Categorias
outros

Juiz manda as cinco universidades estaduais publicar salários

O juiz substituto da 3a. Vara da Fazenda Pública, Jailton Juan Carlos Tontini, concedeu liminar em que determina que universidades estaduais forneçam, no prazo de 15 dias, dados das folhas de pagamento das instituições para que sejam inseridos no sistema de gestão de pessoal do Governo do Estado (RH-Paraná – Meta4).

“Concedo a tutela provisória de urgência pleiteada pelo Estado do Paraná”, diz a decisão, ressaltando para que as instituições “forneçam os dôssies de recursos humanos especificados pela Seap [Secretaria da Administração e Previdência], bem como complementações requeridas, e necessárias à integração ao sistema Meta-4”.
A decisão é da última quarta-feira (04) e abrange cinco instituições de ensino superior: Universidade Estadual de Londrina (UEL); Universidade Estadual de Maringá (UEM); Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), que tem sede em Cascavel; Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG); e Universidade Estadual do Centro Oeste (Unioeste), com sede em Guarapuava.

No despacho, o juiz faz um histórico do processo e diz que a demora para o repasse das informações das folhas ao sistema geral do Estado “inviabiliza a integração dos sistemas, impossibilitando o conhecimento integral das informações contidas nos sistemas próprios das universidades e dificultando, se não inviabilizando, o controle interno”.

A medida judicial atende ação movida pela Procuradoria Geral do Estado, baseada em acórdão do Tribunal de Contas do Estado, que determinou que todas as universidades estaduais fossem incluídas no sistema Meta-4. “O Estado ingressou com a demanda judicial para fazer cumprir decisão do Tribunal de Contas”, informa o procurador-geral Paulo Rosso.


Categorias
outros

Deputado pró-censura devia cogitar autocensura

Josias de Souza

O deputado Aureo Ribeiro (SD-RJ) apresentou —e o Congresso aprovou— emenda que obriga provedores de internet a retirar do ar conteúdo no qual os políticos enxerguem “discurso de ódio, disseminação de informações falsas ou ofensa.” Não é preciso ordem judicial. Basta o pedido de um partido ou candidato às eleições de 2018 para que o material seja suprimido. Antes que a censura seja sancionada por Michel Temer, é preciso alardear: mandatos como o do deputado Aureo deveriam ser proibidos para brasileiros menores de 120 anos.

Desfrutando de total liberdade para propor qualquer coisa, o deputado optou por sugerir uma tolice. Sonhava que só dissessem dele coisas deliciosamente favoráveis. E está pendurado de ponta-cabeça em manchetes penosamente desfavoráveis —na internet e alhures. Se ainda houver uma réstia de bom senso no Brasil, Aureo talvez não consiga implantar a censura na web.

Aprovado o despautério, Aureo diz ter sido mal compreendido. Jamais tramou a censura. Deseja apenas combater o que chama de “guerrilha virtual”, vetando a livre circulação de notícias raivosas e falsas disseminadas na internet por perfis anônimos. Disse coisas definitivas sem definir muito bem as coisas. Tomada pelo conteúdo, a emenda que Aureo enganchou de madugada na proposta de “reforma política” é algo diferente do que o autor supõe. Trata-se de um pórtico escancarado para a censura.

Eis o teor do miolo da emenda: “A denúncia de discurso de ódio, disseminação de informações falsas ou ofensa em desfavor de partido ou candidato, feita pelo usuário de aplicativo ou rede social na internet, por meio do provedor, implicará suspensão, em no máximo 24 horas, da publicação denunciada até que o provedor certifique-se da identificação pessoal do usuário que a publicou…”

Está claro que o deputado Aureo tem dificuldades para escrever o que supõe ter pensado. Mas esse nem é o seu principal problema. Seu drama maior é não saber ler as leis que o Congresso aprova. Se corresse os olhos pelo Marco Civil da Internet, o deputado perceberia que a lei condicionou a remoção de conteúdo na rede à obtenção de ordem judicial. Fez isso para “assegurar a liberdade de expressão e impedir a censura.” Na prática, choveu no molhado, pois repisou princípios que já constam da Constituição.

Aliás, se não quisessem desperdiçar o seu tempo e a paciência alheia, o deputado Aureo e os colegas que aprovaram sua emenda poderiam deitar os olhos diretamente sobre o artigo 220 da Constituição. Está escrito: “A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo, não sofrerão qualquer restrição.”

Quem escorrega o olhar para o inciso 1º encontra o seguinte diamante: “Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social.” Esticando o olhar até o inciso 2º, lê-se: “É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.”

Quer dizer: se Temer não tiver a clarividência do veto, o despautério cairá no Supremo Tribunal Federal. E o deputado Aureo poderá voltar à sua condição natural de parlamentar invisível. Antes da emenda da censura, o personagem transitava pelos corredores do Congresso de forma tão imperceptível que parecia protegido por um envelope de plástico fosco —desses que escondiam a pornografia nas bancas há três décadas.

A essa altura, Aureo já deve ter notado que, de madrugada, no plenário da Câmara, o melhor amigo do deputado ocioso é a autocensura.

Categorias
outros

‘Blade runner 2049’: veja o que a crítica vem dizendo sobre o filme

Fui ver no cine Cataratas  “Blade Runner 2049”

O primeiro vi no início dos anos 80 no Rio de Janeiro. Um clássico da ficção científica da lavra de Ridley Scott

O de hoje também gostei. Seria uma sequencia do primeiro. Excelente!

Veja o que a crítica falou do filme que estreou nesta quinta (5) no Brasil.

Ryan Gosling e Harrison Ford em ‘Blade runner 2049’ – Reprodução

RIO – Aguardada sequência do clássico de ficção científica de Ridley Scott, de 1982, “Blade Runner 2049” finalmente estreia na próxima quinta-feira, 5 de outubro, e a crítica internacional está se derretendo em elogios ao filme. Dirigido por Denis Villeneuve e produzido por Scott, o longa traz Harrison Ford novamente ao papel de Rick Deckard, contracenando com Ryan Gosling.

Veja o que os veículos estrangeiros vêm falando sobre o longa, que registra 100% de aprovação entre os principais críticos, segundo o agregador de resenhas “Rotten Tomatoes”.

“Rolling Stone”

“A sequência deslumbrante de Villeneuve está em seu caminho para se tornar uma lenda do cinema”. Leia mais.

“The Wrap”

“É difícil falar mal de reboots e sequências tardias quando a exceção à regra é ‘Blade runner 2049’. Sem cinismo caça-níqueis ou repetição de fórmulas, essa sequência consegue aprofundar as ideias do primeiro filme”. Leia mais.

“Como ‘O Poderoso Chefão II’, é uma sequência de um filme muito celebrado que pode ser até melhor que o original”. Leia mais.

“Consequence of Sound”

“Pode parecer prematuro atribuir a palavra ‘obra-prima’ a uma sequência de um filme dos anos 1980, mas sua audácia e perfeição formal – sem mencionar seu peso temático – não deixa alternativa”. Leia mais.

“Entertainment Weekly”

“2049 busca, e encontra, algo notável: a elevação do cinema mainstream à alta arte”. Leia mais.

“Variety”

“Um filme de ação visualmente deslumbrante cujas emoções não-convencionais podem ser descritas de muitas formas, de tentadoras a tediosas, mas nunca artificialmente inteligentes”. Leia mais.

“The Guardian”

“Esse filme só tem que ser assistido na maior tela possível. ‘Blade Runner 2049’ é um espetáculo narcótico de vastidão misteriosa e impiedosa, por sua vez satírica, trágica e romântica”. Leia mais.

“USA Today”

“Superelegante e profundamente humano, mesmo com hologramas e androides, a sequência espetacular pega a história de detetive do primeiro filme e a transforma numa grande mitologia de identidade, memória, criação e revolução”. Leia mais.

 

Categorias
outros

“Prisioneiras”

Na sequência de Estação Carandiru e Carcereiros, o último volume da aclamada trilogia de Drauzio Varella sobre o sistema carcerário brasileiro.
O trabalho de Drauzio Varella como médico voluntário em penitenciárias começou em 1989, na extinta Casa de Detenção de São Paulo, o Carandiru. Os anos de clínica e as histórias dos presos, dos funcionários e da própria cadeia seriam retratados nos aclamados livros Estação Carandiru (1999) e Carcereiros(2012). Em 2017, Drauzio encerra sua trilogia literária sobre o sistema carcerário brasileiro com Prisioneiras. Alçando as mulheres encarceradas a protagonistas, o médico rememora os últimos onze anos de atendimento na Penitenciária Feminina da Capital, que abriga mais de duas mil detentas. São histórias de mulheres que não raro entram para o crime por conta de seus parceiros – inclusive tentando levar drogas aos companheiros nas penitenciárias masculinas em dias de visita -, mas que são esquecidas quando estão atrás das grades. As famílias conseguem tolerar um encarcerado, mas não uma mãe, irmã, filha ou esposa na cadeia. No ambiente carcerário feminino, há elementos comuns às penitenciárias masculinas. Assim como no Carandiru, um código de leis não escrito rege as prisioneiras; o Primeiro Comando da Capital (PCC) está presente e mostra sua força através das mulheres que integram a facção; e a relação entre aquelas que habitam as cadeias não é menos complexa. As casas de detenção femininas, no entanto, guardam suas particularidades – diferenças às quais o médico paulistano dedica atenção especial em sua narrativa. Desde a dinâmica dos atendimentos e a escassez de visitas até os relacionamentos entre as presas, fica nítido que a realidade das prisões escapa ao imaginário de quem vive fora delas. Prisioneiras é um relato franco, sem julgamentos morais, que não perde o senso crítico em relação às mazelas da sociedade brasileira. Nesse encerramento de ciclo, Drauzio Varella reafirma seu talento de escritor do cotidiano, retratando sua experiência e a vida dessas mulheres com a mesma disposição, coragem e sensibilidade que empreendeu ao iniciar seu trabalho nas prisões há quase três décadas.
Compre pela ESTANTE VIRTUAL
Categorias
outros

FUNDÃO

COMO VOTARAM OS PARANAENSES

Na votação de ontem a noite que criou o famigerado Fundão de Campanha Eleitoral de quase 2 bilhões de reais, vinte e sete dos 30 deputados paranaenses compareceram. Dezessete disseram NÃO e 10 foram a favor da excrescência legal, e mais 3 não compareceram para votar como Evandro Roman (PSD de Cascavel), Hermes Parcianello (PMDB de Cascavel) e Luciano Ducci (PSB de Curitiba). Confira os votos (http://bit.ly/2ysCQfm):  

Paraná

Alex Canziani PTB Não
Alfredo Kaefer PSL Não
Aliel Machado REDE Não
Assis do Couto PDT   Sim
Christiane de Souza Yared PR Não
Delegado Francischini SDD Não
Diego Garcia PHS Não
Dilceu Sperafico PP Sim
Edmar Arruda PSD   Sim
Enio Verri PT   Sim
Giacobo PR Não
João Arruda PMDB   Sim
Leandre PV Não
Leopoldo Meyer PSB Não
Luiz Carlos Hauly PSDB Não
Luiz Nishimori PR Não
Nelson Meurer PP   Sim
Nelson Padovani PSDB Não
Osmar Bertoldi DEM   Sim
Osmar Serraglio PMDB   Sim
Reinhold Stephanes PSD   Sim
Rubens Bueno PPS Não
Sandro Alex PSD Não
Sergio Souza PMDB Não
Takayama PSC Não
Toninho Wandscheer PROS Não
Zeca Dirceu PT   Sim
Categorias
outros

Dois homens são presos com armas ocultas em veículo na Operação Muralha

Nesta quinta-feira (5), na barreira de fiscalização instalada ao lado da praça de pedágio em São Miguel do Iguaçu/PR, durante abordagem no âmbito da Operação Muralha, servidores da Receita Federal, juntamente com policiais do BPFron, realizaram apreensão de armas, munições e medicamentos em fundo falso de um veículo.Por volta do meio dia, servidores da RF realizaram abordagem a uma pick-up Strada. Dentro do veículo estavam dois homens, ambos com mercadorias dentro da cota, porém um deles apresentou um nervosismo excessivo, o que levou aos servidores a realizar uma inspeção mais minuciosa no carro resultando na descoberta de dois compartimentos ocultos, um na parte de baixo do veículo e outro na lateral interna da caçamba. Nos fundos falsos foram encontrados quatro pistolas, sendo três 9mm e uma calibre 22; dois revólveres calibre 38, 302 munições e aproximadamente 50 cartelas de anabolizantes e disfunção erétil.

O condutor e o passageiro, um deles já com passagem por receptação, eram de Passos/MG e alegaram que as armas eram para o uso próprio. Ambos foram presos em flagrante e encaminhados para a Delegacia da Policia Federal.

Essa iniciativa está inserida no âmbito do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF), instituído pelo Decreto nº 8.903/2016, tem como diretrizes a atuação integrada e coordenada dos órgãos de segurança e de fiscalizações atuantes nas fronteiras, e como foco, o fortalecimento da prevenção, do controle, da fiscalização e da repressão aos delitos transfronteiriços, como contrabando, descaminho, tráfico de drogas, armas e medicamentos, entre outros. Participam da Operação a Receita Federal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar do Paraná – BPFRON.

Com assessoria da RFB

Categorias
outros

Ninguém da esquerda homenageou Fidel? Salvou-se os irmãos Souza

DEPOIS

Da imensa satisfação da presidente do PT no Foro São Paulo, Senadora Gleisi Hoffmann, em destacar Fidel Castro, Che Guevara, a revolução centenária russa, e demais lideres mundiais da esquerda, incluindo Hugo Chavez e Lula, só podemos pesquisar o seguinte:
Pelo CEP encontramos só duas ruas Fidel Castro:
– quantos vereadores ou prefeitos de esquerda homenagearam Fidel Castro, pesquisando no http://bit.ly/2uEQtX4
– Fortaleza (oito quarteirões)
– Feira de Santana (tres quarteirões)
 
* (lembremos que Fidel determinou em Lei nacional que ninguém poderia homenagea-lo em Cuba).
 
Che Guevara teve 32 indicações de ruas pelo país afora e até um Conjunto Habitacional inteiro (Ananindeua – Pará)
 
Chama atenção em Minas Gerais e Rio Grande do Sul como Estados que mais homenagearam Che Guevara – com variações de nome para até Comandante Ernesto Che Guevara…
 
 em Belo Horizonte foram duas citações:
Rua Che Guevara
Rua Comandante Che Guevara
 
– Contagem duas citações
Praça Che Guevara
Avenida Che Guevara
 
Cariacica tem tres CEPs para a mesma rua Che Guevara
 
NO PARANÁ – SÓ DUAS RUAS – Ernesto Che Guevara – uma em Curitiba (Cidade Industrial) e Ponta Grossa (Colônia Dona Luíza)
 
– Russos
 
Lenin – teve apenas 8 ruas que o homenageam no Brasil e 3 que rendem loas a Leningrado
 
Stalin – nenhuma rua
 
Trotski – duas ruas (Serra – ES e Diadema – SP)
 
Nikita Kruschev – o revisionista que detonou Stalin – duas ruas
 
– 
 
Simon Bolivar
 
Tem 23 homenagens no Brasil afora
 
Venezuelano
Hugo Chavez
apenas 1 travessa em Cabo Frio (RJ)
 
– Argentinos
 
Isabelita Peron (duas ruas em Varzea Grande)
 
Eva Peron (cinco ruas no Brasil afora)
 
Peron – um parque em Hortolandia
 
Chinês:
 
Mao Tse Tung – uma rua (Serra – ES)
 
 
HOMENAGENS JUSTAS
HENFIL
TEVE 14 HOMENAGENS NO BRASIL EM NOME DE LOGRADOUROS
 
HERBERT DE SOUZA (BETINHO)
34 HOMENAGENS
Categorias
outros

Dia de barrar o aumento do ISS em Foz do Iguaçu

Ducci, Gomyde e o “não” a Osmar Dias

Do Goela de Ouro

Ontem o deputado federal Luciano Ducci (PSB) levou o novo socialista Ricardo Gomyde para uma conversa com Carlos Siqueira, presidente nacional da agremiação. Gomyde (PSB) saiu do encontro dizendo que Osmar Dias (PDT) não deve se filiar ao PSB, pois vai apoiar Alvaro Dias (Podemos) à presidência da República. Uma colinha para ajudar na resposta: Ducci apoiou Roberto Requião (PMDB) em 2006, quando este ganhou a eleição de governador de Osmar Dias por uma diferença de 10 mil votos.

Do Zé Beto, não o “Bob Cuspe”, o verdadeiro!

Guerra de facções na Papuda

Do jornal O Estado de S. Paulo:

A prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, do operador Lúcio Funaro e de Ricardo Saud, executivo da JBS, tem provocado uma sessão de gritaria no presídio da Papuda, em Brasília, onde estão recolhidos. Segundo relatos, Funaro aguarda o fim do banho de sol e antes de voltar para a cela manda aos gritos recado para Saud, preso do outro lado: “Saud, vou te matar”, aterroriza o delator que o entregou. Do seu lado “do muro”, Geddel faz coro: “Saud, também vou te matar”. Saud devolve as provocações, mas só para Geddel. “Cala boca, seu gordo!”

Os três estão separados e não se encontram no banho de sol, justamente para evitar que cumpram a promessa. Há, inclusive, revezamento entre os advogados para que eles não se esbarrem nem no parlatório.

Irmão de Palocci briga na Justiça contra demissão em Furnas

Adhemar Palocci diz que processo contém irregularidades

Adhemar Palocci, diretor de Planejamento e Engenharia da Eletronorte (Foto: José Cruz/Agência Senado)

Adhemar Palocci, irmão do ex-ministro Antonio Palocci, briga na Justiça do Trabalho para  não ser demitido de Furnas, estatal do setor elétrico. Acusado de improbidade, Adhemar afirma que o processo administrativo que concluiu por seu desligamento contém irregularidades.

Justiça Federal interroga Carlinhos Cachoeira sobre primeiro escândalo do governo Lula

Bicheiro é acusado de ter feito parceria com o ex-assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz para interferir em negócios da Caixa

O bicheiro Carlos Augusto de Almeida Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira, tem compromisso no final do mês na 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília. Ele será interrogado sobre a acusação de ter atuado criminosamente nos bastidores para a renovação de um contrato entre a Caixa Econômica Federal e a multinacional de processamento de loterias GTech, em 2003. Foi o primeiro escândalo do governo do ex-presidente Lula. Ao lado de Cachoeira e de outras seis pessoas, o ex-subchefe de Assuntos Parlamentares da Casa Civil Waldomiro Diniz é também réu no processo. A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público Federal à Justiça Federal em 2010.
Época.

PITACO: MPF LEVOU 7 ANOS PARA FAZER A AÇÃO. PORQUE DEMOROU TANTO?

Categorias
outros

Após denúncia, Prefeitura de Foz do Iguaçu suspende contrato de oftalmologia

G1 PR

Mutirões de consultas, exames e cirurgias oftalmológicas vinhm sendo feitos no Poliambulatório do Porto Meira (Foto: Fabiula Wurmeister/G1)

Mutirões de consultas, exames e cirurgias oftalmológicas vinham sendo feitas no Poliambulatório do Porto Meira (Foto: Fabiula Wurmeister/G1)

A Prefeitura de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, decidiu nesta quinta-feira (5) suspender o contrato para a prestação de serviços de oftalmologia que mantinha desde fevereiro com a Cristalink, de Catanduva (SP). A medida foi tomada após uma denúncia apresentada pelo Conselho Municipal de Saúde (Comus) apontando diversas irregularidades.

Em nota, a administração municipal afirmou que a medida é administrativa e que tem como objetivo esclarecer as dúvidas levantadas pelo conselho. A prefeitura disse ainda que os atendimentos agendados serão mantidos.

“A decisão de suspender o contrato foi fundamentada exclusivamente no estudo promovido pela Procuradoria Geral do Município e não é pautada por nenhum tipo de suspeita de desvio ou não execução dos serviços contratados”, esclarece o comunicado.

Ainda de acordo com a prefeitura, a empresa era responsável por consultas, exames e cirurgias oftalmológicas, em especial de catarata por meio de mutirões.

Desde fevereiro, aponta, foram realizados 14.829 atendimentos, pelos quais foram pagos cerca de R$ 615 mil. As cirurgias, por sua vez, foram pagas por meio de um convênio com o governo do estado.

Leia mais