Arquivo mensais:dezembro 2016

Feitiços delatados

vudu_02

Mary Zaidan

Desde setembro de 2014, quando o juiz Sérgio Moro homologou a primeira delação premiada da Operação Lava Jato, a de Luccas Pace Júnior, assessor da doleira Nelma Kodama, todas as delações vêm a público, algumas até antes de serem oficializadas, protagonizando o escândalo da semana.

Nesse período, 70 réus viraram delatores, e outros quase 100, entre eles os 77 executivos da Odebrecht, começaram a falar. E, fora a estranha anulação do pré-acordo de Léo Pinheiro, da OAS, peça-chave para a investigação dos casos envolvendo o ex-presidente Lula, as delações têm sido utilíssimas para desbaratar as teias de corrupção que capturaram o Estado brasileiro.
Leia Mais »

A farra dos marajás

Mais de 5 000 servidores federais recebem além do limite legal. A diferença daria para pagar por um mês a 400 000 aposentados que ganham salário mínimo

VEJA da semana

Desde a década de 80, quando um político alagoano se lançou no cenário nacional com a fantasia de “caçador de marajás”, o Brasil tenta acabar com a praga dos supersalários de uma minoria de servidores públicos. Até hoje, não deu certo. Na semana passada, o Senado deu um passo importante nessa direção ao aprovar um pacote de três projetos que passa a incluir no teto constitucional (33.763 reais mensais) a maioria dos penduricalhos desse grupo.

Um levantamento de VEJA entre todos os funcionários públicos da ativa do Judiciário, do Executivo e do Legislativo federais mostra o tamanho do problema. A pesquisa identificou os 5.203 servidores que ganharam acima do teto em setembro. O prejuízo aos cofres públicos chega a 30 milhões de reais em um único mês. E isso sem contar aposentados, pensionistas, nem os três poderes nos níveis estadual e municipal. A diferença de 360 milhões de reais por ano daria para pagar por um mês a 400.000 aposentados que ganham o salário mínimo. Repetindo: 400.000.

Nos casos mais gritantes, um único servidor chegou a receber mais de 100 000 reais em um mês. Despontam entre os marajás figuras como o ministro do Planejamento, Dyogo de Oliveira. O drible no teto constitucional ocorre, na maior parte das vezes, em razão de uma miríade de benefícios.

Pezão teve festas de réveillon pagas por Cabral

Pezão se hospedou no Hotel Portobello, em Mangaratiba, em pelo menos três ocasiões, com gastos de cerca de R$ 40 mil somente em diárias

O atual governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, pode estar em más lençóis. É que o ex-administrador estadual, Sérgio Cabral, bancou quatro festas de fim de ano de Pezão, de 2009 a 2012. Ele se hospedou no Hotel Portobello, em Mangaratiba, em pelo menos três ocasiões, com gastos de cerca de R$ 40 mil somente em diárias.

De acordo com informações do jornal O Globo, só a referência a pagamento feito por Cabral, nas notas anexadas a um dos processos decorrentes da Operação Calicute, no ano de 2010: R$ 5.660. Pezão informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não iria se pronunciar.

Entre os hóspedes que estiveram no resort na lista de Cabral, estão outros presos na Operação Calicute, como o ex-secretário de Obras, Hudson Braga, e Luiz Carlos Bezerra.

 

Documentário brasileiro sobre vida na Síria leva 2 prêmios em Hollywood

‘Faces de um Conflito’ foi finalizado em uma produtora de São Carlos (SP).

Curta foi premiado como melhor documentário estrangeiro e melhor diretor.

Carol Malandrino* Do G1 São Carlos Araraquara

Produtora ganha prêmio no exterior com documentário (Foto: Arquivo pessoal)Produtora Natália Tavares e o diretor André Auler com o prêmio nos EUA (Foto: Arquivo pessoal)

Um documentário brasileiro que mostra a experiência de um fotojornalista na Síria ganhou na última semana nos Estados Unidos dois prêmios no Hollywood International Independent Documentary Awards, nas categorias de melhor documentário estrangeiro e melhor diretor. ‘Faces de um Conflito’ foi finalizado em São Carlos (SP) pela Deeper Produções (veja o trailer oficial).

Relação dos conduzidos coercitivamente nas fase VI da operação Pecúlio

OPERAÇÃO PECÚLIO, com o objetivo de assegurar a colheita de provas, afastando os  riscos de ocultação e destruição de elementos de informações úteis à investigação e evitar fuga antes de sua formal vinculação ao juízo; e, a condução coercitiva de…

ADAILTON AVELINO,
ADELIR DINIZ DA ROSA,
ALEXANDRE ANTONIO CARLOS NARDI,
DILTO VITORASSI,
EDISON ROBERTO BARDELLI,
EDUARDO VIGA,
ELCIO ANTONIO BARDELI JUNIOR,
ELOI SENE,
ÉRICO DA ROSA MARQUES,
EVANDRO FREIRE,
EVERSON CADAVAL MADRUGA,
FABRICIO VIDAL,
FLAVIO EISELE,
FAISAL AHMAD JOMAA,
GESSANI DA SILVA,
GIANCARLO TORRES,
ISMAEL COELHO DA SILVA,
JEFERSON ANTÔNIO AGUIAR,
KETLIN LAERTES JUSTINO DE OLIVEIRA FILHO,
MARCOS GOBBO,
MARIA LETÍZIA JIMENEZ ABBATE FIALA,
MAURÍCIO IOPP,
MICAEL SENSATO,
NEURA SCHSSLER,
NEY ZANCHETTI,
ODAIR JOSÉ SILVEIRA,
PATRÍCIA GOTTARDELLO FOSTER RUIZ,
RAMON JOÃO CORREA,
RENAN AUGUSTO BAEZ,
RICARDO CUMAN,
ROGÉRIO CALAZANS,
ROSANGELA SCHUSTER,
ROSE LOCKS,
ROSINALDO LUZIANO DOS SANTOS,
RUBIA DE OLIVEIRA,
RUI OMAR NOVICKI JUNIOR,
SALETE TONELO,
SANDRO MAZALI,
SÉRGIO PAULO DE OLIVEIRA.
e VANDERLEI ALMAGRO, ….

 

 

 

Denúncia do MPF no âmbito da operação Pecúlio

Este despretensioso blog disponibiliza para os seus 17 leitores a denúncia, na íntegra, do MPF sobre a Operação Pecúlio. Tem um monte de figurinhas carimbadas (e algumas não carimbadas) da fronteira que vai deixar você de queixo caído.
Tem que ter paciência para ler na íntegra porque é um senhor catatau. Gente que você nem imaginava ficou “embaraçado” na Pecúlio, que pelo visto, não vai deixar pedra sobre pedra na terrinha aonde o rabo abana o cachorro… Clique no link abaixo:

 doc-20161218-wa0007

FUGA

A senadora Gleisi Hoffmann, eleita em 2010 pelo estado do Paraná, mas que efetivamente nunca serviu ao povo paranaense, desta feita resolveu romper todos os laços com os seus eleitores.

Gleisi não irá mais a Curitiba ou a qualquer outra cidade do estado.

A senadora já providenciou a sua mudança definitiva para Brasília, inclusive com a matrícula dos seus filhos em uma escola para abastados residentes na Capital Federal.

A decisão ocorreu após ter sido vitima de manifestações de repúdio no aeroporto de Curitiba.

A rigor, Gleisi nunca serviu o povo paranaense. Foi eleita para atuar em favor de um projeto espúrio de poder e de enriquecimento ilícito de seus integrantes.

Veja abaixo o vídeo com a acalorada recepção da senadora petista no aeroporto Afonso Pena, que motivou a sua decisão de fixar residência na Capital Federal e só retornar ao Paraná para a disputa do pleito de 2018, quando deverá candidatar-se a deputada federal, com o único objetivo de manter o seu ‘foro privilegiado’.

Juiz acusado de envolvimento em esquema milionário de propina tem bens bloqueados

Juiz de Direito Luiz Carlos Boer é acusado pelo MP de envolvimento em esquema de propina milionária - Foto: Reprodução/MassaNews
Juiz de Direito Luiz Carlos Boer é acusado pelo MP de envolvimento em esquema de propina milionária – Foto: Reprodução/MassaNews
A Vara da Fazenda Pública de Porecatu (norte do Paraná) acatou pedido de liminar do Ministério Público e bloqueou os bens do juiz de Direito Luiz Carlos Boer, acusado de enriquecimento ilícito e lesão ao erário público. Na ação constam também o nome de três prefeitos, uma usina, uma cooperativa, sócios de um escritório de advocacia e um assessor jurídico.

Conforme as investigações do Ministério Público, Boer atuou por décadas em um esquema de favorecimento em decisões judiciais mediante pagamento de propina.

De acordo com denúncia do MP, o assessor Valdir dos Santos fazia as petições iniciais, encaminhava ao escritório do advogado Osvaldo Pessoa Cavalcanti, que entravam com as ações no Fórum de Porecatu. “O juiz conduzia o processo de maneira impressionante. Se era de interesse do cliente do advogado, o processo voava. Se o cliente fosse ré, o processo parava”, afirma o promotor Renato de Lima Castro.

O MP acrescenta que o esquema também envolvia a Usina Central do Paraná, beneficiada com o impedimento de penhora de bens em execuções fiscais e ações trabalhistas.

Em troca, a usina teria pago o tratamento de câncer da filha do juiz no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, além de bancar a compra de materiais de construção para a construção de uma casa para o magistrado, além da reforma e mobília do gabinete e reforma do Fórum de Porecatu.

Com o site MassaNews