Arquivo mensais:setembro 2018

Datafolha: com 22%, Haddad segue na cola de Bolsonaro, que tem 28%

 

Candidato do PDT, Ciro Gomes segue na terceira posição, com 11%. Depois vêm Alckmin, com 10%, e Marina, que caiu para 5%

DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES

Candidato do PDT, Ciro Gomes permanece na terceira posição, com 11%. Ele está empatado tecnicamente com Geraldo Alckmin (PSDB), com 10%. Marina Silva (Rede) está em 5º lugar, com 5%.

Confira, abaixo, a simulação para o primeiro turno:

2º turno
O Datafolha também fez simulações de 2º turno. Bolsonaro perde em todos os cenários avaliados. Em uma disputa com Fernando Haddad, o petista soma 45% e o deputado, 39%. Contra Ciro, Bolsonaro tem 38%, enquanto o pedetista registra 48%. Já contra Alckmin, o tucano tem 45% e Bolsonaro, 38%.

Em uma eventual disputa entre Ciro e Alckmin, o pedetista venceria por 42% contra 36% do tucano. Contra Haddad, o ex-governador do Ceará soma 41% contra 35% do petista. Caso a disputa seja entre Fernando Haddad e Alckmin, haveria empate, com 39% para cada.

Rejeição
Bolsonaro segue como o presidenciável mais rejeitado: 46% dos eleitores negam voto ao deputado. Fernando Haddad é rejeitado por 32%. Em seguida: Marina (28%), Alckmin (24%), Ciro (21%), Vera (18%), Daciolo (17%), Boulos (17%), Eymael (17%), Meirelles (16%), Alvaro Dias (15%), Amoêdo (14%) e João Goulart Filho (14%).

Encomendado por Folha de S. Paulo e TV Globo, o levantamento realizou 9.072 entrevistas em 349 municípios entre os dias 26 e 28 de setembro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-08687/2018. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou menos. O nível de confiança é de 95%.

Juiz que mandou prender Beto Richa dá recado para críticos da decisão

Gazeta do Povo

Foto: Reprodução/Escola da Magistratura do Paraná

Foto: Reprodução/Escola da Magistratura do Paraná

O juiz Fernando Bardelli Silva Fischer , da 13ª Vara Criminal de Curitiba, deu um prazo de 15 dias para que os 13 denunciados no âmbito da Operação Rádio Patrulha apresentem uma resposta preliminar à acusação do Ministério Público do Estado do Paraná (MP-PR), oferecida à Justiça Estadual na terça-feira (25). Entre os denunciados por fraude em licitação e corrupção, está o ex-governador do Paraná e candidato ao Senado Beto Richa (PSDB) . Na mesma decisão, assinada na quarta-feira (26), Fischer também aproveita para se defender de críticos da prisão de Beto Richa e “reafirmar a independência do Juízo”.

Leia mais 

PITACO: Gilmar Mendes deveria ler isto.

NOTÍCIAS DO LEGISLATIVO NATIVO

Câmara agenda diversas audiências públicas para dar voz à população sobre assuntos de interesse coletivo

A participação popular na decisão de diversos temas, que passam pela análise da Câmara Municipal e posteriormente deve influenciar diretamente na vida do cidadão, pode ser efetivada por meio de audiência pública. Esse é instrumento garantido pela Constituição Federal de 1988. Neste sentido de dar voz à população no debate a respeito de temas que afetam o cotidiano das pessoas a Câmara de Foz do Iguaçu realizará várias audiências nos próximos 60 dias.

Até o momento estão agendadas seis audiências. Dentre os temas que serão discutidos estão: área territorial envolvendo alterações no perímetro urbano e rural do Município; Poda de árvores; Música ao vivo em bares, restaurantes, bares e similares; Melhorias no atendimento às pessoas com Transtorno do Espectro Autista e outras deficiências; Orçamento para 2019; Acidentes com caçambas e entulhos; e situação dos vendedores ambulantes.

Saiba mais em: https://bit.ly/2xJDLGb

Proposições do mês: Vereadores requerem melhorias no trânsito urbano e fiscalizam atos do Executivo

Um levantamento realizado pela assessoria de Comunicação da Câmara de Foz do Iguaçu mostra os principais assuntos dos requerimentos dos vereadores apresentados neste mês. Durante as sessões ordinárias de setembro, os parlamentares apresentaram 16 requerimentos com temas relevantes para o município. Entre as cobranças está a situação da sinalização, além de medidas para a redução de acidentes; aplicação de emendas impositivas; pedidos de documentos para fins de fiscalização dos atos do Poder Executivo; qualificação profissional de motoristas de maquinários pesados; e realização de audiências públicas. Além disso, foram apresentadas 250 indicações com as mais variadas sugestões e reivindicações da população levadas aos vereadores.

Saiba mais em: https://bit.ly/2y0CZnQ

Comissão Mista da Câmara recebe prestação de contas e verificação de metas da prefeitura

Nesta sexta-feira (28) a equipe da Secretaria da Fazenda, chefiada por Ney Patrício, esteve na Câmara Municipal para apresentar o balanço e o cumprimento das metas fiscais do 2º quadrimestre de 2018. De acordo com o secretário, o destaque está na recuperação da capacidade de investimentos do município. Os investimentos que no mesmo período do ano passado (primeiros oito meses) foram de R$ 14,8 milhões, neste ano subiram para R$ 56,8 milhões, ou seja, 281,7% a mais. A receita total nos oito meses deste ano na prefeitura foi de R$ 606,8 milhões, sendo 12% acima dos valores do mesmo período do ano passado quando alcançou R$ 540,5 milhões. O resultado primário é de R$ 103,9 milhões, mantendo-se dentro da margem esperada. Na audiência de apresentação dos dados, os vereadores destacaram o trabalho realizado pelo Pode r Executivo em sintonia com o Legislativo para recuperação da cidade.

Saiba mais em: https://bit.ly/2Rap07J

 

Facada foi dada por um profissional, afirma Bolsonaro

Bolsonaro afirma que esfaqueador torceu a faca após o golpe para aumentar danos

Bolsonaro afirma em entrevista que facada foi dada por profissional, torcendo a faca para maximizar os danos

O candidato a presidente pelo PSL, Jair Bolsonaro, afirmou, em entrevista a José Luis Datena, que a facada desferida contra ele foi ato de um profissional.

Segundo o político, ao desferir o golpe, o esfaqueador torceu a faca para maximizar os danos provocados. Bolsonaro explicou que os médicos consideraram a recuperação um milagre, pois a torção rompeu órgãos internos, mas não atingiu o fígado “por pouco”.

Preso logo após o ataque, Adélio Bispo disse ter agido sozinho e por motivações próprias, mas a Polícia Federal ainda investiga as circunstâncias do atentado.

Bolsonaro, que ainda se recupera do atentado sofrido no último dia 6 de setembro, concendeu a primeira entrevista para a TV ainda no hospital Albert Einstein, em São Paulo. Há expectativa de que ele tenha alta neste fim de semana.

Fake Money: marmelada de R$ 5 bi envolvendo 3 mil contribuintes

A Receita Federal deflagrou hoje a operação Fake Money para desarticular uma quadrilha especializada na cessão de supostos créditos para simular quitação ou compensação de tributos federais, num esquema que pode ter gerado prejuízos de até R$ 5 bilhões à arrecadação.
Foram cumpridos 16 mandados de prisão preventiva (contra empresários, advogados, economistas, consultores e contabilistas) e 33 mandados de busca e apreensão em várias cidades paulistas, além de Curitiba e Uberlândia.
O esquema funcionaria da seguinte forma: Leia Mais »

Desembargador confraterniza com José Dirceu à beira-mar de Alagoas

Tutmés Airan alega que recebeu corrupto condenado pela amizade

Ex-ministro José Dirceu com desembargador Tutmés Airan. Fotos: Facebook e Caio Loureiro/Dicom TJAL

O encontro de um integrante do Judiciário com um corrupto que já foi condenado a penas que lhe renderiam quase meio século de prisão provocou indignação e questionamentos nas redes sociais. O desembargador Tutmés Airan, do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), recebeu o ex-ministro petista José Dirceu à beira mar, na semana passada, quando o ex-presidiário do mensalão e do petrolão esteve em Maceió (AL), para lançar um livro.

Na foto viralizada no aplicativo de mensagens Whatsapp, José Dirceu aparece, aparentemente em uma casa de praia, ao lado do desembargador. Ambos vestem camisas vermelhas e estão rodeados por militantes de esquerda, sete deles gesticulando em apoio a outro corrupto condenado pela Justiça do Brasil: o ex-presidente Lula, que está preso na sede da Polícia Federal, em Curitiba (PR).

Questionado pelo Diário do Poder sobre sua presença ao lado de Dirceu, o desembargador, que teve longa atuação de militância de esquerda em Alagoas, fez questão de ressaltar que aquele encontro não teve caráter político-partidário.

Tutmés foi questionado se, assim como Dirceu, defende a libertação de Lula. E também foi lembrado que ainda terá longa carreira como integrante do Judiciário, ao ser perguntado se encontros políticos e partidários não atrapalhariam sua atuação como julgador, no futuro.

Eis a resposta:

“Recebi o José Dirceu na condição de meu amigo pessoal. Só para você ter uma ideia, José Dirceu foi meu padrinho de noivado. Então, conheço o Zé faz muitos anos e ele não esteve aqui para uma atividade político-partidária. Ele esteve aqui para lançar um livro, me pediu apoio e eu, na condição de amigo pessoal dele, dei todo o apoio do mundo e daria de novo, entende? Desvirtuar isso, na verdade, faz parte de uma conjuntura política doentia, né?, onde as pessoas enxergam as coisas com os olhos da maldade, da malícia. Enfim, é muito triste isso, né? Não entre nessa onda, não, comandante. É muito feio isso”, disse Tutmés.

Ouça:

Ódiocracia!

Beto Richa despenca 11 pontos depois da prisão

Candidato ao Senado, o ex-governando do Paraná Beto Richa (PSDB) despencou no Ibope. Ficou 11 pontos percentuais menor depois de passar quatro dias na cadeia. Antes, colecionava 28% das intenções de voto. Numa disputa em que estão em jogo duas cadeiras de senador, estava isolado no segundo lugar. Em pesquisa divulgada nesta quinta-feira, amealhou 17%.

Richa ficou embolado, em situação de empate técnico, num pelotão que inclui Flavio Arns (16%), da Rede; Oriovisto Guimarães (15%), do Podemos; e Alex Canziani (14%), do PTB. Do alto dos seus 39%, Roberto Requião parece ter assegurado sua reeleição, condenando os rivais a se engalfinhar pela segunda vaga.

Libertado graças a uma liminar expedida pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo, Beto Richa classificou sua prisão de oportunista. O eleitorado, aparentemente, enxergou nas acusações que pesam sobre os ombros do tucano uma oportunidade para refletir.

Junto com sua mulher e outras 13 pessoas, Richa foi em cana sob a suspeita de participar de desvios num programa estadual de obras em estradas que cortam áreas rurais do Paraná. Goste-se ou não, é melhor que o eleitor saiba do que se passa antes do encontro com as urnas.

Com Josias de Souza.

IRMÃOS – UMA HISTÓRIA DO PCC

Um dos melhores livros que li sobre a organização secreta PCC, por isso recomendo

O Primeiro Comando da Capital nasceu na cadeia, um ano depois do Massacre do Carandiru. Legitimou sua autoridade no cárcere ao aplicar políticas de interdição do estupro, do homicídio considerado injusto e do uso de crack. Ao longo dos anos, a guerra contra os “coisa” — como são chamados policiais, facções rivais, estupradores e alcaguetas — se tornou a contraface da “paz entre os ladrões”, premissa que impulsionou a expansão do PCC via regulação econômica de mercados ilegais e reivindicação do monopólio da força e da justiça no crime.

Em Irmãos, o sociólogo Gabriel Feltran oferece uma interpretação alternativa àquelas que buscam comparar o PCC com outras organizações criminosas — como os comandos cariocas, as gangues prisionais americanas ou as máfias italianas. Tendo realizado extensa etnografia nas periferias de São Paulo, seu argumento é que o modo de organização do PCC se assemelha às irmandades secretas, funcionando como uma maçonaria do crime — uma rede de apoio mútuo, pautada pelo respeito aos negócios e pela honra do outro irmão.

Feltran percorre os momentos cruciais da história do Comando desde sua criação em Taubaté até as violentas disputas entre facções a partir de 2017. Ele também retrata a presença do PCC nas dinâmicas locais, bem como o impacto das ações do comando em dimensões legais e ilegais de mercados como o de veículos roubados, que movimenta anualmente dezenas de bilhões de reais.

Original e contundente, Irmãos apresenta um país em que o crime conquistou efetiva hegemonia política para parte significativa da população. Nele, o PCC emerge como uma instância de geração de renda, de acesso à proteção, de ordenamento social, de pertencimento e identificação, desafiando o projeto de uma comunidade nacional integrada, promessa que a redemocratização não logrou entregar.

Uma etnografia pioneira que traz uma compreensão original da violência no Brasil.”
Mitchell Duneier

Excelente e indispensável o novo livro de Gabriel Feltran
Michel Misse