STF prepara 1º julgamento de réu da Lava Jato

Três anos depois de receber os primeiros inquéritos da Lava Jato, o Supremo Tribunal Federal finaliza os preparativos para realizar o primeiro julgamento de um réu pilhado no escândalo: o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR). Revisor do processo, o ministro Celso de Mello liberou-o nesta segunda-feira. Cabe agora ao relator do caso, Edson Fachin, marcar a data. Ele sinaliza a intenção de agendar o julgamento para os primeiros dias de maio.

Meurer foi empurrado para dentro da Lava Jato pelo delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras. É acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Rebatizado de Progressistas, o PP frequenta o topo do ranking de encrencados no petrolão. Junto com o delator, expoentes da legenda foram acusados de embolsar R$ 357,9 milhões em propinas entre 2006 e 2014. Desse total, Meurer é apontado como beneficiário de R$ 29,7 milhões. Todos negam os malfeitos.

Depois de Meurer, deve ser julgada na Segunda Turma do Supremo a senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente do PT federal. O processo sobre Gleisi ainda está com o revisor Celso de Mello, que deve repassá-lo para o relator Fachin ainda em maio. Como esses julgamentos ocorrem na última instância do Judiciário, não há para quem recorrer. Qualquer veredicto que não seja a inocência aproximará o réu —ou a ré— da cadeia.

Diga-me com quem andas…

Na foto José Reis, o Cazuza, que segue em prisão domiciliar (monitorado por tornozeleira não pode se ausentar mais que 50 metros da residencia em Sta. Terezinha de Itaipu) em companhia da atual governadora Cida Borghetti.
A foto foi tirada quando Cida era vice governadora do Beto Richa.
Cazuza, o ex-dirigente partidário do Pros na fronteira, está denunciado pelo MPF como mentor intelectual de uma quadrilha que fraudava licitações públicas no município. Se for condenado em todos os artigos do código penal em que foi denunciado pode pegar mais de 20 anos na cadeia.

Este mesmo MPF oficiou á Caixa Econômica a situação do Cazuza no processo da operação Renitência, ou seja, sua prisão preventiva, e sua situação como réu no processo. Como sabido Cazuza é servidor da Caixa. 

 

 

Jornalista recebe ameaças após criticar Bolsonaro

Texto publicado no Comunique-se:

Na quarta-feira, 18, o diretor do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul, Roberto Carlos Dias, falou sobre as ameaças que vem sofrendo de internautas após postar crítica ao deputador federal Jair Bolsonaro (PSL/RJ). O profissional da imprensa denunciou a situação à Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa.

O jornalista conta que escreveu mensagem nas redes sociais que dizia “não adianta lamentar a morte de uma criança estuprada e defender o Bolsonaro, réu em dois processos por apologia ao estupro”. A opinião resultou em onda de agressões e intimidações no Facebook e em grupos de whatsapp. “Vamos arrebentar este lixo. Vamos atirar com bala de sal para que o ferimento nunca cure. Vamos pegá-lo na rua” foram algumas das ameaças relatadas por Roberto Carlos Dias, que ainda contou sobre um episódio além do mundo digital. De acordo com o jornalista, ele foi intimidado por um taxista num restaurante em Caxias do Sul.

“Vivo um exílio doméstico. Vou da casa para o trabalho e do trabalho para casa. Não posso mais circular livremente, pois não sei até que ponto essas pessoas podem ir. Os comentários fortes que fazem mostram que não têm limites”, desabafou o comunicador de acordo com reportagem do sindicato.

Os casos de ameaça ao jornalista Dias serão acompanhados. Deputado pelo PSOL, Pedro Ruas vai conversar com o titular da Delegacia de Polícia, onde o boletim de ocorrência foi registrado. Além disso, o Ministério Público Estadual será procurado para que a investigação tenha acompanhamento. “Não estamos diante de um grupo de bate-papo nas redes sociais, mas de uma rede que se organiza para ameaçar, intimidar e violar direitos. É preciso tornar estas pessoas visíveis, pois a experiência mostra que são valentes nas redes. Na frente do juiz a conversa muda”, afirmou a deputada Manuela d’Ávila (PCdo B), que participou da reunião no orgão legislativo e defendeu o encaminhamento do caso para a Delegacia Especializada em Crimes Virtuais. Para a parlamentar, grupos de whatsapp que ameaçam de agressão e de atentado à vida “são quadrilhas, organizações criminosas que devem ser combatidas pela polícia”.

A reunião em que o jornalista denunciou as ameaças foi presidida pelo deputado Jeferson Fernandes (PT) e contou com a participação dos deputados Miriam Marroni (PT), Missionário Volnei (PR), Bombeiro Bianchini (PR), Luís Augusto Lara (PTB) e Valdeci Oliveira (PT).

 

Professora é presa suspeita de facilitar estupro de ex-enteada em troca de crack

Caso foi registrado em Foz do Iguaçu, no sábado (21); prefeitura informou que servidora estava afastada desde fevereiro por ‘indícios de desvio de conduta mora e ética’.

Uma professora, de 49 anos, foi presa suspeita de facilitar o estupro da ex-enteada, de 13 anos, em troca de crack. O suspeito de ter abusado da adolescente também foi preso.

O caso, que está sendo investigado pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), foi registrado na madrugada de sábado (21), em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

De acordo com a polícia, na sexta-feira (20) à noite, a professora convidou a menina para fazer um lanche e, depois de maquiá-la, a levou até uma casa, na região do Conjunto Buba, onde a apresentou para alguns homens.

“Segundo o relato da adolescente, a mulher ofereceu a virgindade dela em troca de duas pedras de crack”, comentou o delegado Carlos Eduardo Pezzette Loro.

O delegado disse ainda que um dos homens, de 21 anos, levou a menina para um dos quartos e a estuprou.

Ao chegar em casa, a adolescente contou o que houve para o pai, que denunciou o caso à polícia.

Durante a madrugada, policiais foram até o local indicado e detiveram cinco pessoas. Dois menores de idade e um homem foram ouvidos e liberados.

A professora foi presa e indiciada por corrupção de menor. Já o suposto abusador deve responder por estupro de vulnerável. Ele negou o envolvimento no caso.

A adolescente foi encaminhada ao hospital para a realização dos exames que podem comprovar se houve conjunção carnal. O inquérito deve ser concluído em até dez dias.

Afastamento

Em nota, a Prefeitura de Foz do Iguaçu informou que a professora, que também era diretora de um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), está afastada desde fevereiro por “indícios de desvios de conduta moral, ética e de caráter administrativo”.

Ainda conforme a prefeitura, o CMEI passou por uma intervenção administrativa para “apurar a conduta administrativa e criminal da servidora” e, no dia 1º de março, uma nova diretora tomou posse.

Conservador Mario Abdo Benítez, o “Marito, vence eleição no Paraguai

Liberal Efrain Alegre ficou em segundo lugar; 65% dos 4,2 milhões de eleitores foram às urnas neste domingo (22).

G1 PR

 
Mario Abdo Benítez é eleito presidente do Paraguai

Mario Abdo Benítez é eleito presidente do Paraguai

O candidato direitista Mario Abdo Benítez venceu a eleição presidencial no Paraguai neste domingo (22). Com 96% das urnas apuradas, ele recebeu 46,49% dos votos, informou o presidente do Tribunal Eleitoral do país, Jaime Bestard.

Seu principal oponente, o liberal Efrain Alegre, de uma coalizão de centro esquerda, recebeu 42,72% da preferência dos eleitores.

Benítez sucederá em agosto o presidente Horacio Cartes, um empresário da indústria do tabaco que, nestas eleições, candidatou-se ao Senado.

Os centros de votação fecharam às 16h local (17h de Brasília), sem incidentes, informou a autoridade eleitoral. Participaram da eleição cerca de 65% dos 4,2 milhões de eleitores.

Outros oito candidatos competiram pela presidência, mas sem chances reais de vencer.

Nas eleições, de um só turno, também esteve em jogo a composição do Congresso (Senadores e Deputados) e os governos dos 17 departamentos, além das cadeiras no Parlasur (Parlamento do Mercosul).

Em conjunto, foram apresentadas mais de 15 mil candidaturas desde as fileiras de 23 partidos, 17 alianças, outros tantos movimentos e quatro combinações.

Foram desdobrados cerca de 300 observadores internacionais em todo o país de organismos como a União Europeia (UE), a Organização de Estados Americanos (OEA) e a União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore).

Veja abaixo o perfil do novo presidente paraguaio:

Marcado por ser de uma família muito próxima do ex-ditador Alfredo Stroessner, o candidato do partido governista à presidência do Paraguai, Mario Abdo Benitez, do partido Colorado, se esforça para provar suas credenciais democráticas e republicanas.

Com 46 anos, graduado em marketing nos Estados Unidos, “Marito” era favorito segundo as pesquisas, com até 20 pontos de vantagem sobre o candidato liberal Efraín Alegre, da coalizão de centro-esquerda Alianza Ganar.

Seu pai foi secretário particular de Stroessner. Entre eles havia um parentesco por parte das avós.

“Lamento a parte negra da nossa história, mas, como muitos paraguaios, acho que não deve ser uma desculpa para manter uma divisão entre compatriotas. Eu tinha 16 anos quando Stroessner caiu”, afirma.

Mas esse passado foi deixado de fora de sua carreira política e da campanha eleitoral.

“Quem tem menos de 40 anos não se lembra da ditadura. E é por isso que não está na discussão desta campanha”, afirma o analista político Francisco Capli à AFP.

Divorciado de Fátima María Díaz Benza, com quem teve dois filhos, Abdo se casou novamente com Silvana López Moreira Bo, filha de uma família da alta sociedade de Assunção.

Tem apenas uma irmã e sete meio-irmãos.

Afirma ter construído uma identidade própria, apesar de sua origem, tendo sido criado como um pequeno príncipe. Seu pai foi processado por enriquecimento ilícito. Foi um dos primeiros prisioneiros da democracia que se instalou após a queda de Stroessner, mas finalmente foi absolvido.

Juntou-se à militância política dentro do movimento Paz e Progresso, o lema do governo da ditadura.

Em 2013, foi eleito senador e depois presidente do Congresso em 2015, ano que marcou o ponto de virada e o ponto de ruptura de suas relações com o presidente Cartes.

Na crise de março de 2017, os opositores reagiram com violência e incendiaram uma parte do Congresso em protesto contra a pretensão do presidente Cartes de aprovar uma emenda que o qualificaria para a reeleição.

“Estava na praça, defendi nosso sistema republicano”, diz ele, com convicção.

PITACO: O povo paraguai ainda não acordou do pesadelo que foram os 35 anos de (des)governo do ditador Alfredo Stroessner. Esse “Marito” é filho do homem que foi secretário particular do Stroessner por duas décadas, portanto, fruto da mesma linhagem política. No Paraguai de cada três cidadãos um é miserável. A herança macabra do período Stroessner. 

Haxixe, celulares, perfumes e brinquedo são apreendidos na Ponte Internacional da Amizade

Na manhã deste sábado (21), na Aduana da Ponte Internacional da Amizade, no âmbito da Operação Fronteira Integrada, ação conjunta entre servidores da Receita Federal, policiais do BPFron e da Força Nacional resultou na apreensão de grande quantidade haxixe, smartphones, brinquedos e perfumes.A primeira abordagem ocorreu por volta das 09h a um táxi paraguaio. No veículo estava somente o condutor, um homem paraguaio, com sinais expressivos de nervosismo, que empreendeu fuga a pé, sentido Paraguai, imediatamente ao perceber que seria fiscalizado. Foi realizado um acompanhamento tático ao homem, porém sem sucesso em contê-lo.

Em seguida, durante inspeção no porta malas do veículo, foi encontrado um fundo falso, onde estavam ocultos alguns pacotes de haxixe que totalizaram, após pesagem, 6,36 kg. Em seguida, na continuação da fiscalização, foram descobertos outros fundos falsos nas lanternas dianteiras, onde foram encontrados 28 celulares de alto valor, totalizando R$36 mil.

As mercadorias foram apreendidas e o entorpecente encaminhado para a Delegacia de Polícia Federal de Foz do Iguaçu para os procedimentos legais cabíveis.

Já por volta das 19h, um carro com placas paraguaias, ocupado apenas pelo condutor, um homem paraguaio, foi abordado para uma verificação de rotina. Ao inspecionar o interior do veículo, foram encontrados diversos perfumes e brinquedos. O condutor alegou que entregaria a mercadoria em um hotel no centro de Foz do Iguaçu e que receberia 100 dólares pelo transporte. A mercadoria, que totalizou R$8 mil, foi retida e o motorista liberado, porém será enviada representação fiscal para fins penais ao Ministério Público para averiguação das irregularidades.

Com RFB.

JUSTIÇA PROTELA INTERROGATÓRIO DO EX-PREFEITO RENI PEREIRA

Juízo da 3ª Vara Criminal Federal protelou o interrogatório do réu Reni Pereira (na audiência da Pecúlio/Nipoti)  que deveria acontecer na próxima quarta (25). O motivo alegado foi a dificuldade em agendar depoimentos de algumas testemunhas de defesa no processo. Uma nova data deverá ser agendada.

Investigação em Ambiente Digital – Exclusivo para capas-pretas

Imagem: Divulgação/EMAPImagem: Divulgação/EMAP

Estão abertas as inscrições para o curso “Investigação em Ambiente Digital”

A capacitação é voltada para magistrados e será realizada na EMAP em maio
Sex, 20 Abr 2018 17:14:00 -0300

Entre os dias 20 de abril e 10 de maio, os magistrados interessados em participar do curso “Investigação em Ambiente Digital” poderão realizar a inscrição na página da Escola da Magistratura do Paraná (EMAP). O curso é dividido em um módulo presencial, que ocorrerá no auditório da EMAP nos dias 14 e 15 de maio, e em um módulo online, no sistema de educação a distância (EAD) da Escola entre 21 de maio e 3 de junho.

A capacitação é credenciada pela Escola Nacional de Formação e Atualização dos Magistrados (ENFAM). O principal objetivo é garantir a correta aplicação da legislação penal e a melhoria na prestação jurisdicional, apresentando aos participantes um panorama de como as entidades públicas procedem nas investigações e a forma de atuação dos criminosos no ambiente virtual.

Para realizar a inscrição, acesse a página do curso no site da EMAP.

Programação

MÓDULO I – 12 H/A

14 de maio (segunda-feira)

14h – 15h15 Palestra 1 – Des. Marcelo Gobbo Dalla Dea

Tema: Introdução a Investigação em Ambiente Digital

15h15 – 17 h Painel 1 – Tema: O papel do Ministério Público nas Investigações em Ambiente Digital

Dra. Neide M. C. Cardoso de Oliveira – Ministério Público Federal

Dr. André Glitz – Ministério Público Estadual

17h30 – 19 h Palestra 2 – Bruno Miranda Antonio

Representando a Microsoft Brasil

Tema: Segurança Digita l – Atuações da Microsoft em conjunto com autoridades estrangeiras para derrubada de redes de botnets; Resultado de análises feitas pela empresa em 2017, com as maiores tendências de ataques; Aumento de infecções por ransomware e recomendações; Alteração dos perfis dos hackers ao longo dos anos e iniciativas como a “Convenção Digital de Genebra”, liderada pela Microsoft.

15 de maio (terça-feira)

9 h – 10h30 Palestra 3 – Dr. Flúvio Cardinelle Oliveira Garcia

Tema: Repressão ao Cyber crime no Brasil

10h30 – 12 h Palestra 4 – Dr. Marco Berzoini Smith

Tema: Contra inteligência da Polícia Federal – investigação de cyber crimes.

14 h – 15 h Palestra 4 (continuação) – Dr. Marco Berzoini Smith

Tema: Contra inteligência da Polícia Federal – investigação de cyber crimes.

15 h – 16 h Palestra 5 – Des. Joatan Marcos de Carvalho

Tema: Limites da Investigação em Ambiente Virtutal

16 h – 18 h Palestra 6 – Delegado Demetrius Queiroz

Tema: Inteligência da Polícia e repressão ao crime organizado.

MÓDULO II – 8 h/a

ATIVIDADE PRÁTICA DE APLICAÇÃO (sala online)