TRF-4 nega recurso de Cabral contra condenação por esquema de propina no Comperj

Os desembargadores também rejeitaram o recurso apresentado pelo ex-secretário de Cabral

O ex-governador está preso desde 17 de novembro de 2016 Foto: Agência Brasil

Por unanimidade, os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) rejeitaram os embargos de declaração, nesta quinta-feira (9), contra a condenação do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, por envolvimento no esquema de propina do Consórcio Terraplanagem Complexo Petroquímico (Comperj) com a Petrobras.

Objetivo da defesa de Cabral com o recurso era o fim da pena de 14 anos e dois meses, entretanto o desembargador Leandro Paulsen, presidente da 8ª Turma do TRF-4 classificou o pedido de “protelatório”.

Os desembargadores também negaram o recurso apresentado pela defesa do ex-secretário de Cabral, Wilson Carlos Cordeiro de Silva Carvalho. Sendo assim, foi mantida a pena de 10 anos e 8 meses de prisão.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Sérgio Cabral recebeu r$ 2,7 milhões de propina por ter organizado as tratativas do contrato do Consórcio Terraplanagem Complexo Petroquímico (Comperj), formado pelas empreiteiras Odebrecht, Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão, com a Petrobras.

O ex-governador está preso desde 17 de novembro de 2016. Ultimamente Cabral cumpre a pena no Complexo Penitenciário Bangu 8.

PITACO: Agora ficará mais difícil o Gilmar Mendes soltar o chefão de quadrilha da Cidade Maravilhosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *