Publicidade
Categorias
outros

A grande família

Por que, com tanto poder, o Queiroz perdia seu tempo atrás de um volante?

Rui Castro para a Folha de São Paulo 

Pode-se falar o que quiser dos Bolsonaros, mas eles são uma família. Uma grande família, composta do titular com seus filhos, mulheres e ex-mulheres, e de assessores, agregados e amigos idem, juntos por muitas afinidades. Posso imaginá-los aos domingos, no fim da tarde, em volta de uma grande mesa na casa de Jair Bolsonaro, na Barra, dividindo uma pizza também família.

Fabrício Queiroz, motorista e ex-assessor parlamentar do então deputado estadual Flávio Bolsonaro(PSL-RJ), é um querido membro honorário da família. Sua própria família se confunde com a dos Bolsonaros e eles dividem não apenas a pizza como nomeações, cargos e contas bancárias a ponto de, às vezes, nem a Fazenda saber o que é de um ou de outro. É bonito observar como eles se dão e se ajudam. Exemplos:

Queiroz sugeriu pelo menos sete funcionários do antigo gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio. Começou pela indicação de sua mulher, Márcia, e de sua enteada Mayara, e, para provar que poderiam ser personagens de um filme de Ingmar Bergman, indicou também Márcio, ex-marido de Márcia e pai de Mayara.

Queiroz era colega de batalhão e amigo de Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado como chefe da milícia que domina a comunidade de Rio das Pedras e cabeça do Escritório do Crime. Mas amigo é amigo, e Queiroz indicou a Flávio a filha de Adriano, Danielle, e a própria mãe de Adriano , Raimunda. Tão atencioso para com filhos alheios, Queiroz não poderia descurar dos seus, com o que indicou suas filhas Nathalia e Evelyn.

Todos os indicados pelo motorista Queiroz foram nomeados por Flávio e alguns foram também para o gabinete do deputado federal Jair Bolsonaro. E, como nas melhores famílias, o dinheiro às vezes trocava de mão entre eles. O que me intriga é: com tanto poder para nomear, pagar e receber, por que o Queiroz perdia seu tempo atrás de um volante?

A relação dos Bolsonaros com Fabrício Queiroz e as milícias
A relação dos Bolsonaros com Fabrício Queiroz e as milícias – Folhapress


* Ruy Castro

Jornalista e escritor, autor das biografias de Carmen Miranda, Garrincha e Nelson Rodrigues.

Categorias
outros

Fux suspende retirada de reportagens sobre Eduardo Braga, líder do MDB no Senado

Constituição garante a liberdade de expressão e veda a censura, lembra o ministro

Senador Eduardo Braga, líder da bancada do MDB. (Foto: Ag Senado)

O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal) concedeu liminar, na última segunda-feira (28), suspendendo decisão do TJ-AM (Tribunal de Justiça do Amazonas) que obrigara a Rede Tiradentes de rádio e TV a retirar de suas redes sociais reportagens sobre o senador Eduardo Braga (MDB-AM) e a não associar o nome do parlamentar a denúncias da Lava Jato.
Braga foi escolhido, nesta quinta-feira (31), líder do MDB no Senado para o biênio 2019-2020.
O tribunal amazonense havia determinado que a emissora transmitisse o direito de resposta pelo período de 48 horas e o lesse no programa “Manhã de Notícias” pelo mesmo período, com duração de 15 minutos.
O ministro entendeu que o prazo estabelecido foi “flagrantemente excessivo”, e que o TJ-AM não indicou quaisquer parâmetros que justificassem a gravidade da medida imposta.
Fux determinou que o direito de resposta fosse disponibilizado no tempo suficiente para a leitura da manifestação de Braga, pois a Constituição determina o respeito ao princípio da proporcionalidade.
Para o vice-presidente do STF, ao determinar a supressão de matérias jornalísticas publicadas na internet, o TJ-AM afrontou decisão do Supremo que assegurou a liberdade de informação jornalística e proibiu a censura.
“Deve haver extrema cautela na determinação de retirada de conteúdos jornalísticos ou de matérias de potencial interesse público por parte do Poder Judiciário, na medida em que tais decisões podem gerar um efeito inibidor na mídia, tolhendo o debate público e o livre mercado de ideias”, afirmou o ministro.
No último dia 20, a Rede Tiradentes, sediada em Manaus, divulgou que o jornalista e empresário Ronaldo Tiradentes desafiara o senador Eduardo Braga a participar de um debate livre no programa “Manhã de Notícias”, noticioso da Rádio Tiradentes.
“Por meio do Plantão da Justiça estadual, Braga tentou censurar a Rede Tiradentes e conseguir um direito de resposta a informações veiculadas por veículos nacionais de Rádio, TV, jornais e pelas redes sociais, e reproduzidas pela Rede Tiradentes em atendimento à sua audiência.”
Ainda segundo a mesma notícia, “as informações divulgadas pelos veículos nacionais de comunicação associam o senador, que é investigado pela Operação Lava Jato, ao recebimento de propinas milionárias da Construtora Odebrecht por obras realizadas durante o mandato de governador de Braga”.
E concluía: “Agindo rapidamente, a Rede Tiradentes conseguiu reverter a situação na Justiça Estadual, suspendendo o direito de resposta pedido pelo senador”.
Ao suspender no STF a decisão do tribunal amazonense, Fux ressaltou que a Constituição garante a liberdade de expressão e de informação e proíbe toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.
Em julho do ano passado, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, questionou o arquivamento, pelo STF, de uma investigação do MPF (Ministério Público Federal) contra os senadores Eduardo Braga (MDB-AM) e Omar Aziz (PSD-AM)”.
A PGR pediu que fosse reconsiderada a decisão monocrática do ministro Alexandre de Moraes, que arquivou inquérito sobre o suposto envolvimento dos parlamentares no recebimento de R$ 1 milhão em propina. Os valores seriam contrapartida para favorecer um consórcio de empreiteiras na época em que Braga e Aziz chefiavam o Executivo amazonense.
O inquérito apurava a possível prática de crime relacionado à construção da Ponte Rio Negro.
Segundo informou o STF, em setembro de 2017, a Polícia Federal concluiu as investigações e encaminhou posicionamento pelo arquivamento do inquérito. As sucessivas prorrogações de prazo concedidas pelo relator terminaram em dezembro e, em abril de 2018, o ministro Alexandres de Moraes determinou sua devolução ao STF.
Em maio, a PGR requereu a remessa dos autos para a Justiça Federal do Amazonas.
“Não há nenhuma nova diligência pendente de realização”, assinalou o ministro. “Após 15 meses de investigação e o encerramento das diligências requeridas, não há nenhum indício de fato típico praticado pelos investigados.”
Ainda conforme o relator, não há qualquer indicação dos meios utilizados, dos motivos, do lugar, do tempo “ou qualquer outra informação relevante que justifique a manutenção dessa situação de injusto constrangimento pela permanência do inquérito”.
Ao decidir em agravo regimento interposto pela PGR contra o arquivamento, o ministro determinara a inclusão em mesa para julgamento pela 1ª Turma, em sessão a ser realizada no dia 2 de outubro.
Em nova manifestação, porém, a procuradoria-geral da República pleiteou o arquivamento do inquérito, após afirmar que “até a produção do relatório policial, forçoso reconhecer que não houve confirmação da hipótese criminosa inicial”. (Folhapress).

Categorias
outros

Traiano é escolhido presidente da Assembleia Legislativa do Paraná pela terceira vez consecutiva

Deputado Ademar Traiano negou acusações do ex-diretor da Secretaria de Educação, Maurício Fanini, em tentativa de delação enviada à PGR — Foto: Reprodução/RPC

Deputado Ademar Traiano negou acusações do ex-diretor da Secretaria de Educação, Maurício Fanini, em tentativa de delação enviada à PGR — Foto: Reprodução/RPC

O deputado estadual Ademar Traiano (PSDB) foi escolhido pela terceira vez consecutiva como presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), na tarde desta sexta-feira (1º), conforme a assessoria do Legislativo. Ele está no oitavo mandato de deputado.

A mesa diretora da Alep é escolhida pelos deputados a cada dois anos. Traiano está no comando do Legislativo paranaense desde 2015 – cargo que ocupará até 2020. A eleição teve chapa única.

“Acho que sobreviver nesse momento, realmente, é de uma grandeza para mim porque havia um clamor por mudanças. Se eu pude permanecer na Casa é que o trabalho que desempenhamos resgatou a imagem e a credibilidade do Poder Legislativo”, afirmou Traiano.

Confira a mesa diretora para o biênio 2019/2020:

  • Ademar Traiano (PSDB) – presidente
  • Plauto Miró (DEM) – vice-presidente
  • Tercílio Turini (PPS) – 2º vice-presidente
  • Requião Filho (MDB) – 3º vice-presidente
  • Luiz Claudio Romanelli (PSB) – 1º secretário
  • Gilson de Souza (PSC) – 2º secretário
Cinquenta e quatro deputados estaduais tomaram posse para 19ª legislatura paranaense na tarde desta sexta-feira (1º) — Foto: Bronson Almeida/RPC

Cinquenta e quatro deputados estaduais tomaram posse para 19ª legislatura paranaense na tarde desta sexta-feira (1º) — Foto: Bronson Almeida/RPC

Cinquenta e quatro deputados estaduais tomaram posse para 19ª legislatura paranaense na tarde desta sexta. Do total de deputados, 32 foram reeleitos e darão continuidade à atuação no Legislativo.

Conforme a Alep, o deputado mais jovem, com 23 anos, é o universitário Matheus Viníccius Ribeiro Petriv, o Boca Aberta Junior (PRTB), de Londrina.

Também vem de Londrina o parlamentar mais velho – o médico e deputado Tercílio Turini (PPS), de 74 anos, eleito para o terceiro mandato.

Após a posse, os deputados Guto Silva e Márcio Nunes, ambos do PSD, licenciaram-se dos cargos. Silva vai assumir a chefia da Casa Civil. Nunes vai comandar a Secretaria de Desenvolvimento Ambiental e Turismo.

No lugar deles, assumem as vagas no Legislativo Hussein Bakri (PSD) e a Cantora Mara Lima (PSC).

Ainda de acordo com a assessoria, a definição das comissões permanentes da Casa será nas próximas semanas.

PITACO: Inacreditável! Justo no momento que o Eduardo Fanini em delação premiada disse que o Traiano pediu uma propina de R$ 500 mil ás construtoras na marmelada das escolas que não foram edificadas. na chamada operação Quadro Negro.

PITACO II: E a operação  Rádio Patrulha que investigava mais marmeladas envolvendo estradas rurais no Parana, também foi pro vinagre. O presidente do STJ, João Otávio de Noronha, em ato paralelo que proibiu o Beto Richa de ser preso novamente na operação dos Pedágios, mandou “lacrar” a operação Rádio Patrulha desencadeada pelo Gaeco. Tudo volta a estaca zero. Tá difícil passar o Paraná á limpo.

Amém!

Categorias
outros

Mudanças no clima econômico favorecem a Construção Civil

Engenharia civil UDC

Centro Universitário UDC e UDC Medianeira formam Engenheiros Civis em momento da alta no mercado e escassez de profissionais.

Mesmo com a recessão econômica dos últimos anos, a expansão da infraestrutura nacional segue firme e forte. O fato é que o Brasil continua a construir estradas, melhorar portos e aeroportos e, principalmente, a manter o avanço da construção civil em todas as regiões. Para suprir a necessidade de inserir Engenheiros Civis no mercado de trabalho, o Centro Universitário UDC e a UDC Medianeira ofertam o curso em suas unidades.

Segundo estimativas do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), o Brasil tem um déficit de 20 mil engenheiros por ano. Já o Fundo Monetário Internacional (FMI) aumentou a projeção de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil para 2019, de 2,4% para 2,5%, o que consequentemente deve aumentar os investimentos. “Isto significa que a demanda por Engenheiros Civis volta a crescer e, quem se antecipa fazendo o curso agora vai se formar no momento da alta”, explica o Coordenador do Curso de Engenharia Civil do Centro Universitário UDC, Professor Doutor Everaldo Pletz.

Portanto, vagas de trabalho há, o que faltam são profissionais capacitados. “Estamos trabalhando de forma muito dedicada para formar engenheiros que consigam se atualizar e se reciclar depois de formados. As mudanças tecnológicas, sociais, ambientais e econômicas estão se sucedendo de modo cada vez mais intenso, e com ciclos cada vez mais curtos, este cenário exige da UDC focar na formação de um profissional com a competência de se adaptar ao novo”, diz o Coordenador.

Engenharia Civil UDC: Internacional e com muitos laboratórios

Os conhecimentos são transmitidos em cargas teóricas pesadas e clássicas. Para fixar os conceitos vistos em sala de aula e desmistificar o conhecimento, a utilização dos laboratórios é imprescindível. “A palavra de ordem é valorizar e desenvolver a capacidade de se adaptar. É neste sentido que nosso projeto pedagógico, nossa equipe de professores e técnicos, nossas Instalações de laboratórios e biblioteca estão orientados”, explica o Professor Pletz.

Um dos focos dos cursos é a pesquisa científica, portanto, trabalhos experimentais realizados nos laboratórios permitem que estudantes e professores elaborarem pesquisas avançadas. Os objetivos das pesquisas são buscar a melhoria de produtos, técnicas e desenvolver melhoras nas condições de materiais da construção civil. “O Centro Universitário UDC e a UDC Medianeira tem alguns dos melhores laboratórios do estado, com excelentes estruturas que permitem aos acadêmicos a realização de diversos ensaios na área de Engenharia Civil, investimos forte em muitos laboratórios para atender os futuros profissionais”, conta o Pró-Reitor do Centro Universitário Engenheiro Civil, Profº. Doutor Fábio Prado.

As principais parcerias internacionais dos Cursos de Engenharia Civil da UDC são com as universidades americanas Texas Tech University e University of Central Florida e a italiana Universidade Roma TRE. “Nossos Congressos trazem Doutores de renome mundial das instituições parceiras que contribuem com o que há de atual na Europa e nos Estados Unidos. Os estudantes da UDC têm contato contínuo com esse conhecimento diferenciado”, diz Prado.

Além de dezenas de Professores estrangeiros, todos os anos a UDC recebe estudantes de intercâmbio dos Estados Unidos na área da Engenharia Civil. “Criar redes de relacionamentos ainda durante a graduação é um grande diferencial. Nossos alunos são privilegiados, o corpo docente da UDC tem muitos profissionais bem relacionados e com vivências importantes, dentro e fora do país, além das oportunidades que a Internacionalização constante da UDC oferece, portanto, muitas portas abertas”, conclui Pletz.

Categorias
outros

Veja quem são os deputados federais do Paraná que tomam posse nesta sexta-feira

Cerimônia ocorre nesta sexta-feira (1º), em Brasília; metade dos 30 deputados se reelegeu.


Trinta deputados federais 
eleitos pelo Paraná tomam posse nesta sexta-feira (1º) para a 56ª legislatura da Câmara dos Deputados, em Brasília. Quinze foram reeleitos em 2018. Veja abaixo quem são.

O Partido Social Democrático (PSD) conquistou o maior número de cadeiras pelo Paraná, com quatro vagas. Dois deles vão se licenciar para assumir secretarias de estado, abrindo lugar para os suplentes.

Leia mais