QUADRILHA PRESA: Distribuidoras definiam preços dos combustíveis conforme regiões de Curitiba, diz MP-PR

Distribuidoras definiam preços dos combustíveis conforme regiões de Curitiba, diz MP-PR (Foto: Ascom / MPPA)

Distribuidoras definiam preços dos combustíveis conforme regiões de Curitiba, diz MP-PR (Foto: Ascom / MPPA)

Os funcionários das distribuidoras investigadas na Operação Margem Controlada, deflagrada nesta terça-feira (31), “regionalizavam” os preços dos combustíveis em Curitiba, o Ministério Público do Paraná (MP-PR). Oito pessoas foram presas.

“Havia uma definição muito por região na cidade. Em uma mais elitizada, cobravam mais. Em outra, tinham que sufocar a concorrência e, aí, jogavam o preço próximo ou abaixo do cursto”, explicou o promotor Maximiliano Deliberador, da promotoria de Defesa do Consumidor.

De acordo com o MP-PR, as distribuidoras BR Distribuidora, a Raízen (licenciada da marca Shell) e a Ipiranga são suspeitas de controlar o preço final dos combustíveis nas bombas dos postos com bandeira, prejudicando a livre concorrência e controlando o lucro dos postos.

“A investigação demonstra que, em Curitiba, não impera a livre concorrência”, disse Maximiliano. Os promotores dizem que quando o comércio não tem liberdade, o preço não é justo, o que prejudica os consumidores.

Hoje, Curitiba tem cerca de 400 postos de combustíveis – 70% deles são dominados pelas três distribuidoras investigadas. Agora, as investigações continuam para saber quais deles “faziam a manipulação dos preços”.

A situação foi verificada na capital paranaense ao longo do último ano. Os promotores dizem, ainda, que o cenário nacional ainda não foi investigado.

Ainda de acordo com o MP-PR, além de controlar o preço nos postos, as distribuidoras contratavam motoboys, que circulavam por Curitiba para verificar se os postos de combustíveis estavam cumprindo o acordo.

“Se pessoa fugia da definição, havia retaliação financeira ao posto de gasolina”, disse Deliberador.

O posto, por exemplo, passava a comprar o combustível mais caro.

Leia mais 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *