Arquivo mensais:março 2017

Jornalista acusa senador Lasier Martins de agressão

 A jornalista Janice Santos, mulher do senador Lasier Martins (PSD-RS), afirma ter sido agredida pelo marido em meio a uma discussão na terça-feira, 28. A profissional prestou queixa na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), na quadra 204 sul de Brasília, e realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). As informações são do Correio Braziliense.

Janice Santos acusa o parlamentar de lesão corporal e injúria. Ela diz que essa não foi a primeira vez que sofreu agressões de Lasier Martins, mas nunca havia procurado a polícia. O senador nega as acusações e afirma que apenas “reagiu para se defender”. O político é ex-jornalista e atuou na RBS TV, afiliada da Rede Globo no Rio Grande do Sul, por mais de 20 anos. Segundo ele, Janice teria tentado agredi-lo com objeto de metal. Além disso, o congressista alega que ela própria se feriu para forjar a situação criminosa.

Janice Santos fala em mais agressões

O casal está em processo de separação. Como testemunha do depoimento prestado à Polícia Civil do Distrito Federal, a jornalista levou a empregada doméstica da residência, que teria presenciado a cena de agressão. Ao denunciar o caso, Janice Santos garantiu que o senador é um homem “violento e agressivo”. Ela afirmou que sofreu chutes nas pernas e que segurava um porta-joias no momento da briga e teve a mão pressionada contra o acessório, o que também deixou lesões aparentes.

No depoimento, Janice Santos declarou, ainda, que foi xingada e humilhada pelo marido mais de uma vez. “Dizia que eu era burra, que não entendia nada de política, apenas de moda”, além de chamá-la de “chantagista e paranoica”. Em outra briga, logo após ela ter passado por processo cirúrgico na barriga, ele teria chutado a região recentemente operada.

Argumentação de Lasier Martins

Ainda segundo o Correio Braziliense, Lasier Martins confirmou que está em processo de separação e disse que a jornalista quer “chantageá-lo” com “denúncias falsas”. “Ela partiu para cima de mim e eu apenas reagi para me defender, sem agredi-la”, disse o político. “Ela mesmo se cortou e passou sangue em mim. Ela é louca. Está me chantageando por conta do divórcio. Não tenho dúvida de que a polícia vai apurar o caso e concluir que não fiz absolutamente nada”, prosseguiu o parlamentar.

O senador também falou sobre o comparecimento da empregada doméstica à delegacia. Segundo ele, apesar de ter ido à Deam, a doméstica se recusou a ser testemunha, “pois sabe que é tudo mentira”. Lasier Martins disse, ainda, que a funcionária o procurou em seu gabinete para dizer que havia se recusado a mentir para a delegada.

Na fan page do parlamentar, a a penúltima publicação – veiculada na quarta-feira, 29 – recebeu diversos comentários negativos sobre o caso de suposta agressão contra a jornalista. Os internautas o chamaram de covarde. “Agredindo a própria esposa? Não foi este tipo de senador que o Rio Grande elegeu”, escreveu um dos usuários do Facebook.

Ainda por meio da rede social, foi publicado posicionamento oficial de Lasier Martins. O senador confirma o processo judicial de separação litigiosa que corre do Foro do Distrito Federal e nega a agressão à jornalista Janice Santos. “Esclarece que não houve a alegada agressão física, mas ações e manobras da mulher no sentido de tirar proveito em tentativa de acordo no processo judicial. O senador está triste com o acontecimento e aguarda o andamento do processo judicial onde apresentará provas de sua inocência”, diz o texto publicado.

Procurada pelo veículo de Brasília, a advogada de Janice Santos não quis comentar a denúncia da cliente contra o senador.

Banco Turístico André Vargas, em Bandeirantes

Do Paçoca

Caso você esteja passando ou visitando a cidade de Bandeirantes, pode acrescentar à sua lista de pontos turísticos uma visita ao terminal rodoviário.

Lá você encontrará estes dois bancos.

O Banco André Vargas – deputado federal – e o banco Mamede – deputado estadual.

Cedidos à cidade por mera gentileza dos dois então parlamentares, sem qualquer interesse maior do que acomodar corpos cansados.

André Vargas é um dos personagens políticos hoje cumprindo pena em Curitiba, condenado que foi na Operação Lava Jato.

Cida Borghetti pode trocar eleição pelo TC-PR

Cida Borghetti

Como a vice governadora Cida Borghetti (PP) não está empolgando nas pesquisas eleitorais e há a possibilidade de Beto Richa (PSDB) permanecer no governo, até 31 de dezembro, pepistas querem convencer o tucano indica-la à vaga que abrirá no Tribunal de Contas do Paraná. Com Cida fora da disputa, o poder de Richa para apontar um aliado para sucede-lo, aumentaria acreditam os articuladores.

Assassino confesso da estudante da Unila pega 18 anos

download (3)download (4)

Nesta quinta (30) aconteceu o julgamento pelo Tribunal do Júri composto de sete jurados masculinos de Jeferson Diego Gonçalves, de 33 anos, assassino confesso de Martina Piazza Conde, de 27 anos, estudante da Unila. O crime ocorreu em 2014.
Jeferson pegou 18 anos e seis meses, como está preso desde 2014, vale dizer que daqui há três anos será solto. Progride para o semi-aberto depois de cumprir 2/6 da pena.
A juíza que presidiu o julgamento não se deixou levar pelo forte clamor popular que este crime oportunizou nos meios acadêmicos, em especial nos estudantes da Unila. Tascou 18,6 anos e ponto final.

O julgamento aconteceu na Sala de Gestão edificada na 6ª SDP pelo delegado Rogério Antonio Lopes.

SALÁRIOS ATRASADOS

O jornaleco diário da fronteira está atrasando os salários de seus colaboradores… E o diretor atrás do Pokemon (mas não acha de jeito nenhum).

Que dureza!

SECRETÁRIO DE SEGURANÇA DO PR DIZ SER ‘EXTREMAMENTE PROVÁVEL’ QUE MORTE DE EMPRESÁRIO TENHA A VER COM INVESTIGAÇÃO A POSTOS

O secretário de Segurança do Paraná, Wagner Mesquita de Oliveira, disse ser “extremamente provável” que o assassinato de Fabrízzio Machado da Silva, presidente da Associação Brasileira de Combate a Fraudes de Combustíveis, tenha ligação com sua atividade.

O empresário foi morto em frente à própria casa, em Curitiba, por volta na sexta-feira (24). Câmeras de segurança mostram o momento em que a situação ocorre.

“Seríamos ingênuos se a forma com que a morte dele se deu, com atuação em quadrilha, usando mais de um veículo, e da forma planejada como foi, seria até ingenuidade não considerar esse fato. Só ao final vamos saber a motivação, mas que ela tem algum vínculo com a atividade dele eu acho extramamente provável”, afirmou o secretário.

Nos últimos quatro dias de vida, Silva estava em contato com uma equipe do programa Fantástico, ajudando os jornalistas em uma reportagem sobre o tema. O último contato dele com os repórteres havia sido três horas antes do assassinato.