Arquivo mensais:dezembro 2018

“Gritei por Justiça. Não me ouviram”, diz vítima de João de Deus

Entrevistada pelo Fantástico, a mineira Camila Correia Ribeiro disse ter sido abusada pelo médium na frente do pai, em Abadiânia (GO)

Reprodução/TV Globo

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Mais um relato dos abusos sexuais cometidos pelo médium João de Deus foi escancarado na noite deste domingo (16/12), no programa Fantástico, da TV Globo. A mineira Camila Correia Ribeiro sofria de síndrome do pânico quando procurou o líder espiritual em 2008 e teria sido molestada, na frente do próprio pai. Desde o último dia 12, relatos como o da jovem não param de surgir: de lá para cá, o Ministério Público de Goiás recebeu mais de 300 denúncias de mulheres, brasileiras e estrangeiras, que teriam sexualmente abusadas pelo líder espiritual.

A visita de Camila a João de Deus ocorreu há 10 anos: ela tinha 16 anos e estava acompanhada do pai: foi molestada na frente dele, conforme a jovem disse à reportagem. O ato ocorreu durante consulta realizada na Casa Dom Inácio de Loyola – centro espírita mantido pelo médium em Abadiânia (GO).

Ele falou comigo que eu seria curada. E começou a passar a mão em mim, no peito, na vagina, no bumbum

Camila Correia Ribeiro, que teria sido molestada aos 16 anos

Camila se mostrou imediatamente incomodada com os gestos invasivos do médium. “E ele falou assim: ‘Calma, isso faz parte do tratamento”, narrou. O pai, Augustinho, apesar de estar a poucos metros da cena, não soube o que fazer: ele foi orientado a permanecer de olhos fechados durante o “atendimento” da filha. “Pensava que ela estava recebendo a cura. Não pude fazer nada”, lamentou.

Segundo o relato de Camila, João de Deus prosseguiu com o abuso, pegando a mão da jovem e a colocando em seu pênis. De volta a Minas Gerais, a jovem contou o que houve para a mãe. Os pais, então, procuraram a delegacia e registraram boletim de ocorrência contra o líder espiritual.

Segundo a apuração do Fantástico, Camila foi uma das primeiras mulheres a procurarem a Justiça para denunciarem o médium. Nesta tarde, após João de Deus se render e ser levado a Goiânia para prestar depoimento, o delegado-chefe da Polícia Civil do estado, André Fernandes, disse que, além da apuração dos 300 relatos feitos desde o último dia 12 ao Ministério Público de Goiás, há mais três inquéritos sobre denúncias contra João de Deus em andamento: ele não as detalhou.

Ainda de acordo com a reportagem da TV Globo, uma outra jovem, também de 16 anos e mineira, recorreu à Justiça para dizer que havia sido assediada na Casa Dom Inácio. Mas a vítima desistiu de levar seu relato adiante e o episódio terminou sem julgamento.

O resultado do caso de Camila saiu em 2013. A juíza responsável, Rosângela Rodrigues Santos, decidiu absolver e arquivar a denúncia, alegando que o pai poderia ter reagido à atitude do abusador.

O Ministério Público de Goiás recorreu da decisão, mas o relator, Fabio de Campos Faria, duvidou da mineira, justificando que a narrativa da jovem seria fruto da síndrome de pânico sofrida por ela. O médium foi novalmente absolvido, agora por falta de provas.

“Fiquei como errada, sabe?”, disse Camila. O caso dela não cabe mais recurso e não pode ser reaberto. “Eu gritei por justiça lá atrás. Não me ouviram. Mas eles podem ouvir elas agora. Eu não preciso ter medo. Necessito mostrar que superei isso. Sou forte, escolhi o Direito por isso. Luto pela justiça. Fui vítima há dez anos. Não sou mais hoje”.

Denúncia na Austrália
Além da história de Camila, a reportagem do Fantástico mostrou ainda outro episódio relacionado a antigas denúncias contra o médium.

Em 2014, João de Deus foi entrevistado por uma televisão australiana para o programa 60 Minutes sobre um caso de 2010: uma colombiana disse ter sido abusada pelo brasileiro em um centro de cura no estado norte-americano do Arizona.

O repórter pergunta se o líder espiritual já abusou sexualmente de alguém, mas a tradutora do médium se recusa a transmitir o questionamento. A tradutora da reportagem passa a pergunta adiante. E João responde: “Da sua mãe”.

Depois, ele pede para ver o material gravado pela equipe australiana, que se recusa a mostrar o conteúdo registrado.

FASCISMO UM ALERTA by Madeleine Albright

Madeleine Albricht tem 80 anos (mas parece ter 60). Lúcida e extremamente preparada. Uma tigresa do saber. Escreveu mais um livraço, o sexto dela.

Ao conteúdo:

Relegado por décadas aos livros de História, o termo “fascista” passou a ser invocado com mais frequência nos últimos tempos como sinônimo de algo ou alguém que achamos autoritário, violento e desagregador. Sem uma definição clara de seu significado para as gerações mais novas, que acabam relacionando ao populismo, a expressão tem sido usada como muleta nesses tempos de polarização política, espécie de xingamento definitivo para encerrar qualquer discussão. “Discorda de alguém? Chame-o de ‘fascista!’ e se livre da necessidade de apoiar os seus argumentos com fatos.” É assim que a veterana diplomata e acadêmica americana Madeleine Albright, de 80 anos, explica o que a levou a escrever Fascism, a Warning (“Fascismo, um aviso”, em tradução livre), livro oportuno recém-lançado no Brasil.

 

Senadora quer que estupro seja imprescritível após caso João de Deus

Simone Tebet falou sobre a proposta em sua conta no TwitterBRASIL

Reprodução

Para Simone Tebet, as denúncias contra o líder espiritual, se comprovadas, demonstram o quanto a retirada da prescrição para casos de estupro é importante. “Muitos casos denunciados contra João de Deus, e contra outros, se comprovados, estão prescritos. Cruel, injusto”, escreveu a senadora.

Simone Tebet

@SimoneTebetms

PEC, relatada por mim, torna estupro crime imprescritível. Muitos casos denunciados contra “João de Deus”, e contra outros, se comprovados, estão prescritos. Cruel, injusto. Senado já fez sua parte. Câmara precisa votar em fevereiro, após fim da intervenção Federal no RJ e em RR.

65 pessoas estão falando sobre isso

A PEC, de autoria do senador Jorge Viana (PT-AC), permite que as vítimas denunciem o crime à Justiça a qualquer tempo. Hoje, esse prazo é de 20 anos, após o qual ocorre a prescrição. A medida está parada na Câmara dos Deputados devido à intervenção federal nos Estados do Rio de Janeiro e de Roraima, até 31 de dezembro.

O caso
João de Deus é considerado foragido da Justiça e seu nome foi incluído na lista da Interpol. A prisão preventiva contra ele havia sido decretada no fim da manhã de sexta-feira (14/12). O prazo para se entregar terminou às 14 horas do sábado (15/12). João de Deus deve se entregar neste domingo (16/12). O jornal “O Estado de S Paulo” apurou que a data foi definida em uma negociação entre a polícia e a defesa do médium.

A reportagem ainda não conseguiu contato, neste domingo, com os defensores do líder espiritual para saber quando e onde, de fato, ele irá se entregar. O advogado de defesa de João de Deus, Alberto Zacharias Toron, havia afirmado em entrevista que seu cliente vai se entregar antes da apresentação do habeas corpus. A ação será proposta na segunda-feira (17/12).

Uma vez preso, João de Deus seria levado para Goiânia, onde deve acontecer o interrogatório. O Ministério Público de Goiás também investiga eventual movimentação suspeita de recursos financeiros, como transferência de dinheiro das contas de João de Deus.

 

Deuses, não. Abusadores de mulheres

João de Deus, e o médico Roger Abdelmassih, no que pese estar condenado a 287 anos, segue em prisão domiciliar em sua mansão em São Paulo. Até mordomo tem. Um mimo do STF

Denunciado por assédio sexual e estupros de centenas de pacientes espirituais, João de Deus segue a trilha perversa de Roger Abdelmassih e vê sua reputação aniquilada do dia para a noite

PEDRO LADEIRA / AFP

O médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, vinha exercendo tranquilamente seus supostos poderes paranormais em Abadiânia, Goiás, há 44 anos. Graças à sua fama, o lugar virou um dos principais pólos de peregrinação espiritual do mundo. Chamada de centro de medicina da alma, a Casa de Dom Inácio de Loyola atraia pelo menos dez mil pessoas para a cidade todos os meses, boa parte estrangeiros, e parecia um lugar abençoado, repleto de entidades mágicas onde as pessoas procuravam e encontravam algum tipo de cura e paz de espírito. Pura ilusão. Mostrou-se agora que o lar de João de Deus era também um templo da perdição. Uma sala privativa localizada na saída do espaço de atendimento coletivo funcionava como o covil de um assediador em série.

Leia mais 

 

Conselho Editorial da azedinha sumiu do expediente

Semana passada comentamos que o jornaleco chinfrim do Bonato & Cia decidira restituir pela enésima vez o conselho editorial (provavelmente empolgados pela vitória do Vermelho). Designou-se para compô-lo, o Bonato (o eterno criador das coisas que nunca dão certo), o João Adelino (o rapaz do lote), e o filho do Vermelho, o Thadeu Veloso Maria, o “little Red”. O Fabinho, o “little Orange” continua sendo o diretor geral, mas pouco apita. Continua procurando o pokemon, mas nunca acha…
Dissemos na ocasião que o Bonato por estar com os direitos políticos suspensos não poderia  ser membro de conselho editorial de jornal. Até conclamei que alguma autoridade se manifestasse.
Isso posto, neste sábado encontro um exemplar da azedinha numa barbearia e ao folhear descubro que no expediente não constava mais o tal conselho editorial. Vazaram!

Lembrando que pessoas que ficam com os direitos políticos suspensos por condenações por improbidades, ou coisa que o valha, passam a ser cidadãos de segunda linha, meia boca… Uma coisa vergonhosa para quem tem isso na cara.

PITACO: Um gaiato que estava no salão gritou lá do fundo: Olha o Língua mais uma vez botando gosto ruim no angú do gordo. E boto mesmo, ele merece!

Abaixo o conceito de improbidade:

Abaixo uma fotinha do expediente de sábado mostrando que o conselho editorial foi pro vinagre.

E já que estamos tratando dessa gente descobrimos que o PFL no município foi parar sob o controle do grupo do Vermelho (titio Nadir Rafain foi escalado para presidi-lo). A ideia é ir preparando o couro do “little Red” para sair na disputa pela sucessão do Chico. Será?

TERÇA MÁGICA

Sessão desta terça na Câmara Municipal decidirá quem irá presidir o legislativo pelos próximos dois anos. Rogério Quadros (PTB) gostou do mingau e quer continuar. Eu, sinceramente, acredito que o Elizeu Liberato (PR) é um dos nomes mais probos daquela casa de leis. Ele deve disputar. Nunca vi o nome do Elizeu envolvido em nenhum malfeito. Aguardemos.

O CLÃ REQUIÃO NÃO QUER LARGAR O OSSO

Do Zé Beto

O que na teoria parecia uma campanha de oposição ou independente, na prática deixa o comando político, administrativo e financeiro do MDB nas mãos do clã.
Além de Arruda, sobrinho de Requião como presidente, o partido terá o filho de Requião, Maurício, como primeiro-secretário e a sobrinha do senador, Daniele, como tesoureira. O próprio Requião será vogal com direito a voto na executiva.
Como ensina o príncipe de Falconeri (no livro O leopardo), “tudo deve mudar para que tudo fique como está”.

 

 

João de Deus tirou R$ 35 mi de contas, diz MP

Na última quarta-feira (12), o Ministério Público Federal de Goiás detectou movimentação atípica em contas bancárias abertas em nome de João Teixeira de Faria, o João de Deus. Num instante em que avolumavam-se nas manchetes as denúncias de abuso sexual que carbonizaram a imagem do médium, teriam saído das contas dele cerca de R$ 35 milhões.

Em notícia veiculada pelo jornal O Globo, o repórter Patrik Camporez informou que a descoberta das operações bancárias apressou o pedido de prisão de João de Deus, deferido pela Justiça na última sexta-feira (14). O dinheiro foi sacado de aplicações financeiras, informaram investigadores do caso.

As autoridades farejaram na movimentação uma tentativa de ocultação de patrimônio. O número de mulheres que acusam o médium de abuso sexual passa das três centenas. João de Deus entregou-se ás autoridades neste domingo (16).

Caso João de Deus pode ter envolvimento de quatro funcionários

Nesta sexta-feira (14), foi determinada a prisão preventiva do médium, suspeito de praticar abusos sexuais durante tratamentos espirituais

Fernando Caixeta/Metrópoles

Mulheres ouvidas pelo Ministério Público afirmaram que alguns funcionários do médium João de Deus eram coniventes com os abusos sexuais cometidos durante as sessões espirituais em Abadiânia (GO). Segundo as promotoras responsáveis, as vítimas apontaram quatro funcionários, cujos nomes se repetem nos depoimentos. O fato será apurado pelo MP de Goiás, que é responsável pelas investigações do caso.

A força-tarefa instituída pelo MP de Goiás para apurar as acusações de abuso sexual feitas contra o médium recebeu desde o dia 10, quando foi criado o e-mail para recebimento de denúncias de vítimas, um total de 330 mensagens e contatos por telefone. O e-mail específico para essa finalidade é o denuncias@mpgo.mp.br. Os atendimentos são de denunciantes de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Pará e Santa Catarina.

A investigação instituída pelo procurador-geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres Neto, é formada por cinco promotores e duas psicólogas da equipe do MP para integrarem a força-tarefa. O grupo é composto pelo promotor de Justiça Steve Gonçalves Vasconcelos, que está em substituição da Promotoria de Abadiânia, onde os fatos teriam, o coordenador adjunto do Centro de Apoio Operacional (CAO) Criminal do MP, Luciano Miranda Meireles e Paulo Eduardo Penna Prado; a coordenadora do CAO dos Direitos Humanos, Patrícia Otoni, e a promotora Gabriella de Queiroz Clementino, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). As psicólogas são as servidoras Liliane Domingos Martins e Lícia Nery Fonseca.

O procurador-geral de Justiça também encaminhou no dia 11 um ofício circular aos procuradores-gerais de Justiça dos MPs Estaduais e do Distrito Federal solicitando que sejam designadas unidades de atendimento para coleta de depoimentos de possíveis vítimas do médium.

Pedido de prisão
A Justiça de Goiás determinou, nesta sexta-feira, 14, a prisão preventiva de João de Deus, suspeito de praticar abusos sexuais durante tratamentos espirituais, em Abadiânia, cidade goiana do entorno do Distrito Federal. A informação foi confirmada pelo secretário de Segurança Pública de Goiás, Irapuan Costa Júnior. Um dos advogados que compõem a defesa de João de Deus, Thales Jayme disse que foi informado sobre o mandado de prisão, mas não tinha recebido o documento até as 12h30. Ele declarou também que não conseguiu falar com médium nesta manhã.

DE CABELO EM PÉ

Presidente eleito Bolsonaro ficou de cabelo em pé quando soube que a Caixa Econômica torrou R$ 2,5 bilhões com publicidade em 2018. Com toda razão! Isso não pode continuar.

TJ-PR reduz pena de ex-deputado Carli Filho, e prisão será em regime semiaberto

Ex-deputado Carli Filho tinha sido condenado a 9 anos e 4 meses de prisão em fevereiro de 2018. — Foto: Theo Marques/Framephoto/Framephoto/Estadão Conteúdo

Ex-deputado Carli Filho tinha sido condenado a 9 anos e 4 meses de prisão em fevereiro de 2018. — Foto: Theo Marques/Framephoto/Framephoto/Estadão Conteúdo

A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) reduziu a pena do ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho em julgamento na noite desta quinta-feira (13). Com isso, a prisão será em regime semiaberto.

Desde a condenação, em fevereiro deste ano, Carli Filho aguardava em liberdade o julgamento da apelação do júri popular.

Ele foi condenado pelo Tribunal do Júri por duplo homicídio com dolo eventual a nove anos e quatro meses de prisão – pelas mortes de Gilmar Rafael Souza Yared e Carlos Murilo de Almeida, em um acidente de trânsito em Curitiba, em 2009.

Nesta quinta-feira, os desembargadores avaliaram se o julgamento seguiu o rito legal e se o tempo da pena fixada foi o correto. O fato de Carli ser culpado ou inocente não foi julgado, já que isso foi feito pelo júri popular, que é soberano.

O relator do caso, desembargador Naor Macedo, manteve a pena para ser cumprida inicialmente em regime fechado.

Já o revisor, desembargador Clayton Camargo, reduziu a pena para sete anos de reclusão, em regime semiaberto.

O vogal, desembargador Miguel Kfouri, também divergiu na pena, fixando em sete anos, quatro meses e 20 dias, também em regime semiaberto.

Com a divergência em relação ao tempo de prisão, o julgamento foi suspenso e deve ser retomado em fevereiro de 2019 para definição da pena, que deve ficar entre sete anos e sete anos e quatro meses.

Quando a pena é abaixo de oito anos, há a possibilidade de o condenado cumpri-la no regime semiaberto. Ainda não se sabe se Carli Filho usará tornozeleira eletrônica ou não.

Depois da dosimetria definida, ainda cabem recursos. O cumprimento da pena começa depois que todas as apelações forem julgadas e a decisão for publicada no Diário da Justiça.

A apelação da defesa de Carli Filho questionou se o julgamento foi justo, conforme as regras do direito, e se o cálculo da pena tinha sido adequado.

Leia mais 

Do legislativo nativo

Corte de gastos na Câmara gera economia de R$ 4,7 milhões no ano

Com as medidas de corte de gastos e o fim das mordomias, a Câmara Municipal de Foz do Iguaçu economizou R$ 4,7 milhões em 2018. O montante foi devolvido ao Executivo em um ato de prestação de contas realizado nesta sexta-feira (14) pela mesa diretora presidida pelo vereador Rogério Quadros (PTB) e com a presença do prefeito Chico Brasileiro, do vice Nilton Bobato, secretários e representantes da sociedade civil organizada. O valor economizado será destinado às demandas de melhorias na cidade, principalmente nas áreas de maior interesse social como saúde, educação e segurança pública. Nos dois anos de gestão da atual mesa diretora foram devolvidos à prefeitura R$ 8,1 milhões.< /span>
Na prestação de contas, Rogério Quadros mostrou estatísticas comprovando o recorde de atividades dos vereadores nestes dois anos da atual legislatura. O comparativo ilustra o aumento da produtividade nos trabalhos da casa
Saiba mais em: https://bit.ly/2Es35Wc
Clique aqui para mais fotos: https://bit.ly/2rCYKHq

Orçamento do Município para 2019 é aprovado na Câmara

Foi aprovado em 1ª e 2ª discussões, durante a sessão extraordinária realizada nesta sexta-feira (14), o orçamento do Município de Foz do Iguaçu para 2019. O projeto de lei encaminhado pelo Executivo e analisado pelas comissões da Casa de Leis, prevê uma receita de R$ 1.123.777.045,50 que será distribuída entre os órgãos municipais.
Os maiores valores foram destinados para as secretarias de Saúde (R$ 296.682.911,10) e Educação (224.448.256,56). A Secretaria Municipal de Segurança Pública receberá R$ 49.888.000,00. A Secretaria Municipal De Turismo, Indústria, Comércio e Projetos estratégicos também terá um acréscimo no repasse do orçamento. O montante utilizado neste ano foi de R$ 18.595.500,00 e para 2019 a pasta receberá R$ 22.467.007,99.
Saiba mais em: https://bit.ly/2UIfni5

Aprovados critérios para nomeação de assessores na Câmara de Foz

O Legislativo definiu critérios para nomeação de cargos comissionados. A medida foi uma recomendação do Tribunal de Contas do Estado do Paraná e a Mesa Diretora elaborou o Projeto de Resolução 09/2018 estabelecendo parâmetro para as nomeações a partir de 1º de janeiro de 2019. Os vereadores aprovaram o projeto em 1ª discussão nesta sessão de quinta-feira, 13 de dezembro, e volta à pauta do dia 18/12, última sessão ordinária de 2018, para 2ª discussão e votação.
Saiba mais em: https://bit.ly/2RRPIBW

Clique aqui para mais fotos: https://bit.ly/2BjcBXA

VEREADORES QUE SE DIZEM DE OPOSIÇÃO DIVULGAM COMUNICADO 

VEREADORES DISCUTEM CHAPA PARA CONCORRER À MESA DIRETORA DA CÂMARA DE FOZ

Os vereadores que vem discutindo a composição da chapa que vai concorrer à Eleição da Mesa Diretora, acreditam que poderão fazer a interlocução tanto com o executivo municipal quanto com o estadual e federal, buscando investimentos e o desenvolvimento da cidade, com o comprometimento de apoiar projetos voltados para o bem comum.
Fazem parte do grupo, os vereadores Márcio Rosa (PSD), Elizeu Liberato (PR), Inês Weizemann (PSD), João Miranda (PSD), Celino Fertrin (PDT) e Adenildo Rodrigues “Kako” (PODEMOS). A eleição está marcada para a próxima sessão ordinária, que será realizada na terça-feira, 18.
Mais vereadores poderão vir a fazer parte do grupo, que acredita ter um bom relacionamento com o governo do Estado, com o governo Federal, com a Itaipu e também com o Prefeito. O objetivo é trabalhar em conjunto e defender os interesses da cidade.

A SESSÃO É ABERTA À POPULAÇÃO

Embora seja um procedimento interno da Câmara, a sessão é aberta à população que pode acompanhar o processo.
Todos os cargos serão eleitos por votação nominal, com a maioria absoluta dos votos. Se não houver maioria, ocorre uma nova eleição e é considerada eleita, a mais votada ou, em caso de empate, será vencedora a chapa cujo postulante à presidência seja o mais idoso.
Por meio do voto eletrônico, cada vereador manifesta o seu apoio e o resultado é anunciado logo após a apuração dos votos. Os eleitos são considerados empossados a partir de 01 de janeiro do ano que vem e deverão permanecer nos cargos até o fim desta legislatura.

A MESA DIRETORA

A Mesa será composta por um Presidente, um Primeiro Vice-Presidente, um Segundo Vice-Presidente, um Primeiro Secretário e um Segundo Secretário, sendo assegurada a representação proporcional dos Partidos com assento na Casa. Compete à Mesa, dentre outras atribuições previstas na Lei Orgânica do Município, o seguinte:
– elaborar e encaminhar ao Prefeito Municipal a proposta orçamentária da Câmara;
– elaborar o orçamento analítico da Câmara;
– propor Projetos de Lei dispondo sobre abertura de créditos suplementares ou especiais, com recursos indicados pelo Executivo e por Projeto de Resolução mediante anulação parcial ou total de dotações da Câmara;
– devolver à Tesouraria da Prefeitura o saldo de caixa existente na Câmara no final de cada exercício;
– orientar os serviços administrativos da Câmara e elaborar o seu regulamento;
– proceder a redação final das resoluções, modificando o Regimento Interno ou tratando da economia interna da Câmara;
– determinar a reconstituição dos processos extraviados ou retidos indevidamente;
– propor ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo municipal;
– promulgar emendas à Lei Orgânica;
– tomar providências necessárias à regularidade dos trabalhos legislativos.

E AS COMISSÕES?

No mesmo dia da eleição para a Mesa Diretora, serão escolhidos os integrantes das Comissões da Câmara. O objetivo das comissões é proceder estudos, emitir pareceres especializados, realizar investigações e representar o Legislativo.

O PAPEL DO CIDADÃO

Se você ainda não tem o costume de acompanhar os trabalhos dos vereadores da sua Cidade, tem uma grande oportunidade de comparecer às sessões da Câmara e ajudar a construir a história a nossa historia. Além de comparecer e acompanhar os procedimentos do Legislativo, você pode procurar o vereador que você elegeu, ou qualquer outro, com o qual você se sinta à vontade, e apresentar sugestões para melhorar a qualidade de vida na região onde você mora, no seu bairro ou até mesmo na sua rua. Além disso, você mesmo pode apresentar suas propostas na Câmara, protocolando a sua sugestão na recepção da Casa.
E lembre-se: quem participa, quem sugere, quem está presente, tem mais argumentos para cobrar. Então participe das sessões da Câmara e ajude a construir uma Foz melhor.
(Márcio Rosa, Elizeu Liberato, Inês Weizemann, João Miranda, Celino Fertrin, e Adenildo Rodrigues “Kako”)

 

Deputada Claudia Pereira presta conta de seu mandato

A Deputada Claudia Pereira encerra em 2018 um mandato profícuo, produtivo e coerente com sua trajetória política.

Foram 57 leis sancionadas, 71 projetos de leis apresentados, 3 PEC´s (Projetos de Emenda Constitucional), 2 Projetos de Resolução e 873 requerimentos.

A maioria das leis aprovadas dizem respeito a inciativas para melhorar as condições das crianças, adolescentes, pessoas idosas, pessoas com deficiências e das mulheres.

Participou efetivamente da Comissão de Constituição e Justiça, onde pode discutir e até mesmo barrar iniciativas legislativas contrárias aos princípios que devam nortear as boas práticas morais, familiares, educacionais.

Também Presidiu a Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência, pautando ações dos interesses difusos dessas pessoas, na busca da garantia de seus direitos.

Travou e ganhou grandes batalhas legislativas, especialmente em três casos de grande repercussão: em relação ao Projeto de Lei nº 505/17 que tratou sobre a organização da política da criança e do adolescente no Estado do Paraná, quando apresentou Substitutivo Geral que aperfeiçoou e corrigiu o projeto original, atendendo os reclamos das entidades envolvidas e que redundou na Lei nº 19173/17; relatou e apresentou Substitutivo Geral ao Projeto de Lei nº377/15 que aprovou o Plano Estadual de Educação, excluindo a chamada “ideologia de gênero”, que constava do Plano original e que tornou-se a Lei nº18.492/15 e, também, apresentou como autora o Projeto de Lei nº 145/15, que instituiu no âmbito do Estado do Paraná o Programa de Exame de Mamografia Móvel – Mamóvel, que redundou na Lei º 18595/15.

Com assessoria da deputada.