Arquivo mensais:novembro 2016

Luto no futebol e na imprensa: jogadores e 22 jornalistas morrem em acidente aéreo

Na noite de segunda-feira, 28, o avião que transportava o time da Chapecoense a Medellín sofreu um acidente e caiu na Colômbia. A aeronave transportava 81 pessoas, entre elas jogadores, dirigentes esportivos e 22 jornalistas.

De acordo com as autoridades colombianas, há 75 mortos e seis sobreviventes. Da imprensa, apenas o repórter Rafael Henzel, da rádio Oeste Capital, de Chapecó (SC), sobreviveu. Para a cobertura do jogo que seria realizado nesta quarta, 30, a Fox Sports Brasil enviou equipe completa junto com a delegação do time catarinense. Os seis profissionais enviados pela emissoras não sobreviveram ao acidente, assim como o trio da TV Globo e o quarteto escalado pela RBS. Jornalistas de rádios de Santa Catarina também acompavam o time.

A delegação da Chapecoense, que contava com os dois assessores de imprensa do clube, viajava para Medellín, onde o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional. O grupo viajou do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, em outro avião, fazendo conexão em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. No local, teriam trocado de aeronave para a da companhia boliviana Lamia, que perdeu o contato com a torre de controle em uma região montanhosa no município de La Ceja, perto de Medellín, no noroeste da Colômbia.

De acordo com as informações locais, o avião estava a apenas cinco minutos de voo do aeroporto mais próximo, mas o piloto decidiu arriscar o pouso antes, tendo, inclusive, esvaziado os tanques de combustpivel para evitar explosão.

Veja, abaixo, a lista de profissionais da imprensa que não sobreviveram:

FOX SPORTS
Deva Pascovicci – narrador
Lilacio Pereira Jr – produtor
Mario Sérgio – comentarista
Paulo Julio Clement – comentarista
Rodrigo Santana – cinegrafista
Victorino Chermont – repórter

TV GLOBO
Ari Júnior – cinegrafista
Guilherme Laars – produtor
Guilherme Marques – repórter

RBS TV
Bruno Mauri da Silva – técnico de externas
Djalma Araújo Neto – cinegrafista
Giovane Klein – repórter

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA CHAPECOENSE
Cleberson Silva
Gilberto Tomás

DIÁRIO CATARINENSE
André Podiacki – repórter

GLOBOESPORTE.COM
Laion Espindula – repórter

RÁDIO SUPER CONDÁ DE CHAPECÓ
Edson Ebeliny
Gelson Galiotto – narrador

RÁDIO OESTE CAPITAL DE CHAPECÓ
Renan Agnolin – repórter

RÁDIO CHAPECÓ
Douglas Dorneles – repórter
Fernando Schardong
Jacir Biavatti

Parecer da Comissão arquiva projeto que transfere recursos da Educação para o Fundo dos Procuradores

Por 9 votos favoráveis e um contra, o PL 65/2016 não prosperou no Legislativo e a dotação orçamentária de R$ 510 mil permanece na Educação.
Os parlamentares iguaçuense seguiram o parecer contrário expedido pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação, ao Projeto de Lei 65/2016, de autoria do Poder Executivo que solicitava a autorização do Legislativo para proceder à abertura de um crédito adicional especial, no valor de R$ 510 mil ao Orçamento Geral do Município para atender ao pagamento de honorários advocatícios dos procuradores Gerais do Município.
Se fosse aprovado, o recurso seria retirado da Secretaria Municipal da Educação e aportado no Fundo Municipal dos Procuradores. Desde quando o projeto adentrou à Casa de Leis para ser apreciado pelos Vereadores, o mesmo já vinha obtendo interpelações contrários de diversos parlamentares.
Na sessão extraordinária desta terça, 29, o parecer assinado pelos Vereadores que compõe a Comissão de Legislação, Justiça e Redação, chegou ao plenário com a observação da “ilegalidade”. No parecer, a comissão entende que “os honorários advocatícios de sucumbência não equivalem à verba desembolsada pelos cofres públicos em favor do advogado. Ou seja, a referida verba não advém do erário público, em virtude de que é solvida pela parte que teve afastada as suas pretensões judiciais/ parte vencida no processo”, cita o parecer.
Diante desta explanação da Comissão, os demais vereadores entenderam que o projeto não poderia prosperar e votaram a favor do parecer e posterior arquivamento do PL 65/2016. “Lembro quando votamos a criação deste Fundo, o qual votei contra. É no mínimo constrangedor insistir na tese de pagar honorário aos Procuradores. Não estou discutindo a competência deles, boa parte é de trabalhadores” disse Bobato ao defender a tese de que a “incompetência desta gestão comprova a criação de um projeto como este”, ressaltou.
O parlamentar destacou ainda que o que o Executivo estaria fazendo “é remanejando uma verba orçamentária que sequer existe”, finalizou Bobato.
Nas considerações exaradas pelo Instituto Brasileiro de Administração Municipal – IBAM, a matéria é ilegal porque a “verba não é contabilizada como receita pública, ou seja, é verba extra orçamentária, razão porque não haveria legitimidade na tramitação da proposta”, destaca o parecer.
Para o Vereador Dilto Vitorassi (PV), que votou favorável ao parecer “não é justo tirarmos dinheiro dos necessitados para passar aos afortunados. A cidade de Foz fez dobra na jornada de trabalho dos Procuradores sem fazer concurso público, porque se tivesse feito ficaria mais barato. Agora vem os advogados querer dizer que a verba de sucumbência vai para um caixa e ser rateado entre eles. Esses caras deveriam ter vergonha na cara”, destacou o parlamentar ao fazer o uso da tribuna.
O parecer foi aprovado pela maioria dos parlamentares, recebendo nove votos a favor do parecer e apenas o voto do Vereador Marino Garcia (PEN) que não acompanhou o voto dos demais. Os vereadores Anice Nagib Gazzaoui, Darci DRM, ambos do PTN e o vereador Zé Carlos (PMN) não compareceram à sessão extraordinária. Com a manutenção do parecer contrário, o projeto foi arquivado pela presidência.

Tragédia da Chapecoense: todos os 71 corpos já foram resgatados

No avião estavam 77 pessoas. Seis delas sobreviveram ao desastre e foram internadas

O Globo 

Equipe de resgate trabalha nos destroços do avião que levava a Chapecoense – RAUL ARBOLEDA / AFP 

BUENOS AIRES – A equipe de resgate concluiu os trabalhos de remoção dos corpos das vítimas no local da tragédia do voo da Chapecoense. Todos os 71 corpos foram retirados. Na aeronave havia 77 pessoas, entre jogadores, dirigentes, membros da comissão técnica do time, convidados, jornalistas e tripulação. Seis sobreviveram e estão internadas. Inicialmente a lista do voo tinha 81 nomes, mas quatro passageiros não embarcaram.

Segundo informou ao GLOBO o general Jorge Nieto, diretor geral da Polícia Nacional da Colômbia, que está desde a madrugada no lugar onde ocorreu o acidente, só um corpo ainda não tinha sido trasladado à cidade de Medellín, por volta das 18h (horário de Brasília).

Lá, com base em informações de impressões digitais fornecidas pela Interpol, serão identificados e entregues aos familiares.

Segundo Nieto, os primeiros 58 cadáveres encontrados “estavam numa posição mais fácil, os restantes estão debaixo de algum pedaço da aeronave”.

— Já pedimos as informações necessárias à Interpol para poder fazer as identificações. Deve ser realizado um trâmite no setor de Medicina Legal, mas calculo que a partir de amanhã já começaremos a entregar os corpos a seus familiares — disse o Diretor da Polícia Nacional da Colômbia.

Nieto assegurou que os corpos já encontrados “estão num estado que permite seu fácil reconhecimento”.

— Este é um acidente lamentável, poucas vezes vivemos uma situação assim em nosso país. As causas ainda estão sendo analisadas, até o momento o que temos são apenas hipóteses — apontou o general.

CAIXAS-PRETAS

As caixas-pretas do avião foram encontradas em perfeitas confdições, de acordo com a Aeronáutica Civil da Colômbia. O órgão tem usados as redes sociais para atualizar as informações sobre a tragédia. As caixas-pretas devem ajudar a entender as causas que levaram ao acidente com o avião que levava a equipe da Chapecoense, membros da comissão técnica e jornalistas.

A CRONOLOGIA DA TRAGÉDIA:

Colunista político sofre atentado em Paranaguá

Do Fernando Tupan

atentado

Diário do Estado

A residência do colunista político Wilson Cordeiro, do jornal Impacto Paraná, foi alvo de tiros disparados por homens em um automóvel VW Gol por volta das 20h30 da noite deste domingo (27). Segundo as informações da Polícia Militar, o veículo tem a cor vermelha e não possui placas.

Wilson, conhecido também como Grilo, escreve semanalmente a coluna “Ondas Litorâneas”, onde expõe opiniões e revelações sobre políticos locais. Pelas redes sociais ele informou que ninguém ficou ferido, mas seu carro foi alvejado pelos tiros. Na residência dele, onde aconteceu o atentado, é ponto de encontro entre empresários e personalidade que acompanham o trabalho do jornalista.

A PM e a Guarda Municipal atenderam a ocorrência e fazem buscas na cidade para tentar localizar os suspeitos pelo crime. Informações podem ser repassadas através do telefone 190. O sigilo é garantido.

A pergunta: quais foram os projetos apresentados por Ratinho? NENHUM

images-3
O sonho de consumo do Ratinho Júnior: substituir Beto Richa no governo do Estado em 2018. Só falta combinar com os russos…

No encontro estadual do PSC neste sábado com os 41 prefeitos, 33 vices-prefeitos e 307 vereadores eleitos em outubro, o deputado Ratinho Junior (PSC) pediu aos novos gestores bons projetos que podem ser viabilizados nos governos estadual e federal. Segundo Ratinho Junior, secretário de Desenvolvimento Urbano do Paraná, não há falta de recursos, mas, sim de projetos. “Existe uma grande carência de projetos, por isso os recursos não saem”, disse Ratinho. Ele disse ainda que a Sedu está pronta e aberta para assessorar aos Prefeitos na elaboração dos projetos de forma correta para agilizar a tramitação e a liberação dos recursos.