Em Foz do Iguaçu, policiais usam bombas de gás para conter manifestantes

 

Um professor, que fazia parte de um grupo de manifestantes que tentava impedir a saída de ônibus do Terminal de Transporte Urbano (TTU), foi detido por policiais militares — Foto: Reprodução/RPC

Um professor, que fazia parte de um grupo de manifestantes que tentava impedir a saída de ônibus do Terminal de Transporte Urbano (TTU), foi detido por policiais militares — Foto: Reprodução/RPC

Policiais usaram bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha para conter a manifestação em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, no fim da manhã desta sexta-feira (14). Manifestantes arremessaram pedras contra os agentes.

Um professor da rede estadual, que fazia parte de um grupo de manifestantes que tentava impedir a saída de ônibus do Terminal de Transporte Urbano (TTU), foi preso por desobediência, desacato e resistência à prisão.

Uma professora ficou ferida durante o confronto. Ela foi socorrida e encaminhada para a UPA

Polícia usa gás e bala de borracha para dispersar manifestantes

Polícia usa gás e bala de borracha para dispersar manifestantes

O grupo se reuniu em frente ao Bosque Guarani por volta das 7h e voltou no fim da manhã depois de uma passeata pelas principais ruas do Centro da cidade. A manifestação foi encerrada por volta das 13h30.

Os atos fazem parte da greve geral aderida por várias categorias de trabalhadores em todo o país nesta sexta-feira.

Os manifestantes protestaram, entre outros, em defesa da educação e contra a reforma da Previdência, o desemprego e a liberação do uso de armas de fogo.

Outro lado

Em nota, a PM informou que acompanhava desde o início a manifestação e que foi solicitado para que os manifestantes saíssem do local e que “o manifestante investiu contra a equipe com xingamentos e por esse motivo foi preso por desacato e desobediência”.

Quanto à manifestante ferida, a PM disse que a atendeu ela no local e que provavelmente foi atingida por uma pedra lançada por outros manifestantes.

Professores que a acompanharam afirmaram, no entanto, que ela foi atingida na nuca por um tiro de borracha.

PITACO: Até o fechamento desta edição o professor seguia preso na 6a SDP.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *