Arquivo mensais:julho 2019

Investigados ‘aumentavam tipo de lesão’ para fraudar DPVAT no Paraná, diz delegado

Investigação da Polícia Civil aponta que nove pessoas presas ontem (terça-feira, 30), em uma operação, fraudaram pelo menos 365 indenizações do Seguro DPVAT no Paraná. Entre os presos, está o diretor do Instituto Médico-Legal de Umuarama. Segundo a polícia, ao longo de cinco meses de investigações, foi identificada fraude que teria causado prejuízo superior a R$ 1 milhão.

O grupo investigado por fraudar pedidos do Seguro DPVAT em Umuarama teria atuado em três núcleos distintos. A irregularidade teria tido início pela atuação de um funcionário de um hospital. Esse suspeito direcionaria as vítimas de acidentes de trânsito que passavam pelo pronto atendimento a uma empresa que realizava os pedidos de DPVAT. Segundo a polícia, essa pessoa repassava os nomes e contatos das vítimas para a empresa entrar em contato e captar clientes.

O delegado Gustavo Mendes Marques de Brito destacou que esse funcionário também era responsável por falsificar prontuários médicos ao aumentar o tipo de lesão sofrida pela vítima. Essa informação sustentava um pedido de valor de seguro maior.

“Cinco pessoas ligadas a uma empresa intermediária, um escritório de assessoria DPVAT foram presas. Além de uma pessoa que trabalha em um hospital da cidade e que era responsável por direcionar acidentados para o escritório, além de falsificar alguns prontuários médicos para fazer com que os acidentados pudessem receber valor maior do que o realmente devido. Servidores do IML de Umuarama que também tinham ligação com essa empresa na medida em que facilitava a marcação de perícias dos acidentados desse escritório, além de fraudar o laudo de lesão corporal, fazendo constar no laudo uma lesão maior do que efetivamente a pessoa sofreu por ocasião do acidente automobilístico”, afirma o delegado.

Segundo a polícia, a fraude ainda tinha o apoio de uma recepcionista terceirizada e de um médico legista do IML. Essa funcionária marcava uma quantidade grande de perícias de pessoas que sofreram acidente de trânsito no mesmo dia com o médico legista investigado. A polícia afirma que a empresa exigia o repasse de 30% do valor solicitado ao DPVAT pelo segurado. O esquema criminoso foi descoberto pela própria seguradora. Em uma auditoria interna, a empresa cruzou informações internas de protocolos e descobriu que os laudos de um hospital de Umuarama e do IML estavam fraudados. Ao menos 80 prontuários tinham a mesma numeração. O relatório dessa investigação foi repassado à Polícia Civil.

As empresas envolvidas informaram que os funcionários presos foram afastados. As defesas dos dois médicos investigados negam que eles tenham participação em crimes ou fraudes, mas informaram que ainda não tiveram acesso ao processo que é sigiloso.

Com o Bem Paraná

Argentino é flagrado tentando embarcar com 1,8 kg de cocaína preso ao corpo

A droga estava presa às pernas do estrangeiro e foi identificada com a ajuda de um 'bodyscan' — Foto: Polícia Federal/Divulgação

A droga estava presa às pernas do estrangeiro e foi identificada com a ajuda de um ‘bodyscan’ — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Um argentino de 41 anos foi flagrado na manhã desta terça-feira (30) tentando embarcar com cerca de 1,8 kg de cocaína preso ao corpo no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

Segundo a Polícia Federal, o estrangeiro seguiria para Lisboa, em Portugal, com escala em Guarulhos (SP).

A droga foi descoberta com a ajuda de um “bodyscan” (escâner de corpo) depois de o comportamento dele chamar a atenção dos policiais federais.

Aos agentes, o estrangeiro disse que mora em Buenos Aires e que foi recrutado por outro argentino para fazer o transporte da cocaína do Paraguai até a Europa.

 José Alexandre Saraiva lança obra “Labiata” em Foz do Iguaçu

Noites de autógrafos serão realizadas dias 30/07 na Livraria Curitiba do Shopping Estação, dia 13/08 no Centro de Letras do Paraná e dia 23/08 no shopping Catuaí

Épico nordestino a viajar pelas mais recônditas paragens do mundo onde nasceram Graciliano Ramos, Lampião, Ariano Suassuna, João Cabral de Mello Neto, Hermeto Pascoal, Jorge Amado, Augusto dos Anjos e outros gênios das letras e do cancioneiro nacional, a obra “De Labiata a Lagoa da Canoa passando por Tacaratu, via Quipapá ou Caruaru”, do escritor, jornalista e advogado José Alexandre Saraiva, terá novos eventos de lançamento em Curitiba e em Foz do Iguaçu.

O primeiro será nesta terça-feira (30/07), na Livraria Curitiba do Shopping Estação, no centro da capital, a partir das 19h. Dia 13/08, a sessão de autógrafos será no Centro de Letras do Paraná, também em Curitiba. E, no dia 23 de agosto, o lançamento acontece na Livraria Curitiba do Shopping Catuaí Palladium, em Foz.

A obra – “De Labiata a Lagoa da Canoa passando por Tacaratu, via Quipapá ou Caruaru” é uma viagem histórica, poética e musical pelo Nordeste brasileiro.  O relato – que Saraiva, pernambucano radicado em Curitiba, chama de “minirromance desmontável” – é recheado de referências aos ícones artísticos das localidades por onde vai passando o protagonista Derinho, personagem que conduz o leitor pelo sertão, brejo e matas nordestinas.

Labiata é na verdade o nome de uma orquídea rara que brota pela caatinga e, na obra, empresta seu nome à cidade de Panelas – um recanto serrano na zona do agreste pernambucano, quase na divisa com Alagoas, onde Saraiva nasceu e palco da Guerra dos Cabanos na década de 1830.

A obra conta com ilustrações em xilogravuras do conceituado artista e cordelista pernambucano J. Borges e traz, ainda, um CD com músicas próprias do autor e de artistas convidados. Xotes, frevos, choros, baiões, maracatus e mazurcas servem de trilha sonora para o livro e conversam perfeitamente com a narrativa.

Dentre os músicos convidados estão Hermeto Pascoal, Quinteto Violado, Sebastião Tapajós, Gegê Felix, Oliveira de Panelas, Luciano Magno, João do Pife, DerinhoSantos, Brito Lucena, Walter Silva, Carneirinho do Acordeon, João Marques dos Santos, Dalva Diniz e Grupo Cultural Walê Fulni-ô, além de vários músicos nascidos ou radicados no Paraná, destacando-se: Raymundo Rolim, Ivan Graciano, Cabelo, Aline Morena, Marcelinho Cigano, Artur Luiz, Ricardo Cabral, Campinense, Alê Maceió, Aramis Teixeira Mendes, Gerson Bientinez, Lusemar, Oliveira Jr., Selpa, João Pedro Teixeira, Cida Airam, Alvaro Ramos, Ezequiel Piaz, Rogéria Holtz, Belém, Fábio Hess, Tampinha, Zezinho do Pandeiro, Tarzan, Vinícius Chamorro, Marinho Gallera, César Matoso e Marcinho do Cavaco.

FOZ DO IGUAÇU

23/08, sexta, a partir das 19h, na Livraria Curitiba do Shopping Catuaí Palladium

Quer saber mais?  www.delabiataalagoadacanoa.com.br

Justiça determina bloqueio de R$ 164 mil do deputado Plauto Miró por supostas irregularidades em gastos com alimentação

Segundo decisão, Plauto Miró pediu ressarcimento de R$ 164 mil em gastos em alimentação  — Foto: Sandro Nascimento/Alep

Segundo decisão, Plauto Miró pediu ressarcimento de R$ 164 mil em gastos em alimentação — Foto: Sandro Nascimento/Alep

A Justiça determinou o bloqueio de R$ 164 mil em bens do deputado estadual Plauto Miró (DEM) por supostas irregularidades em gastos com alimentação que foram ressarcidos pela Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

De acordo com a decisão, o parlamentar pediu ressarcimento de gastos com alimentação em restaurantes de Curitiba, mas uma resolução da Alep previa que apenas os gastos em viagens fossem reembolsados, segundo o juiz Guilherme de Paula Rezende, da 4ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba.

A norma foi alterada neste ano, permitindo gastos em qualquer cidade, mas desde que esteja em atividade parlamentar. A determinação é de sexta-feira (26) e se refere a gastos de 2014 a 2019.

Segundo a decisão, o valor também ultrapassa o limite de R$ 31 mil de verbas de ressarcimento durante o mandato.

A ação que questiona as contas do deputado é da ONG Vigilantes da Gestão Pública, que acompanha gastos dos deputados.

De acordo com a petição da ONG, o Plauto Miró usou a verba “em bares e locais de recreação e lazer”.

Na lista de ressarcimentos, há gastos em restaurantes, lanchonetes, padarias, supermercados, o que, para o Vigilantes da Gestão Pública, “retratam o uso indevido da verba”.

O deputado Plauto Miró afirmou que vai se pronunciar no processo assim que for notificado.

PITACO: Demorô!

Privatização 2.0

Vendas de estatais como a BR ocorrem em novo modelo; processo deve buscar melhor governança e maior competição

Editorial Folha de São Paulo

Posto de combustível da bandeira BR em Perdizes, zona oeste de São Paulo – Rodrigo Capote/Folhapress

As grandes privatizações dos anos 1990 eram eventos que mobilizavam a política e a Justiça ao longo de dias ou semanas, antes e depois do desfecho dos leilões. Hoje, empresas estatais deixam tal condição em operações bilionárias, porém sem alarde comparável.

Assim se deu com a BR Distribuidora, que até terça-feira (23) pertencia à Petrobras. Esta simplesmente ofertou na Bolsa de Valores 30% das ações que detinha da subsidiária, reduzindo sua participação no capital a 41,25% —o bastante para a perda do controle.

A gigante petroleira arrecadou R$ 8,6 bilhões no negócio quase silencioso. Como comparação, a venda do controle da Vale, uma das maiores e mais controversas desestatizações do país, movimentou R$ 3,3 bilhões em 1997, hoje equivalentes a R$ 12,4 bilhões.

Entretanto houve transação ainda mais vultosa nos tempos recentes. Em abril, a Petrobras se desfez da Transportadora Associada de Gás (TAG) por US$ 8,6 bilhões, ou R$ 32,4 bilhões pela cotação atual.

A despeito do montante envolvido, a repercussão do caso praticamente se limitou às esferas corporativa e jurídica. A partir de contestações de sindicatos, o Supremo Tribunal Federal determinou que a alienação de estatais subsidiárias, não controladas diretamente pelo Tesouro Nacional, prescinde de autorização legislativa.

Não é que se tenham dissipado as resistências políticas e ideológicas à privatização, ainda palpáveis na sociedade brasileira.

A indiferença em relação à TAG provavelmente se deve ao anonimato da companhia. Já a BR, administradora de postos de combustíveis, está entre as mais conhecidas dos brasileiros, mas sua atuação não a distingue claramente das concorrentes privadas.

Aqui e ali se ouviram as costumeiras críticas ao preço supostamente baixo de venda, de escassa fundamentação técnica. Tais diatribes serão mais ruidosas quando e se chegar a hora da privatização de empresas de maior tradição e apelo, como a Eletrobras.

Se é obviamente imprescindível o debate em torno do valor do patrimônio público, cumpre apontar que o papel da desestatização não se resume a fazer caixa.

Esta pode ser a meta da Petrobras ao se desfazer das subsidiárias; para a política econômica, mais importante se mostra a busca por melhor governança das empresas e mais competição no mercado.

Esses objetivos nem sempre foram alcançados a contento nas operações de duas décadas atrás, quando o recurso a fundos de pensão patrocinados por outras estatais e crédito do BNDES preservaram a ingerência do poder político sobre ex-estatais como a Vale.

Quanto à BR, a privatização deve inserir-se em uma estratégia mais ampla de abertura do setor, incluindo o fim do monopólio da Petrobras no refino do óleo para a produção de derivados. Um processo bem conduzido tende a contribuir para o fim de tabus que ainda cercam a privatização no país.

Ladrões invadem Prefeitura de Foz do Iguaçu e levam computadores

Ladrões invadem prédio da prefeitura de Foz do Iguaçu

Ladrões invadem prédio da prefeitura de Foz do Iguaçu

Ladrões invadiram o prédio da Prefeitura de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, e levaram dois notebooks. Os equipamentos estavam em uma sala no mesmo andar de onde funciona o gabinete do prefeito.

Segundo a polícia, a sala da administração foi invadida no fim de semana e o furto notado na manhã desta segunda-feira (29), quando o expediente foi iniciado.

Ainda de acordo com a polícia, as janelas do local são frágeis e não têm grades, o que facilitou a ação dos ladrões, que usaram as grades das janelas do térreo para conseguirem ter acesso ao segundo andar.

O delegado Francisco Sampaio, que cuida do caso, disse que nos computadores não havia documentos importantes que podem prejudicar a administração caso sejam acessados por estranhos, apenas arquivos comuns do dia a dia.

Ele recomendou que a segurança no local seja reforçada.

Até a última atualização desta reportagem nenhum suspeito havia sido identificado ou preso.

PITACO: Isso é uma vergonha! A maior autoridade da cidade, o prefeito Chico Brasileiro, não teve competência de manter em segurança o seu gabinete, local onde decide os destinos da cidade. Nunca ouviram falar de uma “tranca”? Um prosaico “trinco”? Uma “tramela”? Pobre Foz do Iguaçu!

Mais de 68% querem a extinção de carros oficiais do governo, diz pesquisa

Levantamento exclusivo mostra que maioria quer o fim desse privilégio de autoridades

No início de 2018 o então presidente Michel Temer baixou decreto que tirou a prerrogativa de uso de carros oficiais de 1.052 autoridades.

A maior faixa de apoio à ideia de extinguir com o benefício dos carros oficiais está entre entrevistados com ensino superior completo: 73,9%.

O Paraná Pesquisa entrevistou 1.565 habitantes do DF entre 21 e 25 de julho. A margem de erro é de cerca de 2,5% para resultados gerais.

 

Anice Nagib Gazzaoui toma posse nesta terça (30) na Câmara Municipal

Nesta terça-feira (30) o presidente do legislativo vereador Beni Rodrigues dará posse a Anice Nagib Gazzaoui para que conclua seu mandato outorgado pelo povo que foi interrompido por uma armação da dupla de oportunistas Brito/Cazuza com o devido azo do então presidente vereador Rogério Quadro (PTB). Quadros tem uma ampla responsabilidade por toda essa situação que começa a ser corrigida pelo Judiciário á medida que foi provocado. O ato será pela manhã ás 10 hs no gabinete do presidente Beni Rodrigues que dará a posse a Anice. A cadeira vem sendo ocupado pelo Marcelinho Moura que vai engrossar a fila do desemprego na cidade.

PITACO: Na sequencia os outros quatro vereadores (Edílio, Queiroga, Darci, Rudinei) que também foram cassados em um processo contaminado por interesses escusos (e bota escusos nisso!) também assumirão suas cadeiras no legislativo nativo.

MAIS DECISÃO SOBRE A CELEUMA

TJ-PR não permitiu a Câmara Municipal de Foz do Iguaçu de participar também no recurso do Darci e do Edílio Dallagnoll. Já pediu data para julgamento do mérito.

No link abaixo:

online (10)

 

POLICIAL FEDERAL DETIDO POR DISPARO DE ARMA DE FOGO

Policial Federal José Fernando Coutinho, 62, (sucuri), foi detido pela pela PM no anoitecer deste domingo (28) nas imediações do gramadão da Vila A após disparar arma de fogo para cima. Estava de posse de duas armas, em companhia da esposa e um filho bebe no carrinho de rodas. Coutinho alega que disparou para cima para assegurar sua segurança e da família. Sentiu-se ameaçado por pessoas no local. O caso foi registrado na 6ª SDP. Na  sequência o detido foi levado a delegacia da PF para as providências cabíveis.