Policial Del Nero morre em acidente na PR 323

O experiente policial civil Luis Carlos Del Nero, 55 anos, faleceu na noite desta sexta-feira (15) após se envolver em um acidente na PR 323.

Veículo que o policial conduzia com destino à Maringá

A colisão frontal envolveu dois veículos no trecho da rodovia entre o município de Doutor Camargo e a ponte do Rio Ivaí, por volta das 21h.
Del Nero conduzia uma BMW, placa de Altonia, que colidiu contra outro veículo, o motorista morreu na hora.
A vítima da BMW foi socorrida e dentro da ambulância sofreu uma parada cardiorrespiratória e foi encaminhada as pressas ao hospital Metropolitano de Sarandi, por volta das 22h30 foi confirmada pelo hospital a morte do policial.
Del Nero retornava da cidade de Umuarama, onde atuava na delegacia da policia civil como investigador, com destino à Maringá. O investigador deixa esposa e dois filhos. (foto via Anderson Lopez)

    Justiça determina reintegração de ex-funcionária de Itaipu demitida durante a ditadura militar

G1 PR

Sônia Lúcia Castanheira, de 71 anos, demitida em 1977 por suspeita de terrorismo atualmente vive em Ciudad del Este, no Paraguai (Foto: Arquivo Pessoal)

Sônia Lúcia Castanheira, de 71 anos, demitida em 1977 por suspeita de terrorismo atualmente vive em Ciudad del Este, no Paraguai (Foto: Arquivo Pessoal)

O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) determinou que a secretária Sônia Lúcia Castanheira, de 71 anos, seja reintegrada ao quadro de funcionários da Usina de Itaipu, da qual foi demitida em fevereiro de 1977 acusada de terrorismo. Ainda cabe recurso.

Leia mais 

O especialista de Gleisi

O advogado contratado pelo PT para defender a candidatura de Lula, Luiz Fernando Casagrande Pereira, trabalha para Gleisi Hoffmann.

Ele representou a Amante durante a campanha para o governo do Paraná e até doou 15 mil reais para sua empregadora.

A imprensa pode reproduzir o que ele tem a dizer sobre a candidatura do condenado, mas é uma tolice sem tamanho tratá-lo como um especialista independente em assuntos eleitorais.

VÃO APROVEITANDO PORQUE DAQUI A POUCO O SEO LÍNGUA VAI SALGAR A MIXARIA NA PRAIA E SÓ VOLTA EM JANEIRO.
VOU DAR UM REFRESCO PARAS AS DUPLAS: BRITO/PUM, E OLIVEIRA’S/CHAPINHA…

Mansur e Richa Filho anunciam consulta técnica para ramal da Ferroeste em Foz

 

 Em reunião com a diretoria da Acifi, o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, e o coordenador regional da Casa Civil no oeste do Paraná, Phelipe Mansur, anunciaram, nesta sexta-feira, 15, que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou a liberação da consulta e do estudo técnico para trazer um ramal da Ferroeste para Foz do Iguaçu.

 

A extensão deve aproveitar a estrutura e os investimentos da obra da ferrovia Paranaguá-Dourados (no Matro Grossso do Sul), que deverá ser executada no próximo ano.  “Tivemos o parecer (da ANTT) positivo, liberando que se iniciem estudos para o projeto da rampa da Ferroeste para Foz do Iguaçu, neste empreendimento fundamental para o desenvolvimento da nossa região, para impulsionar a economia, promover emprego e geração de renda”, analisou Phelipe Mansur, no encontro na Acifi.

 

Desenvolvimento – “Com essa iniciativa, damos uma resposta para a necessidade de desenvolvimento da cidade. Foz tem uma clara vocação para ser o centro logístico do Mercosul, e com essa notícia, damos mais um passo para isso acontecer, pois sem uma solução logística consistente, Foz não tem condições de se industrializar”, completou Mansur.  

 

Para Phelipe Mansur, seria inaceitável aceitar a execução da obra de ramal ferroviário entre Paranaguá-Dourados, sem a inclusão de Foz do Iguaçu. “Isso nos fez pensar (eu e o Richa) sobre esta questão para trazermos este importante empreendimento para o desenvolvimento de Foz e região”, disse.

 

E completou Mansur: “Foz iria ficar de fora desse investimento de pelo menos R$ 10 bilhões, e que será o principal eixo logístico do estado. Não podemos ficar de fora disso. Se ficarmos de fora, o desenvolvimento do Paraná irá ocorrer longe daqui”. 

Com assessoria.

 

Ex-diretor é condenado por cultos evangélicos no Arquivo Nacional

José Ricardo Marques terá que ressarcir o custo das cerimônias, no valor de R$ 24 mil, e pagar multa de R$ 36 mil

ESTADÃO CONTEÚDO
 

Rio – O ex-diretor do Arquivo Nacional, José Ricardo Marques, foi condenado pela 32ª Vara Federal do Rio de Janeiro pelo crime de improbidade administrativa, em razão de ter promovido cultos evangélicos semanais no auditório principal da instituição, com auxílio de equipamentos e servidor do órgão.

José Ricardo Marques, ex-diretor do Arquivo Nacional, foi condenado por práticas de culto evangélico na instituiçãoReprodução/Youtube/Arquivo Nacional

De acordo com a Procuradoria da República no Rio de Janeiro, a decisão manda José Ricardo ressarcir o custo dos cultos, no valor de R$ 24 mil, e a pagar multa de R$ 36 mil.

José Ricardo Marques foi nomeado em fevereiro de 2016, em substituição ao servidor de carreira Jaime Antunes, que tem formação na área e dirigiu a instituição por 23 anos. “Tão logo tomou posse no cargo, Marques indagou ao então coordenador de administração quem eram os servidores do órgão que professavam a sua crença. Em seguida, mandou chamar o grupo e disse que, daquela data em diante, eles não mais se reuniriam na área livre onde estavam habituados, mas sim no auditório principal da instituição”, diz a Procuradoria.

Os procuradores explicam que o “coordenador de administração do órgão chegou a argumentar com Marques que um espaço multiuso, no subsolo do bloco P do Arquivo, estava sendo preparado para aulas de dança, coral e instrumentos musicais, e que as reuniões evangélicas talvez pudessem ocorrer nesse local, uma vez que nele, diversamente do que ocorre com o auditório principal, não há despesas extras com ar-condicionado e energia elétrica”.

O diretor, porém, recusou veemente a sugestão, dizendo que o local era um ‘buraco’ e que jamais faria reuniões evangélicas em tal espaço, de acordo com o MPF.

Equipamentos do museu eram usados no culto

Os procuradores afirmam que, por determinação do diretor, os cultos evangélicos passaram então a ser realizados semanalmente no auditório principal do Arquivo, “com o suporte de um servidor federal destacado para operar os equipamentos de áudio e vídeo (pertencentes ao patrimônio público) usados nas oito sessões realizadas”.

Na ação, o MPF afirma que a conduta do diretor causou perda patrimonial e desvio de recursos públicos para fins privados, além de atentar contra os princípios da legalidade, imparcialidade, honestidade e lealdade às instituições, destacando que o Estado Brasileiro é laico desde 1898.

Em sentença, a 32ª Vara Federal ainda destacou que Marques mentiu à Procuradoria e orientou uma testemunha sobre o que deveria dizer quando interrogada.

O Arquivo Nacional é uma das instituições federais mais antigas do país e tem, por lei, a função de promover a “gestão e o recolhimento dos documentos produzidos e recebidos pelo Poder Executivo Federal, bem como preservar e facultar o acesso aos documentos sob sua guarda, e acompanhar e implementar a política nacional de arquivos”.

Marques, atualmente, é coordenador de infraestrutura do Ministério da Justiça e da Segurança Pública.

PITACO: E vamos correr a sacolinha.

 

Veículo é apreendido com celulares em fundo falso na praça de pedágio de São Miguel do Iguaçu

Nesta sexta-feira (15), em abordagem realizada na praça de pedágio de São Miguel do Iguaçu, servidores da Receita Federal realizaram apreensão de grande quantidade de celulares e acessórios em fundo falso de veículo.

Por volta das 13h30, um veículo de placas de Araruna/PR foi abordado na praça de pedágio de São Miguel do Iguaçu/PR. Estavam no veículo, o condutor e mais dois passageiros, a esposa e o filho. Ao ser questionado, o condutor disse que saiu de Foz do Iguaçu/PR com destino a Francisco Beltrão/PR. Tanto o condutor quanto os passageiros, apresentavam sinais de nervosismo, o que levou os servidores a realizarem busca minuciosa no interior do veículo. Ao abrirem o bagageiro, os servidores localizaram grande quantidade de aparelhos celulares e, então, lacraram o veículo para ser encaminhado na Delegacia da Receita Federal por suspeita de haver mais mercadorias em fundo falso.  

Após o veículo ser deslacrado, foram localizados grande quantidade de celulares ocultados em fundo falso. Uma parte dos aparelhos estava oculta no banco traseiro e outra no compartimento do estepe. Além destas, um fundo falso com acesso mecânico na lanterna traseira direita foi adaptado para esconder os celulares e acessórios. Ao todo 500 celulares foram apreendidos, totalizando aproximadamente R$100 mil. O veículo foi apreendido e será encaminhado para os procedimentos legais cabíveis.

Com RFB