Categorias
outros

Acusado de fraude diz ser amigo de Barros há mais de 30 anos

Um dos mandados de busca e apreensão na operação realizada hoje envolvendo o deputado federal Ricardo Barros (PP) foi cumprido em São Paulo contra o empresário Delmo Sérgio Vilhena (foto). Ele se apresenta como presidente da Comanche Clean Energy LLC (Comanche Biocombustíveis), que tem unidades na Bahia (Simões Filho) e São Paulo (Tatuí, Paulínia e Canitar).

Os alvos dos mandados foram um escritório de contabilidade e em outros três endereços comerciais — onde funcionam quatro empresas, além de quatro residências. Um dos mandados foi cumprido no apartamento do empresário paranaense Delmo Sergio Vilhena em um condomínio na região de Higienópolis, bairro nobre do centro de São Paulo. Dois notebooks, um tablet e um celular do empresário foram recolhidos para investigação e devem ser enviados ao Ministério Público do Paraná

De acordo como delegado do setor de capturas do Departamento de Operações Policiais Estratégicas, Evandro Lemos, esta operação começou a partir do desdobramento da Lava Jato, em novembro de 2019, quando a partir de uma colaboração premiada o delator apontou Delmo Vilhena como suposto participante da fraude na compra de usinas eólicas entre 2011 e 2014. Segundo o Ministério Publico, os intermediários da compra tiravam vantagens e enriqueciam por meio das transações. 

A delação aponta ainda ligação de Delmo com o deputado federal Ricardo Barros (Progressistas) na fraude. Durante o cumprimento do mandado, o delegado conta que o empresário negou a acusação e afirmou que é “apenas amigo do deputado federal há mais de 30 anos e que não tem conhecimento sobre o esquema”. As informações são do SBT News.

Abaixo, a reportagem veiculada nesta tarde pelo telejornal Hoje, da Rede Globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *