Categorias
outros

Policia Federal Prende uma Mulher por Tráfico e Realiza Várias Apreensões No Final de Semana

 

img_4225maconha

Equipe de Policiais lotados na GPFAZ e UOCS, durante trabalhos realizados no Posto Fiscal Bom Jesus no município de Medianeira/PR, por volta das 23:40 hs da última sexta-feira, ao procederem a fiscalização de ônibus da empresa Princesa dos Campos, linha Foz do Iguaçu-Ponta Grossa, encontraram uma mala de viagem contendo aproximadamente 14.010 kg de substancia análoga ao entorpecente vulgarmente conhecido como “maconha”.  A bagagem estava vinculada a poltrona 27, registrada no nome de uma mulher de 29 anos, natural da cidade de Guarapuava. A passageira afirmou que recebera a mala já com o entorpecente dentro, entregue por uma mulher, nas proximidades da rodoviária de Foz do Iguaçu/PR. Afirmou, ainda, que receberia certa quantia em dinheiro, para levar referida mala até a cidade de Guarapuava/PR.

Diante dos fatos foi dada voz de prisão à mulher, sendo encaminhada junto com o entorpecente até a delegacia da Polícia Civil em Medianeira, para procedimentos cabíveis.

No mesmo dia, por volta das 22:00hs, equipe da PF lotada no Núcleo de Polícia marítima (NEPOM), na região de Missal, local conhecido como esquina gaúcha, deteve uma carreta contendo várias mercadorias. Ao mesmo tempo, outra equipe do NEPOM, em inspeção pelos estacionamentos da Vila Portes, apreendeu várias sacolas contendo simulacros de armas, entre outros equipamentos.

CONDUZIR VEÍCULO AUTOMOTOR COM A CAPACIDADE PSICOMOTORA ALTERADA

Uma equipe do pelotão de trânsito foi realizar o atendimento de acidade na avenida Mario Filho às 00h30 do dia 6. Os condutores dos automóveis bmw/x1 e um veículo vw/gol realizaram o teste etilometrico. O condutor do VW/Gol apresentou aferição equivalente a 1,20mg/l e não era habilitado. Ele foi preso e encaminhado para a delegacia.

PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO

Às 21h do dia 5, policiais da cidade de São Miguel do Iguaçu, abordaram dois homens e uma mulher na rua Valentin Celeste Palavro. Um dos homens estava com 5g de maconha. Na bolsa da mulher havia uma pistola calibre 9mm e 2 carregadores. Ela disse que a arma pertencia a um dos abordados e que em sua residência tinha mais munições. Os policiais foram até o local e encontraram mais um carregador de pistola 9mm, 72g de maconha e um aparelho utilizado para dar choque. Ao todo foram apreendidas 28 munições.

RECEPTAÇÃO

Às 14h do dia 5, uma equipe do pelotão de trânsito, avistou uma motocicleta sem placas na avenida javier  koelbl. A equipe iniciou um acompanhamento e fez a abordagem, após consultar o chassi da mesma foi constatado que a moto havia sido furtada na data de 02/11/2016. O condutor foi preso e encaminhado para a delegacia.

APREENSÃO DE PISTOLA

Às 3h do dia 6, a central de operações da Polícia Militar, recebeu várias ligações que informaram que estava havendo uma festa com som alto na rua Maguari. Várias equipes deslocaram no local, sendo que algumas pessoas se evadiram. A equipe da Rocam encontrou uma pistola marca Taurus 24/7g2 de calibre .40mm, na cor preta municiada com 15 (quinze) munições intactas do mesmo calibre. A arma foi entregue na delegacia.

CONFRONTO ARMADO

Às 4h40 do dia 6, dois policiais militares de folga, que estavam em uma festa na rua João Recieri Maran, identificaram vários indivíduos em atitude suspeita chegarem ao local a bordo de um Vectra branco. Os policiais tinham conhecimento que um deles era suspeito de cometer crimes na região. Diante disto, eles realizaram a abordagem, mas um dos indivíduos empreendeu fuga, evadindo-se em direção ao milharal vizinho. Os policiais então realizaram acompanhamento a pé até que conseguirem detê-lo. No momento em que os policiais tentavam imobilizá-lo, seus comparsas, utilizando o veículo citado, realizaram emboscada e atiraram contra os policiais, que revidaram a injusta agressão.  Após vários disparos o veículo vectra parou, ainda no milharal, há cerca de 100 metros dos policiais. Os indivíduos foram atingidos pelos disparos e encaminhados para o UPA e Hospital Municipal. O veículo foi entregue na delegacia.

APREENSÃO DE ENTORPECENTE

Uma equipe policial recebeu uma denúncia de que uma carreta estava prestes a sair da cidade, com destino a Santa Catarina. A equipe realizou uma breve vigilância no posto da PRF e  logo visualizou o referido caminhão. Realizada a abordagem, foi solicitado o apoio do choque/canil com cão de faro, onde indicou o local da possível droga em um fundo falso em sua carroceria. Ao desmontar o fundo falso constatamos que havia 36 tabletes de substância análoga ao crack e 24 tabletes de substância análoga a cocaína. O motorista e sua filha, assumiram a posse, alegando que receberiam a quantia de R$3.000,00 para leva à Barra Velha-sc. Ao todo foram apreendidos 25kg de maconha e 36kg de crack.

CUMPRIMENTO DE MANDADO DE PRISÃO

Às 16h do dia 6, a equipe do Tático recebeu informações que na rua Bolivia no bairro jardim América, ao lado de uma casa vermelha, haveria uma aglomeração de pessoas e que uma delas teria mandado de prisão em aberto. Ao consulta o nome do abordado junto ao sistema, foi constatado um mandado de prisão em aberto contra o mesmo por receptação.

CONDUZIR VEÍCULO AUTOMOTOR COM A CAPACIDADE PSICOMOTORAL ALTERADA

Às 21h do dia 6, uma equipe policial se deparou com o veículo fiat uno em alta velocidade deslocando sentido bairro Três lagoas. O condutor foi abordado na rua Jabuti. O veículos possuía débitos desde o ano de 2012. Após o teste etilometrico foi constatado 0,94 mg/l.

Categorias
outros

Neymar pode ser preso se for condenado na Espanha

Jogador, família e presidentes do Barcelona foram denunciados pela Justiça espanhola por corrupção e fraude fiscal

As penas por corrupção privada na Espanha variam de 6 meses a 4 anos de prisão. O crime é caracterizado pelo recebimento de vantagens ilegais na violação da compra de bens ou contratação de serviços profissionais. E é nessa esfera que se enquadra a denúncia aceita pela Justiça espanhola contra Neymar, o pai e a mãe dele, além do atual presidente do Barcelona,   Josep Maria Bartomeu, e do antecessor dele, Sandro Rosell.

Segundo o jornal El País, a ação judicial é movida pelo grupo DIS e acusa Neymar, a família e os mandatários do clube catalão de corrupção e fraude fiscal em razão da transferência do craque do Santos para o Barça, há 3 anos.

Como bem lembrou o Globoesporte.com, o caso havia sido arquivado da esfera criminal em julho, mas foi reaberto por solicitação do MP da Espanha. Agora, após a decisão do juiz José de la Mata, o jogador pode ir a júri. A promotoria tem 10 dias para oficializar o pedido de julgamento dos acusados.

O grupo DIS possuía 40% dos direitos econômicos de Neymar e se sentiu prejudicado na negociação, recorrendo para obter a fatia que pagou na transferência.

PREFEITURA DO RIO INVESTIU, EM 2010, R$ 44 MILHÕES NA CIDADE DO ROCK PARA O ROCK IN RIO, COM GARANTIA DE PERMANÊNCIA, E AGORA TROCA DE LUGAR! QUEM É O RESPONSÁVEL?

1. 2010: Roberto Medina, “Com o novo local, que também ganhará o nome de Cidade do Rock, o Rock in Rio poderá acontecer a cada dois anos”. / A 300 metros da Vila Olímpica na região da Barra, o parque de 123.000 m2, é o resultado de um investimento de R$ 44 milhões do governo municipal.  O festival Rock in Rio era antes realizado no terreno onde será construída a Vila dos Atletas.

2. (UOL, 10/11/2015) Em nota oficial, a organização do Rock in Rio confirmou que a edição do festival em 2017 será realizada na Cidade do Rock, no Rio de Janeiro. Procurada pelo UOL, a empresária Roberta Medina, presidente do Rock in Rio, reforçou que o festival não mudará de lugar. “O Rock in Rio vai continuar no mesmo lugar onde ocorreram as edições de 2011, 2013 e a de 2015. O fato da Cidade do Rock abrigar o Parque dos Atletas, durante as Olimpíadas, não muda nada porque isso já estava previsto há muito tempo”, disse.

3. Mas, um ano depois: (Jornais, 05/11/2016) Em 2017 uma nova Cidade do Rock será montada no mesmo local onde foi erguido o Parque Olímpico.

4. (Ex-Blog) O valor atualizado pelo IPCA daqueles R$ 44 milhões investidos na Cidade do Rock pela prefeitura com a garantia que o evento seria realizado sempre ali naquele mesmo lugar é de R$ 70 milhões de reais. A prefeitura do Rio recebeu um seguro por “no show”. Quem será responsabilizado pelo “erro de planejamento”? Cabe ser feita uma auditoria nos documentos da época em que se decidiu o investimento público municipal com a garantia de permanência do evento. E definir responsabilidades! E o tal Parque dos Atletas foi usado em 2016 como tal????

Fonte: Cesar Maia em seu ex-blog.

 

Categorias
outros

Moro aceita que Lula e Temer sejam testemunhas de Cunha

Oitivas da ação penal que investiga deputado cassado por recebimento de propina e lavagem de dinheiro começam dia 18 de novembro

O juiz Sergio Moro aceitou, nesta segunda-feira (7), o pedido feito pela defesa do deputado cassado Eduardo Cunha, para que o presidente Michel Temer (PMDB) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sejam suas testemunhas.

Lula deve ser ouvido por videoconferência, em prazo de 30 dias, enquanto Temer poderá escolher se prefere ser ouvido em audiência ou por escrito. Ainda não há data para os depoimentos. As informações são do G1.

Além deles, outros 20 nomes estão entre as testemunhas arroladas pelos advogados do ex-presidente da Câmara dos Deputados – entre eles o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, que já foi condenado na Operação Lava Jato.

Cunha foi preso no dia 19 de outubro, em Brasília, sob acusação de receber propina de contrato de exploração de petróleo no Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro.

Ainda segundo o G1, as oitivas da ação penal começam em 18 de novembro, em Curitiba. No dia 22, as testemunhas indicadas pela defesa passam a ser ouvidas pela Justiça.

 

Categorias
outros

Institucionalizado, privilégio da FAB vira religião

Josias de Souza

Divulgação

Assim como um ateu é um crente que ainda não recebeu um diagnóstico de doença terminal, um opositor dos privilégios é apenas um aproveitador despudorado que ainda não entrou num jatinho da Força Aérea Brasileira.

Em 2013, ainda sob Dilma Rousseff, a FAB, com pouca força e cada vez mais brasileira, revelou-se uma espécie de Casa da Mãe Joana com asas. Na oposição, o PSDB tomou as dores do contribuinte.

Sob Michel Temer, até tucano se comporta como se tivesse nascido com asas da FAB grudadas no dorso. Em cinco meses da gestão Temer, os ministros requisitaram 781 voos da FAB. O Estadão revela que essas requisições ferem as normas em pelo menos 238 casos.

O campeão em milhagem no programa Bolsa FAB é o ministro Alexandre Moraes (Justiça), egresso do secretariado do governador tucano de São Paulo Geraldo Alckmin. O vice-campeão é o ministro José Serra (Relações Exteriores), um grão-tucano de fina plumagem.

Na farra de 2013, o senador Aloysio Nunes Ferreira (SP), então líder do PSDB no Senado, apresentou um requerimento exigindo informações à Força Aérea. Hoje, o tucano Aloysio é líder do governo Temer na Câmara Alta. Está em silêncio. Para o governo, tudo está normal.

Dono da chave do cofre, o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) também integra o ranking de autoridades que retiram jatos da FAB para viagens que têm como destino ou origem a cidade onde mantém domicílio. A lista inclui também ministros como Gilberto Kassab (Comunicações) e os palacianos Eliseu Padilha (Casa Civil) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo).

A FAB se recusa a informar quanto gasta no custeio da fuzarca aérea. Alega-se que ”o custo da hora de voo das aeronaves militares é informação estratégica e, por isso, protegida”. Heimmm?!?!?

Tudo é protegido em Brasília. Só o bolso do contribuinte não dispõe de blindagem. Uma vez que o privilégio é institucionalizado, a desfaçatez vira religião. Do contribuinte, espera-se que pague os impostos em dia, diga ‘amém’ e não chateie.

Categorias
outros

PROPINA ERA INSTITUCIONALIZADA, PROFISSIONAL E COM HIERARQUIA, DIZ PF

ESQUEMA ENVOLVIA DESDE O PRESIDENTE A RESPONSÁVEIS PELAS OBRAS

Cinco dias após o pedido, Couto responde ao subordinado: “Ok”. Ato-contínuo, o diretor ligado à obra de Porto Maravilha escreve para Paul Altit, líder empresarial da Odebrecht Realizações: “PA, seguindo o processo, solicito sua aprovação para a operação”. Altit responde e copia Ubiraci Santos, um dos responsáveis pelo controle na holding do Setor de Operações Estruturadas, apontado como “departamento da propina”: “Ok Bira”.

Com a aprovação de suas chefias, Melo envia em e-mail para a secretária Maria Lúcia Tavares, do Setor de Operações Estruturadas, e solicita a entrega do dinheiro em duas parcelas.

A troca de mensagens dos executivos da Odebrecht, em quatro níveis hierárquicos, as planilhas de registro de pedido e registro de pagamentos fazem parte do rol de provas descobertas pela Operação Lava Jato de que a distribuição de propina foi institucionalizada no grupo e envolvia desde diretores responsáveis pelas obras até seu presidente, Marcelo Odebrecht – afastado do cargo desde que foi preso.

“Trata-se de um sistema institucionalizado e profissionalizado, com observância à hierarquia empresarial, e que admitidamente assume contornos sub-reptícios ao se valer de codinomes para preservar a identidade dos destinatários”, afirmou a Polícia Federal.

Para investigadores, foi a institucionalização operacional dos pagamentos que arrastou mais de 50 executivos do grupo a buscar a delação premiada e fez com que o acordo com a força-tarefa do Ministério Público Federal fosse a única saída para tirar Marcelo Odebrecht da cadeia e afastar o risco de falência do Grupo Odebrecht.

Além de políticos do PT, PMDB e PP – legendas já alvo da investigação -, partidos como PSDB também podem ser implicados pelas delações.

Desvantagem

Os procuradores da Lava Jato consideram, no entanto, que as provas encontradas contra a Odebrecht colocam a empreiteira em desvantagem nas negociações de uma delação premiada. “Na mesa de negociação de uma delação, é como numa negociação comercial ou entre um casal: quem mais quer menos pode”, afirmou um dos investigadores, em reservado.

O caso da propina nas obras do Porto Maravilha – já conhecido desde março, quando foi presa a ex-secretária do Setor de Operações Estruturas Maria Lúcia Tavares – é emblemático para mostrar, segundo os investigadores da força-tarefa, que o grupo continuava a praticar crimes mesmo depois de iniciada a Lava Jato, em março de 2014.

As descobertas da operação e uma provável delação de executivos do grupo também podem levar a Polícia Federal e o Ministério Público Federal a irregularidades além da Petrobrás.

Além de guardar registros de propina para agentes públicos e políticos nos contratos de refinarias e plataformas, os arquivos do Setor de Operações Estruturas têm dados sobre pagamentos em obras de estádios da Copa de 2014, como o Itaquerão, em São Paulo, em negócios de transporte (concessões de aeroportos e rodovias), no setor de saneamento e outros.

Codinomes

As ordens de pagamentos têm identificação de executivos responsáveis pelos pedidos, os contratos relacionados, unidades envolvidas nas despesas, nomes dos superiores que autorizavam pagamentos, beneficiários, contas usadas e valores envolvidos. Tudo cifrado, com uso de codinomes, siglas e senhas, com objetivo de ocultar a sistemática financeira montada no grupo.

Para a força-tarefa, a descoberta do Setor de Operações Estruturadas é a prova mais contundente da corrupção “profissionalizada” das empreiteiras do cartel que atuou na Petrobrás entre 2004 e 2014.

Categorias
outros

Para Lula, o Brasil é governado por Washington

Josias de Souza

 

Lula está cismado. “Não sei se tudo o que está acontecendo hoje no Brasil é determinado aqui dentro do Brasil”, disse ele neste sábado, ao discursar num ato em solidariedade ao MST, que teve uma escola invadida de forma esquisita pela polícia do governador tucano Geraldo Alckmin, em Guararema, interior de São Paulo. “Confesso a vocês que eu não sou muito de acreditar na teoria da conspiracão, mas ela existe. E tem muita coisa estranha acontecendo…”

O pajé do PT soou como se estivesse convencido de que o Brasil é controlado numa sala qualquer de um prédio público de Washington. Para ele, os Estados Unidos passaram a se meter no nosso futuro no momento em que o Brasil decidiu “virar protagonista internacional”, superando um “complexo de vira-latas” que nascera com a chegada das caravelas.

Se Lula estiver certo, foram os controladores da sala de Washington que decidiram que Dilma não era a pessoa certa para a tarefa no Brasil. E escolheram dois caras do PMDB para seguir o programa deles. “Eu acho que tem muita coisa que tá acontecendo e, na minha opinião, não é da cabeça do Michel Temer, não é da cabeça do Eduardo Cunha”, disse Lula à platéia companheira que compareceu ao ato de solidariedade ao MST. “Eu acho que tem muito mais nêgo se metendo.”

O que aborreceu o Império, disse Lula, foi a política internacional do seu governo, que priorizou as relações do Brasil com a África e a América Latina. A aproximação com o Irã entornou o caldo. E a descoberta do pré-sal acendeu o pavio: “…depois que nós anunciamos o pré-sal, em 2007, eles renovaram a 4ª Frota Americana, para tomar conta do Atlântico.”

Lula contou que o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez ajudou a abrir-lhe os olhos: “O Chávez era professor da academia militar lá na Venezuela. Ele me dizia: ‘Lula, as aulas que eu dava para os militares na Venezuela era para dizer, alto e bom som, que o Brasil era o império, o Brasil era o inimigo. Isso era orientação de quem? Do Império (EUA), para não permitir que o Brasil se metessse a ter uma relação, eu diria, privilegiada com os continentes (sic) da América do Sul.”

A sala de controle de Washington está em festa. Lula insinua que, sob Temer, o governo brasileiro já não tem o menor escrúpulo de seguir as ordens com fidelidade canina. “Eles agora falam mal do Mercosul”, lamentou Lula. “…O Mercosul não vale nada. A relação com a África não vale nada. O que os africanos têm pra vender pra nós? O que eles podem comprar da gente? Nós temos é que ficar lambendo a bota dos Estados Unidos e a bota dos países da Europa.”

Bons tempos aqueles em que Lula colocava Barack Obama no seu devido lugar: “Não esqueço nunca o dia que o Obama me ligou do avião dele, preocupado porque tinha uma notícia no jornal que aqui neste país tinha um cientista que estava falando de bomba atômica. E o Obama, preocupado: ‘Presidente Lula, —eu não entendia nada, tinha tradutor, obviamente— ‘estou aqui, no Força Aérea One. E estou indo não sei pra onde. E quero hablar contigo.”

Lula conta que respondeu assim: ‘Obama, deixa eu dizer uma coisa pra você. Esse país que eu presido é o único país do mundo que aprovou na sua Constituição a não-proliferação de armas atômicas. Não é um desejo do Lula. É a Constituição que não permite que a gente tenha arma nuclear. Agora, neste país também, Obama, a gente não tem censura nos nossos cientistas. Se tem um cara discutindo uma tese, a melhor coisa que você tem a fazer, meu caro, é convidar esse cientista para ir aos Estados Unidos fazer um debate sobre a tese dele, por que nós aqui não vamos proibir os cientistas de pesquisarem. Não faz parte da nossa cultura política.”

Lula admirou-se com a criatividade dos controladores americanos do Brasil. Do nada, tudo mudou numa velocidade de truque cinematográfico: “Eles inventaram uma coisa fantástica: dar um golpe parlamentar. Construíram uma maioria eventual.” O morubixaba do PT lamentou a própria perda de prestígio. Lembrou que, há três anos, para muitos dos congressistas que se renderam ao Império, “era Lula na Terra e Deus no céu. E de repente eles viraram tudo. Deram um golpe. Tiraram a Dilma. E não vão parar por aí.”

Lula convidou os presentes a reagir. “Nós, agora, estamos na hora de construir alguma coisa mais sólida. Não é partido, não é entidade, é constrir um movimento. O melhor que nós fizemos foi o das Diretas. O das Diretas foi o melhor movimenrto que nós conseguimos construir de forma unitária, com as pessoas que pensavam diferente, mas que tinham uma coisa em comum: a gente queria que o Brasil voltasse a eleger presidente da República.”

Lula prosseguiu: “Nós agora precisamos criar um movimento para restabelecer a democracia nesse país. Esse país já tem tamanho demais para continuar sendo governado por alguém posto por uma Câmara de forma totalmente ilegal.” Os controladores de Washington devem estar imaginando que alguma coisa subiu à cabeça de Lula.

“A gente tem que começar a construir uma coisa mais forte, uma coisa que junte mais gente”, exortou Lula. “Cada um deixe o seu probleminha de lado.” Réu três vezes, Lula reconheceu: “Os adversários até agora foram mais competentes do que a gente. Ficamos gritando ‘Fora Temer’ e eles tiraram a Dilma. E colocaram o Temer. E eles fazem tudo, tudo, tudo de forma inconstitucional. Quebraram a legalidade para poder agir de forma inconstitucional. E agora são os direitos dos trabalhadores. Eles vão, efetivamente, destruir o que nós conquistamos nesse país.”

Sempre disposto a fazer o favor de socorrer o Brasil, Lula pediu a todos que esqueçam o seu drama de triplo réu. “Quero dizer pra vocês que o menor caso nesse país é o meu. Tenho dito pras pessoas: não se preocupem com o meu caso. Eu tenho casco de tartaruga, já tenho 71 anos de vida. A gente tem que se preocupar muito é com o que eles vão começar a fazer com o movimento social, porque se a moda pega…”

Se você não consegue acreditar na conspiração que Lula enxerga, saiba que o seu ceticismo o leva a perder muita coisa. A metafísica é sempre mais divertida do que o materialismo. De resto, as teorias conspiratórias são cheias de intriga e emoção. Quem resiste a elas se priva dos prazeres que um bom romance costuma proporcionar.

O Brasil do romance de Lula é um país mais simples. Nele, há “um processo de criminalização da esquerda em andamento.” Você é que complica as coisas com essa sua mania de achar que o problema nunca foi de esquerda ou de direita. A questão é que tem sempre meia dúzia por cima, assaltando o que pertence à legião que está por baixo.

Na ficção de Lula, o Brasil convive com “um monte de instituições totalmente desmoralzidas.” Para ele, “o país perdeu a autorirade.” Enquanto isso, nossos controladores americanos decidem o que vão fazer com o PT depois que o eleitorado brasileiro surrou a legenda nas urnas. A turma da sala de Washington se diverte muito com o PT e com os discursos de Lula

Categorias
outros

Itaipu chega aos 2,4 bilhões de megawatts-hora de produção acumulada

 images
Essa marca dificilmente será superada por outra usina do mundo

Em um ano surpreendente para a geração de energia elétrica, com sucessivos recordes, Itaipu atingiu a marca histórica de 2,4 bilhões de megawatts-hora, em 32 anos de operação, neste último sábado, 5 de novembro. Uma história que só foi possível ser construída graças à diplomacia de dois governos e por homens e mulheres do Brasil e Paraguai.

Essa quantidade toda de energia seria suficiente para abastecer o consumo elétrico do mundo inteiro por 40 dias. Hoje, Itaipu responde por 17% da energia consumida no mercado brasileiro e mais de 75% do mercado paraguaio.

Neste ano, a usina pretende alcançar a meta inédita dos 100 milhões de megawatts-hora (MWh). Até agora, já são 87.440.476 MWh ante 83.851.444 MWh produzidos no mesmo período de 2013, ano do recorde anual de Itaipu, com um total de 98,6 milhões de MWh. A diferença é de mais de 3 milhões de MWh, ou 4,2% a mais em relação ao melhor ano da usina.

Em 2015, até 6 de novembro, a Itaipu havia contribuído com 74.864.290 MWh para o setores elétrico do Brasil e do Paraguai.  A vantagem de 2016 em relação ao ano passado é de quase 17%.

Novembro azul
Até o fim do mês, parte dos 747 refletores e 112 luminárias utilizados no show da Iluminação da Barragem estará com as cores do movimento mundial que alerta os homens sobre a importância do exame de próstata. Esta será a primeira vez que a usina ilumina a barragem com as cores azuis. A Iluminação da Barragem é uma das atrações oferecidas aos visitantes de Itaipu, normalmente às sextas-feiras e sábados, às 20h. No horário brasileiro de verão, elas ocorrem às 21h.

Categorias
outros

PF realiza operações contra fraudes no Enem em 8 estados

201611061236429339
Milhões de estudantes realizam neste domingo o segundo dia de provas do Enem – Alexandre Cassiano / Agência O Globo

Segundo o Inep, ações não comprometem validade das provas do fim de semana

A Polícia Federal realizou neste domingo duas operações em oito estados para reprimir fraudes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A Operação Embuste, que visa a desarticular “organização criminosa especializada em fraudar processos seletivos para o ensino superior”, cumpre 28 mandados judiciais, incluindo quatro de prisão temporária, em Montes Claros, Minas Gerais. Já a Operação Jogo Limpo acontece em Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Tocantins, Amapá e Pará.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC), nenhum dos dois trabalhos invalida a aplicação das provas neste fim de semana. A organização alvo da operação em Montes Claros teria fraudado, só em 2016, ao menos duas provas: um vestibular em Mineiros, Goiás, e outro em Vitória da Conquista, na Bahia.

Segundo a Polícia Federal, o próximo passo do grupo seria fraudar o Enem. A PF afirma também que conseguiu identificar repasse de gabaritos por “moderna central telefônica via celular”. De acordo com o MEC, não houve vazamento de gabarito do exame.

Foram cumpridos 28 mandados judiciais: quatro de prisão temporária, quatro de condução coercitiva, 15 de busca e apreensão, e cinco mandados de sequestro de bens.

Já a Operação Jogo Limpo teve 22 mandados de busca e apreensão em sete estados: Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Tocantins, Amapá e Pará. A partir de gabaritos de anos anteriores analisados pela PF e pelo Inep, 22 pessoas foram identificadas como suspeitas. Elas fariam a prova novamente em 2016.

O Inep informou, por meio da assessoria de imprensa, que os casos investigados não comprometem a validade do Enem deste ano, que segue conforme planejado. Sobre detalhes das investigações, o órgão disse que são dados de responsabilidade da Polícia Federal, ligada ao Ministério da Justiça.

As operações da PF estavam programadas e poderiam ter sido deflagradas ontem, mas houve um entendimento do governo de que, para garantir a tranquilidade do primeiro dia do processo, seria mais adequado serem efetuadas neste domingo.

O ‘modus operandi’ mais comum dos fraudadores investigados era colocar pessoas específicas para fazer a prova que saíam a tempo de passar as respostas aos candidatos que compravam esse “gabarito”. O repasse de informações ocorria por meio de pontos eletrônicos e outros.

Categorias
outros

O esconderijo da propina de Henrique Alves

IstoÉ

Documentos obtidos por ISTOÉ mostram que o ex-ministro do PMDB tentou esconder nos Emirados Árabes e no Uruguai cerca de R$ 3 milhões em recursos ilegais recebidos de empreiteira do Petrolão, mesmo depois de ter sido flagrado pela Lava Jato

O esconderijo da propina de Henrique Alves

“O sheik”: O ex-deputado recebeu propinas na Suíça de uma empreiteira do Rio, mas esvaziou a conta

selos_copas

Nos corredores do QG da Lava Jato, em Curitiba, um dos investigados é conhecido pela alcunha de “Sheik”. Trata-se do peemedebista Henrique Eduardo Alves (RN), ex-ministro, ex-presidente da Câmara (2013-2014) e um dos principais interlocutores do presidente Michel Temer. Dono de 11 mandatos consecutivos como deputado federal, e reconhecido como hábil articulador, Henrique Alves já foi um dos políticos mais poderosos do País. Em junho de 2013 chegou a ocupar a Presidência da República, na ausência de Dilma Rousseff e Temer (leia mais na pág. 34). Com certeza teria lugar de destaque no governo não fossem as descobertas feitas pela Lava Jato, que em junho passado encontrou sua conta não declarada na Suíça. A existência da conta confirmou delação premiada feita por diretores da Carioca Engenharia, que apontam Alves como destinatário de propinas do Petrolão. A denúncia fez com que o peemedebista perdesse o cargo de ministro do Turismo. Agora, documentos obtidos por ISTOÉ não só confirmam a existência da conta na Suíça, como mostram a milionária movimentação feita por Alves no exterior e revelam a trama urdida pelo ex-ministro para tentar esconder o dinheiro mesmo depois de estar na alça de mira da Lava Jato, o que, segundo procuradores, pode caracterizar crime de obstrução de Justiça.

Leia mais