Eike, o mágico


Do ex-secretário estadual de Planejamento, professor Danilo Cunha (PMDB), sobre as graves denúncias envolvendo Eike Batista:  “Eike, o capitalista mágico, que só o era por utilizar dinheiro público, dado por Lula, Dilma, Sérgio Cabral, Mantega etc. Com essa “competência “, até bicheiro faria melhor Os amiguinhos do PT e de Cabral são muito eficazes… no roubo.”

Saúde: visitas frustrantes a SC

Dirigentes da Associação e Federação de Hospitais de Santa Catarina e diretores de hospitais filantrópicos saíram frustrados da reunião com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, e com o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi. Anunciada com muita expectativa de que seria marcada de atos concretos do setor saúde, a reunião no Conselho Regional de Contabilidade teve um balanço decepcionante.
O ministro falou durante mais de uma hora, fez um balanço dos 200 dias de gestão na pasta, destacou o esforço do Fórum Parlamentar Catarinense em aprovar emendas para a saúde no orçamento de 2017, mas nada que trouxesse alento aos hospitais filantrópicos. Ao contrário, chegou a afirmar que estes hospitais devem ser mantidos pelas comunidades e não pelos governos.Jogou uma ducha de água fria sobre os diretores ali presentes, sobretudo, porque a grave crise financeira do setor foi provocada pelo congelamento das tabelas do SUS há 12 anos.A presença do presidente da Caixa pouco acrescentou. As linhas de financiamento que lançou no evento decepcionaram os diretores. Ele apresentou taxas de juros de 1,7% ao mês, consideradas inviáveis para a maioria dos hospitais.O presidente da Federação dos Hospitais Filantrópicos (Fehosc), Hilário Dalmann, chegou a questionar o presidente da CEF: “Por que a saúde tem que pagar juros tão elevados se o setor automotivo e a agricultura pagam a metade do que está sendo oferecido?”E enfatizou que “esta taxa precisa ser revista”.

FONTE 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *