Arquivo do Autor: admin

Justiça determina que três policiais rodoviários suspeitos de cobrar propina em estradas do Paraná deixem a prisão

A Justiça determinou que três policiais rodoviários estaduais suspeitos de cobrar propina em estradas do Paraná deixem a prisão.

Em 11 de setembro, o desembargador Antonio Loyola Vieira, da 1ª Câmara Criminal, aceitou o pedido de Habeas Corpus (HC) feito pelo advogado Jeffrey Chiquini, para um dos policiais.

Neste sábado (14), o juiz Sérgio Bernardinetti, da Vara da Auditoria da Justiça Militar, estendeu a decisão para os outros dois policiais também, por entender que todos os presos estão em situação idêntica.

“É de rigor o atendimento do pedido de extensão proposto pelo defensor considerando que todos os presos estão em idêntica situação. Revogo todas as prisões preventivas impostas, substituindo-as, unicamente, pela medida cautelar de afastamento do serviço operacional de rua, devendo os militares ficarem restritos a serviços aquartelados em suas respectivas unidades, a critério dos respectivos comandos”, disse o juiz.

Segundo Chiquini, que defende os policiais, os três já estão soltos.

Os três deverão respeitar as seguintes medidas cautelares:

  • Comparecimento periódico em juízo, no prazo e nas condições fixadas pelo juiz singular, para informar e justificar atividades;
  • comparecer perante a autoridade sempre que for intimado para atos da instrução criminal e para o julgamento;
  • proibição de manter contato ou se aproximar das supostas vítimas ou testemunhas, por contato ou por qualquer outro meio;
  • proibição de ausentar-se da comarca sem autorização judicial;
  • não mudar de residência sem prévia autorização judicial;
  • afastamento das funções operacionais (rua – podendo trabalhar internamente);
  • entrega de armamento e munição.

Esquema

Os policiais foram presos durante uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em 29 de agosto deste ano.

Dois policiais atuavam em Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná, e outro em São Jorge do Ivaí, no noroeste do estado. Dois deles também foram presos em flagrante por posse ilegal de munição.

Eles são suspeitos de participar de um esquema de cobrança de propina descoberto em 2018, quando outros 15 policiais foram presos.

Na época, a denúncia do Ministério Público Estadual (MP-PR) apontou que parte da propina foi paga com pizzas.

Segundo as investigações, mesmo após a prisão do grupo em fevereiro de 2018, os três policiais deram continuidade ao esquema que tinha como alvos principalmente motoristas de caminhões que circulam pela região.

Agentes são suspeitos de dar continuidade a um esquema de cobrança de propina descoberto em 2018, quando 15 policiais foram presos — Foto: Reprodução/RPC

Agentes são suspeitos de dar continuidade a um esquema de cobrança de propina descoberto em 2018, quando 15 policiais foram presos — Foto: Reprodução/RPC

O trio responde pelos crimes de concussão – quando se exige ilegalmente valores no exercício da função – e associação criminosa.

Depois de soltos em julho de 2018, os policiais presos em fevereiro foram autorizados a voltar para o trabalho, porém no setor administrativo. Eles são monitorados por tornozeleiras eletrônicas.

O que dizem os citados

Por meio de nota, o advogado Jeffrey Chiquini afirmou que “os fatos supostamente praticados pelos policiais teriam ocorrido nos meses de novembro e dezembro de 2018. Porém, suas prisões foram decretadas somente no dia 30 de agosto 2019. Ou seja, o próprio requerimento de prisão preventiva demonstrou a ausência de contemporaneidade entre a prática dos supostos crimes e a decretação das prisões preventivas, evidenciando, assim, a desnecessidade de sua decretação e manutenção”.

NESTA SEGUNDA PARAGUAI ESTARÁ SOB NOVA MANIFESTAÇÃO COM O TRÂNSITO IMPEDIDO NA CABECEIRA DA PONTE DA AMIZADE LADO PARAGUAIO

Quem for ao Paraguai amanhã pode ter dificuldades para entrar ou sair do país.. Desta vez a manifestação é dia familiares de policiais e policiais da reserva contra um projeto de lei que pretende passar o comando da Policia Paraguaia para o Exército.. Os policiais dizem que o projeto é incompatível com a atuação policial no país, uma vez que até o treinamento das duas forças é diferente..
Os policiais da ativa não podem fazer greve por isso serão representados pelos familiares.. A idéia é fechar todas as fronteiras e com isso paralisar o país.. A manifestação deve começar as 8 horas da manhã, horário paraguaio, 9 horas no horário brasileiro.

Cuidado! Silvio Santos vem aí

Dono do SBT transforma comentários sexistas e atitudes machistas em rotina do seu programa dominical e dá a impressão de que pode falar o que quer sem ser incomodado

Da ISTOÉ

Crédito: Divulgação

 

LÍVIA ANDRADE “Isso é roupa de vir ao programa? Você vem aqui só pra me provocar! Você está me provocando com essa roupa! Olha a sua roupa aberta desse lado! Isso é roupa que se vista?”. Além do comentário, Silvio também tocou no decote de Lívia (Crédito:Divulgação)

Há algum tempo, o empresário Silvio Santos, de 88 anos, dono do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), está demonstrando posturas sexistas, machistas, racistas e assediando mulheres livremente no palco de seu programa. Sem freios, o apresentador não faz distinção de idade e nem se importa se a pessoa agredida gosta ou não de seus comentários. Seu último abuso ocorreu no domingo 8, tendo como alvo sua assistente de palco Lívia Andrade. “Isso é roupa de vir ao programa?”, perguntou para Lívia. “Você vem aqui só para me provocar. Você está me provocando com essa roupa. Olha a sua roupa aberta desse lado. Isso é roupa que se vista?”, prosseguiu, para, em seguida, tocar no decote da assistente. O constrangimento, claro, foi geral.

Na frente das câmeras, Silvio tem ultrapassado os limites não é de hoje. A impressão que dá é que, por causa da idade e do poder econômico, pode fazer e falar o que quer na TV. Há uma evidente conivência com seus atos, explicável pelo fato de ele ser o patrão do SBT. “Essa postura de Silvio Santos é misógina e rebaixa a condição da mulher, dentro de um ciclo de cultura de violência, preconceito e objetificação do corpo, deixando-a, simplesmente, como um objeto de prazer para o homem”, afirma a advogada Vivian Lopez Valle, professora da Escola de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. “Ele presta um desserviço à sociedade ao dar esse tipo de incentivo, prejudicando a luta pela igualdade e a valorização da mulher” Segundo ela, o artigo 220 da Constituição, que regula a comunicação social, traz valores que são incompatíveis com a conduta de Silvio. Em alguns casos, como quando fez comentários depreciativos para a apresentadora infantil Maisa Silva, em 2017, as palavras do dono do SBT feriram, inclusive, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Comparando a menina Maisa, que acabava de completar 15 anos com uma foto de uma mulher adulta, ele disparou: “Quando você vai ter um corpão desses?”.

Divulgação

Ofensa a crianças

Em outra ocasião, Silvio trouxe ao palco crianças acompanhadas de suas mães para uma competição de um quadro do programa. Ao premiar uma criança com dinheiro, proferiu mais um impropério. “O que você prefere: dinheiro, poder ou sexo?”, perguntou. A menina e sua mãe ficaram sem ação. Num programa anterior também com crianças, desta vez que iriam participar de um concurso de calouros, ele teceu uma observação com clara conotação racista. Dirigindo-se a uma das integrantes de um trio musical, uma menina negra, perguntou o que ela queria ser quando crescer. A resposta foi básica. “Quero ser cantora”, respondeu. Silvio Santos não se deu por satisfeito: “mas com esse cabelo?”. As declarações do patrão arrancaram aplausos da platéia e risadas múltiplas. “No geral, ele presta um desserviço a população brasileira. Tudo isso fere o ordenamento jurídico em diferentes aspectos. O Ministério Público deveria agir”, diz Vivian.

A falta de cuidado, respeito e empatia e tantos outros sentimentos na postura do apresentador e dos que o rodeiam é clara. O fato de a programação televisiva influenciar diretamente a sociedade, gerar debates e discussões intermináveis, torna a responsabilidade do apresentador muito maior. Mas Silvio elegeu o sexo, tratado de forma grosseira, como seu assunto preferido. A modelo e apresentadora Fernanda Lima, que está à frente do programa Amor e Sexo, na rede Globo, foi caracterizada por Silvio como uma mulher de “pernas finas e cara de gripe. As funcionárias do SBT, como Lívia e Helen Ganzarolli, são alvos frequentes da fúria libidinosa do apresentador. A velhice, o show de palco, o fato de ser considerado um mito da televisão lhe dão uma espécie de salvo conduto para fazer o que bem entende.

Os vitupérios do apresentador

Helen Ganzarolli

Divulgação

“Quantos anos você foi amante do Gugu? Estou no crepúsculo da minha vida, a coisa que eu mais quero antes de entrar pro buraco é ter você como a última das minhas pulações de cerca”

Annita

Ao ser convidado a dançar pela cantora, Silvio Santos afirmou, “não vou dançar com você porque vou ficar muito excitado”

Maísa Silva
“Quando você vai ter um corpão desses?” Isso foi dito em comparação com uma foto de uma mulher adulta. Maísa estava sendo homenageada. Na época ela completava 15 anos

Claudia Leite
“Esse negócio de ficar dando abraço me excita e eu não gosto de ficar excitado”. O comentário foi proferido durante a apresentação do programa especial Teleton

Simaria
Depois de analisar o bumbum e a vestimenta das cantoras Simone e Simaria, Silvio afirmou: “estou desconfiado de que isso é um travesseiro”

Fernanda Lima
Quando tomou conhecimento do programa apresentado por Lima, Amor e Sexo, Silvio Santos teceu esse comentário: “Com essas pernas finas e essa cara de gripe, ela não teria nem amor nem sexo”

Trio é preso com munição e medicamentos contrabandeados na BR-277, em Santa Terezinha de Itaipu

Trio é preso com munição e medicamentos contrabandeados na BR-277, em Santa Terezinha de Itaipu — Foto: Divulgação/PRF

Trio é preso com munição e medicamentos contrabandeados na BR-277, em Santa Terezinha de Itaipu — Foto: Divulgação/PRF

Três pessoas foram presas, na noite de sábado (14), com 250 projéteis, 100 comprimidos de estimulantes sexuais e dez comprimidos abortivos importados ilegalmente do Paraguai, na BR-277, em Santa Terezinha de Itaipu, no oeste do Paraná.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os itens estavam escondidos sob o carpete e junto à lataria de um carro alugado.

O porta-malas também estava carregado com outras mercadorias, todas sem o respectivo desembaraço aduaneiro – que é a liberação de uma mercadoria pela alfândega para a entrada no país.

Os projéteis apreendidos são de calibre 32, 38 e 380, segundo a PRF.

O trio, que têm 28, 34 e 37 anos, responderá pelos crimes de tráfico internacional de arma de fogo, importação ilegal de medicamentos e descaminho.

A PRF encaminhou a ocorrência para a Delegacia da Polícia Federal em Foz do Iguaçu.

Fetiche educacional

Proposta de escolas cívico-militares não responde aos desafios do ensino

Alunos do Centro de Ensino 1 (CED) da Estrutural, região administrativa de Brasília; a escola foi transformada em Escola da Polícia Militar – Pedro Ladeira – 15.fev.19/Folhapress

Trata-se de modelo híbrido de colégio, no qual egressos das Forças Armadas atuarão como tutores e administradores, ao passo que educadores ficarão responsáveis pela parte didático-pedagógica.

De acordo com o decreto que instituiu a iniciativa, até 2023 deverão estar implantados em todo o país 216 estabelecimentos de ensino como esses. As redes estaduais e municipais serão responsáveis por indicar as escolas a serem convertidas para essa modalidade.

O governo federal investirá R$ 1 milhão em cada instituição para o pagamento dos militares, a melhoria da infraestrutura das unidades e a compra de materiais escolares.

Entretanto todo esse esforço corre o risco de se mostrar inócuo diante do objetivo de atacar o imenso atraso educacional brasileiro.

Os equívocos começam pelo fato de a proposta direcionar uma quantidade expressiva de recursos do combalido Orçamento para um conjunto diminuto de instituições. Ao longo dos próximos anos, o programa federal apoiará apenas 0,0012% das quase 182 mil escolas da educação básica.

Os resultados, mesmo que venham a ser positivos, acabarão diluídos de forma homeopática no oceano de problemas e fragilidades do ensino nacional.

Nem o progresso pontual parece garantido, porém. Não se conhecem evidências de que a militarização, por si mesma, traga melhoria na educação dos alunos.

Como mostrou reportagem desta Folha, os colégios militares, mantidos pelas Forças Armadas e inspiração para o modelo bolsonarista, não se destacam no grupo de escolas que também selecionam alunos e possuem gasto relativo acima da média brasileira.

O que explica os bons resultados desses estabelecimentos, na verdade, são fatores extraclasse: a escolha, por meio de testes, dos melhores estudantes, em geral de nível socioeconômico mais elevados.

Se quiser fomentar a qualidade escolar, o governo deve investir os escassos recursos disponíveis em políticas que contam com amparo em estudos empíricos.

Escolas em tempo integral, valorização e formação de professores, boas práticas pedagógicas e gestão escolar são algumas das experiências que se mostraram bem-sucedidas. Cumpre aprender com elas.

 

Vejam o Bonato tentando intimidar o Beni Rodrigues

O notícia de que o prefeito Chico mandou despejar dinheiro no jornaleco chinfrim do Bonato continua perturbando o gajo. Vejam a notinha abaixo extraída da coluna do bicho que come carniça, e do qual o Bonato não se distancia.

E lá vou eu carregar a minha cruz… como o Bonato trocou o nome do jornal mais uma vez, e tirou novo CNPJ sugiro que leiam a matéria que postei em 14 de agosto de 2018… Boa leitura.

CASO GAZETA: SUCESSÃO FRAUDULENTA DETECTADA NO PROCESSO TRABALHISTA


A dupla dinâmica Erminio Gatti/Rogério Bonato deixaram seus ex-funcionários á ver navios…

Saiu uma das primeiras sentenças da Justiça do Trabalho condenando os dirigentes da Gazetinha   a indenizarem uma ex-funcionária do jornal.  Existem dezenas de ações similares tramitando. A Justiça do Trabalho deixou patente na sentença que o jornal que o Bonato segue editando (Gazeta Diário) é sim sucessora da Gazeta do Iguaçu que “faliu”. Portanto, todos os débitos que existem na praça em nome da Gazeta quer seja a nova, ou a velha que fechou,  são de responsabilidade do Erminio Gatti e do Bonato. E esses débitos passam de alguns milhões de reais, o Gatti pode ser que tenha bens para pagar, mas o Bonato não tem é mais quebrado que arroz de quinta. Bonato com o nome sujo na praça, colocou o jornal sucessor no nome do seu filho (Fabinho) que, ao que tudo indica, é tão ou mais enrolado que o pai. Tem problema de crédito, com bebidas e drogas. Abaixo pincei dois trechos do processo. Boa leitura:

“Relata a parte autora que a partir da dissolução irregular da primeira Reclamada em julho de 2016, o Sr. Rogerio Romano Bonato, que antes a administrava, passou a se intitular como sendo seu novo proprietário. Para tanto, abriu uma empresa chamada Gazeta News Empreendimentos, com CNJP nº 13.753.969/0001- 85, embora quem tenha ingressado na estrutura jurídica da empresa seja seu filho Fabius Augusto Andrion Romano, mas sob responsabilidade, mando e gestão do Sr. Rogério Romano Bonato. Aduz que se trata de uma sucessão fraudulenta, que tem por objetivo unicamente livrar o patrimônio do Sr. Erminio Gatti de responder pelas dívidas trabalhistas, fruto das inúmeras demandas que estão sendo propostas junto a esta especializada, o que é de conhecimento público e notório nesta cidade”.

“A única testemunha ouvida nos autos corroborou a tese da exordial no que tange à existência da sucessão ao afirmar que “9) Por volta de 03 meses antes da mudança de sede o Rogério Bonato fez uma reunião com os empregados e falou que a empresa iria mudar, que “a Gazeta não iria ser mais a Gazeta” que a empresa iria evoluir, que o Sr. Ermínio não seria mais o proprietário da empresa e que o Rogério iria ser o responsável por essa nova fase; ele disse também que logo iriam mudar de sede, mas que todos os empregados seriam os mesmos, que toda a equipe seria mantida; aproximadamente 03 meses depois mudaram de sede, e todos os equipamentos, móveis, mobiliário, computadores e etc, também foram transferidos juntos para a nova sede; 10) Formalizou a extinção do seu contrato com a primeira ré junto com a autora e demais empregados, mas mesmo após a formalização continuou trabalhando no mesmo local e nas mesmas funções e acredita que a autora também, porque via ela lá também depois disso; 11) Depois da formalização da extinção do contrato com a primeira ré, continuou trabalhando na sede da empresa por mais 02 meses e depois disso continuou trabalhando para a empresa mas prestando serviços em homeoffice ou seja de sua casa, mas o trabalho continuou o mesmo; 12) Em ambas as empresas estava subordinada ao editor Robson, e ele estava subordinado ao Rogério Bonato” (fl. 254).

No link abaixo a sentença

SENTENÇA

 

 

‘Considerar a reabertura da Estrada do Colono é compactuar com crimes’

Artigo de Paulo Pizzi, na Gazeta do Povo

A Estrada do Colono foi um caminho de 17,6 quilômetros que, criado na década de 1920, cortava em dois o Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu. Em 1986, há 32 anos, ela foi fechada mediante uma decisão liminar da Justiça Federal. A decisão definitiva da Justiça para a manutenção de seu fechamento ocorreu mais tarde, em 2007. Nesse período, ocorreram duas invasões ilegais da estrada, em 1997 e 2001, comandadas por políticos locais truculentos. Prontamente, no entanto, a Polícia Federal, o Exército e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) restabeleceram a ordem pública, expulsando os invasores.

Agora, o “processo de invasão” continua a ser orquestrado por dois políticos, mas no âmbito da Câmara dos Deputados e do Senado. Em 17 de fevereiro deste ano, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) protocolou solicitação à mesa diretiva do Senado Federal para o desarquivamento do Projeto de Lei Complementar 61/2013, de autoria do ex-deputado paranaense Assis do Couto, que altera a Lei 9.985/2000 (Lei do Snuc) e cria o que passaram a chamar de “Estrada-Parque Caminho do Colono”, cruzando o Parque Nacional do Iguaçu – o site do Senado tem consulta pública sobre o tema. Apenas um dia depois, o deputado federal Vermelho (PSD-PR) protocolou na Câmara o Projeto de Lei 984/2019, com o mesmo objetivo.

O que precisa ser dito sobre essa estrada é que ela já não existe mais, pois o processo de regeneração florestal onde um dia ela existiu já está absolutamente avançado! Ou seja: se aprovados esses abusivos projetos de lei, será desmatada uma faixa de florestas com aproximadamente 18 km de extensão por seis metros de largura, no trecho mais importante para preservação do Parque! Imagine o leitor o tamanho do impacto ambiental na principal unidade de conservação do Sul do Brasil! Cabe, ainda, observar que o artigo 11 da Lei da Mata Atlântica (Lei 11.428/2006) veda o corte e a supressão de vegetação primária ou nos estágios avançado e médio de regeneração do bioma Mata Atlântica, nas características apresentadas neste local da unidade. Compactuar com a reabertura desse caminho, é portanto, compactuar com o desrespeito a uma decisão legal transitada em julgado, ir contra uma lei federal e aceitar o absoluto retrocesso que os projetos representam.

A alegação oficial para a criação da “nova figura de UC” denominada “Estrada-Parque” seria a de incentivar o turismo com a beleza cênica ao longo da Estrada do Colono. Mas a paisagem que se via na extinta estrada mostra somente árvores por ambos os lados, um cenário facilmente visto pela borda do parque, sem necessidade de destruição da mata para esse atendimento.

São muitas as pessoas nas cidades que eram interligadas pela estrada – Serranópolis e Capanema – que manifestam interesse de que o caminho continue fechado por causa da qualidade de vida da população, que melhorou muito diante da diminuição da violência e do tráfico de drogas, facilitados antigamente pela via.

Outro violento impacto que a reabertura da estrada imporia é o aumento de atropelamentos na fauna do parque, que reúne exemplares valiosíssimos da biodiversidade, como, por exemplo, a onça-pintada. Mais de 20 delas encontram condições adequadas – entre oferta de alimentos e segurança – para viver no local. O Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE/UFLA) estima que 475 milhões de animais sejam atropelados a cada ano em estradas e ferrovias brasileiras.

Permitir, portando, a reabertura de uma rodovia em meio ao Parque Nacional do Iguaçu é tão absurdo e violento como criminoso.

Paulo Pizzi é diretor-executivo da Mater Natura Instituto de Estudos Ambientais e parceiro do Observatório de Justiça e Conservação.

PITACO: O deputado Vermelho (PSD) é o principal ator político interessado na reabertura da Estrada do Colono. E o Bonato é o seu tipo “faz tudo”, uma espécie de porta-voz trapalhão, ao colecionar três condenações por improbidades administrativas. Bonato/Vermelho: a dupla do barulho.