Arquivo mensais:junho 2018

OPERADORES de DARIO MESSER manejan CAPITÃO BAR

 

Ramón Darío Villalba

Los principales operadores del mega-doleiro (cambista) Darío Messer, son quienes manejan el centro gastronómico CAPITÃO BAR en Ciudad del Este, que no sería otra cosa que una pantalla para el negocio de lavado de dinero y evasión. Ramón Darío Villalba, Iti Rafagnin, e Isabel Salvatti aparecen como dueños y son socios de otras empresas de fachada del esquema delictual de Messer.

Isabel Salvatti e Iti Rafagnin

Ramón Darío Villalba es el paraguayo que aparece como socio de CAPITÃO BAR en Ciudad del Este. El mismos aparece como socio de la empresa del rubro gastronómico llamada JR2 S.A. Como sus socios aparecen allí Nilton Pedro Rafagnin, Francisco Souza De Lima y Jair David Vieira.

La otra dueña es Isabel Salvatti, utilizó la firma Inversiones Centenario SA, para adquirir la empresa del JR2 S.A. y hacerse socio de los otros mencionados en el párrafo anterior.

La citada Isabel aparece en otras firmas del esquema Messer. Esto es lo que publico el diario ABC Color al respecto: “Agro Fortuna SA es la primera de las varias empresas que aparece vinculada a Newton Maran Salvatti, quien aparece como director presidente. La firma se dedica a la explotación de actividades agrícolas, ganaderas y frutícolas. Además del socio de Darío Messer aparecen vinculados a la empresa Corporación Piney SA, también propiedad de la familia del empresario brasileño, y varios de sus parientes como Ivanilde Maran Salvatti, Isabel Cristina Maran Salvatti, Santo Salvatti y Anderson De Lima. Este último aparece también en varias de las firmas”.

El tercer dueño es Iti Rafagnin, quien sería pareja de Isabel Salvatti. El mencionado Iti, es pariente de Nilton Pedro Rafagnin, quien aparece como socio de la empresa JR2 S.A.

Los datos y documentos dejan en claro que CAPITÃO BAR es parte del esquema de Darío Messer en la frontera.

La que sigue llamando la atención es que pese a todas las evidencias el centro gastronómico hasta el momento no es investigado por el Ministerio Público.

Fonte: CDE HORA

Ministros do Supremo devem manter Lula preso por 6×5 votos

Juristas preveem placar apertado de 6×5 contra o petista

O ex-presidente foi preso na Lava Jato em abril. Foto: ABr

Animou os petistas, em relação à pretendida soltura do presidiário Luiz Inácio Lula da Silva, as mais recentes decisões da Segunda Turma, mas estimativas de juristas experientes, com atuação em tribunais superiores, ouvidos pela coluna, apontam placar apertado, mas desfavorável ao ex-presidente, no Supremo Tribunal Federal: 6×5 votos. A tendência é manter decisões anteriores relativas ao caso. 

Os petistas não se animaram à toa: a Segunda Turma inocentou Gleisi Hoffmann e livrou da cadeia o ex-ministro José Dirceu.

A Turma também anulou a busca e apreensão de provas contra Paulo Bernardo, o “PB”, acusado de roubar os endividados dos consignados.

Animou lulistas o voto de Dias Toffoli sobre “plausibilidade jurídica” no questionamento da dosimetria de Dirceu. Mas isso não se aplica a Lula.

É forte a chance de o plenário do STF nem examinar isso em agosto. É que já o fez ao negar habeas corpus que tentou adiar a prisão de Lula.

Marco Aurélio dá liminar para soltar Eduardo Cunha

Ailton de Freitas


O ministro do STF Marco Aurélio Mello acaba de deferir uma liminar para libertar 
Eduardo Cunha.

O ex-presidente da Câmara, contudo, continuará preso em Curitiba.

Motivo: os advogados de Cunha, Pedro Ivo Velloso e Ticiano Figueiredo, conseguiram o habeas corpus para um dos dois casos em que o ex-deputado está condenado.

A  liminar concedida hoje por Marco Aurélio refere-se às investigações da Operação Manus, em que Cunha e Henrique Eduardo Alves foram condenados por atuar em favor de empreiteiras nas obras da Arena das Dunas, em Natal. As propinas neste caso somam R$ 11,5 milhões.

Cunha tem outra condenação por seu envolvimento em desvios em investimentos do FI-FGTS.

A “página virada” de Toffoli

Na sabatina de Dias Toffoli no Senado Federal em 2009, o então postulante ao cargo de ministro do STF afirmou que sua ligação com o PT “é uma página virada da história” e que no Supremo passaria a agir como “juiz da Nação”.

Em 2015, sobre quem acha que ele tem uma dívida com o PT por ter sido nomeado por Lula para a Corte, Toffoli disse à Veja que “é só um ignorante, um imbecil, um burro, um néscio para pensar dessa forma”.

De lá para cá, o ministro tomou, entre outras, as seguintes decisões:

– mandou soltar o ex-ministro petista Paulo Bernardo em junho de 2016, pulando duas instâncias (TRF e STJ);

– votou contra a prisão em segunda instância em outubro de 2016, dois meses após Lula ter sido indiciado pela PF no caso do triplex e mesmo tendo dito em fevereiro daquele ano que sempre teve consigo “que não era necessário aguardar o recurso especial” junto ao STJ “nem o extraordinário” junto ao STF.

– votou em maio de 2017 a favor da soltura de José Dirceu, seu ex-chefe na Casa Civil do governo Lula, que estava em prisão preventiva na Lava Jato desde agosto de 2015;

– votou em março de 2018 pelo impedimento da prisão de seu padrinho Lula até o dia 4 de abril;

– votou pela concessão do HC de Lula em 4 de abril;

– votou pela concessão do HC do ex-ministro petista Antonio Palocci em 11 de abril;

– votou em 24 de abril para tirar de Sergio Moro as menções da delação da Odebrecht a Lula que tratam do sítio de Atibaia e do Instituto Lula;

– votou, em 26 de junho, pela anulação de provas recolhidas pela Polícia Federal contra o casal petista Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo na busca realizada no apartamento funcional dela, no âmbito da Operação Custo Brasil;

– votou novamente, em 26 de junho, pela soltura de seu ex-chefe José Dirceu, condenado em segunda instância a 30 anos de prisão.

Este é Dias Toffoli, senhoras e senhores – o “juiz da nação”, que chama de “imbecil” quem considera ou desconfia de que sua ligação com o PT não é “uma página virada da história”.

O Antagonista

STJ envia ao Paraná inquérito que apura suspeitas de corrupção em licença ambiental envolvendo Beto Richa

Inquérito corre sob sigilo na 1ª Vara Criminal de Paranaguá. Investigação apura se empresa ligada ao ex-governador foi beneficiada por fraudes.

STJ envia ao Paraná inquérito que investiga o ex-governador Beto Richa (PSDB) (Foto: J.F. Diorio/Estadão Conteúdo)

STJ envia ao Paraná inquérito que investiga o ex-governador Beto Richa (PSDB) (Foto: J.F. Diorio/Estadão Conteúdo)

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) enviou para Justiça Estadual do Paraná um inquérito que apura suspeitas de corrupção em licença ambiental envolvendo o ex-governador Beto Richa (PSDB).

De acordo com o STJ, o ministro Herman Benjamin levantou o sigilo do procedimento e declinou da competência do caso em um despacho de 17 de abril. No entanto, esse documento ainda não foi anexado ao processo eletrônico do STJ.

Richa perdeu o foro privilegiado quando deixou o governo para concorrer a uma vaga no Senado – governadores têm a prerrogativa de responder a processo somente no STJ.

A 1ª Vara Criminal de Paranaguá, no litoral do Paraná, informou que o inquérito chegou à Justiça Estadual no dia 16 de maio e que ele corre sob sigilo. De acordo com a Justiça, o procedimento foi digitalizado e encaminhado à 4ª Promotoria de Paranaguá.

Leia mais 

Advogados do ex-vereador Edílio Dallagnol entram com pedido de HC no TRF 4

Edílio Dallagnol vai tentar novamente

Advogados Rodrigo Duarte & Kaio Veloso impetraram no TRF 4 pedido de HC para seus cliente ex-vereador Edílio Dallagnol no sentido de neutralizar ás restrições impostas ao mesmo. Lembrando que Dallagnol teve o mandato cassado pela Câmara Municipal de vereadores. Ele foi reeleito mas não levou.

Clique no link abaixo:

HC.TRF4.Edílio2018.RetornoVereança.docx

 

PTI lamenta acidente com funcionário terceirizado

“O Parque Tecnológico Itaipu (PTI), que faz a gestão do Complexo Turístico Itaipu (CTI), lamenta o acidente ocorrido na manhã desta quinta-feira, 28, por volta das 9h30, com o funcionário Daniel Machado, 27 anos, do Macuco EcoAventura e Turismo. Ele desapareceu logo depois de cair no Lago de Itaipu após fazer uma atividade de manutenção no píer do barco Kattamam. Neste momento, a área está isolada por questão de segurança. Bombeiros e mergulhadores estão fazendo buscas no local. Todas as visitas ao Porto Kattamaram foram suspensas. Novas informações em breve” 

PITACO: O barco em tela pertence ao Ademir Fernandes dos Santos, o empresário  que também  controla o passeio Macuco Safari, uma das jóias da coroa da tríplice fronteira. Uma espécie de mina de ouro. Essa não foi a primeira vez que o Ademir teve que lidar com a morte de colaborador (s). Retrocedamos no tempo que faz bem:
Início dos anos 2000 um gravíssimo acidente ocorreu no Macuco Safari ceifando a vida de sete pessoas. Dois barcos colidiram-se de frente matando na hora cinco turistas estrangeiros e os dois pilotos dos barcos. O acidente foi causado pela imperícia de um dos pilotos. A perícia deixou isso patente. Por conta da tragédia o atrativo turístico ficou suspenso pela Marinha do Brasil por mais de um ano. Várias ações por danos morais foram propostas. No criminal ninguém foi punido (mistério…)

MPF quer saber da Ilha do Sol em Sertanópolis do Iguaçu

No presente momento o Ademir Ferreira enfrenta outra situação no mínimo curiosa: O MPF emitiu ofício pedindo á empresa do mesmo que informe imediatamente ás condições que tem com o Parque Nacional (Instituto Chico Mendes) sobre a exploração de um destino turístico chamado Ilha do Sol localizado no município de Serranópolis do Iguaçu. Nesta ilha que tem um quilometro de diâmetro, barcos do Ademir fazem passeios turístico deste os anos 60. Seria uma espécie de Capitania Hereditária? É isso que o MPF quer saber.

Dia de visita

Hoje tem Martinho da Vila visitando o ex-presidente Lula, preso em Curitiba há mais de 80 dias.

Há quem pergunte: quando o casal Barros vai visitar o ex-companheiro?

PP afasta o deputado federal José Otávio Germano

Foto: Reprodução / TV Novo Tempo

O Partido Progressista afastou o deputado federal José Otávio Germano, após transexuais protestarem em frente ao prédio do político, cobrando uma suposta dívida. O caso chegou a ser mediado pela Brigada Militar.

Em nota, divulgada nesta quinta-feira, o PP afirmou que, devido aos fatos “lamentáveis no campo da moral e da ética”, decidiu “afastar, desde já, o Deputado Federal José Otávio Germano das atividades partidárias e das funções exercidas na Comissão Executiva e no Diretório Estadual dos Progressistas”.

 

 

Sufoco!

Sem candidato, 41% mantêm a sucessão aberta

Ibope informa que a taxa de eleitores sem candidato ao Planalto é notável: 41%. Esse bloco divide-se entre os 33% que planejam desperdiçar o voto (brancos ou nulos) e os 8% que não têm ideia do que fazer com ele (não sabem ou não responderam). Os dados revelam que, a apenas quatro meses da eleição, a disputa pela poltrona de presidente da República está aberta.

A pesquisa mostra que o quadro é estacionário. Na liderança, o ficha-suja Lula (33%) deve ser excluído da urna pela Justiça Eleitoral. No cenário sem o pajé petista, Jair Bolsonaro (17%) e Marina Silva (13%) aparecem estatisticamente empatados. A sondagem tem margem de erro de dois pontos. Assim, se ele estiver no piso da margem e ela no teto, os dois estarão juntos na casa dos 15%.

Abaixo da dupla, surgem, também em situação de empate, Ciro Gomes (8%) e Geraldo Alckmin (6%). Segue-se um bololô de candidatos que, se serve para alguma coisa, é para demonstrar que o processo eleitoral está prestes a ser depurado. A lógica indica que a lista de presidenciáveis vai murchar —até por uma questão de sobrevivência.

A depuração é um imperativo político-monetário. O acesso dos partidos às verbas públicas do Fundo Partidário e à vitrine da propaganda no rádio e na TV é definido pelo tamanho das bancadas na Câmara. E as legendas, privadas das contribuições empresariais, vão priorizar a eleição para o Legislativo. A maioria não cogita esbanjar a verba do fundo eleitoral na campanha de presidenciáveis sem viabilidade eleitoral.

O cenário será outro em 6 de agosto, quando termina o prazo para a realização das convenções partidárias. Os franco-atiradores e os neófitos da campanha presidencial serão lançados ao mar. Em 15 de agosto, expira o prazo para o registro das candidaturas no TSE. E a Justiça Eleitoral terá de se manifestar sobre a inelegibilidade de Lula.

Até lá, o mercado das urnas se baseará mais em expectativas do que em fatos. E a expectativa, até o momento, é de uma eleição marcada pela falência do sistema político. Uma disputa em que mais de 40% do eleitorado não consegue enxergar uma porta de saída na antessala da eleição. Lula está empatado com os 33% de brancos e nulos. Sem ele, os candidatos que sobram estão abaixo desse patamar.

Na sucessão de 2014, pesquisa do Ibope computava apenas 8% de votos brancos e nulos na altura do mês de junho. Quer dizer: aumentou sensivelmente a taxa de indefinição. Eis a verdade insofismável: o grande protagonista de 2018 é o caldeirão em que se misturam os eleitores raivosos e desalentados. Os candidatos que sobrarem na pista terão de rebolar para conquistar essa gente. Vão abaixo os dados da pesquisa:

Cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva:

– Jair Bolsonaro (PSL): 17%
– Marina Silva (Rede): 13%
– Ciro Gomes (PDT): 8%
– Geraldo Alckmin (PSDB): 6%
– Álvaro Dias (Podemos): 3%
– Fernando Collor de Mello (PTC): 2%
– Fernando Haddad (PT): 2%
– Flávio Rocha (PRB): 1%
– Guilherme Boulos (PSOL): 1%
– Henrique Meirelles (MDB): 1%
– João Amôedo (Novo): 1%
– Levy Fidelix (PRTB): 1%
– João Goulart Filho (PPL): 1%
– Manuela D’ Ávila (PC do B): 1%
– Rodrigo Maia (DEM): 1%
– Outro com menos de 1%: 1%
– Branco/nulo: 33%
– Não sabe/não respondeu: 8%

Cenário com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva:

– Luiz Inácio Lula da Silva (PT): 33%
– Jair Bolsonaro (PSL): 15%
– Marina Silva (Rede): 7%
– Ciro Gomes (PDT): 4%
– Geraldo Alckmin (PSDB): 4%
– Álvaro Dias (Podemos): 2%
– João Amoêdo (Novo): 1%
– Manuela D’Ávila (PC do B): 1%
– Fernando Collor de Mello (PTC): 1%
– Flávio Rocha (PRB): 1%
– Levy Fidelix (PRTB): 1%
– João Goulart Filho (PPL): 1%
– Outros com menos de 1%: 2%
– Branco/nulo: 22%
– Não sabe/não respondeu: 6%

Com Josias de Souza

Paraguai apreende R$ 5 milhões, mas a metade ‘sumiu’ na contagem

 

O jornal Vanguardia, maior diário de Alto Paraná, publicou um furo de reportagem ainda na noite de terça-feira 26 de junho de 2018 ao abordar a apreensão de R$ 5 milhões na Supercarretera de Itaipu.

O dinheiro estava acondicionado em  duas caixas de papelão. Já na quarta-feira 27 de junho de 2018, o Vanguardia noticiou que a metade do dinheiro “sumiu na contagem”.

O dinheiro, em notas de R$ 50 e de R$ 100 estava empacotado dentro de duas caixas de papelão. Durante a apreensão, o Vanguardia publicou as fotos do dinheiro que estava empilhado até o topo das caixas.

Depois da contagem foram divulgadas outras fotos, mostrando falhas entre os pacotes de dinheiro. (Jornal Gazeta Diário – Adelino de Souza Freelancer / Foto: Divulgação)