Categorias
outros

‘Só mando produto que tem meu selo de qualidade’, diz homem suspeito de comandar tráfico de mulheres

Por Fantástico

‘Só mando produto que tem meu selo de qualidade’, diz homem suspeito de comandar tráfico de mulheres

Nesta semana, a Polícia Federal prendeu uma quadrilha acusada de organizar um esquema internacional de tráfico de mulheres. Mais de cem brasileiras foram exploradas. Segundo a PF, Rodrigo Cotait era responsável por escolher jovens do Brasil e prepará-las para as viagens. As meninas eram abordadas pelas redes sociais ou através de uma empresa de maquiagem que ele dizia ser dono. Até menores de idade já foram negociadas por ele.

“Eu exporto mulher para tanto país: Estados Unidos, Oriente Médio, Austrália, Singapura, China, Nova Zelândia, Europa, Bolívia”, conta Cotait em um áudio.

Ele negociava as vítimas como se fossem mercadorias e, se elas tivessem algum título de beleza ou muitos seguidores na internet, os valores disparavam.

“Só mando viajar produto de exportação que tem meu selo de qualidade, ou seja, comprovei o material”, diz.

Cliente antigo de Rodrigo, Wissar Nassar é um dos clientes que contrataram menores. Ele é dono de um shopping em Ciudad del Este, no Paraguai. Uma das vítimas de Wissar teria sido a cantora de funk MC Mirella, quando ainda era menor de idade.

“Eu paguei para ela. Eu paguei em ‘cash’, dinheiro. Fui sacar. A menina não tinha nem conta em banco, que ela tinha 17 anos… 16 ou 17 anos”, conta em um áudio.

Abaixo Wissar Nassar que nao quis falar a reportagem do Fantástico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *