UM CONDENADO POR LESÃO CORPORAL NO EVENTO QUE VISA COMBATER A VIOLÊNCIA

Nesta quarta (30) a Câmara Municipal engalanou-se para receber a cúpula da Segurança Pública do Estado.
Presentes o senhor Prefeito Chico Brasileiro, e o Secretário de Estado da Segurança Pública Wagner Mesquita, e demais responsáveis pela segurança pública no município e região.
Na pauta Segurança Pública.
Toda a imprensa se fez presente para documentar o ocorrido.

Estivemos lá e nos congratulamos com esses abnegados servidores públicos que laboram no sentido de tornar Foz do Iguaçu uma cidade menos violenta, isso é admirável. Congratulations!

O toque destoante foi a presença no local de um dublê de político/jornalista condenado por lesão corporal.
O individuo em tela agrediu fisicamente, de forma covarde e traiçoeira (tempos atrás) este editor que vos fala. O triste episódio teve como palco o meio da rua, exatamente na porta da Câmara Municipal de Foz. O desfecho do caso deu-se com a condenação do agressor há seis de meses de reclusão por lesões corporais, transformados na obrigação de prestar serviços comunitários, o que foi feito.
Volto ao tema por julgar oportuno, afinal, este mesmo agressor é atualmente um assíduo frequentador do gabinete de um vereador. Diz-se que seria uma espécie de alter ego do edil, tem tanta influência sobre o mesmo, que conseguiu emplacar sua mulher como assessora deste mesmo edil. Os outros dois assessores também foram de sua lavra.

Pergunta-se: será que este edil, médico, não sente-se constrangido em ter em sua convivência diária um indivíduo que já foi condenado por lesão corporal? Será que não lhe deixa desconfortável o fato de saber que este mesmo condenado por agressão estar sendo investigado, atualmente, por decisão do MP, por suposta extorsão envolvendo venda de vaga para candidatura na cidade. Além de ter sido denunciado pelo GAECO por tentar dar o golpe do seguro do veículo. 

Com vocês, os meus diletos 17 leitores, ás suas conclusões que julgarem pertinentes…

Vereador Brito e o Cazuza, os dois protagonistas da história relatada acima.

O vereador Brito é investigado pela PF por suspeita de compra de votos. Deve ser por isso que se dá tão bem com o Cazuza…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *