Categorias
outros

Bolsonaro explora a ameaça de golpe para adiar prisão

Presidente fala em ‘oportunidade para o povo’, mas principal preocupação é com ele mesmo

A máquina de propaganda bolsonarista quer mascarar os protestos como um movimento em defesa do que chama de liberdade, como se houvesse um espírito nobre na defesa de sujeitos que falam em “botar fogo no Tribunal Superior Eleitoral”. O próprio presidente já deixou claro, no entanto, que a liberdade que o preocupa é a dele mesmo.

Na crise política fabricada pelo Palácio do Planalto, Bolsonaro já disse ver três alternativas para o futuro: “estar preso, ser morto ou a vitória”. Dias depois, explicou que, ao fazer aquela declaração, ele se referia a um ambiente de muita pressão. “Quando falamos em voto impresso, passou a ser crime. Quando falamos em tratamento precoce, passou a ser crime”, afirmou.

Ao que parece, Bolsonaro espera ficar impune até deixar a cadeira de presidente –derrotado nas urnas ou afastado pelo Congresso. Para adiar esse dia, ele deve manter suas ameaças de desrespeitar decisões judiciais, melar as eleições e continuar no Palácio do Planalto à força.

Bruno Boghossian

Jornalista, foi repórter da Sucursal de Brasília. É mestre em ciência política pela Universidade Columbia (EUA).

Bruno Boghossian

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *