Categorias
outros

OPERAÇÃO TAXA ALTA E A OMISSÃO DO EXECUTIVO

Requião Filho

Governo mantinha contrato com empresa investigada por suposta fraude junto ao DETRAN.|

Desde 2019, temos acompanhado os desdobramentos da Operação Taxa Alta, que investiga desvios dentro do DETRAN Paraná.

O MPPR, em ação judicial, sustenta que teria a empresa Infosolo Informática sido indevidamente favorecida em procedimento de credenciamento. As investigações, realizadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), apontam para cometimento de diversos ilícitos que levaram a benesses financeiras à empresa.

Para tanto, teria ela mesma elaborado o edital de licitação, direcionando em seu favor. Ainda, a própria denunciada, conforme apontam as investigações do MP, escolheu o encarregado de análise e julgamento das propostas, além de determinar o valor da licitação. Com isto, a ré supostamente angariou indevidamente quase 80 milhões de reais.

Mesmo sendo investigada, a Infosolo, novamente voltou a prestar serviços ao Governo do Paraná em maio deste ano, via medida liminar.

Agora, atendendo a um pedido do MP/PR, a 2ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba determinou liminarmente a suspensão do contrato da empresa Infosolo Informática com o DETRAN/PR.

Eis aí mais uma das peculiaridades do Paraná. Afinal, por que o Governador não fez este pedido de suspensão? Por que enganar os paranaenses dessa maneira?

Curiosamente, quiçá, chocantemente, o Estado se manteve inerte na manutenção do contrato, como se o interesse público tivesse sido observado quando firmada a contratação.

Agora é hora de torcer para que o Ministério Público tenha sucesso na defesa do erário, porque sem suas ações, estaríamos à deriva.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *