Arquivo mensais:julho 2018

Minha Cela, Meu Palanque!

Bolsonaro é fenômeno com calcanhares de vidro

O que é um fenômeno? Um deputado de ultra direita não é um fenômeno. O endeusamento de Donald Trump não é um fenômeno. Pesquisa eleitoral não é um fenômeno. Fenômeno é um apologista de Trump liderar as pesquisas presidenciais no Brasil recitando teses de ultra direita. Com a aclamação de sua candidatura pelo raquítico PSL, neste domingo, Jair Bolsonaro consolida-se como grande surpresa da temporada eleitoral de 2018. Mas o fenômeno, indica o Datafolha, tem calcanhares de vidro que dificultam sua caminhada até o Palácio do Planalto.

Com Lula fora da raia, Bolsonaro lidera o páreo presidencial com 19%, informa a sondagem mais recente do Datafolha, divulgada em junho. Entretanto, um terço do eleitorado desenvolveu uma ojeriza pelo fenômeno —32% dos entrevistados disseram que jamais votariam no capitão. Bolsonaro tem dificuldades para crescer. Mais: nas projeções de segundo turno, sua liderança derrete.

Se não estivesse inelegível, Lula (49%) surraria Bolsonaro (32%) num hipotético segundo round. Marina Silva (42%) colocaria dez pontos de vantagem sobre o fenômeno (32%). Ciro Gomes (36%) subiria ao ringue estatisticamente empatado com a novidade (34%). Até Geraldo Alckmin (33%) emparelharia suas luvas com as de Bolsonaro (33%), num empate matemático.

Numa eleição imprevisível, em que 33% dos eleitores chegam à beira da urna sem ter escolhido um candidato, tudo pode acontecer. Mas a liderança de Bolsonaro tem, por ora, a solidez de um pote de gelatina. Sem alianças, o candidato terá algo como sete segundos para vender o seu peixe no horário eleitoral. Mal dá para pronunciar o nome.

Bolsonaro alardeia que vencerá a eleição no primeiro turno, fazendo suas barricadas na internet. Em política, impossível não é senão uma palavra que contém o possível.  Mas Valdemar Costa Neto, um PhD em poder, preferiu tomar distância. Ao farejar o risco de Bolsonaro dar com os burros n’água, o dono do PR decidiu apostar num burro mais seco. Entregou o tempo de propaganda do seu partido para o tucano Geraldo Alckmin, estimulando as outras legendas do chamado centrão a fazer o mesmo.

O fenômeno arrancou a extrema-direita do esconderijo entoando raciocínios que transformaram o candidato numa espécie de porta-voz do desalento. Bolsonaro captou no ar o sentimento do armário. Há quatro meses, ao filiar-se ao PSL, declarou que seu modelo é Donald Trump, “um exemplo para nós seguirmos.”

Na área da segurança pública, sua prioridade é liberar as armas, aproximando o Brasil dos Estados Unidos, país onde estudantes adolescentes matam colegas de classe com armas compradas na loja da esquina. Apoiado pela Bancada da Bala, Bolsonaro deseja vitaminar o grupo no Congresso. “Quem sabe teremos aqui a bancada da metralhadora”, vaticionou. “Violência se combate com energia e, se necessário, com mais violência”.

No rol de inimigos de Bolsonaro, “marginais” e “vagabundos” dividem espaço com os homossexuais. “Um pai prefere chegar em casa e ver o filho com o braço quebrado no futebol, e não brincando de boneca”, declarou. “Casamento é entre homem e mulher. E ponto final”.

No final do ano passado, Bolsonaro classificou a turma do MST de “terrorista”. Propôs um tratamento implacável: ”A propriedade privada é sagrada. Temos que tipificar como terroristas as ações desses marginais. Invadiu? É chumbo!” Chegou mesmo a defender o uso de ”lança-chamas” contra os liderados de João Pedro Stédile.

Deputado federal de sete mandatos, Bolsonaro às vezes soa como se os seus 27 anos de Congresso fossem um mero asterisco. ”Se o Kim Jong-un jogasse uma bomba H em Brasília e só atingisse o Parlamento, você acha que alguém ia chorar?”, indagou numa palestra, arrancando risos da plateia.

De economia Bolsonaro reconhece que não entende bulhufas. Nessa matéria, o candidato tornou-se uma espécie de jarro vazio, dentro do qual o economista Paulo Guedes despeja o seu receituário liberal. Guedes disse que, num eventual governo Bolsonaro, seriam mantidos em seus postos membros da equipe econômica da gestão de Michel Temer, um presidente reprovado por oito em cada dez brasileiros.

Dogmático aos 63 anos, Bolsonaro comporta-se como se já não tivesse idade para aprender mais coisas. Polêmico, também não exibe a sabedoria dos políticos que aprenderam a ocultar o que ignoram. Para um candidato assim, tão controverso, a tarefa de reduzir antipatias é mais complicada. O fenômeno terá que se desdobrar se não quiser passar à história como o presidente mais fenomenal que o Brasil jamais terá.

Mais um delator no pedaço para complicar a vida de Beto

O presidente da concessionária Econorte, Hélio Ogama, preso desde fevereiro quando foi deflagrada a Operação Integração, 48.ª no âmbito da Lava Jato, já está negociando colaboração premiada. Nesta mesma Operação foi preso o ex-diretor-geral do DER, Nelson Leal Jr., que em junho passado foi colocado em prisão domiciliar com tornozeleira após passar três meses numa cela da Polícia Federal e revelar como eram criados e fraudados aditivos que permitiam altas absurdas nas tarifas de pedágio cobradas nas praças da BR-369.

Ogama deve detalhar em sua delação como eram operacionalizadas as transferências de propina, com mais conhecimento do que Nelson Leal – que já afirmava em seu depoimento que a construtora Triunfo, integrante do consórcio Econorte, fazia repasses indevidos a autoridades do governo estadual. Dizia também que a alta cúpula tinha conhecimento da existência de uma “organização criminosa” voltada a fazer caixa.

Com contraponto

Ciro Gomes responde a 80 processos por danos morais só no Ceará

Conhecido pela “língua afiada” e por dar pouco peso às consequências de suas falas, o pré-candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) possui lista de pendências na Justiça à altura da fama. Apenas em ações que correm ou passaram pelo Ceará, o ex-ministro responde a pelo menos 80 processos que cobram indenizações por dano moral a adversários políticos. Todas as ações são motivadas por críticas feitas pelo candidato à imprensa ou durante palestras. A informação tem como base levantamento do O POVO em dados do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE). Como processos contra Ciro podem ter sido abertos no Judiciário de outros estados, o ex-ministro pode responder a ainda mais ações por ataques contra a honra. A lista de adversários do ex-ministro na Justiça é grande e diversa, incluindo até o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB-RJ), a quem Ciro chamou de “o maior bandido” do País. Outros casos incluem o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que processa Ciro após ser chamado de “farsante” e “engomadinho que vive com o beiço cheio de botox”.

O “número 1“ da lista é o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), com 37 processos contra Ciro. Entre os ataques, estão os de “aventureiro, mentiroso, lambanceiro” e até pinotralha – “uma mistura de Pinóquio com irmão metralha”, explica o próprio Ciro.

Para o cientista político Oswaldo Dehon, do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), o estilo “assertivo” de Ciro não significa necessariamente um “prejuízo” ao candidato. “É difícil avaliar se ele perde com isso. O Brasil está vivendo um período de excessos de candidatos. Vários têm demonstrado esse tom, o Ciro não está sozinho”, avalia.

“Temos candidatos como Jair Bolsonaro e até o Lula, que já se notabilizaram por alguns excessos verbais”, cita. O próprio Bolsonaro é um dos que acionaram Ciro na Justiça, após o pedetista acusá-lo de ter recebido dinheiro ilegal da JBS/Friboi na campanha eleitoral de 2014.

O cientista político ainda avalia que, a julgar pelo histórico do ex-ministro, ele dificilmente alterará o tom dos discursos. “Até porque parte das redes sociais já incorporaram esse tom mais assertivo, esse linguajar popular, à candidatura. E o fato de ele se exceder não quer dizer que ele diga coisas irrelevantes ou negativas, ou coisas que o público não gostaria de ouvir“.

Adversário que já obteve a condenação de Ciro em R$ 30,6 mil por conta de ataques, o deputado estadual Capitão Wagner (PR) condena o estilo do ex-ministro. “Criticar é natural, agora acusar, caluniar, criar factoides atribuindo crime a alguém, isso não faz parte do jogo político. Isso é crime e ele tem que responder por isso”, diz.

A reportagem tentou contato com Ciro Gomes, mas não obteve resposta de sua assessoria. Em entrevistas recentes sobre os casos, no entanto, o candidato tem feito pouco caso dos processos, chegando diversas vezes a “aproveitar a deixa” para reiterar as acusações contra adversários. Nos autos dos processos, a defesa de Ciro alega que as afirmações seguem apenas a liberdade de expressão. Em alguns dos casos, ela alega ainda que o tom “assertivo” faz parte do jogo eleitoral, sendo o próprio Ciro alvo de diversos ataques pessoais.

Quem tem mais ações contra Ciro

EUNÍCIO OLIVEIRA (MDB) Autor de 37 ações por dano moral, já foi chamado de “aventureiro, lambanceiro, mentiroso” e até “pinotralha”

GAUDÊNCIO LUCENA (MDB) Braço-direito de Eunício, move cinco processos contra Ciro, que já acusou Gaudêncio de fazer tráfico de influência

CAPITÃO WAGNER (PR) Já foi acusado de chefiar “milícia ligada ao narcotráfico” diversas vezes por Ciro. Já obteve condenação, em 1ª instância

Quem já processou o ex-ministro

EDUARDO CUNHA (MDB-RJ) Alvo recorrente, Cunha já processa o ex-ministro há vários anos. Num dos embates, Ciro o chamou de “maior bandido do Brasil”

JAIR BOLSONARO (PSC-RJ) Processou Ciro, após o ex-ministro dizer que Bolsonaro recebeu dinheiro ilegal da JBS/Friboi na campanha eleitoral de 2014

JOÃO DORIA (PSDB-SP) Ingressou com ação contra Ciro em julho passado, após ser acusado de enriquecer com dinheiro público

MICHEL TEMER (MDB) Ciro foi condenado a pagar indenização de R$ 30 mil a Temer após chamá-lo de “ladrão fisiológico” e “chefe de quadrilha”

FERNANDO COLLOR (PTB-AL) Justiça condenou Ciro a pagar R$ 100 mil de indenização a Collor. Em 1999, o ex-ministro disse que Lula deveria ter chamado Collor de “playboy safado” e “cheirador de cocaína” nas eleições de 1989

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO (PSDB) Ciro foi condenado em 2008 por ter dito que o ex-presidente tinha “horror a preto, pobre e nordestino”

80 processos por dano moral contra Ciro Gomes tramitam ou passaram pelo Ceará

37 dessas ações são movidas pelo senador Eunício Oliveira (MDB)

Já são quatro candidatos confirmados, e hoje é a convenção de Bolsonaro

PDT, PSC, PSol e PSTU oficializaram seus candidatos

Paulo Rabelo de Castro e Pastor Everaldo pareciam otimistas na convenção do PSC.

Nos primeiros três dias de convenções nacionais, quatro candidatos a presidente da República foram confirmados pelos partidos políticos: Ciro Gomes (PDT), Paulo Rabello de Castro (PSC), Guilherme Boulos (PSol) e Vera Lúcia (PSTU). Enquanto o PSol e o PSTU lançaram a chapa completa, o PDT e o PSC ainda vão escolher os candidatos a vice-presidente. O mesmo deve ocorrer na convenção do PSL, neste domingo, quando Jair Bolsonaro será oficializado como candidato do partido a presidente, deixando a vaga de vice em aberto. Até agora, a jurista Janaína Paschoal é a mais forte indicação.

Os convencionais do PDT aprovaram uma resolução autorizando a Executiva Nacional a negociar as alianças para o primeiro turno das eleições e o vice de Ciro Gomes. O PSC também vai articular um vice que agregue apoios, mas o candidato demonstrou disposição de ter uma mulher na sua chapa.

O PSol formou uma chapa puro sangue: Sônia Guajajara será a candidata a vice de Boulos. O partido, no entanto, disputará as eleições de outubro coligado com o PCB, que realizou convenção na última sexta-feira e aprovou a aliança. O PSTU optou por não fazer coligações. O vice de Vera Lúcia será Hertz Dias.

O PMN e o Avante realizaram ontem (21) convenções nacionais e decidiram não lançar candidatos a presidente da República. Na convenção, o Avante decidiu dar prioridade à eleição de deputados federais: terá uma chapa com cerca de 80 nomes e pretende eleger pelo menos cinco.

O Avante não definiu se apoiará algum candidato a presidente no primeiro turno. Já o PMN decidiu que não dará apoio a nenhuma chapa nas eleições presidenciais.

Os partidos têm até o dias 5 de agosto para realizarem suas convenções nacionais. As candidaturas podem ser registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até 15 de agosto. No próximo sábado devem se reunir SD, PTB, PV, PSD e DC.

Governo já torrou R$ 320 milhões em viagens

Servidores federais voam à vontade por conta do governo

O governo federal gastou R$ 320,3 milhões do orçamento em passagens, hospedagens e diárias de servidores, apenas no primeiro semestre de 2018. Desse total, o governo esconde R$49,3 milhões sob a velha desculpa de “garantia da segurança da sociedade e do Estado” e não revela os destinos dessas viagens. Os principais destinos das viagens (a serviço) são Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador.

Maior gastador, o Ministério da Educação já torrou R$ 69,2 milhões em viagens a serviço, apesar da alegada falta de investimento no setor.

Cerca de 15% dos gastos foram para mandar servidores ao exterior. Ao todo, foram R$ 48,5 milhões gastos em passagens internacionais.

Apenas nove, dos 1,17 milhão de servidores públicos na folha de pagamentos, já nos custaram R$ 1 milhão com viagens a serviço.

O primeiro barco autônomo movido a hidrogênio e energia solar

 

 

 

 

 

 

Nós sempre tentamos conservar energia e nos mover em direção a um mundo menos poluído e mais ecologicamente correto. Os combustíveis fósseis têm sido uma das principais causas de preocupação para os ambientalistas, devido aos níveis alarmantes de poluição em todo o mundo.

Não apenas as estradas, mas os combustíveis fósseis são cada vez mais utilizados em cursos de água, devido a que, a condição está se movendo de mal a pior. Agora imagine um barco que funcione com hidrogênio e energia solar!

Notícias recentes trouxeram esperança para muitas pessoas ao redor do mundo onde um navio de cruzeiro desenvolvido por Victorien Erussard chamado Energy Observer chamou a atenção do mundo. Então, o que há de diferente nesse barco?

Ele é executado em não uma, mas duas fontes renováveis e agora está percorrendo os oceanos em todo o mundo, operando com esses recursos energéticos não-tóxicos.

O veículo trabalha eliminando os íons e o sal da água do oceano e quebrando-os em hidrogênio e oxigênio, que são seus elementos básicos. Este hidrogênio é então armazenado até que seja necessário para funcionar como um combustível. Como suplemento, há também turbinas eólicas e painéis solares para operar o navio.

O barco está sendo patrocinado pela Toyota e estará em viagem pelo mundo por um período de seis anos. Será alimentado exclusivamente por energia solar, hidrogênio, energia eólica e hídrica.

Justiça Eleitoral devolve inquérito sobre Beto Richa para Sérgio Moro

Justiça eleitoral devolve para Moro investigação sobre Beto Richa

Justiça eleitoral devolve para Moro investigação sobre Beto Richa

A juíza eleitoral Mayra Rocco Stainsack devolveu ao juiz federal Sérgio Moro o inquérito que apura se o ex-governador do Paraná e pré-candidato ao Senado Beto Richa (PSDB) cometeu crimes no processo de licitação para duplicação da PR-323.

Os autos haviam sido enviados por Moro à Justiça Eleitoral em junho. De acordo com a investigação, Richa favoreceu a Odebrecht em troca de pagamento, via caixa dois, de R$ 2,5 milhões.

Ao encaminhar à Justiça Eleitoral, Moro pediu que o caso fosse devolvido a ele, para que a investigação de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude à licitação continuassem.

No despacho de encaminhamento, o juiz federal alegou que a competência do caso é da Justiça Federal e não da Justiça Eleitoral. “Não se trata de mero caixa dois de campanha”, afirmou o juiz, que é o responsável pelos processos da Operação Lava Jato na 1ª instância.

Leia mais 

Deputado estadual Bernardo Ribas Carli morre em acidente aéreo no Paraná

Deputado estadual Bernardo Ribas Carli (PSDB) morreu em um acidente aéreo (Foto: Pedro de Oliveira/Divulgação/Alep)

Deputado estadual Bernardo Ribas Carli (PSDB) morreu em um acidente aéreo (Foto: Pedro de Oliveira/Divulgação/Alep)

O deputado estadual Bernardo Ribas Carli (PSDB) morreu em um acidente aéreo no município de Paula Freitas, no sul do Paraná, por volta das 11h30 deste domingo (22), segundo a assessoria dele. Dois pilotos também morreram na queda.

Ainda de acordo com a assessoria, Carli decolou de Guarapuava no começo da manhã rumo a um compromisso em União da Vitória, também no sul do estado.

Leia mais

Funcionária da Alep estava entre presos suspeitos de integrar quadrilha que explodia caixas eletrônicos, diz polícia

Aí temos os dois deputados Luiz Claudio Romanelli (PSB), e Rasca Rodrigues (PV), que têm algo em comum: Ambos mantiveram em seus gabinetes na Assembleia Legislativa uma acusada de explodir caixas eletrônicos. Romanelli foi o primeiro a fazê-lo, na sequencia coube ao Rasca. Ambos declararam, candidamente, que não sabiam das atividades da assessora na vida do crime.
Pelo visto a bandida tinha uma vida dupla que enganava até os chefes na Alep.

Abaixo a matéria da RPC contando o desmonte da perigosa quadrilha pelo COPE.

Grupo foi preso na sexta-feira (20) durante uma operação da Polícia Civil; eles são suspeitos de cometer explosões de caixas e roubar carros-fortes em Curitiba e Região.

Funcionária da Assembleia é presa junto com quadrilha que assaltava bancos

Funcionária da Assembleia é presa junto com quadrilha que assaltava bancos

Uma funcionária comissionada da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) estava entre os presos suspeitos de integrar uma quadrilha investigada por explodir caixas eletrônicos e roubar carros-fortes em Curitiba e Região Metropolitana, de acordo com a Polícia Civil.

A mulher de 47 anos foi presa com outras quatro pessoas na sexta-feira (20), durante a Operação “Baixa Ordem”. A informação foi confirmada pela polícia neste sábado (21).

Eliana Benedita Correa é funcionária da Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção aos Animais, conforme o portal da Alep.

O deputado Raska Rodrigues (PV), que é presidente da comissão, informou que Eliana deve ser demitida sumariamente.

Até a última atualização desta reportagem, o G1 não conseguiu contato com a defesa de Eliana Correa.

Funcionária da Alep estava entre presos suspeitos de integrar quadrilha que explodia caixas eletrônicos no Paraná (Foto: Reprodução/RPC)

Funcionária da Alep estava entre presos suspeitos de integrar quadrilha que explodia caixas eletrônicos no Paraná (Foto: Reprodução/RPC)

A mulher também já trabalhou como assistente de gabinete do deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB), que afirmou que, durante o período em que ela exerceu a função, sempre se mostrou uma boa funcionária.

Presa suspeita de integrar quadrilha que explodia caixas eletrônicos em Curitiba e Região é funcionária comissionada, segundo o portal da Alep (Foto: Reprodução/RPC)

Presa suspeita de integrar quadrilha que explodia caixas eletrônicos em Curitiba e Região é funcionária comissionada, segundo o portal da Alep (Foto: Reprodução/RPC)

Investigação

A Polícia Civil, afirma que o grupo preso durante a operação, do qual fazia parte a funcionária, é suspeito pela explosão de um caixa eletrônico em Rio Branco do Sul, na Região de Curitiba, na madrugada de quarta-feira (18), além de crimes em outros seis bancos.

Eles também são investigados por participação na tentativa de roubo a carros-fortes registrada na BR-376, em Palmeira, nos Campos Gerais, em fevereiro deste ano.

Passageira de táxi é presa ao tentar passar quase 60 carregadores de fuzil pela Ponte da Amizade, diz polícia

Suspeita foi abordada durante uma operação da Receita Federal, BPFron e Força Nacional Paraguaia, na noite de sábado (21).

Passageira de táxi foi presa ao tentar passar quase 60 carregadores de fuzil pela Ponte da Amizade, diz polícia (Foto: Divulgação/BPFron)

Passageira de táxi foi presa ao tentar passar quase 60 carregadores de fuzil pela Ponte da Amizade, diz polícia (Foto: Divulgação/BPFron)

Uma jovem de 22 anos foi presa na noite de sábado (21) com quase 60 carregadores de fuzil na bagagem, segundo o Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron).

Ela foi abordada pelos policiais durante uma operação da Receita Federal, BPFron e Força Nacional Paraguaia.

Segundo a polícia, a suspeita estava em um táxi paraguaio e foi presa quando tentava passar pela Ponte Internacional da Amizade, na fronteira entre o Paraguai e Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

Com a jovem, segundo o BPFron, foram apreendidos 57 carregadores de fuzil e um carregador de pistola 9 milímetros.

Incêndio destrói carros em oficina mecânica de Foz do Iguaçu

Polícia Civil investiga suspeita de que o caso tenha sido criminoso; incêndio atingiu dez carros e foi registrado na madrugada deste domingo (22).

Incêndio destrói carros em oficina mecânica de Foz do Iguaçu

Dez carros foram incendiados em uma oficina mecânica em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, segundo a Polícia Militar (PM). O incêndio foi registrado na madrugada deste domingo (22).

A Polícia Civil investiga o caso e afirma que há a suspeita de que o incêndio tenha sido criminoso. Próximo ao local, policiais informatam que foi encontrado um galão que pode ter sido usado para atear fogo nos veículos.

De acordo com a polícia, ninguém ficou ferido.

O dono da oficina afirmou que não sabe a motivação do incêndio. O homem disse também que ainda está calculando os prejuízos causados com a destruição dos carros atingidos pelas chamas.

Dez carros foram incendiados durante a madrugada em oficina mecânica de Foz do Iguaçu (Foto: Raphaela Potter/RPC Foz do Iguaçu)

Dez carros foram incendiados durante a madrugada em oficina mecânica de Foz do Iguaçu 

A Elite do Atraso – Da Escravidão á lava Jato

O livro em questão A elite do Atraso, da escravidão á lava Jato, do sociólogo Jessé Souza, aparece na lista da VEJA como o segundo mais vendido no país. Recém lançado já virou best seller. Acabei de ler. O livro é importantíssimo, compre, leia, e recomende.
Abaixo pincei dois tópicos do que você vai encontrar se resolver ler a obra primorosa do Jessé que já escreveu 27 livros. Como ninguém é perfeito Jessé de Souza é petista de carteirinha, trata a Lava Jato como uma farsa, e o impeachment da Dilma como um golpe. Mesmo assim o livro tem o seu valor.

“Tendo a Globo sido a emissora eleita para ser parceira da CBF e da FIFA durante décadas, resta ao cidadão, ainda não feito de completo imbecil, imaginar o que a CIA e a NSA têm na manga potencialmente contra a Globo, depois da devassa que realizaram nos negócios escusos da entidade maior do futebol mundial. Precisamente o futebol, o fundamento do lucro maior da Globo. Imagine a chantagem: apresentar a empresa que posa de defensora da honestidade nacional, uma verdadeira “virgem no cabaré”, em negócios que não ficam nada a dever aos Sergio Cabral da vida?” (Página 227)

“Exemplo da corrupção real é a recente operação do governo Temer, uma marionete da elite do atraso, que fez o país e a Receita Federal perderem R$ 25 bilhões em decisão suspeita em favor do banco Itaú. Só nesta operação carregada de suspeição envolvendo denuncias de vendas de votos, o país perdeu 25 vezes mais que o recuperado pelo corrupção dos tolos da Lava Jato” (Página 229

E abaixo o petista roxo Paulo Henrique Amorim tirando sarro com  FHC.

 

Mãe do “Dr. Bumbum” é suspeita de ter matado o namorado há 20 anos

Processo estava arquivado, mas veio à tona após morte de bancária

Foto: reprodução

A médica Maria Fátima Furtado, mãe do também médico Denis Cesar Barros Furtado, conhecido como “Dr. Bumbum”, é suspeita de ter assassinado o namorado, o advogado José Roberto Camilo Monteiro, com um tiro na cabeça, há 20 anos, no Rio de Janeiro.

O fato foi divulgado por um parente da vítima, em entrevista ao site G1, que revelou que o processo estava arquivado e eles tinham medo de retomar as investigações porque foram ameaçados de morte pela médica.

“A Fátima disse para ninguém investigar o caso porque, caso contrário, os próximos seriam os filhos do José”, disse um familiar.

“Dr. Bumbum”, que tinha 24 anos na época, e também é suspeito do crime.

Com a prisão da dupla, na última quinta-feira (19), por suspeita da morte da bancária Lílian Calixto durante um procedimento estético, o crime que ocorreu em 1997 veio à tona. “Uma hora a justiça chega”, desabafou um familiar da vítima.