Categorias
outros

Bolsonaro ignora testes encalhados do governo e culpa Estados e municípios

Estadão Conteúdo

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta segunda-feira, 23, que são governadores e prefeitos, e não o governo federal, quem deve explicações sobre os 6,86 milhões de testes para o diagnóstico do novo coronavírus que estão “encalhados”. Como revelou o jornal O Estado de S. Paulo, os exames comprados pelo Ministério da Saúde perdem a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021 e podem acabar no lixo. Cobrado sobre o assunto nas redes sociais, o presidente jogou a culpa em Estados e municípios.

“Todo o material foi enviado para Estados e municípios. Se algum Estado/município não utilizou deve apresentar seus motivos (sic.)”, disse Bolsonaro a um apoiador que o questionou se a informação procedia. Os dados sobre o prazo de validade dos testes em estoque estão registrados em documentos internos do próprio Ministério da Saúde.

Já o vice-presidente Hamilton Mourão, ao ser questionado sobre o assunto na manhã desta segunda-feira, disse “não estar ciente” e que cabe ao ministério apresentar os esclarecimentos. “Tem que buscar o esclarecimento lá com o Ministério da Saúde. Não estou ciente disso. Não é um assunto que passa por mim, não tenho o que declarar a respeito. Tem que ver lá com eles lá”, afirmou o vice, encerrando a conversa com jornalistas no Palácio do Planalto.

Antes da declaração do presidente, os conselhos de secretários municipais (Conasems) e estaduais de Saúde (Conass) afirmaram que o ministério não entregou todos os kits de testes e máquinas para automatizar a análise das amostras que havia prometido.

“O contrato que permitia o fornecimento de insumos e equipamentos necessários para automatizar e agilizar a primeira fase do processamento das amostras foi cancelado pelo Ministério da Saúde”, destacou o Conass. “Há o compromisso da pasta de manter o abastecimento durante o período de 3 meses, contados a partir do cancelamento. É fundamental, porém, que uma nova contratação seja feita e a distribuição dos insumos seja retomada em tempo hábil”, completou.

No domingo, o jornal O Estado de S. Paulo revelou que 7,1 milhões de exames estão em armazém do ministério, ou seja, não foram enviados ao SUS em plena pandemia. Do total estocado, 96% (cerca de 6,86 milhões de unidades) perdem a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021.

O estoque que pode ser inutilizado é maior do que os 5 milhões de testes PCR (considerado “padrão ouro” para detectar o vírus) já realizados pelo SUS na pandemia. O Ministério da Saúde afirma que já pediu estudos de estabilidade ao fabricante do teste para, na sequência, solicitar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a prorrogação da validade do produto.

O RT-PCR é um dos exames mais eficazes para diagnosticar a covid-19. A coleta é feita por meio de um cotonete aplicado na região nasal e faríngea (a região da garganta logo atrás do nariz e da boca) do paciente. Na rede privada, o exame custa de R$ 290 a R$ 400. As evidências de falhas de planejamento e logística no setor ocorrem num período de aumento dos casos no País.

Além de ser poderoso para o diagnóstico, o teste é ferramenta fundamental para a estratégia de controle da pandemia. Se for bem aplicado, o exame permite quebrar cadeias de infecção ao rastrear e isolar infectados, mesmo aqueles sem sintomas, e seus contatos próximos.

O ministério chegou a lançar duas vezes o programa Diagnosticar para Cuidar, que previa 24,2 milhões de exames no SUS até dezembro. Só 20% foram feitos até agora. A pasta prometeu também insumos para entregar kits completos, mas os negócios foram travados por suspeita de irregularidades, hoje sob análise do Tribunal de Contas da União (TCU).

Sem todos os equipamentos necessários para a testagem, Estados e municípios afirmam que nem sequer dão conta das unidades que já receberam. O ministério informou no domingo que enviou 9,31 milhões de reações RT-PCR. O problema é que não basta este produto, e outros insumos foram entregues em quantidade inferior, como cotonetes e tubos para coleta do material do paciente, além de insumos para extração do RNA.

Além disso, a capacidade do SUS de processar as amostras em laboratório é baixa e, segundo os Estados e municípios, o ministério não entregou todos os equipamentos prometidos para equipar os Laboratórios Centrais (Lacens) das 27 unidades da federação.

Em nota divulgada no domingo, o ministério disse que entrega os exames conforme demanda de Estados e municípios. A pasta afirmou ainda que não mediu esforços para compra de kits de testagem e investimentos em laboratórios. O ministério, porém, também omitiu no comunicado o tamanho de seu estoque.

PITACO: Desgraçadamente temos um Presidente da República que gosta de mentir para os brasileiro. Uma lástima!

Categorias
outros

VESTIBULAR DE VERÃO UDC SERÁ NO PRÓXIMO SÁBADO, SAIBA MAIS

UDC referência em ensino superior no interior do Paraná realizará o Vestibular para 74 opções de cursos. Enjoy!

No próximo sábado (28/11), o Centro Universitário UDC, Centro Universitário UDC Vila A, faculdades UDC Monjolo e UDC Medianeira realizam o Vestibular de Verão 2021. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site da UDC.

As disciplinas em todos os Cursos da UDC foram remodeladas para acompanhar o mundo digital e serem muito mais próximas do real, tudo adequado ao novo momento. A ideia é que os estudantes passem mais tempo nos laboratórios da instituição, que são os melhores e mais modernos da região.

Nesta nova etapa, os universitários têm a opção de se conectar e estudar as teorias, de onde quiserem em dois dias da semana, através das aulas remotas. No restante do tempo, as disciplinas serão aplicadas em ambientes de prática científica, elevando ainda mais a qualidade do conhecimento. Na UDC o universitário pratica o que vai vivenciar na futura profissão.

Um novo momento, muito mais aulas nos laboratórios. Uma imersão na prática que alia conhecimento, tecnologia e estabelece novas experiências. Muito mais pesquisa e descobertas!

Para a UDC, a excelência no ensino está sempre em 1º lugar, a instituição sabe da importância de inovar e utilizar cada vez mais tecnologia na educação. “Inovamos! Sabemos que a tecnologia é algo muito positivo, precisamos usar essas ferramentas a favor do conhecimento, portanto, inserimos essa realidade em todas as disciplinas de todos os nossos cursos. Queremos formar profissionais antenados, modernos, que conheçam as práticas, dominem as teorias e que se enquadrem no mundo atual”, explica a Reitora do Centro Universitário UDC Prof. Rosicler Hauagge do Prado.

A UDC está melhor, moderna, tecnológica e mais forte do que nunca.

Conheça nossos números

O estudante tem 74 opções de Cursos na UDC. Basta encontrar aquele que mais se adequa ao perfil e usufruir da melhor estrutura de ensino do Oeste do Paraná.

São mais de 70 mil metros quadrados de área construída divididos em 4 unidades e o ambiente virtual da UDC Online. Você poderá estudar no Centro Universitário UDC Centro; Centro Universitário UDC – Vila A; UDC Monjolo; UDC Medianeira; e UDC Online.

Quando o assunto é acervo literário, a UDC é uma gigante, possuindo em suas 4 bibliotecas mais de 150 MIL exemplares.  Oferece ainda a biblioteca virtual da UDC Online com mais de 7 mil títulos.

São mais de 120 laboratórios com equipamentos de última geração.

Centro de Estudos e Pesquisa, 5 Clínicas Escola, onde aluno UDC atua diretamente com a comunidade iguaçuense, na prática! Odontologia; Medicina Veterinária; Fisioterapia; Fonoaudiologia; Psicologia; e Estética e Cosmética, todas abertas à comunidade iguaçuense. Áreas experimentais no campo e muito mais!

É a UDC para o mundo e com o mundo.  Uma instituição nota máxima, para uma formação de qualidade e excelência.

UDC é forte, digital, global e Internacional!

Fonte: Assessoria de imprensa UDC.

 

Categorias
outros

Senador Irajá Filho é acusado de estupro por modelo de São Paulo

Denúncia contra o parlamentar de Tocantins foi registrada na madrugada desta segunda-feira (23/11). Irajá (PSD), que é filho da também senadora Kátia Abreu (PP) nega as acusações

 (crédito: Jane de Araújo/Senado)
(crédito: Jane de Araújo/Senado)

Uma modelo de 22 anos registrou um boletim de ocorrência na madrugada desta segunda-feira (23/11), em São Paulo, no qual acusa o senador Irajá Silvestre (PSD-TO) de estupro. O parlamentar é filho da também senadora Kátia Abreu (PP-TO).

Segundo o boletim de ocorrência, a vítima teria acordado com o investigado em cima dela, a penetrando sem preservativo, e dizendo frases como: “agora, você é minha” e “estou apaixonado”. Ela relatou à polícia que ficou com medo de apanhar e, por isso, não resistiu ao abuso, mas que pedia insistentemente para ir ao banheiro e tomar água, e que ele não deixava. Quando conseguiu ir ao banheiro, segundo ela conta, após dizer que estava passando mal, se trancou e começou a pedir socorro.

Câmeras de Segurança

A vítima passou por exames em um hospital da capital paulista. A polícia já trabalha na busca por imagens de câmeras de segurança da casa noturna e do hotel. O quarto onde teria ocorrido o suposto crime foi preservado para exame pericial.

Versão do senador

Em nota, o senador afirmou que recebeu com “tristeza” a denúncia “caluniosa”. Além disso, disse que se colocou à disposição das investigações. “Foi com surpresa, decepção, tristeza e indignação que tomei conhecimento do episódio infame, maldoso e traiçoeiro envolvendo a minha vida e minha dignidade”.

Categorias
outros

PF faz maior operação do ano contra lavagem de dinheiro do tráfico

Divulgação da Polícia Federal sobre a Operação Enteprise

A ação tem o objetivo de combater o tráfico internacional de drogas

A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal deflagraram nesta segunda-feira (23) a Operação Enterprise. Somente hoje, cerca de 670 policiais federais e mais 30 servidores da Receita cumprem 149 mandados de busca e 66 mandados de prisão nos estados do Paraná, de Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, do Pará, Minas Gerais, do Rio Grande do Norte, da Bahia e de Pernambuco. As medidas foram expedidas pela 14ª Vara Federal de Curitiba.

A Interpol também foi acionada para a prisão de oito investigados que estão no exterior, bem como a identificação e sequestro de bens em outros países. “É a maior operação do ano no combate à lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e uma das maiores da história na apreensão de cocaína nos portos brasileiros, uma vez se tratar de uma organização criminosa especializada no envio de cocaína para a Europa”, destacou a assessoria da PF.

Apreensões

Na megaoperação de hoje, foram apreendidos imóveis, aeronaves e veículos de luxo. A expectativa é que novos bens sejam identificados após o cumprimento de todos os mandados de busca e apreensão. Além da prisão de bens cujo valor pode chegar a R$ 400 milhões, a Operação Enterprise é a maior da história em apreensão de cocaína. Durante a investigação, foram anteriormente apreendidas 50 toneladas da droga em portos do Brasil, da Europa e da África. O esquema utilizado pelos criminosos consistia na lavagem de bens e ativos multimilionários no Brasil e no exterior com uso de várias interpostas pessoas (“laranjas”) e empresas fictícias, a fim de dar aparência lícita ao lucro do tráfico.

Enterprise

O nome da operação, segundo a PF, faz alusão à dimensão da organização criminosa investigada, que atua como um grande empreendimento internacional na lavagem de dinheiro e exportação de cocaína, o que trouxe alto grau de complexidade à investigação policial.

Com Agencia Brasil

 

Categorias
outros

Alô “Dotô” Reginaldo! O Super secretário de segurança da Fronteira

Criminalidade explodindo em Foz!
Vários assassinatos, arrombamentos, badernas, furtos.

Cadê as câmeras de vídeo monitoramento?
Cadê as ações integradas de cooperação entre as forças de segurança? Tá difícil!!!

 

Categorias
outros

Ministério Público cria incentivos para acordos com empresas acusadas de fraude na área cível

Possibilidade de negociação estava prevista no pacote anticrime aprovado em 2019

Orientação publicada pelo Ministério Público Federal no início do mês criou incentivos para que empresas acusadas de fraude contra a administração pública e enriquecimento ilícito negociem acordos para aliviar sanções da Lei de Improbidade Administrativa na área cível. A possibilidade de negociação surgiu há um ano, quando o pacote anticrime aprovado pelo Congresso mudou a lei. A orientação aprovada agora pelos procuradores define parâmetros para a discussão dos novos acordos.

Diferentemente do que ocorre com os acordos de leniência da Lei Anticorrupção, como os fechados pelas empreiteiras atingidas pela Operação Lava Jato, a norma para os acertos permite que as empresas se livrem de ações na Justiça sem revelar aos investigadores outros atos ilícitos dos quais tenham participado.

Os acordos não isentam as empresas de sanções de outros órgãos na área administrativa, como a Controladoria-Geral da União e o Tribunal de Contas da União. Mas eventuais confissões e informações fornecidas durante as tratativas na área cível não poderão justificar outras punições, diz o advogado Valdir Simão, ex-chefe da CGU.

Para Igor Tamasauskas, que representou a J&F no acordo de leniência fechado com o Ministério Público Federal em 2017, as novas possibilidades de negociação permitirão às empresas solucionar casos menos complexos, evitando ações judiciais prolongadas e mais custosas.

Da coluna Painel S&A da FSP

Categorias
outros

2020-2022: em busca do centro político

O grande vitorioso do primeiro turno dessas eleições foi o centro

Na esquerda, aliás, a principal referência partidária passa a ser o PSOL, que pode vencer em Belém, com Edmilson Rodrigues. Mesmo que Guilherme Boulos não seja eleito em São Paulo, sua passagem para o segundo turno já o transformou na nova estrela vermelha. Memes da internet dão conta que os paulistanos têm duas opções: ficar em casa ou ficar sem casa.

Bolsonaro abandonou sua fiel base ideológica para jogar-se nos braços do volúvel centrão que, com os resultados eleitorais do primeiro turno, já o olha torto. A derrota do amigo Donald Tump nos EUA desnorteou ainda mais o presidente brasileiro. Se ele continuar no rumo do desatino e da irresponsabilidade é possível que não chegue sequer ao fim do mandato. No momento, tornou-se um estorvo para a direita mais ponderada.

O grande vitorioso do primeiro turno dessas eleições foi o centro. Não o centrão fisiológico, mas o centro ideológico. Eleitores preocuparam-se em fugir dos extremos, independentemente do partido dos candidatos. A maioria dos votos foi para centro-direita ou centro-esquerda.

Esse centro ideológico está sem referência em âmbito nacional, e pretensos candidatos a presidente tentam ocupar o espaço. Mas o centro é um ponto de equilíbrio, e xingar o adversário de fascista não credencia ninguém a estar lá.

Catarina Rochamonte

Doutora em filosofia, autora do livro ‘Um olhar liberal conservador sobre os dias atuais’ e presidente do Instituto Liberal do Nordeste (ILIN).