurar atendimento, por receio de pegar a Covid-19 na unidade de saúde. Essa situação é bastante preocupante, porque além da Covid estar recrudescendo, os casos de outas doenças, são casos mais graves também” lamentou.

O médico também destaca que além da falta de leitos, o sistema também está sentindo a falta de profissionais. “Nossos profissionais estão se contaminando com a Covid-19. Vários profissionais estão se contaminando, bem nesse momento que a pandemia está recrudescendo. Isso é muito importante, é muito significativo, porque diminui o tamanho da equipe de atendimento, e dificulta e causa demora no atendimento do paciente que precisa.

“Estamos em uma situação no limite, ainda estamos conseguindo colocar o doente no leito em situação grave, mas o sistema já transbordou, e agora já está gota a gota, pronto para derramar” disse.

O médico apela para que as pessoas evitem aglomerações. “Cada vez que eu saio para atendimento a noite, vejo grandes aglomerações, isso traz uma grande preocupação para nós” disse. “Agora nesse momento não tem que sair pra rua, fica mais isolado, não vai fazer aglomeração, não é momento de festa” advertiu.

 

Categorias
outros

O PODER DAS VERDINHAS…

De Daniel Zukko, no Jornal de Brasília.

Categorias
outros

Prefeito eleito de cidade do Paraná é preso por contrabando

Nesta terça-feira (1), o prefeito eleito de Ivaté, Denilson Prevital (MDB) e o pai dele, Valdecir Prevital, foram presos na Operação Zephiros, que investiga contrabando de cigarros e agrotóxicos na região. 

Denilson se candidatou ao cargo de prefeito após seu pai, Valdecir, desistir de concorrer à prefeitura. Além deles, mais três pessoas foram presas na operação.

De acordo com os advogados do prefeito e do pai, até o momento não tiveram acesso aos documentos que decretam a prisão, e que assim que forem habilitados no processo eles poderão “contestar as supostas evidências e comprovar a inocência” de ambos.

A Polícia Federal não detalhou qual a suspeita de envolvimento de Denilson e Valdecir nos crimes investigados.

Com G 1 PR

 

Categorias
outros

MAIS UM DESEMPREGADO NA PRAÇA

Geraldo Biesek dirigiu o hospital municipal de Foz do Iguaçu

Decreto 6260 – 24 de Novembro de 2020

Publicado no Diário Oficial nº. 10817 de 24 de Novembro de 2020

Súmula: Exonera GERALDO GENTIL BIESEK, do cargo, em comissão, de Diretor – Símbolo DD-1, da Secretaria de Estado da Saúde.

O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições e tendo em vista o contido no protocolado sob nº 17.071.701-5,

DECRETA:

Art. 1º Fica exonerado, a pedido, GERALDO GENTIL BIESEK, RG nº 3.177.159-5, do cargo, em comissão, de Diretor – Símbolo DD-1, da Secretaria de Estado da Saúde.

Art. 2º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Curitiba, em 24 de novembro de 2020, 199º da Independência e 132º da República.

Carlos Massa Ratinho Junior
Governador do Estado

Guto Silva
Chefe da Casa Civil

Carlos Alberto Gebrim Preto
Secretário de Estado da Saúde

PITACO: Geraldo Biesek foi diretor do hospital Municipal Padre Germano Lauck ocasião em que foi preso pelo operação Pecúlio. Na administração Reni Pereira.,Continua respondendo ao processo.