Dia de barrar o aumento do ISS em Foz do Iguaçu

Ducci, Gomyde e o “não” a Osmar Dias

Do Goela de Ouro

Ontem o deputado federal Luciano Ducci (PSB) levou o novo socialista Ricardo Gomyde para uma conversa com Carlos Siqueira, presidente nacional da agremiação. Gomyde (PSB) saiu do encontro dizendo que Osmar Dias (PDT) não deve se filiar ao PSB, pois vai apoiar Alvaro Dias (Podemos) à presidência da República. Uma colinha para ajudar na resposta: Ducci apoiou Roberto Requião (PMDB) em 2006, quando este ganhou a eleição de governador de Osmar Dias por uma diferença de 10 mil votos.

Do Zé Beto, não o “Bob Cuspe”, o verdadeiro!

Guerra de facções na Papuda

Do jornal O Estado de S. Paulo:

A prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, do operador Lúcio Funaro e de Ricardo Saud, executivo da JBS, tem provocado uma sessão de gritaria no presídio da Papuda, em Brasília, onde estão recolhidos. Segundo relatos, Funaro aguarda o fim do banho de sol e antes de voltar para a cela manda aos gritos recado para Saud, preso do outro lado: “Saud, vou te matar”, aterroriza o delator que o entregou. Do seu lado “do muro”, Geddel faz coro: “Saud, também vou te matar”. Saud devolve as provocações, mas só para Geddel. “Cala boca, seu gordo!”

Os três estão separados e não se encontram no banho de sol, justamente para evitar que cumpram a promessa. Há, inclusive, revezamento entre os advogados para que eles não se esbarrem nem no parlatório.

Irmão de Palocci briga na Justiça contra demissão em Furnas

Adhemar Palocci diz que processo contém irregularidades

Adhemar Palocci, diretor de Planejamento e Engenharia da Eletronorte (Foto: José Cruz/Agência Senado)

Adhemar Palocci, irmão do ex-ministro Antonio Palocci, briga na Justiça do Trabalho para  não ser demitido de Furnas, estatal do setor elétrico. Acusado de improbidade, Adhemar afirma que o processo administrativo que concluiu por seu desligamento contém irregularidades.

Justiça Federal interroga Carlinhos Cachoeira sobre primeiro escândalo do governo Lula

Bicheiro é acusado de ter feito parceria com o ex-assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz para interferir em negócios da Caixa

O bicheiro Carlos Augusto de Almeida Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira, tem compromisso no final do mês na 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília. Ele será interrogado sobre a acusação de ter atuado criminosamente nos bastidores para a renovação de um contrato entre a Caixa Econômica Federal e a multinacional de processamento de loterias GTech, em 2003. Foi o primeiro escândalo do governo do ex-presidente Lula. Ao lado de Cachoeira e de outras seis pessoas, o ex-subchefe de Assuntos Parlamentares da Casa Civil Waldomiro Diniz é também réu no processo. A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público Federal à Justiça Federal em 2010.
Época.

PITACO: MPF LEVOU 7 ANOS PARA FAZER A AÇÃO. PORQUE DEMOROU TANTO?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *