Categorias
outros

Requião é condenado por comentário ofensivo contra o governador  do Paraná

Do enviado especial

Roberto Requião de Mello e Silva perdeu mais uma batalha judicial. Desta vez, o veterano político foi condenado pelo 8º Juizado Especial Cível de Curitiba a retirar, em um prazo de até três dias, uma publicação considerada ofensiva e difamatória contra o governador Carlos Massa Ratinho Junior, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00. A liminar concedida pela juíza Fernanda Travaglia de Macedo atende a um pedido de Ratinho Junior.
O comentário, repletos de termos chulos, calúnias e inverdades, foi publicado na conta pessoal de Requião no Twitter. O ex-emedebista, que perdeu o comando do partido no Paraná e ficou apenas em 3º lugar na última eleição, desocupando a cadeira que tinha no Senado por quase duas décadas, em momentos distintos, abusa de informações distorcidas. E, como é da sua característica, da falta de educação e respeito, fazendo do ataque pessoal a única retórica possível.
Pelo texto em que mais uma vez se mostra um político raivoso, repleto de vaidades e pouco senso de justiça, Requião demonstra absoluto desconhecimento das políticas públicas em andamento no Paraná. Isso revela que a aposentaria forçada concedida pelos eleitores em 2018 tornaram o cacique (agora sem um partido para chamar de seu) ainda mais desatualizado.
Para a juíza, “o réu, ao utilizar as expressões roubo puro e simples, abusa do livre exercício da manifestação de opinião e crítica ao agente político, uma vez que atribui ao autor a prática de ilícito (art. 157 do Código Penal), o que, de fato, pode ofender à honra do promovente. Assim, vislumbra-se a probabilidade de direito nos fatos narrados na petição inicial”.
“Salienta-se que a análise sobre a existência de lesão à honra demanda o exercício do contraditório e o julgamento de mérito, não obstante a manutenção da publicação até a análise do mérito geraria perigo de dano à honra e a imagem pública do promovente, posto que a publicação foi veiculada em rede social com vasto número de usuários, dotando, portanto, de grande visibilidade. Deste modo, entende-se que resta demonstrado o pressuposto perigo de dano”, escreveu a juíza ao conceder a liminar.
Ainda de acordo com a decisão, Requião tem até o dia subsequente ao término do prazo para o cumprimento voluntário da obrigação imposta pelo juizado. Já o termo final é o atingimento da quantia de R$ 20.000,00.
Ou seja, a derrota judicial coloca em xeque mais uma vez o estilo fanfarrão de Requião e aponta cada vez mais para o fim melancólico da carreira do antigo cacique político, um caminho sem volta até para os mais chegados do partidário do “abaixa ou acaba”.

Do Zé Beto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *