Categorias
outros

Para quem não tem rumo, qualquer lugar serve

Relatório concluído pelo setor “administrativo” da Guarda Municipal (que conta com dezenas de gms amontoados em salas) apresenta 623 ocorrências atendidas pelo órgão no mês de novembro.
Sem dúvidas quanto a fatos não existem argumentos. O número de “ocorrências” atendidas pela pelos servidores é pífio, não chega a 20 atendimentos a cada 24 horas.
Mas isso seria culpa de quem? Dos guardas municipais ou dos gestores do órgão?
A análise é simples:
A GM conta com mais de uma dezena de viaturas novas, com armamento, está realizando os treinamento determinados por lei, e possui um quadro de servidores experientes, muitos com mais de 20 anos de serviços prestados.
O que falta é gestão! Falta diálogo com a tropa, falta estímulo motivacional, faltam metas a serem cumpridas, falta objetivos a serem alcançados. Falta comando. Simples assim.
Atualmente existem verdadeiras “tribos de guardas” distribuídas em setores da cidade, cada uma fazendo o que bem entender. Equipes que gastam gasolina 24 horas rodando sem rumo, sem um objetivo determinado pelo comando. Nem mesmo fiscalizam mais os prédios públicos, porque este trabalho está a cargo da vigilância patrimonial. A sala de vídeo monitoramento com centenas de câmeras, é operado por duas, três, quando muito com cinco pessoas. Um verdadeiro desperdício de dinheiro público gasto na manutenção.
E o setor administrativo? Ah sim, este conta com as salas cheias de dezenas de apadrinhados, recebendo como guardas e fazendo atividades de auxiliar administrativo, de estagiário de recepcionista, fotógrafo etc.
A central de operações da GM vem recebendo pouquíssimas ligações via 153, pois a população cansou de receber negativa de atendimento de suas reclamações. O pouco que ainda chega, são referentes a pandemia de Covid 19 e ocorrências de defesa civil.
As atividades de policiamento preventivo que tanto auxiliam a polícia militar, praticamente acabaram.
Enquanto isso, o secretário da pasta se preocupa em cuidar do seu mercadinho e postar fotos de seus clientes em suas redes sociais.
Um inspetor atua como o “secretário” do secretário, recebendo um salário bruto de mais de 19 mil reais.
O Diretor mora em Santa Teresinha de Itaipu, sua grande preocupação é colecionar facas, o “Diretor de Logística” não possui formação na área de logística, etc etc etc…
E o pior é saber que essa turma, tenta a todo custo se manter por mais quatro anos em suas funções.
O custo da incompetência esta sendo alto demais e levando a instituição tão prestigiada no passado a um caminho sem volta.
Os números são implacáveis e relatam a realidade.

Alô Prefeito Chico, realize um choque de gestão. Faça nossa GM ressurgir das cinzas. Olhe com bons olhos para a gloriosa.

1 resposta em “Para quem não tem rumo, qualquer lugar serve”

Todos esses relatos são fatos, porém, o colega que escreveu deve fazer parte do quadro de gms que receberam promoção, além das mulheres, o restante foram condenados a estagnação, pelo simples fato de que aqueles gms que ganharam o cargo do ex prefeito dobrandino terem criado um plano de cargos e salários com limites de vagas…A motivação do colega é utópica, o que faz as pessoas felizes é grana no bolso mesmo….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *