Propina institucionalizada

Se temos reclamado da corrupção no Brasil, ir ao Paraguai nos dá uma sensação diferente. Lá, a propina é institucionalizada e acontece com o conhecimento de todos. No Brasil, o corrupto fica à espreita, aguardando o momento de aproveitar o dinheiro público. Embora negativa em todas as circunstâncias, a grande diferença é que a ciência da propina do outro lado permite planejar o custo sem todos os danos indiretos com a intensidade como acontece aqui.

Para a importação no Paraguai, por exemplo, há um custo oficial para os agentes da aduana. Caso o protocolo não seja atendido, o processo fica parado por longo tempo. Por isso, todos sabem, todos pagam e os processos continuam com a institucionalização dos pagamentos extras. É a típica adequação ao sistema. Quem estiver interessado em usufruir dos benefícios paraguaios, precisará entender as características locais e se adequar da melhor forma possível. Felizmente, aqui em Santa Catarina, contamos com a seriedade dos agentes aduaneiros neste sentido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *