EXCLUSIVO: JUSTIÇA FEDERAL DÁ RESPOSTA A QUADRILHEIROS DA FRONTEIRA COM PENAS DE ATÉ 25 ANOS DE RECLUSÃO

No dia 24 de outubro de 2013 centenas de policiais federais foram ás ruas para cumprir mais de 60 mandatos de prisão, busca e apreensão nos estados de Santa Catarina, Pará e Paraná.  Aqui no Paraná os mandatos foram cumpridos nas cidades de Foz do Iguaçu, Medianeira e Sta. Terezinha de Itaipu. Na região foram presos 19 pessoas, dentre elas um policial civil. Apreendidos mais de quarenta veículos, motos, barcos, e o escambau a quatro. Estava deflagada a operação DUPLA FACE que desmantelou uma super quadrilha especializada no contrabando de cigarros paraguaios para o Brasil. Apreendeu-se 38 milhões de reais. Na época foi só chororó e ranger de dentes (é a hora que o filho chora e mãe não escuta). Foram imputados os crimes de formação de quadrilha, contrabando, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal. Os bens adquiridos com as atividades criminosas foram todos arrestados. Um exemplo gritante de que o crime não compensa.
Ederson Roberto Foletto, apelidado “neguinho” foi apontado como o “cabeça” financeiro da quadrilha. Neguinho mesclava suas atividades no crime com a de empresário bem sucedido, uma espécie de Playboy fronteiriço, era o dono da badalada boate ONO (para lavar o dinheiro) que acabou indo á breca depois dessa dor de barriga. Faliu!
Na sequencia os presos do núcleo de Foz do Iguaçu foram sendo soltos e passaram a responder o processo em liberdade.
Neste 11 de dezembro do ano em curso o juiz EDILBERTO BARBOSA CLEMENTINO, da 5ª Vara Federal de Foz do Iguaçu, prolatou sentença com penas duríssimas que você confere abaixo.

O juizo concedeu a todos os condenados o direito de apelarem das sentenças em liberdade. Foram nove os condenados do núcleo de Foz do Iguaçu.

PS: No decurso do processamento pairaram duvidas quanto as escutas provenientes de aparelhos celular Blackberry (que dizem serem imunes as escutas), autoridades brasileiras chegaram a viajar ao Canadá, pais fabricante, para dirimir duvidas. Entretanto, o juiz, diligente, assentou que, mesmo com a questão dos celulares com essa marca, as demais provas carreadas aos autos foram suficientes para á condenação. Nao sobrou ninguém. Todos pro vinagre!

Conheça os réus e as penas aplicadas.

Dirley Baradeli – Três anos e três meses em regime aberto.
Sidnei Roque Cemin – Sete anos em regime fechado.
Maurício Ampessam – 21 anos e sete meses em regime fechado.
Marcos Correia de Souza – 14 anos e nove meses em regime fechado.
João Carlos Agostini – 11 anos e sete meses em regime fechado.
Idimar Burille – 17 anos e 12 dias em regime fechado.
Marcelo Alberto de Oliveira – 25 anos e nove meses em regime fechado (esse foi o campeão)
Leandro Siebert Leindens – quatro anos e três meses no semi-aberto.
Ederson Roberto Foletto (Neguinho) – 16 anos e três meses, regime fechado. 

Abaixo a sentença e a entrevista do delegado da PF sobre a DUPLA FACE.

LEIA SENTENÇA ABAIXO:

sentenca 6

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *