REVISITANDO O NATAL DO PREFEITO CHICO BRASILEIRO


Vereador Celino Fertrin cumpriu com o seu dever de ofício (sua fonte foi o Observatório Social)

Deveu-se á iniciativa do vereador Celino Fertrin (PDT) usar da tribuna da Câmara Municipal para denunciar o suposto super-faturamento de um árvore de Natal para engambelar a patuleia. Fertrin fez o que há muito tempo não se via vereador fazer: fiscalizar a boa aplicação do recurso do contribuinte pelo Executivo. Desde as priscas eras não se via isso acontecer.

Minutos depois da denúncia do vereador começou o chororó, ranger de dentes, e os raios que os parta… mas não havia como refutar: uma singela arvore de Natal iria custar á prefeitura R$ 420 mil. É de estarrecer!

Passo seguinte descobre-se que o pacote cobrado pela empresa, a mesma que ganhou a licitação do ano passado sairia por módicos R$ 2.059,00 milhões. Detalhe: o mesmo pacote do ano de 2018 saiu por R$ 1.036.000,00.

Procurado pela imprensa o presidente  da (afun)cultural o Juca (o do chapéuzinho de Zé Carioca) saiu-se com essa pérola” Nada podemos fazer são os preços de mercado!”. E deu por encerrado a conversa. Simples assim.

Acuado pela denúncia o prefeito Chico soltou comunicado dizendo que estava cancelando o processo licitatório, mas não sem antes bradar o seu manjado bordão: ”E tudo culpa da oposição!” Chico acostumou-se a sair pela tangente sempre que é pego de calças curta. No episódio do crime ambiental em que o diretor Rui da secretaria de Obras foi preso por crime ambiental, agiu da mesma forma: correu para a rádio oficial da prefeitura onde ele despeja muito dinheiro (a exemplo do jornaleco do chinfrim) e tascou: armações políticas para me prejudicar. Como se o ato de autuação em flagrante do Rui por crime ambiental fosse armação da policia. É de cair o queixo! Voltando aos arranjos natalinos descobriu-se que o dono da empresa participou diretamente do processo licitatório o que é vedado pela legislação pertinente. Empaturram-se com o fruto da árvore contaminada.

Essa papagaiada teve vários protagonistas: O Juca, o seu braço direito Digão Monzon, a esposa do Chico, a Rosa (que tem uma secretaria que até agora nao se sabe para que serve) a Helena, e uma deslumbrada petista de uma empresa pública que costuma bancar essas despesas. Isto posto, pergunta-se:

Prefeito Chico vai exonerar os cargos comissionados Juca e Digão Monzon? Isso que acorreu foi crime contra a administração pública, mesmo se considerando que o ato não se concretizou, mas tiveram a intenção de praticá-lo. Só não o fizeram pela pronta intervenção do vereador Celino, lembrando que a coisa é pretérita, como me disse certa vez um membro do MP. Incorreram em grave ato contra os cofres públicos e devem responder por isso. Na prefeitura a demissão. No MP têm que ser denunciados. É o quadro que se apresenta.

Abaixo disponibilizamos fotos das autoridades que se manifestaram, e comemoraram o feito. Trazemos também os dois contratos realizados em 2018 e 2019.

Enjoy!

Ao ver as fotos abaixo Chico cancelou o Natal

AQUI

Abaixo o contrato de 2019 (que o Chico disse ter cancelado no Valor Total do Lote – R$ 2.059.140,00 (dois milhões, cinquenta e nove mil, cento e quarenta reais).

EditalPregãoEletrônico12_2019

Abaixo o contrato com a ESTALAR ILUMINAÇÃO LTDA praticado em 2018 pelo valor de R$ 906,800,00 (novecentos e seis mil e oitocentos mil reais), e com um aditivo ficou em R$ 1.036,00 (um milhão e trinta e seis mil). Ou seja entre 2018 e 2019 o bagulho mais que dobrou.

292-2018ESTELAR

Depois dessa enorme presepada que visava sangrar os cofres públicos o prefeito Chico acaba de angariar o apelido de Chico “Natalino” Brasileiro.

Essa lamentável ocorrência manchou currículo do  Chico “natalino” para o resto de seus dias.

Amém!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *