Publicidade - Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu - Atendimento em casa

Publicidade - Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu - KEZIO

Categorias
outros

Beto Richa pratica mais uma violência contra o Paraná, denuncia Nereu Moura

bffd0753-3c3c-4cce-8d07-3c7709811771

Nereu Moura tá tiririca com o Betinho…

“O Paraná tem um governo irresponsável e pratica mais uma violência contra o interesse público e contra todos os paranaenses”. A afirmação é do deputado Nereu Moura, ao comentar o “pacote de maldades” embutido na série de projetos aprovado esta semana na Assembleia Legislativa.

“Com a aprovação deste novo ‘pacotaço’, o Beto Richa vai poder vender a Copel e a Sanepar e criar novas taxas para empresas, sobre o uso de água no Estado”, denunciou Nereu Moura, líder do da bancada do PMDB.

Nereu Moura disse que irá buscar medidas judiciais para impedir a venda do patrimônio público. “Vamos recorrer ao Poder Judiciário para impedir a venda das ações e a criação das taxas. A oposição vai fazer de tudo para impedir que o patrimônio público do Paraná seja privatizado”, adiantou o parlamentar.

“Já aumentaram impostos e agora estão criando taxas, vendendo ações das estatais, isso não tem fim, é a mesma justificativa de sempre, que o Estado está quebrado. Até quando?”, questionou Nereu Moura.

A criação das novas taxas para uso dos recursos hídricos, segundo ele, está disfarçada e na prática são impostos que não podem ser criados desta maneira. “A Fiep alertou que as empresas repassarão este aumento de custo à população”, alertou o peemedebista. Nereu Moura lembra que nos “pacotaços” anteriores, Beto Richa aumentou em 40% o IPVA, mais de 100% a tarifa da água e o ICMS sobre 95 mil produtos básicos de consumo.

Nos seis anos da atual administração, o custo da energia elétrica para a indústria subiu 140%, segundo estudo da Fiep (Federação das Indústrias do Paraná). O deputado lembra ainda que a OAB, através de sua Comissão de Direito Tributário, afirmou que o pacote de Beto Richa representa um festival de inconstitucionalidades. “Não vamos recuar um milímetro na defesa do patrimônio público dos paranaenses”, concluiu Nereu Moura.

Foto legenda (nereu moura2109)
Nereu Moura: “Vamos recorrer ao Poder Judiciário para impedir a venda das ações e a criação das taxas”
Foto: Pedro de Oliveira/Alep

Categorias
outros

CANDIDATO PAULO MCD (PDT) FALOU AO PARANÁ TV

Paulo McD concedeu 15 minutos de entrevista a dois repórtes da RPC nesta quarta (21).
Paulo não se dá por entregue, na cabeça dele um promotor eleitoral, o juiz eleitoral de primeira instancia, o procurador federal regional eleitoral, e os seis desembargadores do TRE, estão todos errados, só ele está certo!
É da índole do Paulo imaginar que o mundo está no umbigo dele. Egocêntrico!
Irônico e debochado, tentou tirar sarro com os repórtes por causa de uma matéria sobre falta de copo plástico em um posto de saúde, mas acabou numa saia justa quando lembraram-lhe da operação Riquixá (que o conduziu coercitivamente) que desviou 15 bilhões de reais nos esquemas criminosos de licitações de ônibus. Vejam a entrevista e tirem suas conclusões…

Assista AQUI

 

Categorias
outros

Decifra-me ou te devoro

nanilulistas

Categorias
outros

ADVOGADO DE LULA SERÁ DENUNCIADO

 Os procuradores da Lava Jato vão incluir o advogado Roberto Teixeira na próxima denúncia contra Lula. Para os investigadores, Teixeira forjou a compra do sítio de Atibaia em nome de Fernando Bittar e Jonas Suassuna, que entraram como laranjas de Lula na operação.

Além disso, a investigação contra o advogado e compadre de Lula não se restringirá ao sítio.

Há diversas operações imobiliárias envolvendo Teixeira que estão na mira do MPF, como a compra pela Odebrecht de um imóvel que serviria de sede para o Instituto Lula, na Vila Clementino. Além do advogado, também participou do negócio o amigão José Carlos Bumlai.

Categorias
outros

Polícia Civil fecha “ponto de droga” no Porto Meira

p1020183p1020185

Na tarde desta segunda-feira (19), investigadores da equipe Charlie/G.D.E realizaram a prisão em flagrante pela prática do crime de tráfico de drogas de Guilherme Vieira Martins, 21 anos de idade, no bairro Porto Meira.

Os investigadores que receberam denúncia pelo Disque Denúncia 197 de que em uma residência na Rua Cara estaria operando um “ponto de drogas” realizaram diligências no local, oportunidade em que tiveram franqueada a entrada pelo dono da propriedade.

Quando realizado buscas no quarto de Guilherme Vieira a equipe logrou êxito em localizar em um recipiente vários pedaços de maconha embalados para a comercialização, e um pedaço maior do entorpecente que estava sendo preparado em porções menores com a mesma finalidade, totalizando 280 gramas.

Diante dos fatos, Guilherme foi encaminhado a Delegacia da Polícia Civil onde foi lavrado o flagrante delito pela prática do crime de tráfico de drogas, sendo posteriormente encaminhado à Cadeia Pública Laudemir Neves.

POLÍCIA PRENDE LADRÃO

p1020183

Polícia Civil cumpre mandado de prisão de autor de roubo

Na manhã desta segunda-feira (19), investigadores da Polícia Civil cumpriram mandado de prisão expedido pela Vara Criminal de São Miguel do Iguaçu, em desfavor de Fosael Pereira Antunes, 27 anos de idade, na região central da cidade.

O mandado de prisão depreende-se do crime de roubo realizado pelo foragido na data de 02 de agosto deste ano, em que Fosael e uma segunda pessoa abordaram a vítima no bairro São Cristovão e de posse de uma arma de fogo obrigaram-a entregar seus pertences pessoais.

Diligências foram realizadas pela Polícia Civil, bem como Polícia Militar, vindo a identificar no dia seguinte à pessoa de Fosael, que além de confessar o crime o mesmo ainda devolveu a bolsa da vítima e entregou aos policiais a arma de fogo utilizada no roubo.

Diante dos fatos, o Delegado de Polícia, Dr. Francisco Sampaio, representou junto ao poder judiciário daquela comarca pela prisão preventiva do mesmo, cumprida na manhã de ontem. Fosael Pereira Antunes foi encaminhado a Delegacia da Polícia Civil, onde foi dado fiel cumprimento ao mandado de prisão e permanece à disposição da justiça.

VEÍCULO RECUPERADO

Por informações do DIEP, a equipe policial, estava em patrulhamento pela região do jardim América, por volta de 16:30h, verificando algumas denúncias no local, quando em busca no mato próximo a alguns barracos na favela da sadia, a equipe logrou êxito em localizar uma porção de maconha que totalizou dois quilos duzentos e noventa e sete gramas e um revólver calibre .32, em estado de abandono. Diante dos fatos, a maconha e o revolver foram encaminhadas a 6ª SDP, para os procedimentos cabíveis.

POSSE ILEGAL DE ARMA DE FOGO

Conforme informações repassadas, por volta de 15:00h, pelo departamento de inteligência do estado do Paraná (DIEP), de que em uma residência na comunidade da sadia, na rua Guimaraes Rosa no jardim América, havia uma arma de fogo do tipo escopeta calibre .12mm guardada. Foi feito uma incursão a pé nesta referida comunidade, onde nesta residência, alvo da informação, havia uma moça, a qual franqueou a entrada a equipe, onde foi perguntado a ela, se tinha conhecimento desta arma de fogo, e esta disse não saber, pois não se envolvia com este tipo de coisa. Porém, em buscas na sala desta casa, escondida no sofá, foi encontrada a arma de fogo, municiada com 2 munições de mesmo calibre. Diante do fato, foi dado voz de prisão a moça e esta foi conduzida para delegacia de polícia civil para providências. Posteriormente, em incursão a mata, próximo a esta residência, foram encontradas 01 munição de calibre .22mm, 01 munição de calibre .25mm e 01 munição de calibre .38mm.

CUMPRIMENTO DE MANDADO DE PRISÃO

Durante patrulhamento pela área sul da cidade, por volta de 17:50h, na rua Pedro Gimenez, próximo a esquina com a rua das Palmas, passou pela equipe um indivíduo em atitude suspeita, feita a abordagem, foi constatado que o mesmo era menor.  Ao checar o nome do mesmo via copom, foi verificado que o menor tinha mandado de apreensão em seu desfavor, diante dos fatos, ele foi encaminhado até a DEA para procedimentos cabíveis.

Categorias
outros

Chico Brasileiro vota contra venda de ações da Copel e Sanepar

chico-alep-1-2009

O deputado estadual Chico Brasileiro (PSD) votou nesta segunda-feira (19), em Curitiba, contra a venda de ações da Copel e da Sanepar por entender que o governo não deu as devidas explicações para a operação. Mesmo assim, o projeto de Lei 435/2016, que prevê também a venda de imóveis de 11 órgãos públicos sem autorização da Assembleia, foi aprovado por 29 a 17 votos.

Para Chico Brasileiro, a proposta deveria ter sido amplamente discutida com a sociedade. “Esse tema não deveria ser abordado apenas por esta Casa e, sim, ser levado a plebiscito”, afirmou. Em sua opinião, caso ocorresse uma consulta popular, “veríamos o povo do Paraná, que é o verdadeiro dono dessas empresas, dizer não à venda das ações da Copel e da Sanepar”.

Ele lembrou que esta é mais uma tentativa do governo de se apropriar do patrimônio público para tentar reequilibrar as suas contas. “Lamento que tenhamos de passar por uma venda de ações de empresas tão importantes e lucrativas, que tanto nos orgulham por serem empresas públicas”, afirmou.

Ele comparou a aprovação da venda das ações com as alterações nos fundos da Paraná Previdência no início de 2015, quando ocorreu o massacre do dia 29 de abril. “Mexeram na previdência dos servidores e cadê o dinheiro? Qual foi a cidade que recebeu um grande investimento com aqueles recursos?”, questionou. “Agora vai ser a mesma coisa porque o governo não explicou onde irá aplicar os recursos da venda de ações”.

IMÓVEIS – Além das vendas das ações, o projeto de Lei prevê ainda a venda de dezenas de imóveis “não utilizados” que pertencem hoje a 11 estatais, como Codapar, Cohapar, Ceasa, Celepar e Ferroeste. “Do mesmo modo, o governo não explica quais são esses imóveis e nem onde os recursos serão aplicados”, destacou Brasileiro.

Fotos: Dálie Felberg/Alep

Categorias
outros

Por unanimidade TRE mantém inegibilidade de Paulo McD

download-1
Por 6 votos a zero TRE mandou Paulo McD prá casa…

O TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná) manteve nesta terça-feira (20), a impugnação da candidatura de Paulo Mac Donald (PDT) a prefeito de Foz do Iguaçu. O colegiado acompanhou, por 6 votos a zero, o parecer do relator, desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira, confirmando a sentença do juiz Marcos Antonio Frason, da 46ª Zona Eleitoral.

O Cadastro Nacional de Condenações Cíveis por Ato de Improbidade Administrativa e Inelegibilidade, do Conselho Nacional de Justiça, já adiantou que Mac Donald está com os direitos políticos suspensos até 23 de fevereiro de 2021, ou seja, está inelegível, conforme entendimento da Justiça Eleitoral que impugnou sua candidatura.

Conforme cadastro do CNJ, Mac Donald já foi condenado em ação transitada em julgado por órgão colegiado em segunda instância, no caso o Tribunal de Justiça do Paraná. Nas informações, o CNJ responde “sim” para todas as questões relacionadas a inelegibilidade do candidato do PDT.

Na última semana, o Ministério Público Eleitoral, através do procurador Alessandro José Fernandes de Oliveira, já havia se manifestado por manter a impugnação de Mac Donald, conforme a decisão em primeira instância da Justiça Eleitoral. “Improcedem as razões do recorrente (Mac Donald)”, adiantou o procurador do TRE-PR, ao recurso apresentado pelo candidato do PDT.

De acordo com o MPE, a impugnação da candidatura de Paulo Mac Donald está embasada na existência de todos os requisitos legais para sua inelegibilidade, o que inclui “(…) suspensão dos direitos políticos, em decisão proferida por órgão judicial colegiado, ato doloso de improbidade administrativa que importe lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito, a manutenção da sentença que julgou procedentes as impugnações e indeferiu o registro do recorrente é medida que se impõe”.

Também pesou na decisão do TRE-PR o fato de Mac Donald estar proibido de contratar com o Poder Público ou receber incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, e uma negativa do Tribunal de Justiça do Paraná, a um pedido de provimento, reconhecendo a existência de atos de improbidade administrativa. O ex-prefeito ainda poderá recorrer da decisão no Tribunal Superior Eleitoral em Brasília.

PITACO: Na coluna de ontem dissemos: “Vai pra casa Paulo”. Hoje foi a vez do TRE dizer a mesma coisa.