Publicidade
Categorias
outros

Resumo da Ópera

Em dois dias, o Supremo Tribunal Federal avalizou liberdade total para Joesley Batista, no plenário; e em decisões monocráticas ministros livraram Rocha Loures da cadeia e Aécio Neves do pedido de prisão – o reconduzindo ao cargo. Os togados saíram de férias e assim evitam cobranças do povo e da mídia na porta do plenário da Corte.

Venda nos olhos

Essa é a mesmo Suprema Corte que em decisão unânime endossou indulto da então presidente Dilma Rousseff e perdoou as penas de todos os políticos condenados no Mensalão do PT.

Acinte de toga

A nova Lei Orgânica da Magistratura, em gestação no STF, prevê absurdos em meio à crise político-econômica e o esforço do teto de gastos. Entre os privilégios, o texto dá auxílio-transporte de R$ 1,4 mil; auxílio-creche & educação também a R$ 1,4 mil, cada.

E tem mai$

O prêmio por produção de magistrados pode chegar a R$ 58 mil por ano; auxílio-alimentação a R$ 1,4 mil; auxílio-capacitação a R$ 5,5 mil, além de adicionais por serviços e aumento no auxílio moradia, atualmente pago em R$ 4.377,73.

Do Leandro Mazine do Congresso em Foco

Categorias
outros

100 anos do destemido João Saldanha

Célebre cronista esportivo e técnico da Seleção, o militante comunista participou da Guerra de Porecatu, há quase 70 anos

Fotos: Ricardo Chicarelli - Filho de posseiro, Vanderlei Ângelo ouvia histórias da guerra desde criança:
Filho de posseiro, Vanderlei Ângelo ouvia histórias da guerra desde criança: “Era tiro pra todo lado”

A ideia de viver uma vida tranquila e chegar ao 100 anos nunca esteve nos planos do polivalente João Saldanha. Se estivesse vivo mesmo depois de participar de confrontos armados, viver na clandestinidade sob nomes falsos e ser preso inúmeras vezes, estaria certamente a aprontar mais alguma nesta segunda-feira (3), data de comemoração de seu centenário. Mas o algoz maior de João Sem Medo – apelido dado por Nelson Rodrigues – foi outro. O consumo excessivo de cigarros o impediu de acrescentar mais essa façanha ao impressionante currículo. O gaúcho de Alegrete morreu vítima de enfisema pulmonar, em Roma, aos 73 anos, durante a cobertura da Copa do Mundo de 1990.

Leia mais 

Categorias
outros

Ex-vereador de Cascavel é condenado por pedir propina para construção de condomínio

Vereador é condenado em Cascavel

Vereador é condenado em Cascavel

O ex-vereador Paulo Bebber, de Cascavel, no oeste do Paraná, e outras duas pessoas foram condenadas pela Justiça no processo que investigava o pagamento de propina para a liberação de um loteamento na cidade. A pena é de dois anos e 11 meses de prisão por concussão. Na decisão, o juiz da 3ª Vara Criminal de Cascavel, Leonardo Ribas Tavares, destacou que não há dúvida de que Bebber exigiu vantagem indevida. Cabe recurso à decisão.

Segundo as investigações, em março de 2014 a gravação de uma conversa entre Bebber e um corretor imobiliário revelou a cobrança de R$ 500 mil para que a Câmara Municipal aprovasse o aumento da área de perímetro urbano da cidade.

A mudança permitiria a construção do Condomínio Riviera por meio do programa “Minha Casa, Minha Vida”, avaliado em cerca de R$ 140 milhões.

Quando a denúncia foi feita pelo Ministério Público, o então vereador se declarou inocente e disse que a conversa se tratava de uma negociação de venda de imóveis particulares. Ele se afastou do cargo alegando que não queria interferir nas investigações. E, o projeto foi aprovado sem o voto dele.

Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi instaurada pela Câmara Municipal. A cassação do vereador foi proposta, porém foi rejeitada. Paulo Bebber chegou a ficar preso em uma sala especial no Corpo de Bombeiros de setembro a dezembro de 2014.

Categorias
outros

Categorias
outros

Justiça manda ex-médico Roger Abdelmassih de volta para a prisão

Acusado do estupro de 37 pacientes em sua clínica de reprodução assistida e condenado a 181 anos de prisão, ele havia migrado ao semiaberto há uma semana

A estadia no conforto do lar do ex-médico Roger Abdelmassih vai durar só cinco dias. A pedido do promotor Luiz Marcelo Negrini, o desembargador José Raul Gavião de Almeida cassou por meio de uma liminar a concessão de prisão domiciliar dada pela juíza Sueli Armani, da 1ª Vara de Execuções Penais de Taubaté.

Com a decisão, o ex-médico, condenado por estuprar 37 pacientes em sua clínica de reprodução humana, vai voltar para a penitenciária de Tremembé. Em sua sentença, o desembargador alega que o laudo médico que a juíza usou para basear o benefício dado ao preso não deixa claro que ele só tem condições de ser tratado em casa. Pelo contrário, segundo o cardiologista Lamartine Cunha Ferraz, Abdelmassih pode tomar os seus remédios em qualquer lugar, inclusive na cela. “Não me compete dizer onde ele deveria ser tratado. O que fiz foi uma análise da cardiopatia, que é uma doença grave, mas que pode ser tratada com medicação. Apenas falei que ele deve ser tratado em qualquer lugar onde possa receber o medicamento adequado, na dose e no horário certos”, declarou.
Da VEJA