Publicidade
Categorias
outros

Flávio Bolsonaro compra mansão de R$ 6 milhões em bairro de luxo de Brasília

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, comprou no início deste ano uma mansão no valor de R$ 6 milhões no bairro do Lago Sul, zona nobre de Brasília. Flávio é investigado pela suposta existência de um esquema de desvios de recursos dos salários de seus assessores quando era deputado estadual da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e, na investigação, é suspeito de realizar a lavagem de dinheiro por meio da venda e compra de imóveis.

A compra da casa foi revelada nesta segunda-feira pelo site “O Antagonista”. O GLOBO também teve acesso ao registro do negócio em cartório, cujo valor da compra foi de R$ 5,97 milhões. O documento informa que o imóvel tem 2.400 m², fica localizado em uma área batizada de “Setor de Mansões Dom Bosco”, e teve a aquisição registrada no dia 29 de janeiro deste ano. Constam como compradores Flávio e sua esposa Fernanda Antunes Figueira Bolsonaro, casados sob comunhão parcial de bens. A vendedora é a RVA Construções e Incorporações.

A certidão do imóvel registra que, do total do imóvel, houve a contratação de um financiamento para o pagamento de R$ 3,1 milhões. Serão 360 prestações mensais, com taxas de juros entre 3,65% e 4,85%.

Na semana passada, a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) anulou as quebras do sigilo bancário e fiscal da investigação da rachadinha, acolhendo um recurso da defesa do senador. Com isso, as principais provas da denúncia apresentada no fim do ano contra Flávio pelo Ministério Público do Rio de Janeiro devem ser descartadas.

A denúncia apontava que 12 funcionários fantasmas lotados no gabinete de Flávio na Alerj teriam desviado R$ 6,1 milhões dos cofres públicos.

PITACO: Ministros do STJ que melaram a investigação das “rachadinhas” o que pensarão desta notícia?

Categorias
outros

Prefeito de Foz assina termo para integrar consórcio da FNP para compra de vacinas contra a Covid-19

Gestores municipais têm até sexta-feira, 05, para enviar o documento; eles receberão projeto de lei que deverá ser aprovado em 15 dias pelas câmaras municipais

O prefeito Chico Brasileiro assinou nesta segunda-feira, 01, a manifestação de interesse de Foz do Iguaçu integrar o consórcio da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) para a compra de vacinas contra a Covid-19.

Na tarde desta segunda, a FNP reuniu-se com gestores municipais para explicar como se dará o processo de formação do consórcio. Até sexta-feira, 05, eles devem enviar o termo de interesse e receberão um projeto de lei que será enviado para aprovação das câmaras municipais.

O prefeito e a secretária municipal de Saúde, Rosa Jeronymo, participaram do encontro. Logo na sequência, enviaram o documento que manifesta o interesse de Foz no consórcio.

De acordo com Rosa Jeronymo, a FNP elaborou um modelo único de projeto de lei para os municípios, que terão um prazo de 15 dias para aprová-lo junto aos vereadores.

“Queremos agilizar este processo, para que o consórcio seja formato e possamos adquirir as vacinas. A FNP é uma entidade conhecida e respeitada, com reconhecimento internacional, que possui uma grande força para conduzir esse processo de compra”, afirmou Chico Brasileiro. Ele disse ainda que as definições sobre a marca e os quantitativos de vacina somente serão tomadas após a constituição formal do consórcio.

“Estamos com toda a estrutura e equipes preparadas para vacinar toda a população de Foz do Iguaçu, tão logo tenhamos uma maior quantidade de vacinas”, ressaltou a secretária de Saúde. Até o momento, Foz do Iguaçu recebeu 14.086 doses de vacina contra o coronavírus e já aplicou 12.992 doses.

Com AMN.

Categorias
outros

Hospital Municipal de Foz do Iguaçu recebe 21 novos médicos residentes

Residentes nas especialidades de Clínica Médica, Medicina de Família e Comunidade, Ortopedia, Cirurgia Geral e Psiquiatria foram selecionados por meio de concurso público

O Hospital Municipal Padre Germano Lauck, de Foz do Iguaçu, recepcionou nesta segunda-feira, 01, os 21 novos médicos residentes que fazem parte do Programa de Residência Médica da Secretaria Municipal da Saúde.

Fazem parte da turma residentes nas especialidades de Clínica Médica, Medicina de Família e Comunidade, Ortopedia, Cirurgia Geral e Psiquiatria. O programa é aprovado pelo Ministério da Educação, com bolsas de residência médica aprovadas pelo Ministério da Saúde. Os novos residentes trazem um pouco de fôlego ao hospital municipal, que tem 100% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ocupados, utilizando recursos extras para garantir o atendimento aos pacientes com Covid-19.

A secretária municipal de Saúde, Rosa Jeronymo, ressaltou a importância do trabalho desses residentes na atuação no hospital, que oferece 100% dos atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). ”Vocês serão responsáveis elo bom acolhimento aos usuários do SUS e será exatamente isso que definirá o sucesso de cada profissional: a relação médico-paciente sempre guiada pelo respeito e pela responsabilidade social”, concluiu a secretária.

O diretor-presidente do Hospital Municipal, Sergio Fabriz, destacou que os novos residentes têm muito a contribuir com a instituição, que já recebeu quatro ampliações desde o início da pandemia, mas precisa muito dos profissionais, especialmente neste momento crítico da pandemia. “Estamos vindo de grandes transformações na estrutura da instituição e de um enorme aprendizado no enfrentamento ao novo coronavírus. E os residentes são uma parte fundamental da força de trabalho do hospital”, disse Fabriz.

A coordenadora da Comissão de Residência Médica, Luz Marilda Cardona, comentou sobre a responsabilidade dos novos residentes. “Vocês têm em mãos a vida das pessoas, que podem depender de segundos de ação. Que vocês possam enxergar, em cada paciente que atenderem, seus pais, suas mães, seus filhos”.

A nova turma de residentes – a sétima do Programa da Secretaria Municipal de Saúde – recebeu o Manual Interno da Comissão e o Manual dos Residentes, documentos com as diretrizes e normas que irão nortear a atuação. Os médicos foram selecionados por meio de um concurso público e deverão permanecer em Foz do Iguaçu, pelo período de dois ou três anos, conforme a especialidade.

Fiscalização da Prefeitura atendeu mais de 50 ocorrências durante o fim de semana em Foz do Iguaçu

Equipes interditaram dois estabelecimentos e multaram 50 participantes de quatro eventos

Neste fim de semana as equipes de fiscalização da Secretaria da Fazenda e Vigilância Sanitária atenderam a 55 ocorrências de aglomerações em bares, residências, quadras de esporte e estabelecimentos comerciais. As ações, entre sábado (27) e domingo (28), tiveram como objetivo garantir o cumprimento das medidas estabelecidas nos decretos estadual e municipal, publicados na sexta-feira, 26, que restringem a circulação de pessoas após as 20h.

Desse total, dois estabelecimentos foram interditados, uma lanchonete localizada no bairro Cidade Nova e outra no bairro Morumbi. As equipes também autuaram quatro eventos e irão multar cerca de 50 pessoas que participavam das aglomerações. O valor é de 100 unidades fiscais – pouco mais de R$ 9 mil – para o organizador ou responsável pelo local e 10 unidades fiscais – mais de R$ 900 – aos participantes.

O diretor de Fiscalização, Nilton Zambotto, relata que as vistorias são realizadas conforme as denúncias que chegam e também pelas rondas feitas por cinco equipes divididas em todas as regiões da cidade. O trabalho de fiscalização irá seguir pelos próximos dias.

“A população precisa se unir e contribuir para acabar com essas aglomerações clandestinas. Pedimos o apoio no cumprimento do decreto e também que denunciem casos irregulares”, pede Zambotto.

Durante o mês de fevereiro o Plantão Covid-19 realizou mais de 550 fiscalizações no município.

Com AMN.

 

Categorias
outros

Eleitor também pede providências ao MP contra vereadora Mara Boca Aberta

Categorias
outros

Gilmar compara Lava Jato ao PCC

O ministro Gilmar Mendes comparou a Lava Jato ao PCC, maior grupo criminoso do país. Em entrevista nesse domingo (28) à Tribuna do Norte, de Natal, Gilmar disse que o conteúdo das conversas entre procuradores, juízes e delegados, apreendido pela Polícia Federal na Operação Spoofing, “dá asco”. E citou o caso da delegada Erika Marena, que teria forjado um depoimento para atender aos procuradores.

– O conteúdo das mensagens, às vezes, dá um asco. A ideia de transferir alguém para um presídio para que ele fale ou delate; de alongar a prisão. Veja essa delegada que teria falsificado depoimento. O que isso significa? Conversa de procuradores ou é conversa de gente do PCC? Tudo isto é muito chocante.

PITACO: Gilmar Mendes tá com a macaca.

Categorias
outros

FALTOU GESTÃO SECRETÁRIO PAULO ANGELI

Secretário de Turismo Paulo Angeli pilota a sua primeira patacoada

A Secretaria de Turismo e Projetos Estratégicos foi a responsável pela autorização para realizar o casamento ontem à noite, em pleno lockdown estadual e municipal. A autorização foi emitida no dia 19/02 e deveria ter sido cassada após a publicação do decreto de lockdown assinado pelo governador Ratinho Junior e seguido por outro decreto do prefeito Chico Brasileiro.
Pelo Decreto nº 28.999, do dia 26/02, o Prefeito acatou integralmente as medidas estaduais, mas aproveitou para fazer algumas concessões a alguns setores da economia, como os atrativos turísticos e os hoteleiros. No caso dos eventos, todos cancelados, incluindo aqueles já autorizados. Ou seja, não deixou nenhuma margem para o famoso jeitinho.
A diretora de marketing da Secretaria de Turismo, Cristiane Santos, postou mensagem em um grupo aberto de WhatsApp, que reúne organizadores de eventos, dizendo que o Secretário Paulo Angeli estava autorizando a realização dos eventos anteriores já autorizados pela secretaria, ao arrepio dos decretos estadual e municipal que instituíram o lockdown na noite de sexta-feira. Ela disse que Paulo já tinha falado com o Prefeito e até conversado com a fiscalização, indicando os eventos com autorização.
A reação do Prefeito, no domingo, quando soube de uma das festas autorizadas por Angeli, deixa claro que o Secretário de Turismo agiu por conta própria, atropelando o chefe maior. Falhou como gestor. Um secretário que se preze deveria ter chamado os organizadores de eventos e cancelado os alvarás emitidos antes do anúncio do lockdown. Em viagem à Maringá, o titular da pasta de turismo quis matar a bola no peito e fazer uma grande jogada, mas acabou marcando um tremendo de um golaço contra. Outros virão, quem viver, verá

PITACO: O repórter da RPC Landim foi ouvir o Angeli nesta segunda-feira (1). Encontrou um secretário confuso e acuado. Perguntado se aprovava os decretos restritivos saiu-se com uma resposta dúbia: Disse que como Paulo Angeli era contra, mas como gestor público é a favor. Ou seja, deu uma no cravo e outro na ferradura. Não entendeu ainda que não pode ficar em duas vertentes simultaneamente. Uma lástima esse secretário.