Senador paraguaio é cassado após pedir morte de 100 mil brasileiros

Senador paraguaio é cassado após pedir morte de 100 mil brasileiros
Paraguayo Cubas expulso do Senado por 23 votos 

O senador Paraguayo Cubas, do partido Cruzada Nacional, que defendeu a morte de brasileiros que vivem no Paraguai foi expulso do senado paraguaio. Dos 45 senadores 23 votaram a favor da expulsão, 18 faltaram à sessão, três abstenções e um repúdio.
O que causou a expulsão do senador do Partido Cruzada Nacional foi a afirmação durante um bate-boca com a Polícia Nacional de que pelo menos 100 mil brasileiros que vivem no Paraguai deveriam morrer.
“Brasileiro bandido invasor vem desmatar o país. Tem que matar aqui pelo menos uns 100 mil brasileiros. Vocês sabem quantos brasileiros têm no nosso país? Tem dois milhões. Desses, cem mil são bandidos e tem que matar”, afirmou o político. A declaração foi captada em vídeo gravado por pessoas que participavam na confusão.
Informações coletadas da imprensa paraguaia dão conta de que o senador Paraguayo Cubas atendera ao chamado de um grupo de jovens ativistas ambientais que haviam detido três caminhões que transportavam um carga ilegal de madeira retirada da fazenda de um brasileiro e que a polícia ao ser chamada não fez nada. “A polícia foi embora sem atuar”, informa o jornal La Unión.
Segundo Paraguayo Cubas esses caminhões transportavam toras de madeira que segundo a informação que ele tinha não coincidia com as especificações da guia de transporte. Ele afirma que nesse caso as toras seriam produto da derrubada ilegal. “Em vez de investigar a polícia se retirou do local”.
O próximo passo foi o senador sugerir que a polícia estava sendo comprada ou recebendo propina.  “Claro porque quando dissemos que segurassem in fragrante aos três motoristas, os policiais embarcaram na caminhoneta e se foram por quê? Porque estão comprados” explicou Cubas por telefone à  R800 AM do grupo La Unión.

Da Redação com ABC Coilor / La Unión

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *