Arquivo mensais:novembro 2016

Charles Bortolo celebrou delação premiada na Pecúlio

download

Charles Bortolo, ex-secretário de Saúde, e um dos presos mais longevos da operação Pecúlio, deixou a cadeia na semana passada graças a delação premiada que realizou no âmbito do processo.  Este registro está nos autos, entretanto, o teor da delação ainda não foi disponibilizada. Assim, Bortolo tornou-se um homem livre, nem tornozeleira precisará mais usar. Quanto aos que ele denunciou, aguardemos, com muita expectativa.

PECÚLIO NESTA QUINTA

Nesta quinta (1/12) voltam os interrogatórios de três réus da Pecúlio. Um deles é o Luis Carlos, o “Cal” que permanece preso. O outro preso é o Walter Schroeder Junior. O pai saiu, ele não.

TELES EM NOVO ENROSCO

A polícia civil da fronteira abriu inquérito para apurar o sumiço dos equipamentos oftalmológicos doados pela Receita Federal ao Município. Procura daqui, procura dali, e Bingo! encontram dois destes equipamentos amontoados na sede da UMANFI – União dos moradores de Foz do Iguaçu – presidida pelo Ademilton Teles, o “Teles”,  que foi ver o sol nascer quadrado em Curitiba. Entretanto, contudo, todavia, falta achar muito mais aparelhos doados, não foram só dois. Uma sugestão: Indagar do Charles Bortolo se ele sabe dizer aonde foi parar as traquitanas, afinal, era o secretário de Saúde  quando os fatos ocorreram, e que foram denunciados por este despretensioso blog. Segundo se sabe o custo destes equipamentos é da ordem de um milhão de reais.

 

Avião que caiu com Chapecoense fez pouso no DF sem avisar torre

Caso aconteceu no dia 5 de outubro, no Aeroporto Juscelino Kubitschek

O avião com prefixo CP-2933 da empresa Lamia, o mesmo que caiu e matou a delegação da Chapecoense na madrugada desta terça-feira (29), fez um pouso no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, sem comunicar as autoridades brasileiras. O caso aconteceu no dia 5 de outubro.

De acordo com o blog Matheus Leitão, do G1, a aeronave aterrissou no Distrito Federal para reabastecer, mas sem avisar a torre de controle do aeroporto e muito menos o serviço de apoio do terminal. Na ocasião, o voo trazia a seleção da Bolívia ao Brasil para jogar uma partida válida pelas eliminatórias da Copa do Mundo, em Natal, no dia seguinte.

Como o aeroporto não fora avisado, o atendimento à delegação aconteceu em caráter emergencial, com apoio da Polícia Federal e da Receita. Ainda de acordo com o blog Matheus Leitão, o caso foi classificado por investigadores como “amadorismo”

 

PUNIÇÃO

Dos 30 deputados federais paranaenses, 27 votaram na emenda aditiva ao substitutivo do projeto de lei 4.850/2016 (10 Medidas contra a Corrupção), que prevê punição a juízes e promotores, que podem responder por crime de responsabilidade e abuso de autoridade a partir da sanção da lei.

No total foram 313 votos a favor e 132 contra e dos paranaenses, 15 foram contrários à punição e 12 favoráveis, sendo que 3 faltaram à votação – Sergio Souza (PMDB Ivaiporã), Hermes Parcianello (PMDB Cascavel) e Osmar Bertoldi (DEM Curitiba).

Votaram contra a punição:
Alex Canziani (PTB)
Aliel Machado (Rede)
Christiane Yared (PR)
Diego Garcia (PHS)
Fernando Francischini (SD)
Leandre (PV)
Leopoldo Meyer (PSB)
Luciano Ducci (PSB)
Luiz Carlos Hauly (PSDB)
Luiz Nishimori (PR)
Marcelo Belinati (PP)
Reinhold Stephanes (PSD)
Rubens Bueno (PPS)
Sandro Alex (PSD)
Toninho Wandscheer (Pros)

A favor da punição:
Alfredo Kaefer (PSL)
Assis do Couto (PDT)
Dilceu Sperafico (PP)
Edmar Arruda (PSD)
Enio Verri (PT)
Evandro Roman (PSD)
Giacobo (PR)
João Arruda (PMDB)
Nelson Meurer (PP)
Osmar Serraglio (PMDB)
Takayama (PSC)
Zeca Dirceu (PT)