171 pessoas morreram em confrontos com a Polícia Militar no Paraná em seis meses, diz Gaeco

Cinco morrem em confronto com a Polícia Militar, em Quatro Barras, em 11 de fevereiro (Foto: Reprodução/RPC)

Cinco morrem em confronto com a Polícia Militar, em Quatro Barras, em 11 de fevereiro (Foto: Reprodução/RPC)

Cento e setenta e uma pessoas morreram em confronto com a Polícia Militar (PM), no Paraná, no primeiro semestre de 2018.

O número foi divulgado pelo Grupo de Ação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná (MP-PR), nesta quinta-feira (16).

De acordo com o Gaeco, houve também cinco mortes causadas por policiais civis.

Há ainda dados envolvendo guardas municipais – são três casos: um em Piraquara e um em Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba, e outro em Londrina, no norte do estado.

Ou seja, ao todo, foram 179 mortes em confrontos.

Leia mais

NOTÍCIAS DO LEGISLATIVO NATIVO

Vereadora Inês cobra medidas para reduzir transtornos com obras

No final de julho o Governo do Município iniciou mais uma etapa de pavimentação asfáltica em diversos trechos. Um requerimento apresentado na Câmara Municipal pela Vereadora Inês Weizemann solicita que o Poder Executivo divulgue um cronograma das obras. Segundo a justificativa, esse calendário tem o objetivo de reduzir os transtornos. A vereadora requer a previsão de chegada das obras aos locais para que as pessoas e os comércios e empresas prestadoras de serviço sejam informados com antecedência. Na tribuna da Câmara, a vereadora relatou uma situação em que a interrupção de via sem prévio aviso causou enormes transtornos para evento em hotel com aproximadamente 600 participantes.

Audiência Pública sobre autismo

Foi aprovado pela Câmara na quinta-feira (16) o requerimento do vereador João Miranda, solicitando a realização de uma audiência pública para debate e apresentação de reivindicações e sugestões para melhorias no atendimento às pessoas com Transtorno do Espectro Autista e outras deficiências de ordem física, sensorial e intelectual. O objetivo é reunir autoridades, representantes da sociedade civil organizada, do Poder Executivo, em especial da área da Saúde e Educação, e de demais interessados, com a finalidade de discutir o assunto.

Câmara autoriza cessão de imóvel para a Unila

Os vereadores aprovaram nesta quinta-feira projeto do Executivo que autoriza cessão de uso para a Unila de uma área da prefeitura onde antes funcionava a Escola Santo Rafagnin, no Parque Presidente. Após a sanção do Prefeito, a Unila pretende reformar a estrutura para instalar o Espaço Mijael Aguirre para o desenvolvimento de projetos de extensão como curso de idiomas e atividades culturais com a comunidade. O plenário também autorizou, via projeto de lei 64/2018, a regularização de imóvel do posto do Corpo de Bombeiros do Morumbi II, a fim de que possam fazer melhorias na estrutura do local. Na mesma sessão, foi lido parecer favorável ao #Refis2018 e ao projeto que viabiliza aumento no quadro de funcionários da Fundação Cultural. Ambos os projetos vão à votação na sessão extraordinária da próxima terça-feira (21/08).
Saiba mais em: https://bit.ly/2Mu25ok

Cirurgias ortopédicas

O Vereador João Sabino apresentou em Plenário um requerimento solicitando ao Poder Executivo informações sobre hospitais públicos e privados que realizem cirurgias ortopédicas em Foz do Iguaçu através do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com a justificativa, iguaçuenses que necessitam de cirurgias ortopédicas estão se deslocando a outros municípios para receber atendimento. O requerimento foi aprovado pelos parlamentares e o objetivo é levantar informações oficiais e propor discussões com a prefeitura e ampliar o atendimento.

Vereador reivindica TTU para Três Lagoas

O Legislativo iguaçuense aprovou o requerimento do Vereador João Miranda que pede ao Poder Executivo um estudo sobre a viabilidade de construção de um terminal de transporte urbano no bairro Três Lagoas. Solicita que seja especificando se existe cláusula contratual que obrigue a empresa concessionária a executar tal obra. O parlamentar diz ainda que essa construção é extremamente necessária, visto que traria uma melhora significativa na mobilidade do bairro.

Acidentes envolvendo caçambas preocupam

O crescente número de acidentes envolvendo motos e caçambas para recolhimento de entulho foi tema de um requerimento apresentado pelo Vereador João Miranda e aprovado por todos na sessão da Câmara. O pedido solicita o envio, por parte do Executivo, de um relatório com o registro desses acidentes de janeiro de 2017 até o presente momento. A justificativa aponta que com esses dados será possível compreender melhor quais são as causas e estudar medidas para reduzir os acidentes.

Inscrições para estágio na Câmara começam no dia 21

A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu lançou processo seletivo para contratação de estagiários. As inscrições iniciam no próximo dia 21 e fecham no dia 31 de agostos de 2018. Serão ofertadas 17 vagas, sendo até cinco para nível médio e até 12 para nível superior para estudantes dos cursos de Administração, Ciência da Computação, Ciências Contábeis, Jornalismo e Direito. A carga horária é de seis horas diárias (30 horas semanais) e o valor da bolsa é de R$ 1.344,00 para os estagiários de nível superior e de R$ 1.294,00 para os de nível médio. As inscrições serão realizadas somente no Protocolo da Câmara Municipal, localizado na Travessa Oscar Muxfeldt, 81, Centro. Verifique mais informações no edital do processo seletivo: https://bit.ly/2MF1Kff .
Saiba mais em: https://bit.ly/2vPsAuS

*Demora nas cirurgias oftalmológicas *

Um requerimento do vereador Adenildo Kako foi aprovado em plenário solicitando ao Executivo informações sobre o número de pessoas na fila de espera das cirurgias oftalmológicas e qual o prazo para o atendimento. Segundo o Vereador, trata-se de uma reivindicação da comunidade, que carece de atendimento médico, necessitando dessas cirurgias com urgência.

Alagamentos no Jardim Evangélico

O Vereador Adenildo Kako solicitou ao Prefeito, através de requerimento aprovado na Câmara Municipal, informações sobre a finalização do programa de drenagem da água pluvial no Jardim Evangélico. A justificativa ressalta que os moradores da região vêm sofrendo com os problemas dos alagamentos, e que em 2017 a prefeitura assumiu o compromisso de resolver esse problema. O parlamentar finaliza dizendo que essas obras serão excelentes para os moradores do bairro.

 

TSE rejeita participação de Lula no debate da RedeTV!

Como VEJA adiantou nesta quarta-feira, emissora não tem intenção de convidar o ‘representante’ do ex-presidente, Fernando Haddad, e vai deixar púlpito vazio

O ministro Sérgio Banhos, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), rejeitou nesta quinta-feira, 16, pedido do Partido dos Trabalhadores que buscava permissão para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participar do debate de candidatos a presidente da República previsto para ocorrer nesta sexta-feira, 17, na Rede TV!.

Preso e condenado no âmbito da Operação Lava Jato, Lula está preso desde o dia 7 de abril na superintendência da Polícia Federal em Curitiba e tenta obter aval do TSE para disputar as próximas eleições.

Sérgio Banhos destacou em sua decisão que “é público, notório e incontroverso” que Lula está preso depois de ter sido condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

O ministro ressaltou que, apesar de desdobramentos da condenação na esfera eleitoral, especialmente na questão do debate na Rede TV, o TSE não tem competência para deliberar sobre o “direito de ir e vir” do ex-presidente.

Ao recorrerem ao TSE para conseguirem a participação presencial de Lula no debate da emissora, os advogados do petista entraram com outras solicitações, para garantir pelo menos a participação do ex-presidente no debate por videoconferência ou por meio de vídeos pré-gravados.

“De igual forma, carece esta Justiça especializada de atribuição constitucional e legal para intervir em ambiente carcerário, (…) dispondo sobre a eventual utilização intramuros de aparato tecnológico que possibilite, para além de todas as demais questões jurídicas certamente envolvidas, a participação do segundo requerente, por videoconferência ou por meio de vídeos pré-gravados, em debates a serem realizados nos mais diversos meios de comunicação social. Aliás, no que toca à gravação de vídeos, o modelo seria incompatível até mesmo com a já conhecida dinâmica desses debates”, escreveu Banhos.

O ministro ainda frisou que as medidas solicitadas pelos petistas significariam uma “indevida interferência da Justiça Eleitoral na esfera de competência do juiz da execução da pena”. A juíza responsável é Carolina Lebbos Moura, que negou recentemente a Lula a possibilidade conceder entrevistas.

Argumentos

Para a defesa de Lula, mesmo preso, o ex-presidente possui “em sua integralidade todos os seus direitos políticos” e sua condenação no caso do triplex do Guarujá não pode lhe “restringir a pré-candidatura ao cargo de Presidente da República”.

 

Caminhão carregado com Para-Brisas é apreendido na Ponte Internacional Da Amizade

Na sexta-feira (10), no âmbito da Operação Fronteira Integrada, ação conjunta entre servidores da Receita Federal, policiais do BPFron e da Força Nacional resultou na apreensão de grande quantidade de mercadorias descaminhadas. A ação ocorreu por volta das 7 horas, quando um caminhão, com placas paraguaias, foi abordado ao atravessar a Aduana sentido Brasil. No veículo estava apenas o condutor, um homem paraguaio de 64 anos. Ao notar o nervosismo do motorista, iniciou-se uma fiscalização minuciosa que acabou por revelar 123 para-brisas, acondicionados na carroceria do veículo. Após ser questionado sobre as mercadorias, o condutor informou que não possuía documentos comprobatórios da regular importação das mercadorias. Imediatamente toda a carga e o veículo foram apreendidos. Os itens apreendidos foram avaliados em mais de R$46 mil.

O condutor foi liberado, porém será enviada ao Ministério Público representação fiscal para fins penais para apuração dos ilícitos.

Leilão de mercadorias realizado pela Receita Federal resulta em arrecadação superior a R$ 3 milhões

A Alfândega da Receita Federal do Brasil em Foz do Iguaçu/PR finalizou nesta terça-feira (14) o primeiro leilão eletrônico de mercadorias contrabandeadas realizado no ano de 2018. A arrecadação resultou no valor de R$ 3.204.781,00. O certame foi realizado com a participação apenas de pessoas jurídicas.Houve registro da participação de 171 proponentes, sendo que, após a classificação (foram excluídos os licitantes com algum impedimento ou que tenham pendências fiscais) e ordenação das propostas, foram habilitados 66 licitantes para a fase de lances (desta fase participam os detentores da maior proposta e as propostas que alcançarem pelo menos 90% desse valor).

Dos 50 lotes inicialmente oferecidos, 47 lotes foram arrematados, um foi excluído e dois não receberam lances.

O maior valor pago foi de R$ 227.500,00 e o menor valor pago foi de R$ 1.556,00.

O valor total arrecadado contém um ágio de 136,83% em relação ao valor de avaliação inicial dos bens. O valor médio de arrematação foi de aproximadamente R$ 68,2 mil por lote arrematado.

O montante arrecadado será destinado conforme determina a lei, sendo 60% para o Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (Fundaf) e 40% para a Seguridade Social.

 

Prefeito Jumento é denunciado

Os Vereadores de Paranaguá Jaime da Saúde e Adriano Ramos, já fizeram representação ao Ministério Público Estadual no caso da farra de compra de Título de Melhor Prefeito e das Medalhas de Tiradentes,  denunciadas pelo programa Fantástico, cobrando o ressarcimento do valor gasto aos cofres do município e a condenação do prefeito Marcelo Roque.

Prefeito foi premiado pela UBD e Instituto Tiradentes, denunciados pelo Fantástico

Na denúncia trazida pela Rede Globo, até um jumento foi condecorado pelo proprietário da UBD como Melhor Prefeito

Num espaço de pouco menos de dois meses, em 2017, o prefeito Marcelo Elias Roque (PODEMOS), em novembro e dezembro, foi duas vezes premiado com a Medalha de Ouro Alferes Tiradentes pelo Instituto Tiradentes e um dos 100 Melhores Prefeito do Brasil e o 1º do Paraná pela União Brasileira de Divulgação (UBD).

Foto/reprodução/ Facebook

Na premiação do Instituto Tiradentes, a Secretária Municipal de Educação e Ensino em Tempo Integral (Semedi), Vandecy Dutra, também recebeu a mesma honraria ao lado do prefeito, na entrega feita na cidade de Florianópolis, em Santa Catarina.

Foto/JB Litoral

No mesmo evento, também foram premiados três vereadores da base de apoio do Prefeito José Paulo Vieira Azim (PSB), o Zé Paulo, como os mais atuantes na cidade de Antonina, através de um critério confuso.

A escolha foi feita por telefone, com moradores do Paraná (399 municípios) e de Santa Catarina (295 municípios) que, juntos, somam 694 cidades e uma população conjunta que passa de 18 milhões de habitantes. No disco com o resultado final, consta o que seria a possível votação de cada um dos pesquisados, pois apresentam números e não porcentagem de votos. Segundo o gráfico da pesquisa, a Vereadora Rozane Maristela Benedetti Osaki (PSB), a Rozane do Tiba, foi eleita com 82 votos, Roberto Fernandes (PSB) ficou em segundo lugar com 75 votos e Paulo Roberto Broska (PSDB) em terceiro com 71 votos.

Empresa União Brasileira de Divulgação (UBD), de Pernambuco, vendeu diploma a um jumento, o “Precioso”, de Paulista (PE)

Jumento “Prefeito nota 10 do Brasil”

Neste domingo (05) o programa Fantástico da Rede Globo de Televisão trouxe uma denúncia de compra de títulos e prêmios, envolvendo justamente as duas empresas que premiação o prefeito Marcelo Roque no ano passado.

A situação será investigada pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul, uma vez que existem indícios que políticos usam recursos públicos, por meio de diárias, para receber essas premiações.

Para demonstrar a falta de critérios na concessão desse tipo de reconhecimento, a reportagem do Fantástico incluiu um jumento entre os “prefeitos nota 10 do Brasil”. Com isso, a empresa União Brasileira de Divulgação (UBD), de Pernambuco, acabou vendendo diploma a um jumento, o “Precioso”, de Paulista (PE).

Por sua vez, na cidade de Terra de Areia, no Litoral Norte, o Instituto Tiradentes apontou Pedro Henrique Gross (MDB), chefe de gabinete do prefeito, como segundo vereador mais atuante do município. O instituto diz ter feito pesquisa em outubro de 2017, cinco meses após Gross ter se licenciado do mandato.

O comércio de diplomas de mérito para vereadores, prefeitos e secretários municipais será investigado pelo Ministério Público (MP) do Rio Grande do Sul após o Fantástico, da TV Globo.

Veja como esse negócio funciona na reportagem especial de Giovani Grizotti para o Fantástico.

PITACO: parece que sobrou uma rebarba para o prefeito Chico que também teria sido agraciado como um dos melhores do Brasil. Uauuu! 

Ministério do Açaí! 

Geraldo Alckmin está prestes a ser denunciado no âmbito da Justiça Eleitoral. O crime a ser imputado ao presidenciável do PSDB é o de falsidade ideológica. Consiste em omitir ou inserir declaração falsa em documento para fins eleitorais. O caso envolve o repasse de R$ 10,3 milhões em verbas de má origem da Odebrecht para campanhas de Alckmin.

Deve-se a revelação da novidade ao repórter André Guilherme Vieira. Em notícia veiculada no site do jornal Valor, ele lembrou que, se a denúncia for aceita pela Justiça Eleitoral, Alckmin será convertido em réu. Em estágio inicial, o processo não colocaria em risco a campanha do tucano, pois apenas os condenados em segunda instância caem na malha da Lei da Ficha Limpa, tornando-se inelegíveis.

Além do inquérito eleitoral, delações de executivos da Odebrecht resultaram na abertura de investigação na esfera civil. Corre na Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social de São Paulo. Apura-se a suspeita de que Alckmin tenha praticado improbidade administrativa. Foi neste processo que o candidato tucano prestou depoimento nesta quarta-feira. Não há, por ora, decisão sobre o oferecimento de denúncia.

Os processos correm em sigilo. Quando questionado a respeito, Alckmin diz que é ”dever” do homem público prestar esclarecimentos com ”transparência absoluta.” Contudo, a defesa do grão tucano cogita pedir o trancamento dos dois inquéritos, o eleitoral e o civil.

Com Josias de Souza.

GM CONDENADO SEGUE DE BOA

Guarda Municipal condenado por dois anos e quatro meses de reclusão (com trânsito em julgado) por ter fraudado eleição do SISMUFI se escondendo no forro do local de votação, agora “combate” o crime nas ruas, retirando mendigos que também se escondem em quiosques abandonados. Na época, pela façanha, angariou o sugestivo apelido de seus pares na GM de “ratão de sótão”. Um outro GM que estava junto também acabou condenado.

PITACO: A
 lei completar 17/93 no seu inciso XIV  determina a demissão de servidores condenados à pena com trânsito em julgado, igual ou superior a dous anos, que foi o caso do GM em tela. Dizem que o Chico “lento” sentou em cima da exoneração porque ele teria trabalhado na campanha eleitoral. Mais ou menos o que vem acontecendo com o doutor ‘Fraldão”… Mas tem um detalhe: se o Chico não cumprir a lei terá que ser denunciado pelo MP. Ou será que virou zona? 

Coisas de Foz do Iguaçu, né Washington Sena?

POLÍCIA FECHA CASSINOS NA ARGENTINA

Nesta quinta (16) a polícia argentina fechou os principais cassinos do país sob suspeita de estarem lavando dinheiro oriundo atividades criminosas. O principal suspeito de chefiar o esquema é um cidadão de origem libanesa chamado Barakat, que segue preso no Paraguai.
O governo do Tio SAM quer a cabeça dele. Alguns cassinos voltaram a operar, outros não.

 

 

 

PCC CORROMPE POLICIAIS EM SÃO PAULO – VÍDEO

Policiais de SP recebem até R$ 50 mil de integrantes do PCC

O pagamento é feito também para garantir o funcionamento de pontos de venda de drogas, aponta a investigação.

Por Uol

Investigação chegou à conclusão após interceptação de conversas telefônicas (L.C. Leite/Folhapress)

Relatório final de um inquérito da Polícia Civil de São Paulo indica que criminosos com alto poder de decisão dentro do PCC (Primeiro Comando da Capital) pagam, de forma recorrente, propinas a policiais civis e militares. Um dos chefes da facção criminosa teria desembolsado R$ 50 mil para evitar que fosse preso.

O pagamento é feito também para garantir o funcionamento de pontos de venda de drogas, aponta a investigação que foi base da Operação Echelon.

Segundo a polícia, o suborno de agentes do estado faz parte da engrenagem que colabora para o funcionamento do tráfico de drogas e armas do grupo criminoso, além de facilitar que as ordens da cúpula do PCC, detida no presídio de Presidente Venceslau (SP), sejam executadas nas ruas pelos chamados “soldados”, os integrantes de baixo escalão.

“A manutenção da organização criminosa, nesse patamar de expansão, somente se sustenta com a cooptação de agentes do estado corruptos”, lê-se no documento.

Em nota, a SSP (Secretaria da Segurança Pública) de São Paulo afirma que informações do relatório foram compartilhadas com setores de inteligência das corregedorias das polícias Civil e Militar e dos sistemas penitenciários de outros estados (leia resposta completa abaixo).

A descoberta do esquema de corrupção policial aconteceu quando investigadores monitoravam os passos de um dos líderes do PCC, Adriano Hilário dos Santos, 32, conhecido como Kaíque. Ele está atualmente preso em Presidente Venceslau – distante 565 km da capital paulista.

Kaíque foi capturado em 10 de maio de 2018, no aeroporto de Guarulhos, quando voltava de Camaçari (BA). Ele estava foragido desde o dia 23 de março de 2017, quando fugiu da penitenciária de Valparaíso – distante 505 de São Paulo.

Enquanto estava solto, o criminoso fora flagrado em escutas telefônicas da Operação Echelon. Os diálogos apontavam que ele seria o principal nome do crime organizado em Mato Grosso do Sul, além de manter uma rede de tráfico de drogas na Baixada Santista (SP).

Membros da cúpula do PCC estão presos na Penitenciaria 2 de Presidente Venceslau (SP) (Lalo de Almeida/Folhapress)

Uma escuta telefônica do dia 14 de novembro de 2017 aponta que Kaíque pagou R$ 50 mil a policiais civis para não voltar à prisão.
“Saí da mão dos caras hoje, ontem de madrugada né, irmão. A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) me pegou. R$ 50 mil”, disse ao telefone a um comparsa.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito “mantém contato com policiais que trabalham na região em que ele atua, tendo por algumas vezes mencionado ter sido capturado por estes policiais, sendo que para ser ‘liberado’ foi obrigado a pagar altas quantias em dinheiro”.

Kaíque chegou a ser sequestrado duas vezes. Na primeira, a suspeita é de que ele tenha sido mantido em cárcere privado por policiais militares de elite. Na segunda vez, policiais civis extorquiram dinheiro dele, aponta o inquérito.

Propina também foi paga em Santa Catarina

O chefe do PCC em Santa Catarina (estado estratégico para os negócios da facção por causa do porto de Itajaí) também precisa da corrupção policial para ter sucesso.

Segundo a investigação, Flávio Henrique Breve, o Bonito, 38, relatou, por telefone, o pagamento de propina em 6 de dezembro de 2017, durante uma conversa com uma mulher, que seria sua companheira.

Sigla ‘PCC’ aparece em pichações em muros no Jardim Paraíso, em Joinville (SC) (Avener Prado/Folhapress)

O criminoso alertou a mulher para “ficar esperta” com um policial em específico porque o mesmo abordou sua filha e disse que iria prender toda a quadrilha dela. Ele teria dito que a polícia estava “batendo com frequência” na favela que comandava e sugeriu “cortar na bala os policiais”.

O alvo [Breve] citou que paga propina para vários policiais, sendo da Polícia Civil e Polícia Militar, e que, inclusive, já foram presos nove policiais que caíram no grampo por causa dele. Ele ainda disse que a polícia não iria conseguir prender sua filha, pois ela não anda com nada consigo”, lê-se no relatório da Polícia Civil.

Criminoso critica corrupção policial: “nóia” e “sem futuro”

Em 22 de dezembro de 2017, Rafael Silvestre da Silva, o Gilmar, 47, outro integrante do PCC, ligou para Carlos Galdencio de Souza, o Souza, 46, que tem alto poder de decisão nas conduções determinadas pela facção nas ruas do país, segundo a investigação, e relatou ter sofrido um sequestro e extorsão praticados por policiais corruptos.

O inquérito da Operação Echelon revela que os policiais conheciam o papel de Gilmar no PCC e que sua situação era de foragido da Justiça. Por isso, pediram R$ 200 mil para que ele não fosse preso. Houve negociação e o integrante do crime organizado foi solto após acerto de R$ 20 mil, sendo R$ 5.000 no ato e, depois, parcelas semanais de R$ 1.500.

Escuta telefônica apontou que, durante a conversa entre eles, Gilmar ainda critica a postura do policial corrupto, apontando que o agente fumava maconha enquanto o extorquia. Veja:

  • Gilmar: Tava passando, daí… o negócio deles é que eles quer dinheiro, tá ligado? Aí fechou lá no acerto vinte cruzeiro, tá ligado?
  • Souza: Quanto?
  • Gilmar: Vinte, né?!
  • Souza: Caralho, mano, o bagulho, eu não tinha nem uma (incompreensível) pra te ajudar…
  • Gilmar: Daí, chegou cinco, né. Ontem, só chegou cinco, né, mano… e mil e quinhentos por semana… olha que palhaçada… os cara tudo na nóia. Usando droga na minha frente, tá ligado?
  • Souza: É?
  • Gilmar: Tudo sem futuro, tá ligado? Sem futuro…
  • Souza: Oh, irmão, mas agora você tem que mudar daí…
  • Gilmar: Eles quis pagar até um almoço pra mim, eu falei não quero, não. Eu já almocei, já. Mentira, nem tinha almoçado, mó neurose, mó ódio, tá ligado, mano?!
  • Souza: Você tem que mudar daí agora, mano…
  • Gilmar: É, eu vou mudar, né, eu vou mudar. Eu vou mudar porque os cara não é daqui, né, os polícia não sei da onde que eles são.
  • Souza: É porque os cara passa a bola, entendeu? Os cara passa a bola pra outro, entendeu? Aí é o seguinte: vai ficar pagando também, quando eles termina de pagar, eles passa a bola pra outro, entendeu?

Procurada, a SSP paulista enviou a seguinte nota abaixo:

Após investigações da Polícia Civil, no mês passado, foi desencadeada a Operação Interestadual Echelon em conjunto com a Secretaria da Administração Penitenciária e o Ministério Público. Durante a ação, 65 pessoas foram presas, sendo dois foram em flagrante e 63 por mandados. Do total, 51 pessoas já estavam detidas em unidades prisionais. Sete presos foram transferidos ao Regime Disciplinar Diferenciado (RDD).

No decorrer das investigações, foram apreendidas mais de uma tonelada de drogas. Embora não identifique nomes dos agentes, as informações do relatório foram compartilhadas com os setores de inteligência das corregedorias das polícias Civil e Militar e dos sistemas penitenciários de outros estados.