Arquivos da categoria: outros

Estado publica licitação para construção de viaduto em Foz

O Governo do Paraná publicou nesta sexta-feira (22) no Diário Oficial o edital para construção de um viaduto no cruzamento da Avenida Costa e Silva com a BR-277 na chegada de Foz do Iguaçu. O investimento será de R$ 20 milhões na obra, uma das maiores demandas de infraestrutura do município. “Uma obra importante que vai facilitar a chegada em Foz, desafogar o trânsito em um dos principais acessos da cidade e aumentar a segurança para os motoristas, pedestres e ciclistas”, disse a governadora Cida Borghetti, que autorizou o lançamento do edital.

Leia Mais »

Justiça anula denúncia contra policiais rodoviários federais acusados de facilitar contrabando

MPF não fundamentou adequadamente o arcabouço de provas

Na época, os policiais rodoviários federais que trabalhavam em postos de fiscalização da BR-277 em Santa Terezinha de Itaipu, Medianeira e Céu Azul foram acusados de receber propina para liberar ônibus supostamente carregados de produtos contrabandeados.

A denúncia aponta ainda que conversas entre os agentes, interceptadas entre 1998 e 1999, indicam que em média eram cobrados R$ 300 por ônibus em cada um dos postos.

A negociação entre os motoristas e os policiais era feita por um casal de intermediadores, também réus na ação agora anulada.

Os réus são acusados de facilitação de contrabando e descaminho, corrupção ativa e passiva, concussão, peculato e tráfico de influência.

Na decisão, publicada na quinta-feira (21), o juiz aponta que não há provas suficientes para dar continuidade ao processo, tornando a denúncia nula.

“É preciso observar, ainda, que não há nos autos notícia do que estava sendo transportado nos mencionados ônibus, fato que torna inviabilizado o reconhecimento da facilitação de contrabando ou descaminho”, aponta em um trecho da decisão.

Segundo a assessoria de imprensa da Justiça Federal, caso os crimes não estejam prescritos, o MPF-PR pode recorrer da sentença.

Defesa

O advogado Rogério Botelho, que representa a maioria dos réus, se disse satisfeito com a decisão, já que atendeu a um pedido feito pela defesa justificando que “da forma que a denúncia estava descrita impedia o exercício da ampla defesa e do contraditório, por ser muito genérica, não descrevendo a conduta dos investigados”.

Botelho destacou ainda que, apesar das falhas da denúncia, a defesa conseguiu demonstrar que não houve crime.

Até a última atualização desta reportagem, a assessoria de imprensa do Ministério Público Federal no Paraná não havia retornado para comentar a decisão.

Com G1 PR

Desembargador do TRF-4 homologa ‘delação do fim do mundo’ de Palocci

Testemunha e cúmplice dos crimes da era PT, ex-ministro promete contar tudo

Ex-ministro Antonio Palocci tenta negociar segunda delação com MPF de São Paulo.

O desembargador João Pedro Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, homologou hoje (22) os depoimentos de delação premiada do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci com a Polícia Federal (PF), que vem sendo chamada de “delação do fim do mundo”. Os depoimentos estão em segredo de Justiça, e o conteúdo não foi divulgado. Palocci está preso desde setembro de 2016 em função das investigações da Operação Lava Jato.

O ex-ministro fechou os termos da delação com delegados responsáveis pelas investigações da Lava Jato após os procuradores do Ministério Público Federal (MPF) rejeitarem o acordo. O ex-ministro foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a 12 anos, dois meses e 20 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em um dos processos da operação.

A decisão foi tomada após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que, nesta semana, validou autorização legal para que delegados das polícias Civil e Federal possam negociar delações premiadas, conforme previsto na Lei de Organizações Criminosas (12.850/2013).

A SEGUNDA TURMA DO STF NÃO PODE SOLTAR O LULA

Porque a decisão de 5 ministros não pode se sobrepor a de 11 ministros. Explica-se: o pleno do STF já deliberou que a prisão em segunda instância é constitucional. E a tchurma do Gilmar Mendes, Toffoli e Levandovsky não podem mudar isso de afogadilho. Lula vai continuar preso. PT saudações …

Assim que acabai de escrever o texto acima chegou o de baixo

Com a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) de não remeter o recurso extraordinário movido pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra sua condenação na Operação Lava Jato, o ministro Edson Fachin arquivou o pedido da defesa de Lula para que o recurso ganhasse efeito suspensivo e levasse o petista a deixar a cadeia. O julgamento do pedido de liberdade estava marcado para a próxima terça-feira, 26, e foi cancelado por Fachin, relator da Lava Jato no Supremo.

PAULO ANGELI PRESIDIU O PROS DO CAZUZA


Na foto Paulo Angeli, deputado Toninho Wandscheer, Cazuza, e o Hamilton Nunes, o “mito”. 

Nestes dias de festival de turismo tenho visto o Paulo Angeli, o língua plesa, concedendo honrarias a várias altas autoridades com um troféu de “amigo do festival de turismo”. Bonito isso, se não fosse o fato de o Paulo ter sido braço direito do Cazuza. Foi presidente do PROS no município com a benção do mesmo Cazuza. Certas coisas não se esquecem facilmente…

SOBRE GAIATOS, CAGUETAS, X-9 E O ESCAMBAU


O trio Landerson Travenssoli, Luiz Duarte e Oliveirinha decidem quem são os X 9 na fronteira

Se você for profissional de imprensa, costuma ir á delegacia central para buscar informações junto aos delegados, cuidem-se, porque poderão ser rotulados de caguetes. A novidade vem do trio maravilha Landerson Travenssoli, Luiz Duarte e Oliveirinha.
Os gaiatos entraram numas de escrever que, quem dar notícias policiais, para informar á população, não é repórter, é caguete, X 9. Na cachola dessa gente funciona assim. O delegado te passa a notícia, aí você noticia, e vira dedo-duro. É mole?

PS: Oliveirinha todos conhecem, e os dois gaiatos do resistência também porque eram ligadíssimos ao ex-vereador Brito e ao Cazuza a ponto de usarem a sala do Brito no shopping Mercosul, com direito ao bumbo da Vera Verão… Depois que a dupla entrou em cana vazaram do local. Detalhe: Travenssoli paga cestas por homofobia praticada no interior da Câmara Municipal. Não sabemos porque o presidente do legislativo vereador Rogério Quadros  não abriu sindicância para apurar a grave ocorrência com o assessor do vereador Jahnke. Porque será Presidente? Homofobia é coisa grave. Fere os direitos fundamentais das pessoas. Mas ainda está em tempo… Ah, ia me esquecendo… o Travenssoli é compadre do prefeito afastado de Santa Terezinha de Itaipu, Claudio Eberhard. Foi por isso que ele tentou impedir o trabalho da imprensa quando o mesmo deixava a cadeia. Meteu-se na frente da câmera do repórter cinematográfico.  Coisa feia.

 

 

Ligações Perigosas!

Panama Papers revela que família Rocha Loures guardou US$ 5,6 milhões na Suíça e repatriou em 2016

Panama Papers revela que família Rocha Loures guardou US$ 5,6 milhões na Suíça e repatriou em 2016
(Foto: Divulgação/MDB-PR e Helcio Nagamine/Fiesp – 2014)

A família Rocha Loures manteve US$ 5,6 milhões em uma conta na Suíça no final de 2015. Reportagem do site Poder 360, dentro da série de jornalismo investigativo internacional Panamá Papers, mostra que o registro estava em nome da offshore Railhorn Properties, no banco Pictet, em Genebra. A conta foi aberta em 26 de maio de 2004.

De acordo com a reportagem, a Railhorn era uma empresa de gaveta registrada nas Ilhas Virgens Britânicas. Foi criada em 20 de março de 2004. Tinha como beneficiário Rodrigo Costa da Rocha Loures e sua esposa, Vera Lilia Santos da Rocha Loures, pais do “deputado da mala”, Rodrigo Rocha Loures (MDB).

Este último foi preso em junho de 2017, após revelações de empresários da JBS em acordo de delação premiada. Ele era assessor especial do presidente Michel Temer no Palácio do Planalto. Rodrigo Rocha Loures, o filho, foi filmado saindo de uma pizzaria em São Paulo com R$ 500 mil em uma mala entregue por 1 executivo da JBS relacionado. O Ministério Público Federal sustenta que o montante é fruto de propina.

Rodrigo Costa da Rocha Loures, o pai, fez fortuna vendendo merenda escolar para órgãos públicos. Fundou em 1968 a Nutrimental, conhecida hoje pelas barras de cereais Nutry. A empresa faturou R$ 295,9 milhões em 2016. Ele foi por mais de 10 anos integrante do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, órgão vinculado à Presidência da República. Atualmente é integrante do Conselho Superior de Inovação e Competitividade da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Os US$ 5,6 milhões que estavam na Suíça constam em 1 balanço do banco Pictet de dezembro de 2015. Cezar Bitencourt, advogado da família Rocha Loures, disse ao Poder360 que os valores foram declarados à Receita Federal e repatriados em 2016.

As revelações da reportagem fazem parte da continuidade das investigações da série Panama Papers. Os novos documentos vazados do escritório de advocacia panamenho Mossack Fonseca mostram as consequências da série de reportagens de 2016.

Os registros foram obtidos pelo mesmo jornal que recebeu o 1º vazamento, o Süddeutsche Zeitung, de Munique (Alemanha). Os documentos foram compartilhados com o ICIJ (International Consortium of Investigative Journalists).

Leia a reportagem completa no Poder 360