Arquivo mensais:outubro 2018

Geddel e Lúcio Vieira Lima se calam durante audiência sobre o caso dos R$ 51 milhões

Irmãos são acusados de lavagem de dinheiro e associação criminosa

(Foto Lúcio: Lucio Bernardo Jr./Agência Câmara | Foto Geddel: Agência Brasil)

Os irmãos Geddel (MDB) e Lúcio Vieira Lima (MDB) ficaram calados durante uma audiência no Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quarta-feira (31), sobre o caso dos R$ 51 milhões encontrados em um apartamento no bairro da Graça, em Salvador. Os dois são acusados de lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Segundo informações do G1 e da TV Globo, Geddel se limitou a dizer que iria ficar em silêncio “por absoluta e incisiva orientação da defesa técnica”. Lúcio também afirmou que ficaria em silêncio e disse que estava seguindo orientação dos advogados.

A audiência durou cerca de 10 minutos e, ao final, Geddel saiu escoltado e foi levado pela Polícia Federal de volta ao presídio da Papuda, onde permanece preso.

 

Receita Federal encontra carregador de munição entre volumes de remessas postais irregulares de Matelândia

Nesta terça-feira, dia 30, durante a deslacração de volumes retidos em Matelândia/PR, pela Alfândega da Receita Federal de Foz do Iguaçu, foi encontrado um carregador de munição que seguiria para o Rio de Janeiro/RJ.A operação foi realizada no dia 09 de outubro de 2018 e resultou na retenção de 274 volumes de remessas postais irregulares no Centro de Distribuição de remessas postais em Matelândia/PR. Entre os volumes foi encontrado um carregador de munição que foi postado em Medianeira/PR e seguiria para o Rio de Janeiro/RJ. O remetente foi intimado para prestar esclarecimentos à Receita Federal, no prazo de 05 dias. Estima-se que o valor total da mercadoria ultrapasse R$ 7 mil.

Receita Federal retém um ônibus carregado com mercadorias

 

Nesta terça-feira, dia 30, ação conjunta entre a Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da Receita Federal de Foz do Iguaçu, servidores da Delegacia da Receita Federal de Cascavel e policiais do Batalhão de Fronteira da PM/PR resultou na retenção de um ônibus carregado com mercadorias.A ação foi realizada na BR-369, em Ubiratã-PR. Durante a verificação, os servidores constataram que havia grande quantidade de mercadorias nos bagageiros, o que caracteriza destinação comercial. Além disso, o ônibus não apresentou autorização de viagem da ANTT durante a abordagem dos fiscais. Um dos passageiros foi encaminhado à Policia Civil por ter mandado de prisão expedido em aberto.

O veículo foi escoltado até a Delegacia da Receita Federal em Cascavel e lacrado. Estima-se que o valor total das mercadorias ultrapasse R$ 180 mil.

Leilão de mercadorias realizado pela Receita Federal resulta em arrecadação superior a R$ 2,6 milhões

A Alfândega da Receita Federal do Brasil em Foz do Iguaçu/PR finalizou nesta terça-feira (30) o segundo leilão eletrônico de mercadorias contrabandeadas realizado no ano de 2018. A arrecadação resultou no valor de R$ 2.698.576,00. O certame foi realizado com a participação apenas de pessoas jurídicas.Houve registro da participação de 175 proponentes, sendo que, após a classificação (foram excluídos os licitantes com algum impedimento ou que tenham pendências fiscais) e ordenação das propostas, foram habilitados 58 licitantes para a fase de lances (desta fase participam os detentores da maior proposta e as propostas que alcançarem pelo menos 90% desse valor).

Dos 32 lotes inicialmente oferecidos, 31 lotes foram arrematados, nenhum foi excluído e um não recebeu lances.

O maior valor pago foi de R$ 193.900,00 e o menor valor pago foi de R$ 3.333,00.

O valor total arrecadado apresenta um ágio de 126,49% em relação ao valor de avaliação inicial dos bens. O valor médio de arrematação foi de aproximadamente R$ 87,05 mil por lote.

O montante arrecadado será destinado conforme determina a lei, sendo 60% para o Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (Fundaf) e 40% para a Seguridade Social.

Operação Muralha teve início nesta terça-feira na região oeste

Na região oeste do Paraná, foi montada uma barreira de fiscalização na praça de pedágio de São Miguel do Iguaçu/PR por período indeterminado.

        Nesta terça-feira (30) foi deflagrada mais uma fase da Operação Muralha na praça de pedágio em São Miguel do Iguaçu. A Operação Muralha é coordenada pela Receita Federal em parceria com Justiça Federal de Foz do Iguaçu, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Exército, Marinha, Aeronáutica, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Polícia Militar do Paraná, Polícia Civil e Departamento de Inteligência do Estado do Paraná – DIEP), Justiça Estadual e Ministério Público Estadual da Comarca de São Miguel do Iguaçu e Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

        A abertura dessa nova etapa contou com a presença do Superintendente da 9ª Região Fiscal da Receita Federal e do Secretário de Segurança Pública do estado do Paraná, além de diversas autoridades representantes das instituições parceiras.

        O principal ponto de atuação será a barreira fixa de fiscalização, montada na praça de pedágio em São Miguel do Iguaçu. Além disso, haverá presença de equipes volantes em estradas secundárias da região, nas margens do Rio Paraná e do Lago de Itaipu. Estarão envolvidos com as atividades, no total, 350 servidores. A Operação contará ainda com o apoio de scanners, de equipes com cães farejadores, além de helicópteros da Receita Federal e da Polícia Civil.

        A infraestrutura que abrigará os servidores foi instalada ao lado da praça de pedágio e é composta por uma tenda, um ‘motor home’ e banheiros químicos, que proporcionarão uma estrutura mínima para as equipes.A atuação se dará de forma permanente e ininterrupta (24 horas por dia), com objetivo de verificação dos veículos que passarem pelo local no sentido Foz do Iguaçu – Cascavel.

        Esta ação está inserida no âmbito do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF) e tem por finalidade o fortalecimento do controle e da fiscalização, visando prevenir e combater os crimes de contrabando, descaminho, tráfico de drogas, de armas, de munições, de medicamentos, além de outros crimes praticados, com especial enfoque nos produtos que ingressam no Brasil vindos do Paraguai.

 

 

Operação Nipoti conta com mais dois colaboradores

A chamada operação Nipoti é um dos braços da operação Pecúlio,  a rumorosa operação federal que desmantelou um esquema criminoso que atuava no município na administração do ex-prefeito Reni Pereira (PSB). Isso tá todo mundo careca de saber. A Pecúlio já foi sentenciada, agora resta sentenciar a Nipoti. E o MPF acaba de anexar nos autos da Nipoti as delações do construtor de Cascavel chamado Paulo Gorski e seu filho.

GILMAR PIOLA SEMPRE FOI FÃ DO BONATO

Vejam o elogio que o Gilmar Piola largou para o Bonato quando se anunciava que o mesmo iria receber titulo de cidadão honorário da Câmara Municipal via vereador Márcio Rosa.

PITACO:  Dizer que o Bonato foi sempre injustiçado é de arrancar tatu do buraco, né fala mansa?

PITACO II: Daqui há pouco teremos eleição para presidir a Câmara Municipal, e o Bonato, montado na sua abissal honorabilidade já se posicionou: a candidata dos sonhos dele é a vereadora Nanci Rafain, a nossa querida mãe dos pobres. Aquele episodio do Rock In Rio na ótica do Bonato é café pequeno. A tentativa de esquentar Nanci deu-se na página do bicho comedor de carniça, local onde o Bonato fala com ele mesmo, achando que todo mundo é trouxa.

 

 

 

 

Beto Richa e outros 12 viram réus na Operação Rádio Patrulha

Beto Richa, ex-governador do Paraná, chegou a ser preso na Operação Rádio Patrulha — Foto: J.F.Diorio/Estadão Conteúdo

Beto Richa, ex-governador do Paraná, chegou a ser preso na Operação Rádio Patrulha

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) e outras 12 pessoas viraram réus na Operação Rádio Patrulha, do Ministério Público do Paraná (MP-PR). A denúncia foi aceita na terça-feira (30) pelo juiz Fernando Bardelli Silva Fischer, da 13ª Vara Criminal de Curitiba.

A operação investiga um esquema de propina para desvio de dinheiro por meio de licitações no programa “Patrulha do Campo”, para recuperação de estradas rurais do estado.

Veja os réus e os crimes imputados:

  • Beto Richa – corrupção passiva e fraude a licitação
  • Pepe Richa – corrupção passiva e fraude a licitação
  • Deonilson Roldo – corrupção passiva e fraude a licitação
  • Ezequias Moreira – corrupção passiva e fraude a licitação
  • Aldair Petry – corrupção passiva e fraude a licitação
  • Edson Casagrande – fraude a licitação e corrupção ativa
  • Túlio Bandeira – fraude a licitação e corrupção ativa
  • Emerson Savanhago – fraude a licitação
  • Robison Savanhago – fraude a licitação
  • Luiz Abi Antoun – corrupção passiva
  • Celso Frare – corrupção ativa
  • Joel Malucelli – corrupção ativa
  • André Felipe Bandeira – corrupção ativa

Beto Richa foi preso na operação em 11 de setembro. Após habeas corpus concedido pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ele foi solto, quatro dias depois.

Na aceitação da denúncia, o juiz afirma que entre as principais provas contra Richa está uma gravação em que ele trata de assuntos relacionados ao atraso do pagamento de propina com o delator Tony Garcia.

Além disso, a decisão indica que outras provas são a autorização da licitação do programa e a realização de aditivos, diversas menções ao ex-governador em conversas de outros réus e o fato “dos eventuais delitos terem sido praticados sob a estrutura do seu governo”.

Investigação

Segundo o MP, empresários e pessoas ligadas a eles ofereciam dinheiro em troca de atos de ofício por parte de agentes públicos para venceram as licitações.

O valor acertado, de acordo com os procuradores, correspondia a 8% do valor bruto dos contratos. Ao todo, diz a denúncia, foram pagos R$ 8.152.474,44 em vantagens indevidas, em 36 pagamentos mensais.

Beto era o “principal destinatário final das vantagens indevidas prometidas pelos empresários, plenamente ciente das tratativas e reuniões realizadas”, afirma a denúncia.

O que dizem os citados

As defesas do ex-governador, do irmão dele Pepe Richa, de Ezequias Moreira, Deonilson Roldo e André Bandeira disseram que só vão se manifestar no processo.

O advogado de defesa de Luiz Abi considera temerário o recebimento de denúncia “pautada exclusivamente na palavra de um delator que por diversas vezes faltou com a verdade ao Poder Judiciário, mesmo na qualidade de delator, e que possui extenso histórico criminal”.

A defesa de Edson Casagrande afirmou que “tem a convicção de que o processo demonstrará a inocência de seu cliente e que vai entrar com recurso para trancar a ação penal”.

O advogado de Túlio Bandeira afirmou que a “denúncia não procede e que vai provar a inocência do cliente”.

A defesa de Celso Frare informou que o juiz afastou a acusação de fraude em licitação. “Por essa razão, foi diminuída drasticamente a constrição patrimonial contra o Celso”. Ele disse ainda que irá se manifestar no processo e que confia na Justiça.

A defesa de Emerson e Robison Savanhago disse que “o recebimento da denuncia é um procedimento normal para esse tipo de expediente” e que na instrução processual terá “plenas condições de mostrar a inocência dos acusados”.

O advogado de Aldair Petry disse que o “recebimento já era esperado em vista da prisão ilegal que ocorreu”. “Para justificar aquele ato eles precisam dar continuidade. Irá responder com tranquilidade e com a certeza de que nada de irregular ou ilícito cometeu”.

A defesa do empresário Joel Malucelli afirmou que “nunca ofereceu nenhuma vantagem indevida a servidor público e sua empresa sequer venceu a licitação em questão. A acusação é improcedente e o processo é a oportunidade de provar sua inocência”.

PITACO: Chama o Gilmar Mendes que o bicho tá pegando!

Com G1 PR

Prefeitura de Foz do Iguaçu oferece vagas em 30 cursos profissionalizantes

As inscrições podem ser feitas em qualquer um dos cinco Centros de Referência da Assistência Social (Cras) de Foz do Iguaçu — Foto: Prefeitura de Foz do Iguaçu/Divulgação

As inscrições podem ser feitas em qualquer um dos cinco Centros de Referência da Assistência Social (Cras) de Foz do Iguaçu — Foto: Prefeitura de Foz do Iguaçu/Divulgação

A Prefeitura de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, está com inscrições abertas para 30 cursos profissionalizantes gratuitos. No total, são 900 vagas, 280 delas em cursos com início ainda em 2018.

As inscrições podem ser feitas em qualquer um dos cinco Centros de Referência da Assistência Social (Cras) da cidade.

Os interessados devem apresentar cópias dos documentos pessoais, comprovante de endereço e histórico escolar.

Inicialmente, as vagas foram oferecidas para pessoas inscritas em programas do governo federal. Agora, o excedente está sendo ofertado para a população em geral.

Cada curso terá em média quatro meses de duração, e ao final, o aluno receberá um certificado de formação reconhecido nacionalmente pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

As aulas das primeiras turmas começam no dia 5 de novembro.

Confira a lista de cursos:

Início em 2018

  • aplicador de revestimento cerâmico
  • carpinteiro de obras
  • confeiteiro
  • costureiro de máquina reta e overloque
  • eletricista de automóveis
  • eletricista instalador residencial
  • instalador e reparador de rede de computadores
  • mecânico de automóveis leves
  • mestre de obras
  • montador e reparador de computadores
  • padeiro
  • pedreiro de alvenaria
  • pintor de obras imobiliárias
  • torneiro mecânico
  • instalador hidráulico*
  • marceneiro de móveis*
  • mecânico de máquinas industriais*
  • mecânico de refrigeração e climatização comercial*

*cursos que terão a data do início confirmada a partir da disponibilidade dos laboratórios

Início em 2019

  • aplicador de revestimento cerâmico
  • instalador hidráulico
  • costureiro industrial do vestuário
  • costureiro sob medida
  • eletricista instalador residencial
  • fresador mecânico
  • instalador de acessórios automotivos
  • instalador e reparador de rede de computadores
  • marceneiro de móveis
  • mecânico de manutenção em freios, suspensão e direção automotiva
  • mecânico de manutenção em motores ciclo OTTO
  • mecânico de manutenção em transmissão automática
  • mecânico de manutenção em transmissão manual
  • mecânico de manutenção em veículos pesados rodoviários
  • mecânico de manutenção em transmissão automática
  • mecânico de refrigeração e climatização residencial
  • mestre de obras
  • montador de motores à diesel
  • montador e reparador de computadores
  • padeiro
  • pedreiro de alvenaria
  • pintor de obras imobiliárias
  • torneiro mecânico
  • Saiba onde as inscrições podem ser feitas:

CRAS Sul: Rua Lulas, 78 – SOHAB (Porto Meira)

  • telefones: 3901-3260/99997-3300
  • e-mail: cras.sul.pmfi@gmail.com

CRAS Leste: Rua Kid Jofre, 686 – Morumbi 2

  • telefones: 3901-3273/99997-3232
  • e-mail: cras.leste.pmfi@gmail.com

CRAS Norte: Avenida Andradina, s/n, Jardim Almada

  • Telefones: 3901-3268/99997-3231
  • e-mail: cras.norte.pmfi@gmail.com

CRAS Nordeste: Rur Boanerges Borba Souto Maior, 140, Jardim Bandeirantes

  • telefones: 3901-3271/99997-3311
  • e-mail: crasnordestepmfi@gmail.com

CRAS Oeste: Rua Engenheiro Rebouças, 1.495, Jardim Maracanã

  • telefones: 3527-7206 /99997-3334
  • e-mail: cras.oeste.pmfi@gmail.com

Feridas!

Staff de Bolsonaro avalia que Moro será ministro

O alto comando de Jair Bolsonaro trata como favas contadas a incorporação de Sergio Moro ao primeiro escalão do novo governo. “É praticamente certo”, disse ao blog um integrante do staff do presidente eleito. “Os sinais que recebemos indicam que o Moro deseja ser ministro da Justiça. De nossa parte, faremos o que for necessário para corresponder às expectativas dele.” Bolsonaro e Moro se reunirão nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro.

A intenção de Bolsonaro é a de fornecer a Moro todas as condições para que ele se sinta confortável na eventual migração da 13ª Vara Federal de Curitiba para a pasta da Justiça. A ideia é oferecer ao juiz uma estrutura administrativa que lhe permita sustentar a tese segundo a qual sua contribuição para a Lava Jato e para o esforço anticorrupção será ainda maior na Esplanada dos Ministérios.

A pasta da Justiça incorporaria a da Segurança Pública, desmembrada sob Michel Temer. Com isso, Moro teria sob seu comando a Polícia Federal e órgãos como o Cade (Conselho Administrativa de Defesa Econômica). Cogita-se incorporar ao ministério também a CGU (Controladoria-Geral da União). Mais: o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), hoje pendurado no organograma da Fazenda, pode ser acomodado sob o guarda-chuva da pasta a ser entregue a Moro.

De resto, Bolsonaro se dispõe a assumir dois compromissos com Moro. Na primeira oportunidade, indicará o agora quase ex-juiz da Lava Jato para uma vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal. E jogará o peso do novo governo numa articulação para aprovar no Congresso o pacote com mais de 70 medidas anticorrupção elaborado sob a coordenação da Fundação Getúlio Vargas.

Com Josias de Souza.

Arrume a quitanda, capitão

A vitória de Bolsonaro foi bem mais que um resultado eleitoral

Elio Gspari

Desde a hora em que a candidatura de Jair Bolsonaro encorpou, sua vitória era ao menos uma possibilidade. Abertas as urnas, ele levou a Presidência da República, elegeu três governadores e deu carona aos candidatos vitoriosos no Rio, São Paulo e Minas Gerais. Seu partido tinha oito deputados e ficou com 52. Vendaval semelhante, não acontecia desde 1974. Naquela eleição o eleitorado derrotou a ditadura. Nesta, derrubou peças de dominó. O voto anti-PT não foi tudo. Veio também um recado em relação ao costumes e outro, temível, associado à segurança pública. Talvez o ano de 1968 tenha terminado no Brasil durante seu cinquentenário. (A bandeira “Seja Marginal, Seja Herói”, de Hélio Oiticica, é de 68.)

Quem achava que boi, Bíblia e bala eram coisas de outro Brasil, calado, acordou com o estrondo de um país onde o boi empurra a economia, metade da população é favorável à pena de morte e a Bíblia é o livro mais lido. Infelizmente as turmas da bala e o setor paleolítico da turma do boi têm uma relação violenta com o andar de baixo.

Apoiadores de Jair Bolsonaro comemoram vitória do capitão reformado na eleição presidencial, no Rio de Janeiro
Apoiadores de Jair Bolsonaro comemoram vitória do capitão reformado na eleição presidencial, no Rio de Janeiro – Avener Prado – 28.out.2018/Folhapress

Os golpistas e os demófobos votaram em Bolsonaro e em seus candidatos, mas nem todos os seus eleitores podem ser considerados golpistas ou demófobos. A relevância de cada grupo será medida ao longo do mandato do capitão e caberá a ele administrar a quitanda defendendo a República de golpes, demofobias e, sobretudo, melhorando administração pública. Nos dias seguintes à vitória, tudo são planos, promessas e ambições, mas Bolsonaro foi eleito para fazer um serviço que durará quatro anos e pouco se sabe de seus projetos específicos.

Um rápido episódio ocorrido num hotel da Barra da Tijuca na segunda-feira mostra que o capitão precisa tomar conta da quitanda. O economista Paulo Guedes estava numa poltrona num saguão de hotel e começou uma entrevista. Irritou-se com uma pergunta sobre o Mercosul e deu uma resposta desconexa, pontilhada por uma impropriedade, pois na sua formação essa zona de comércio nada teve de ideológica. O Mercosul foi criado em 1991, durante o governo de Fernando Collor de Mello, e nele só estavam o Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. Até aí, tudo bem.

Depois de se irritar, Guedes reclamou da situação em que estava, espremido na poltrona, cercado de microfones diante de perguntadores desorganizados. Reclamou: “Eu não vou falar assim, não. Tem que ser organizado. Está muito desorganizado (…) São perguntas completamente desconexas. (…) Não é possível falar com 30 pessoas de uma vez só. Não dá, é simples como isso. Olha a posição em que eu estou.”

Tinha toda razão, mas quem provocou a bagunça foi ele quando aceitou conversar com jornalistas naquela posição. O doutor pode consultar os arquivos em busca de uma cena semelhante com o ministro Pedro Malan, ministro da Fazenda de FHC. Ele nunca desqualificou perguntas nem elevou a voz. Ter jornalistas farfalhando por perto faz bem ao ego, mas exige bons modos.

Tomara que o doutor entenda de economia e aprenda a conversar com repórteres. Quitandas têm regras. A berinjelas devem ficar à vista do freguês e o caixa, atrás do balcão. Nada teria custado a Guedes dizer que não falaria num saguão, muito menos espremido numa poltrona. Uma palavrinha ao gerente do hotel seria suficiente para que desse uma entrevista confortável, calma e sobretudo informativa.

Jair Bolsonaro colecionou pérolas de impropriedades dando entrevistas em corredores e batendo boca com colegas na Câmara. Agora o jogo é outro. Ele não deve ser imitado, pois a quitanda precisa de arrumação.

Elio Gaspari

Jornalista, autor de cinco volumes sobre a história do regime militar, entre eles “A Ditadura Encurralada”.

 

Ex-diretor do DER diz em delação premiada que havia ‘acordão politico’ para subverter a CPI dos pedágios

Novos ronds da operação Integração que levou Beto Richa & família ao cárcere são anexados ao processo. Se não fosse o ministro Gilmar Mendes poderiam estar lá até hoje. Veja a matéria que a RPC mostrou nesta terça (30). CPI dos pedágios foi manipulada politicamente diz delator. Gilmar Mendes deveria assistir essa matéria.

AQUI

 

 

 

Receita Federal retém um carro e dois ônibus carregados com pneus e eletrônicos

Neste sábado, dia 27, ação conjunta da Receita Federal de Foz do Iguaçu e BPFron resultou na retenção de um carro e dois ônibus carregados com pneus e eletrônicos, respectivamente. A ação foi realizada na BR-277 e no Posto Fiscal Bom Jesus, em Medianeira. No início da operação, o primeiro veículo abordado foi um carro com placas de Pato Branco/PR, onde estavam o motorista e uma passageira. Durante a inspeção, os servidores encontraram no bagageiro quinze pneus oriundos do Paraguai. O veículo foi retido por contrabando de pneus.

Na sequência, um ônibus com placas de Curitiba/PR foi abordado pelos fiscais. No momento da verificação, os servidores encontraram grande quantidade de eletrônicos e brinquedos.

Ainda durante a operação, um ônibus tentou fugir em alta velocidade da fiscalização. O motorista do veículo desviou do Posto de Fiscalização e tentou esconder-se em São Miguel do Iguaçu/PR. Os servidores acompanharam o veículo e deram ordem de parada, que só foi atendida após duas viaturas da RFB cercarem o veículo.

Os dois ônibus foram lacrados para posterior verificação por estarem carregados com mercadorias que evidenciavam destinação comercial, em sua maioria eletrônicos. Todos os veículos foram escoltados até a Alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu e lacrados para posterior verificação. Estima-se que o valor total das mercadorias ultrapasse R$ 380 mil.

Receita Federal retém dois veículos carregados com eletrônicos e azeite de oliva

 

Na sexta-feira, dia 26, ação da Receita Federal de Foz do Iguaçu e Cascavel resultou na retenção de dois veículos carregados com eletrônicos e azeite de oliva.A primeira ação foi realizada em Corbélia/PR. Os servidores abordaram uma Fiorino com placas de Foz do Iguaçu/PR. Durante a inspeção, foram encontrados vários galões de cinco litros de azeite de oliva argentino. O veículo foi escoltado até a Delegacia da Receita Federal em Cascavel e lacrado para posterior verificação.

Na sequência, outro veículo com placas de Belo Horizonte/MG foi abordado no Posto Fiscal Bom Jesus, em Medianeira/PR. No seu interior havia diversos tipos de mercadorias, em sua maioria eletrônicos. O veículo foi encaminhado à Alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu e lacrado para posterior verificação por evidenciar destinação comercial. Estima-se que o valor total das mercadorias ultrapasse R$ 30 mil.

Veículos e eletrônicos em fundo falso são apreendidos na Ponte Internacional da Amizade

Na Aduana da Ponte Internacional da Amizade, no âmbito da Operação Fronteira Integrada, ação conjunta entre servidores da Receita Federal, policiais do BPFron e da Força Nacional resultou na apreensão de dois veículos com mercadorias em fundo falso.A primeira abordagem ocorreu no sábado, dia 27, em um veículo ocupado pelo motorista e três passageiros. Durante a vistoria nas bagagens, foi iniciada uma inspeção minuciosa no interior veículo, a qual revelou um fundo falso sob o assento do passageiro contendo diversos eletrônicos, em sua maioria canhões de luz, antenas e roteadores para internet.

Já na segunda-feira, dia 29, os servidores abordaram um táxi paraguaio que seguiria para o Brasil. Durante a vistoria, os servidores encontraram 24 celulares escondidos em fundo falso. Após a abertura das caixas lacradas, constatou-se que os aparelhos eram usados e até danificados.

Os veículos foram apreendidos e os condutores e passageiros liberados, porém, será enviada ao Ministério Público uma Representação Fiscal para Fins Penais para apuração dos ilícitos. Estima-se que os itens apreendidos contabilizem aproximadamente R$ 22 mil.