Tauillo dá mais 90 dias para CE da rodoviária de Campo Mourão


O prefeito Tauillo Tezelli prorrogou por mais 90 dias o prazo de conclusão da Comissão Especial da Rodoviária.
A CE foi criada em outubro e deveria estar pronta em janeiro, mas já havia ganhado uma prorrogação no fim do ano.

O novo prazo foi definido em decreto que saiu nesta terça-feira.A comissão tem de analisar a situação do terminal.
Uma empresa tem a concessão para administrar a rodoviária até 2020 e tem ações judiciais contra a prefeitura.

Do colunista Boca Santa – Direto da cidade de Campo Mourão

A RODOVIÁRIA DE FOZ DO IGUAÇU PASSOU POR PROCESSO SEMELHANTE AO DE CAMPO MOURÃO


Saguão da rodoviária de Foz do Iguaçu com a lanchonete que foi privatizada para a Aterfi

O relato que você leu acima refere-se á rodoviária de Campo Mourão que foi administrada por 20 anos pela ATERFI, a empresa da viúva do Nelson Junior, chamada Márcia Dysarsz. O processo licitatório ocorreu no governo Alvaro Newmann.
Essa mesma Aterfi da Márcia ficou vinte anos administrando a rodoviária de Foz do Iguaçu. Tal qual aconteceu com a cidade de Campo Mourão. Quando expirou o prazo do contrato a Márcia entregou o equipamento para a prefeitura de Foz em petição de miséria. Os banheiros estavam em estado deplorável, pois em 20 anos não se reformou praticamente nada. Só sugaram. O contrato entre a Aterfi e a prefeitura não previa que poder-se-ia pedir indenização no caso de a entrega do equipamento, findo o contrato, ter sido danificado. E nessa o poder publico ficou pendurado na brocha. Mesmo assim a Aterfi entendeu de processar a prefeitura de Foz do Iguaçu. Não sabemos o motivo da demanda, mas imaginamos…
Na época destes fatos a prefeitura determinou que se fizesse uma ampla reforma para que o terminal continuasse funcionando á contento. Foi quando se fez nova licitação e a família do Pimenta (dono da Taroba construtora) ganhou o direito de explorar o terminal.
Nesse interregno surge o Budel, indicado pelo Reni, para presidir o Foztrans. Daí pra frente todo mundo sabe no que deu: Budel entrou em cana acusado de toda sorte de corrupção.
E teria sido o Budel, enquanto presidente do Foztrans, que determinara que se fizesse licitação para explorar-se a lanchonete no local. E quem ganhou? Bingo! A dona Márcia, off course. A dona da Aterfi!
Em vista do exposto, com a devida Vênia, sugere-se ao prefeito Chico Brasileiro que determine uma varredura em todas as transações encetadas pelo Budel na rodoviária de Foz do Iguaçu.
Interessante ressaltar que a lanchonete em questão deve ser o ponto comercial que mais gera receitas no local. É certamente a galinha dos ovos de ouro daquele terminal rodoviário.  Amém!

Em tempo: Se o Chico não quiser investigar basta a Câmara Municipal abrir uma CPI. Será que o nosso legislativo tem aquilo “roxo” para isso?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *