Categorias
outros

Programa liderado por Michelle Bolsonaro repassa doações a ONGs aliadas de Damares; uma delas é de Maringá

Reportagem de Constança Rezenda, com direito a chamada de capa, informa hoje na Folha de S. Paulo que o programa Pátria Voluntária, liderado pela primeira-dama Michelle Bolsonaro, tem repassado doações a ONGs aliadas da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

Uma delas é o ​Instituto Missional, com sede em Maringá, dirigido pelo empresário Weslley Kendrick Silva (foto), diretor de Relações Institucionais na UniCesumar e filho do reitor Wilson de Matos Silva, ex-presidente do PSDB e que chegou a assumir o Senado como suplente de Alvaro Dias e é apontado como um dos empresários mais poderosos da cidade.

A matéria teve chamada de capa na Folha de S. Paulo

Os recursos das doações repassadas às ONGs são oriundos do projeto “Arrecadação Solidária”, vinculado ao Pátria. O programa já consumiu cerca de R$ 9 milhões dos cofres públicos em publicidade pagos pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

A Associação de Missões Transculturais Brasileiras consta do site da Receita Federal e em sua própria página na internet com o mesmo endereço de registro da ONG Atini, fundada por Damares em 2006 e onde a ministra atuou até 2015. A Folha esteve no local, onde funciona um restaurante desde novembro do ano passado.

Os repasses do programa, que visa estimular o terceiro setor, repassou, sem edital de concorrência, dinheiro de doações privadas a instituições missionárias evangélicas ligadas à ministra. Um dos trechos diz: “Com sede em Maringá (PR), o ​Instituto Missional é dirigido por Weslley Kendrick Silva, um empresário que tem fotos em seu perfil no Facebook em confraternização com Damares e o secretário Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente de Damares, Maurício Cunha“.

Instituto Missional, com R$ 391 mil, e a AMTB, R$ 240 mil, foram as que receberam os maiores repasses até agora. Todos os recursos foram destinados à distribuição de cestas básicas “a famílias vulneráveis”. O instituto funciona dentro da Unicesumar.

Leia mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *